Harry Potter: 10 anos de história | Minha Vida Literária
14

jul
2011

Harry Potter: 10 anos de história

Aviso: o texto abaixo foi escrito em meio às emoções originárias do dia de hoje e, por isso, contém altas doses de um tom melodramático que apenas um fã pode compreender.

 

 

Juro solenemente não fazer nada de bom.

 

Lembro de quando conheci Harry Potter. Uma amiga ganhou o livro de aniversário, presente de alguém que dissera a ela que o livro estava sendo um sucesso. Vi a capa colorida, um livro tão grande (e sem desenhos!) sobre o que? Bruxos? Escola de Magia? Dumbledore? Aquele-que-não-deve-ser-nomeado? Trouxas? Ahn?!?!
Passadas duas semanas, fui convidada para assistir um filme no cinema, baseado em um livro. Reconheci ali o presente de minha amiga e, como minha curiosidade havia sido despertada, fui assistir. Fiquei maravilhada com as cenas. Aquele castelo maravilhoso, velas no teto, criaturas mágicas, fantasmas e muito, muito encantamento que só um mundo mágico pode proporcionar. O filme terminou e eu havia adorado, e, pela primeira vez, alguém disse que “a menina do filme me lembrou você” (isso que dá ter fama de estudiosa na escola).

Passado algum tempo, uma outra amiga ganhou “A Pedra Filosofal” e “A Câmara Secreta”. Ela começou a ler o primeiro e, não resisti, pedi pra dar uma olhada no segundo. A minha olhada rendeu a leitura do primeiro capítulo inteiro. Um pouco depois, chegaram os dois primeiros livros na biblioteca da minha escola e é óbvio que corri pra pegar e continuar a leitura. Nem reli o primeiro capítulo, tamanha era a ansiedade. E foi ai que a paixão realmente nasceu. Fiquei até as 4h da manhã lendo, não consegui parar, ainda mais com tudo que estava acontecendo na história! Ela terminou e eu estava em choque. O livro era muito bom. Eu tinha 12 anos na época, mesma idade do Harry nesse livro.

Levei alguns meses para poder ler a continuação. Minha escola, pública, não tinha todos os volumes da série, eu muito menos. Precisei esperar até conseguir emprestado com uma terceira amiga. Era feriado prolongado quando comecei a ler “O Prisioneiro de Azkaban”. Comecei em um dia a noite, na noite do dia seguinte eu havia acabado. Esse é até hoje um dos meus favoritos da série. Mais uma vez, eu havia terminado o livro em choque, de boca aberta em como aquela história era fantástica! Comecei “O Cálice de Fogo” no dia seguinte e, como esse é um dos maiores da série, levei uns 2 dias a mais para terminar. E, quando acabou, eu não conseguia acreditar que a história tinha tomado aquele rumo. Sério que aquilo realmente aconteceu? Não era uma história infantil?

Não, não era, o que foi comprovado em “A Ordem da Fênix” após mais de um ano agoniante de espera até que o livro fosse lançado, uma quarta amiga comprasse e lesse para poder me emprestar, sendo que os dois últimos ainda bem se deram de maneira rápida. Nesse momento, o segundo filme já havia sido lançado há um ano, faltavam por volta de 6 meses para que o terceiro estreasse nos cinemas, eu já havia mudado de escola e havia começado a ser chamada de “Mione” pela mesma pessoa que me emprestou o último livro, apelido o qual foi modificado para Mi, como sou chamada até hoje pela maioria dos meus amigos.

Então passam 2 anos e julho de 2005 chega com a estréia de “O Cálice de Fogo” nos cinemas, 6 meses antes de “O Enigma do Príncipe” ser lançado no Brasil. Novamente, precisei esperar um pouco mais para ler o livro: dependia de empréstimos. Eu li, chorei minha vida e amei. E mal podia esperar pra ler a continuação. Eu precisava do final.

