Especial Overbite #2 - Segundo Capítulo Traduzido | Minha Vida Literária
03

jan
2012

Especial Overbite #2 – Segundo Capítulo Traduzido

       
 
Prontos para mais um capítulo de “Overbite”?
Lembrando que os direito de publicação do livro pertencem à Editora Galera Record. Essa é uma tradução não-oficial.

Capítulo 2
 
Tradução: Breno Melo
 
            A reação de Meena foi puramente instintiva. Ela desferiu um golpe com as pontas das chaves do carro, que ainda segurava em sua mão livre, para cravá-las no rosto dele.
Mas  com reflexos tão surpreendentemente aguçados para alguém tão embriagado ele segurou a mão dela, apropriadamente antes que as chaves chegassem a qualquer parte de sua pele.
Então ele calmamente levantou o braço dela, passando-o por cima da cabeça dela, pressionando ambos os pulsos dela contra o encosto-de-cabeça do banco com uma só mão.
Um segundo depois, ele puxou uma alavanca, de modo que o banco dela tombasse para trás, e ela ficasse quase completamente deitada, de barriga para cima, no carro.
A próxima coisa de que ela se deu conta foi que seu ex-namorado estava sobre ela.
Ela olhou para ele com um misto de medo, indignação, humilhação e surpresa. Como isso tinha acontecido? E como ela podia ter sido tão estúpida? Como podia não ter visto que todos aqueles sonhos com David tinham sido um aviso, não uma profecia? Seu tumor cerebral não tinha voltado.
Ele havia sido transformado num vampiro.
Mas como? E por quem? A Palatina, a organização para a qual
Meena atualmente trabalhava, tinha passado os últimos seis meses caçando e destruindo todas as formas de vida demoníacas que pôde encontrar na região metropolitana de Nova York, com uma brutalidade sistemática que havia levado inclusive Meena, que tinha todos os motivos do mundo para detestá-los, a sentir um pouco de pena dos coitadinhos. Não era culpa deles. Afinal de contas, eles tinham sido infectados.
Isto não podia estar acontecendo.
Especialmente com ela. Ela havia sido treinada para se defender justamente contra esse tipo de coisa.
“David”. Ela grunhiu quando tentava libertar as mãos daquele aperto ferrenho. Se pudesse ao menos pegar sua bolsa, ela puxaria a estaca afiada que sempre levava consigo, e a cravaria no coração dele.
Então ela lembrou que não havia se preocupado em trazer uma bolsa consigo. Saiu correndo de seu apartamento com nada mais do que seu celular e as chaves enfiadas no bolso do cardigã fino de lã que havia vestido quando estava saindo. Ela não tinha esperado que o encontro deles pudesse demorar tanto. Ela, afinal, só pretendia lhe dizer que ele ia morrer.
Ele não ia, todavia. Ele já estava morto.
Razão pela qual ela não podia livrar suas mãos daquele aperto de ferro. Porque ele tinha uma força sobre-humana.
“Quem fez isso com você?” Ela exigiu saber. “Como isso aconteceu? E o que você quer? “
“O que você acha que eu quero?” disse ele, pronunciando suas palavras. Seus olhos mortos, ainda assim, não estavam sequer abertos completamente. Ele pesava mais do que ela, significativamente. Seu torso era literalmente um peso morto em cima dela. E ele era tão, tão forte. E seu hálito ainda fedia.
“Você sabe para quem eu trabalho agora?” perguntou ela por entre seus dentes cerrados. “É melhor soltar, ou você não tem ideia do mundo de problemas em que vai se meter.”
“Não”, ele disse simplesmente, e declinou sua face novamente em direção do pescoço dela.
O vestido dela era todo cheio de pregas e um pouco curto. Ela teria facilmente sido capaz de levantar um dos joelhos para acertá-lo onde importava.
Mas era difícil com o painel no caminho, para não mencionar o peso do corpo de David pressionando-a para baixo. Também era difícil respirar, e ele estava segurando os pulsos dela com muita força, cortando a circulação do sangue para as mãos.
O pânico de Meena cresceu. Não só por causa das presas que ela ainda não havia sentido perfurarem sua pele, mas porque também percebeu que a coisa dura pressionada contra ela, através das calças dele, já não era apenas um frasco. Não mais.
Quando David começou a manusear o zíper desajeitadamente com sua mão livre, o desejo de Meena de escapar explodiu em desespero.
Enchendo seus pulmões com o ar nauseabundo, fétido, ela soltou um ensurdecedor grito que fez David, cuja orelha estava ao lado de sua boca, levantar seus lábios do pescoço dela e xingar.
Nesse momento, a porta do lado do motorista do Volvo de David foi antes arrancada das dobradiças do que amplamente aberta.
E, um segundo depois, David desapareceu inteiramente.
Ele pareceu simplesmente sumir. Num minuto, ele estava sobre ela.
E, no seguinte, tinha ido.
Desorientada pelo choque, Meena ficou ali, ofegante enquanto tentava recobrar o fôlego e permitir que o sangue voltasse a circular em suas mãos, tentando então descobrir o que tinha acontecido. Ela teria sonhado com isso? Com a parte em que ela estava tentando fazer a coisa certa, salvando David Delmonico — que muito obviamente nunca tinha merecido ser salvo para início de conversa — e ele havia se revelado um vampiro?
Mas não. Porque, quando ela virou a cabeça, viu que a porta do lado do motorista do carro de David tinha sumido.
Havia silêncio na rua deserta, exceto pelos sons habituais da cidade… em algum lugar ao longe, uma sirene soou. Ela podia ouvir o tráfego na avenida. De não muito longe, vinha música da janela aberta de alguém.
Então, do nada, um corpo caiu sobre o capô do carro de David, fazendo com que todo o veículo quicasse como um brinquedo cheio de crianças no parque de diversões.
O parabrisa cedeu, estilhaçando-se.
Meena tornou a gritar, sua voz ecoando por todas as partes da rua deserta.
David permanecia ali completamente imóvel — não muito diferente de um morto.
Ela não percebeu o que havia acontecido com David — que ele não tinha sido levado por macacos voadores, caindo depois sem vida sobre o capô do próprio carro, onde ele agora estava estirado, sem ver e sem se mexer — até que o homem que tinha feito tudo isso bateu educadamente na janela do carro ainda fechada, do lado dela.
Ela gritou novamente antes que pudesse reconhecer quem estava olhando para ela através do vidro.
“Meena?” Seus olhos escuros estavam cheios de preocupação. “Está tudo bem com você?”
Era Lucien Antonesco.
 Confira o capítulo original em inglês, publicado no site da autora:
              