Eis que julho de 2007, com o lançamento internacional de “As Relíquias da Morte”, mas o Brasil teria que esperar até novembro para ter o livro lançado. O Brasil até podia esperar, eu não. Se você pensa que fui corajosa e peguei o livro em inglês pra ler, errou. Fui mais ainda e li a versão traduzida por um fã, na internet. Aliás, foi o único livro na minha vida que li no computador. Foram 3 dias sentadas na frente da tela, lendo sem parar a história, chorando e sendo vista chorando pelas pessoas da minha casa em vários momentos diferentes, mesmo com algumas partes não estando muito claras (era uma tradução não oficial, óbvio). E aqui figura um momento de identificação com a história. Harry tinha 17 anos e estava em seu último ano da escola (era o último ano, não que eles estivesse lá…). Eu também tinha 17 anos e estava em meu último ano. Harry deveria enfrentar o desconhecido, as mudanças, estava deixando pra trás toda a fantasia e o mundo criado durante os anos da escola, estava saindo para encarar o mundo real lá fora. Eu também. É claro que o “v” que ele deveria enfrentar no final seria o Voldemort, meu “v” era apenas o vestibular e que, caso eu falhasse, teria o cursinho para me ajudar no ano seguinte. O Harry meio que não. No caso dele era literalmente questão de vida ou morte.

Comparações a parte, eu cresci com o Harry. Li meu primeiro livro quando tinha a mesma idade dele e li meu último com a mesma idade dele também. A história, os lançamentos e estréias me acompanharam por toda a adolescência. Quando os livros chegaram ao fim, chorei pela história e chorei por ter sido o último, mas ainda havia a espera pelos filmes para me consolar. Mas hoje essa espera acaba, fazendo Harry Potter estar em minha vida há 10 anos.
Só quem é fã pra entender o que isso significa. Só quem é fã pra compreender o paradoxo de sentir essa angústia no peito e esse nó na garganta ao pensar em hoje a noite, enquanto também sente a ansiedade para finalmente ver o fim dessa saga épica.

“Harry Potter” não foi o responsável pelo meu vício em leitura foi sim pelo meu apelido. Mas criou em mim, mais do que um vício, paixão por essa série fantástica e admiração incontável pela genial J.K. Rowling. Não importa quantas vezes eu leia cada livro, todas as vezes que termino eu não posso deixar de pensar “Como ela conseguiu criar tudo isso?”. J.K criou um fenômeno mundial, nunca visto antes. Quem mais mobilizou fãs, inúmeros fãs, no mundo inteiro, por mais de 10 anos como ela?
J.K Rowling marcou toda uma geração com a história do menino que sobreviveu e eu sou imensamente grata por fazer parte dessa geração. Grata por, em plena pré-adolescência, não ter olhado para o livro e pensado “é coisa de criança”, grata por ter me rendido ao encanto que esse mundo causou e que não vai acabar mesmo que a saga termine hoje. Podem não ter mais lançamentos de livros ou estréias de filmes para se esperar, mas essa magia não vai acabar nunca.
E, daqui a alguns anos, quando estiverem lendo os livros, quero olhar para trás e contar para os meus filhos como foi viver esses 10 anos fantásticos, exclusivos da Geração Harry Potter.

Malfeito feito.





Deixe o seu comentário

36 Respostas para "Harry Potter: 10 anos de história"

Gláu - 14, julho 2011 às (15:53)

hhaha sua história com HP que legal… e o mais legal ainda é ter o nome da personagem que eu nem fazia ideia de pq Mi….rs
bom como sabe eu nao li e nem acompanhei os HPs da vida… acho q vou ficar um tempo ainda sem procurar saber mais pq tenho medo de gostar e viciar tbm…rsrsrs não to dando conta de ler os que tenho aki… melhor deixar mais pra frente..

bjs

Responder

Rachel Lima - 14, julho 2011 às (16:17)

AHNN, eu também cresci com HP. Mas eu conheci primeiro os filmes, e depois li os livros da minha amiga (ela tinha tooodos). Nossa. Eu sempre fui apaixonada por este universo que a J.K criou e até agora tenho vontade de chorar pelo fim. Depois do sétimo livro eu ainda tinha um consolo: Ainda faltam os filmes. Mas e agora? Mesmo com o pottermore, vai deixar muitas saudades. Amei o post <3 Todo mundo em clima harry potter *o*
Beijos!

Rachel Lima – EtCoetra

Responder

Thamires R. - 14, julho 2011 às (17:35)

Só um fã de verdade pode entender o que estamos sentindo! Tudo aquilo, por mais mágico que seja, acaba.
Mesmo assim, Aione, como vc mesma disse, daqui a alguns anos, vamos relembrar aquela vontade de ler cada capítulo do livro, ver e rever cada filme, aprender todos os feitiços, esperar para que o próximo filme ou livro ser lançado com toda a alegria possível para voltar novamente a Hogwarts e ser uma fã de Harry Potter, o menino que sobreviveu!
Eu não entendia o significado de Mi, suahsu, agora sim entendo..

Então Mi…vou colocar o seu banner lá no blog ok?
Beijão !
http://laco-de-cetim.blogspot.com

Responder

Entre Fatos & Livros - 14, julho 2011 às (17:48)

OI!

Eu gelei quando vi o seu post. Estou preparando um post sobre HP e vi as mesmas imagens. Pensei q tivéssemos tido a mesma ideia, mas foram só as imagens, mesmo. Sem problemas, eu mudo pq o meu, só semana q vem.

Homenagens a HP nunca é demais, né? Eu amo. Tb li o meu primeiro livro com 11 e estou com o coração apertado de pensar que não esperaremos mais um filme ou livro de nosso bruxinho.

Lindo texto! Eu amei!

BjoO
Pri
Entre Fatos e Livros

Responder

Julia G - 14, julho 2011 às (18:18)

Ai cara, quase chorei 🙁 Me identifiquei muito com o seu texto, até porque minha caminhada com HP foi bem parecida com isso!

Beijinhos 😉

Responder

Regiane Cristina S. - 14, julho 2011 às (18:21)

Sinceramente eu não curti Harry Potter de início. Na verdade, eu não cresci como a maioria cresceu com a série. Eu já era bem grandinha quando a série surgiu. Não me interessei pelos livros. Eu era ligada em Senhor dos Anéis e achava que HP devia ser idiota. Assisti ao primeiro filme no cinema quando surgiu, mas não gostei.

De tanta insistência de um amigo, eu comecei a ler os livros. Pequei os dele emprestado. Li os 4 primeiros um atrás do outro. Resultado, eu me apaixonei e por esse motivo, comprei os livros, e fui assistindo os demais filmes no cinema. Hoje eu sou totalmente viciada em HP.

Tenho todos os filmes em DVD´s já lançados e também todos os livros.

Adorei o post!!!

Beijinhos

Ler e Almejar

Responder

Gislaine - 14, julho 2011 às (19:05)

Amei o post!

Só quem é fã pra saber o que é esperar ansiosamente por uma carta de admissão em Hogwarts, sonhar com as escadas que sempre mudam de lugar, ter um medo danado daquele-que-não-deve-ser-nomeado, querer voar numa Firebolt ou até mesmo em uma Nimbus 2000, poder ir comprar sua varinha, vestir o uniforme da Escola de Bruxaria…
Esse mundo de JK é simplesmente fantástico. Nunca vou esquecer…

Beijos,
Gislaine

paraisodaleitura.blogspot.com

Responder

Isabela - 14, julho 2011 às (19:53)

Ah, que lindo, que lindo! HP marcou sim, nossa geração. Posso dizer que cresci cantando aquela musiquinha gostosa do começo do filme na cabeça, e compartilhando primeiro brincadeiras, depois figurinhas, e por fim as experiências ao ler os livros com meus amigos. Sempre apreciei o estilo da J.K, mesmo quando pirralha, queria escrever como ela e me deslumbrava com a fantasia da história. Até hoje me pergunto: de onde diabos saiu tanta coisa? haha.
Vou sentir falta de sair do cine e comentar tudo :´(
Uma coisa é fato: o fim da história não altera nosso carinho pela saga nem nossas lembranças

Responder

Marcelo Lima - 14, julho 2011 às (20:01)

OWNT , me emocionei lendo o texto. Eu amo outra série e sei bem como é. Não li HP ! mas cada vez mais sou chamado para ler. Texto incrivel mi!