Deixe o seu comentário

14 Respostas para "Especial Overbite #2 – Segundo Capítulo Traduzido"

gabi - 03, janeiro 2012 às (20:24)

Eu preciso ler Insáciavel ainda!! Quero ler logo 🙂

Gabi

Responder

Thamires R. - 04, janeiro 2012 às (12:48)

Que legal Mi!!
Adorei! Com certeza os outros capítulos do livro deve ser muito bons…beijos e até mais.

Responder

Igor Gouveia - 04, janeiro 2012 às (12:54)

Eu tenho que ler Insaciável. Parece ser muito legal :3 Eu quero. haha

Responder

Sora Seishin - 04, janeiro 2012 às (13:21)

Oi Aione!!
Não vou ler porque aí vou ficar com vontade de ler o livro inteiro >_<
Adorei Insaciável!
Beijos,
Sora – Meu Jardim de Livros

Responder

Niii - 04, janeiro 2012 às (14:03)

Eu não posso ler,
nem vi o primeiro livro ainda,
mas já te falei que a coluna é ótima né?

bj Aione querida!

Responder

Thaís Cavalcante - 04, janeiro 2012 às (15:05)

Aione, preciso ler alguns livros da Meg. Apesar dela ter um estilo Chic-lit, mas alguns títulos me atraem bastante.

AH! Eu achei bem legal o lance da tradução do capítulo, mas toma um cuidadinho com isso, acho que de repente dá alguma coisa, não sei como funciona essa coisa de tradução e tudo mais.

Um beijão,
Pronome Interrogativo.
http://www.pronomeinterrogativo.com

Responder

Esmalte de Morango - 04, janeiro 2012 às (16:23)

A cada novo post sobre Insaciável mais eu fico curiosa em relação a obra. Não li o capitulo pois não li o primeiro livro. Mas mesmo assim acho super legal sua ideia Mi.

Beijão

Responder

Alinne - 04, janeiro 2012 às (17:22)

Hum que gostinho de quero mais! Mas para minha alegria estou o com o livro Insaciável aqui e em breve estarei matando a vontade de conhecer essa história e depois…esse será o meu próximo alvo!
Beijos.
Books e Desenhos

Responder

Lucas Martins - 04, janeiro 2012 às (18:54)

Uma pena que ainda não li Insaciável. Não entendo nada, rsrs. É um estimulo para comprar o livro logo 😛
Bjs, Mi!

Responder

Eduarda Menezes - 04, janeiro 2012 às (20:06)

Mi, eu não vou ler porque já fiz isso antes com alguns livros e acabo me empolgando demais e crio uma expectativa muito grande em relação ao livro e pensar que não posso tê-lo em mãos me deixa agoniada rs!
Mas quase pulei quando li a última frase, adoro o Lucien! Ele voltou, ebaa o/ Vou adorar essa continuação, tenho certeza!

Beijão!

Responder

Lygia Netto - 05, janeiro 2012 às (02:09)

Ai, ai, Mi…

essas traduções dos capítulos…sei que se pegar pra ler, eu vou acabar querendo ler o resto e vou ser obrigada a ler em inglês, hahha…aí vc me quebra logo no início de 2012, pq Overbite não está na minha meta de leitura dos próximos 3 meses, kkkkkk

Beijinhos! 🙂
Lygia
Brincando com Livros

Responder

Nana - 06, janeiro 2012 às (02:48)

Ah vaza Lucien.. cadê o Alaric HAHAHAHA
aquelas…

Ai gente, a Galera quer matar a gente do coração..vai demorar um tanto.. HAHA

Acho que essa parte estava na comu que li algumas coisas, pq lembro..

beijos
Nana – Obsession Valley
Um 2012 de sucesso pra vc =D

Responder

Drika - 08, janeiro 2012 às (12:57)

ei…onde eu acho o 1ºcapítulo de Overbite??

Responder

Aione Simões - 08, janeiro 2012 às (13:36)

O primeiro capítulo está no blog também, Drika, é o primeiro post do Especial Insaciável ^^
Pode encontrar aqui: http://www.minha-vida-literaria.blogspot.com/search/label/Overbite

Nesse link estão os dois primeiros capítulos!

Beijos!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por