Responder

Lady Marinah - 14, julho 2011 às (20:16)

Só vou repetir o que a minha amiga Gislaine disse, …

Só quem é fã pra saber o que é esperar ansiosamente por uma carta de admissão em Hogwarts, sonhar com as escadas que sempre mudam de lugar, ter um medo danado daquele-que-não-deve-ser-nomeado, querer voar numa Firebolt ou até mesmo em uma Nimbus 2000, poder ir comprar sua varinha, vestir o uniforme da Escola de Bruxaria…
Esse mundo de JK é simplesmente fantástico. Nunca vou esquecer…

😉

Circulo Viajante #01
Primeiro Circulo Viajante organizado pelo LpC.

Veja como se inscrever em … http://migre.me/5fu2g

Visite e não deixe de comentar no .. http://migre.me/56Zw3

Beijos e Boa Leitura!!
Marina Barcelos
contato: marysbarcelos@hotmail.com
Blog: http://www.livrospelacasa.blogspot.com

Responder

Geovanna Ferreira - 14, julho 2011 às (20:29)

Não me considero uma fã de Harry Potter…sim. eu gostou da história…já vi os filmes e os três primeiros livros é que não acompanhei toda essa história….belo texto…exprime tudo o que os fãs sentem..geração HP será eterna!

Responder

Alinne Lopez - 14, julho 2011 às (20:53)

Muito bom o post.
Você é fã mesmo hein?
Confesso que não sou muito chegada no HP, Apesar do filme ser britânico e eu amar.
Acho que me desiludi, pois não gostei da interpretação dos atores, principalmente do principal e da garota. O único filme que curti mesmo foi o que tem a participação do Robert Pattinson.
Mas vou ler os livros para ver se gosto, pois sempre que os livros são adaptados para o cinema, sempre acho os livros melhores.
Bjos.

Books e Desenhos.

Responder

­Nanda - 14, julho 2011 às (22:06)

Oiiiiii *-* É verdade, só quem é fã entende mesmo! Fiquei totalmente arrepiada do começo ao fim do post! haeoihaeoiahe *-* Eu li HP um pouco mais nova e demorei muito nos dois primeiros, mas o terceiro, assim como você (até para minha surpresa e de todos que me viam demorar mt a ler) eu li MUITO rápido… Cálice de fogo eu consegui ser mais rápida ainda e meu deus… dai em diante eu enrolava pra não acabar rápido! Vai fazer muita falta, mas a magia nunca vai acabar <3

Beijos, nanda
http://www.julguepelacapa.blogspot.com

Responder

Eduarda Menezes - 14, julho 2011 às (23:08)

Mi ADOREI o post! Na hora que eu vi que era sobre HP, LOGO HOJE, (quando estou uma pilha de nervos pois já já estou indo pro cinema assistir a pré-estréia) me arrepiei!

Harry marcou também marcou a minha adolescência de tal modo que o meu carinho por essa saga maravilhosa e única, nunca irá esmorecer! O engraçado é que ontem mesmo eu estava contando para o meu namorado o passo a passo de como fui lendo cada livro, quando, onde, a expectativa do próximo, relembrando tudo momento a momento assim como você acabou de fazer! Acho que é inevitável para nós fãs esse momento nostálgico agora que tudo está chegando ao fim… Só em dizer isso já me sinto estranha e vazia!! Nãoo 🙁 Excelente POST! Amei!
Bjs!!

Responder

Eduarda Menezes - 14, julho 2011 às (23:13)

Ahh e que interessante (e o máximo) que o seu apelido veio da Hermione (não fazia nem ideia)!! Bjs!! ^^

Responder

Jaine - 15, julho 2011 às (03:28)

Ounnt *-* que linda sua história com Harry Potter, eu também cresci com ele e me dá uma angústia saber que tudo “terminou”, chorei ao terminar o último livro e fiquei folheando as páginas para ver se tinha mais alguma coisa, eu precisava de mais, era impossível que tivesse acabado.. Harry sempre estará no meu coração, será uma lenda eternamente, quero passar aos meus filhos sua história, para que ela nunca se acabe realmente.

Beeijos
Jaine – Little Things

Responder

Niii - 15, julho 2011 às (03:29)

esses posts estão me deixando deprimida!
HP, amor define!

bjs

Responder

Bruno Miranda - 15, julho 2011 às (15:21)

Que texto lindo! Eu comecei a gosta de Harry Potter há apenas um ano. Eu era muito pequeno nos outros lançamentos de livros e filmes e é só agora, no fim de tudo, que eu estou acompanhando um. POR QUEEEEEE? rs Logo no fim, o fim de tudo! Claro que a magia nunca vai acabar, mas pensar que a gente nunca mais vai poder acompanhar uma das aventuras de Harry Potter… É como se ele não existisse. E a gente sabe que ele existe de verdade né?! 😀 Enfim, se eu, que estou acompanhando a vida do bruxinho há tão pouco tempo já estou quase maluco com esse fim imagina você. É como se fosse um melhor amigo que se vai. Parabéns pelo texto, ficou realmente muito lindo. Beijos,

@minha_estanteMinha Estante

Responder

Ana Ferreira - 15, julho 2011 às (18:39)

Aione,
Que texto lindo! Tenho orgulho de ser da geração Harry Potter nessas horas, sabe?
Adorei as comparações que você fez, Voldemortm e vestibular heiuheuheiueh
Ótimo.
Esse amor, esse fanatismo que mobilizou tantas crianças, jovens e adultos a criarem um tipo diferente de magia, essa união independentemente de nossas diferenças que nos tornou iguais, que nos tornou únicos.
E que o bruxinho viva eternamente dentro de nós, em todas as idades, em todas as nossas fases da vida, ajudando-nos com sua coragem, lealdade e nobreza a enfrentar nossos bruxos, nossos dragões, basiliscos, aranhas, comensais da morte e tudo que vier pela frente, não exatamente mágico, mas forte o suficiente para nos dar garra e determinação de vencê-los, de superarmos a nós mesmos e aprendermos com esses valores tão simples a sermos pessoas melhores. Sempre.

Beijinhos,
Ana – Na Parede do Quarto

Responder

Pah - 15, julho 2011 às (19:42)

Oi Mi
Como você eu também cresci com HP, tudo muito novo para mim já que eu não fazia o tipo que lia, esses foram os primeiros, não dá para esquecer, como você mesma disse marcou uma geração, esses livros nos proporcionaram um mundo novo, repleto de fantasia e emoção.

Da um aperto saber que está acabando, ou melhor que acabou, mas o melhor é saber que acabou em grande estilo!!

Beijokas

Livros & Fuxicos

Responder

Mariane Braga - 15, julho 2011 às (22:02)

Preciso mostrar esse seu post para um amigo! Que gracinha, hahaha! Eu gosto dos filmes, da história, mas até agora não li nenhum livro, heheheh!

Beijos e um ótimo final de semana pra vc!

Responder

Thamires R. - 15, julho 2011 às (22:17)

Flor tem selinho p/ vc lá no blog:
http://laco-de-cetim.blogspot.com
Mil beijos!

Responder

Alessandra Helena - 15, julho 2011 às (23:21)

Aiii Mi! Nem me fale… caiu a minha ficha só hoje, pós pré HP que não vai mais ter nem filme, nenhum outro livro…! É triste :(((
Eu tbm cresci com HP, lendo os livros, torcendo para sonhar que eu estudava em Hogwarts…assistir milhares de vezes os DVDs! Sério, é muito triste meeeesmo escrever isso! Mas como a Jo disse: “Hogwarts will always be there to welcome you home”! Preciso falar mais depois dessa frase? Acho que já traduz tudo pra mim!!

Beijos
Ale
http://www.introducingyouabook.com/

Responder

Renata G. de Souza - 16, julho 2011 às (01:01)

Que lindo =3 Harry Potter é para a vida toda!!!
Não imagino minha vida sem Harry! Mas eu não fico triste, pois para mim nunca irá acabar ^^ Ainda tenho que comprar um monte de coisas da série =D
E eu comecei a gostar de Harry Potter, por causa dos filmes mesmo =D Desde a estréia do primeiro *-* Eu tinha 11 ou 12 e fiquei encantada, lembro até hoje!!
Bjus =*

Responder

Amanda Moreira - 16, julho 2011 às (15:22)

AAAH eu sou mega fã, já li todos os livros e vi todos os filmes. É perfeito, melhor história que tem!

Adorei seu blog e já estou seguindo, dá uma passadinha no meu, acho que vai gostar:

http://doblushaosalto.blogspot.com/

bjks

Responder

Anonymous - 14, agosto 2011 às (12:43)

Eu adorei e também já li vários livros do Harry Potter e assisti os filmes também sou muito fã dele igual a você nunca vou me esquecer de Harry Potter

bjs

Responder

Anonymous - 19, agosto 2011 às (00:40)

Oi !!

Eu tambem queria q isso nunca acabasse como muito de vcs eu suponho,eu nunca tive a sorte de ler um livro do HP,(fala a verdade aki onde moro ningem se entereça muito por leitura)eu so tenho 15 anos axo q chegei um poco atrasado para os livros.

Mas oque eu acompanhei nos filmes me fes um fã como vcs, por que eu tambem estol super decepcionado porque que saga ira acabar,acho que estamos ne?

bj,bj,bj e mais bj para todos!!!

o Harry pode ir mais ficara pra sempre em nossos corações, isso é uma verdade verdadeira tem q ser dita

Responder

leise cunha - 23, setembro 2011 às (11:55)

adorei todos os filmes nunca vou me esque ser de todos bijoooooooooooooooooooos de uma das suas maiores fãs ^-^

Responder

leide cunha - 23, setembro 2011 às (11:58)

te amo harry potter beijooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooos

Responder

Fernando - 20, novembro 2011 às (01:58)

Oi Aione, agora entendi o MI do seu twitter. Ah, eu não tenho tanta sorte, comecei ler Harry Potter quando todos já tinham sido lançados :(. Queria eu puder ter a honra de esperar por meses o lançamento do próximo e do próximo, até o fim … 🙁
Mas mesmo assim, eu adoro Harry Potter, minha série favorita. Chorei assistindo o o último filme, todos no cinema ficaram assim : o.O
acho que por que todos estavam levando seus filhos, e grande parte das pessoas, não “entendiam” muito bem a história. Eu, tive que explicar o por que disso, por que daquilo e etc… imagina – tsc tsc tsc – Mas enfim, como você disse, Harry Potter nunca vai acabar. O meu filme preferido é Prisioneiro de Azkaban. e o livro favorito: TODOS. Enfim,está deixando muuuuita saudade 🙁 Lembre-se:

“Uma lenda nunca morre, apenas adormece, para um dia voltar mais forte do que nunca…”

É isso “Mi” (posso te chamar assim ?) acho que foi o meu maior comentário até hoje, quem sabe um dia não possamos ESCREVER IGUAL À ROWLING ?
Até mais, vou dormir, já estou falando BOBAGEM (tsc,stc,tsc…) Beijos :]

Responder

Anonymous - 27, novembro 2011 às (16:43)

ola Meu nome é Rhayara Gomes e eu sou geração Harry Potter rsrs era bem pequena quando meu avó chegou com uma fita cassete do primeiro filme, um pouco depois da estréia no cinema, fiquei loucamente encantada, uma criança de 6 anos apaixonada incondicionalmente pelo filme de bruxaria, desde então coleciono tudo, livros, Dvd’s, revistas, sempre antenada, desde esse dia maravilhoso em que conheci uma história que com certeza ficará lembrada por várias gerações, vi todos os filmes nas pré estréias nos cinemas, apaixonada literalmente, e no último filme (Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2) quando terminou o filme, noo aguentei e chorei durantes horas, anos anos vendo uma história angustiante, perfeita, e de repente perceber que alí era o ponto final, que havia acabado, foi muito triste para mim.
Isso só quem realmente amo esses bruxinhos entende rsrs
Tenho Harry Potter na veia
amei a postagem, o texto fantástico parábens

Responder

A sonhadora - 16, junho 2012 às (08:34)

Eu cresci com Harry Potter também minha mãe era muito fã mas nós não tinhamos dinheiro para comprar o livro porque era muito caro e então (acho de tanto pedir) a minha mãe ano passado me deu o primeiro livro e eu simplesmente amei depois veio o segundo o terceiro(meu preferido até agora) o quarto,o quinto(chorei muito no final) e agora estou lendo o sexto e em breve estarei no reliqueas da morte e se você é como eu vai saber o quanto é a vontade de parar antes de ler o reliqueas de aquilo tudo acabar diante dos seus olhos e por culpa de você mesmo que leu até o fim.
Bom mas voltando ao normal eu vi o primeiro filme quando tinha 4 anos e desde ai fiquei fã loucamente e realmente eu prefiro ficar trancada no meu quarto lendo harry potter com a luz de uma lanterna de pilha fraca em uma das mãos do que ir ao shopping e escolher tudo que eu quero de cada loja que quero,sou muito apaixonada por leitura ~chora~ e não sei nem como um trasgo como e disse coisas tão lindas~chora~ e ~chora tchau ~chora~

Responder

A sonhadora - 16, junho 2012 às (08:35)

me esqueci de dizer me chamam de di-lua lovegood

Responder

Lili - 03, abril 2013 às (17:25)

Agora que eu não estou na câmera, eu chorei um monte (até porque estou sozinha na minha sala no trabalho).
Acho que não preciso dizer muito mais, já disse naquele vídeo e retrucamos os comentários.

É mágico, talvez não por ser a melhor história do mundo, mas por ter transformado a minha vida imensamente, foi metade da minha vida dedicada a coisas alucinadas (hoje terá vídeo sobre os filmes, entenderás melhor).

Concordo com JKiller a partir do 4º livro, embora nunca tivesse pensando sobre isso.
Eu acredito que o 3º livro é o melhor porque é o primeiro (e único) desprovido de Voldemort. Ele simplesmente desaparece da história, é apenas citado.

Tem também a primeira taça de quadribol conquistada, os primeiros sinais de uma adolescência… e também a Hermione dando na cara do Malfoy. É, pode ser por isso. E o Lupin.

Apesar de gostar do Sirius (vou me preparar para as pedras), eu não acho que o fato de ele ter surgido tenha me feito gostar do livro. Ele não era para mim o personagem imensamente querido que foi para outros. Eu sentia pena dele, adorava o que ele poderia significar para o Harry. Mas já naquela época eu concordava um pouco com Sra. Weasley e Hermione. E é claro que o fato de ele não gostar de Snape e ser convencido me fazia crer que havia ressalvas.

Aqui os defensores de Black irão dizer que Snape continuou detestando ele e Tiago a vida toda. Pois é, mas Snape foi o HP do tempo dele (sem a fama) e os dois marotos a versão de Malfoy.
Eles se achavam o máximo e acima das regras (sim!), pegando no pé do menino mirrado e mal trapilho.
Uma das cenas que mais gosto inclusive é quando o Harry sai da penseira e diz que o pai dele foi tudo o que Snape sempre o acusou de ser (e sim, também gosto da explicação que Lupin dá de sermos jovens e fazermos besteiras). E na cena que vemos de todos eles indo para Hogwarts no trem e Tiago agindo intrometidamente do mesmo modo como Malfoy agiu.

Enfim. Viajei total nos comentários, fiquei declarando meu amor por Snape que era tão grande quanto por Rony/Hermione e Lupin.
Nota-se que eu sempre gosto de personagens incompreendidos e com problemas, não sou tão amiga dos populares (e Rony e Hermione não eram exatamente populares na história).

liliescreve.blogspot.com

Responder

Thaynan Lira Galhardo - 03, julho 2013 às (11:55)

Enquanto houver um fã de Harry Potter vivo, ele nunca morrerá. A história nunca cairá no esquecimento. E ainda vamos escutar muitas pessoas falando: “- Para com isso, essa história já acabou, já lançaram todos os livros e filmes. Vire a página.” E então nós respondemos: “- Não, nunca morrerá. A J. K. Rowling ainda nos prestigiará com um prequel (tenho fé). O problema de quem nunca leu os livros, é que não tem a dimensão do qual especial é essa história e quantos valores a nossa queria J. nos ensinou. Eu também cresci com Harry Potter, e pode ter certeza que meus filhos também conhecerão… <3 Só os fãs entendem!

Responder

Fe Fernanda - 29, janeiro 2016 às (15:48)

E eu nunca li

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil