[Resenha] A Lenda de Arion - O Círculo - L.S. Bertolino | Minha Vida Literária
23

fev
2012

[Resenha] A Lenda de Arion – O Círculo – L.S. Bertolino

Título: A Lenda de Arion – O Círculo
Autor: L.S. Bertolino
Editora: Perse
Número de Páginas: 265
Ano de Publicação: 2011
Skoob: Adicione
Compre: Site da Editora

Imagine um conturbado internato em meio à ditadura militar brasileira. Depois, acrescente a ele um portal falho que, de uma hora para outra, resolve fazer uma viagem para outro mundo, levando consigo duas pessoas que se odeiam. Além disso, adicione um grupo secreto que reúne-se sob um Chafariz Congelado, um rei enlouquecido pelo poder e três reinos fantásticos em guerra. Muito? Esse é apenas o começo da aventura mais impressionante de todos os tempos.

 


A Lenda de Arion – O Círculo é o primeiro livro da trilogia escrita por L.S. Bertolino.
Foi completamente notável o cuidado do autor ao desenvolver sua obra. Ele não só criou um novo mundo como, também, preocupou-se em pensar na correspondência dele com o nosso no que diz respeito à equivalência dos dias. Em Trindade, um dia inteiro corresponde a 14 dias terrestres, portanto uma noite dura uma semana, bem como o sol fica exposto por uma semana, também. Entretanto, esses dados não foram simplesmente dados ao leitor de maneira aleatória: logo antes de a história começar, há uma tabela fazendo a comparação entre a Terra e Trindade, onde podemos observar o perímetro de cada mundo, suas velocidades de rotação e o tempo de translação (uma volta ao redor do sol, portanto, a duração de um ano) de cada um. Assim, é possível compreender o porquê da extensão de um dia inteiro em Trindade.
Tal cuidado também se estendeu à belíssima diagramação do livro, publicado de maneira independente. Há um mapa de Trindade, ilustrando as divisões dos reinos desse mundo, além da representação de diferentes símbolos que aparecem no desenvolvimento da história. L.S. Bertolino foi cuidadoso, até, em representar as diferenças físicas entre um humano e o um Galagar, através de uma figura também antes de a história se iniciar. O início do enredo se dá no internato Flerris, no Rio de Janeiro, e mesmo que pouco dele se passe ali, ainda assim temos a planta do local junto das outras imagens já citadas. Os capítulos são iniciados com a imagem do Círculo, subtítulo desse primeiro volume.
Apesar de toda belíssima diagramação já ter chamado minha atenção logo de cara, o que mais me surpreendeu, porém, foi a narrativa do autor. O livro é extremamente bem escrito, tanto pela pouca presença de erros quanto, e principalmente, pela estrutura da narrativa. Ela em momento algum se faz artificial, mostrando-se amadurecida desde o primeiro parágrafo. Algo que muito me agradou foi que cada capítulo se inicia com apenas uma frase curta, a qual compõe todo o parágrafo. Essa técnica do autor deu impacto à narrativa e constituiu as chamadas “frases de efeito”,  com as quais ele foi muito feliz. O humor também está presente na narrativa, e não como algo forçado, mas sim naturalmente por entre as passagens da história.
Além disso, cada mínimo detalhe apresentado é relevante na história. Enquanto lia, dois deles, que aparentemente haviam passado batido, tinham me deixado com a sensação de terem sido falhas na história, uma vez que eram contraditórios ao que havia sido apresentado. E então, habilmente ao final, o autor os trouxe de volta mostrando que os havia inserido propositalmente, de maneira a explicar perfeitamente aquela situação. É claro que adorei ter sido surpreendida dessa forma.
Sobre a história, não só foi bem construída como não deixou pontas soltas em demasia ao seu término, apenas aquelas necessárias para que uma continuação seja desenvolvida. Enquanto a lia, não pude deixar de fazer uma analogia. Arion vive em um internato no Rio de Janeiro em meio à ditadura militar, sofrendo injustiças e sem nada poder fazer contra o sistema. Então, ao, sem querer, atravessar um portal para um mundo completamente diferente, em outra dimensão, ele justamente vai parar em meio a uma rebelião contra um rei que deseja o poder dos três reinos de Trindade para ele. Para mim, foi como se Trindade fosse a válvula de escape de Arion, o local onde ele poderia por em prática o que desejava e não podia em sua vida em Flerris.
Infelizmente, eu só não me envolvi muito com a história pelo meu já conhecido “problema” com esse gênero literário. Por não ser o que mais me agrada, dificilmente consigo entrar no livro por completo. Mas ressalto aqui que meu não envolvimento deu-se completamente pelo meu gosto pessoal e não por qualquer motivo relacionado ao livro. Mesmo enquanto eu lia, eu me questionava e lamentava por não estar envolvida, visto que a qualidade da obra é inegável.
Agradeço ao autor pela oportunidade de participar do booktour e, assim, ter conhecido o início da história de Arion. Ainda que não seja meu tipo favorito de leitura, é sempre positivo poder expandir os horizontes com diferentes gêneros literários e, nessa expansão, me deparar com obras de tão boa qualidade.




Deixe o seu comentário

17 Respostas para "[Resenha] A Lenda de Arion – O Círculo – L.S. Bertolino"

Vanessa - 24, fevereiro 2012 às (00:32)

É a primeira vez que vejo uma resenha de algum livro da Perse, tinha curiosidade em saber como eram os livros deles e foi legal saber que você gostou do livro.

Vanessa – Balaio

Responder

Eduarda Menezes - 24, fevereiro 2012 às (00:43)

Mi, adorei a resenha desse livro! Me atiçou a curiosidade a ponto de querer o livro comigo agora! Não tenho problema algum com esse gênero fantástico, eu adoro e esse parece do tipo que iria me interessar! Também adoro frases de impacto e achei uma ótima sacada ele começar os capítulos com frases curtas porém relevantes.
Gostei da capa do livro e fico feliz em saber que o trabalho de diagramação e revisão não deixou a desejar, ainda mais por ser em uma obra independente! Sinceramente tenho que confessar que as vezes deixo de ler alguns nacionais por encontrar muitas vezes histórias fracas e muitos erros ortográficos – e olha que eu não sou nem professora de português. Mas claro, não estou generalizando, até porque já li alguns excelentes, e parece ser o caso desse!
Beijos!

Responder

L. S. Bertolino - 24, fevereiro 2012 às (01:05)

Parabéns, Aione, a resenha ficou fantástica! Fiquei muito feliz que tenha gostado do livro. Mesmo não sendo seu gênero, espero mesmo que anime a ler o segundo volume da série (que sairá em breve)e espero ler, mais uma vez, uma crítica bem feita como essa.
Como disse antes, parabéns pela impecável resenha.
Até.

Responder

Natalia Dantas - 24, fevereiro 2012 às (01:18)

Adorei a resenha :DDD
Super bem feita *—–*

Beijos :*
Natalia. http://www.musicaselivros.blogspot.com/

Responder

Beatriz Gosmin - 24, fevereiro 2012 às (10:50)

Adoro livros cujos detalhes fazem toda a diferença!
No final sempre me vejo pensando “nossa, tinha realmente a ver!”

Beijos e ótima resenha!
Bia | http://www.livroseatitudes.blogspot.com

Responder

Lygia Netto - 24, fevereiro 2012 às (12:26)

Oi Mi..!! 😀

É a 1ª vez que eu li algo sobre esse livro, novidade pra mim. Vc realizou um trabalho minucioso ao analisar esse livro e é realmente uma pena que o gênero não te agrade, pois, percebo que a obra iria facilmente, se este fosse o caso, para a sua lista de favoritos.

Beijão!

Responder

Anna Carolina Schermak Alves - 24, fevereiro 2012 às (12:53)

Adorei a história do livro. Eu ainda não o conhecia e achei muito interessante.
Não li ainda nenhum livro que tivesse na história um pouco da ditadura militar isso chamou minha atenção.
Mais uma vez sua resenha esta ótima ;D

Beijos Mi.

http://www.pausaparaumcafe.com.br

Responder

✿Nessa✿ - 24, fevereiro 2012 às (13:18)

Oi Mi*
Eu não conhecia este livro, até achei interessante a sinopse, mas acho que este livro tbm não faz o meu gosto literário!!

Bjinhs
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/2012/02/essa-semana_24.html

Responder

Mari ♥ - 24, fevereiro 2012 às (14:00)

Oi Aione,

Esse livro também eu não conhecia ainda (ok vou parar de dizer isso a cada nova resenha rs)
Também tem um pouco receio com esses livros com gênero assim, mas só por te lido sua resenha vou pensar em ler sim, pois se te surpreendeu, acredito que vou gostar muito também.
Nem preciso dizer que sua resenha está ótima né?
Bom final de semana.

Beijo
http://marifriend.blogspot.com/
@Storieandadvic

Responder

Clícia Godoy - 24, fevereiro 2012 às (14:18)

Oi Mih!

Estava em um bpooktour desse livro, mas até agora não chegou!
=S
Sei lá!

Eu gostei bastante da sua resenha, adoro livros com cuidado para atermos os detalhes no lugar!
Fiquei bem curiosa!
=D

Bjinhos
Psiu!
Silêncio Que Eu To Lendo!

Responder

PamFardin - 24, fevereiro 2012 às (16:40)

Sua resenha está muito boa como sempre, Aione *–* Às vezes, mesmo que a gente não tenha uma grande afinidade com tal gênero literário, é bom “expandir os horizontes”, como você disse. Talvez a nos surpreenda de alguma forma 😀

Beijos
aritmeticadasletras.blogspot.com

Responder

Renata Leite - 24, fevereiro 2012 às (17:03)

Oi ^^
Adorei sua resenha! Nunca tinha visto o livro, mais despertou interesse em lê-lo :>

Beijos.

Responder

Vanessa - 24, fevereiro 2012 às (20:02)

Hey querida (:
Muito boa sua resenha. Eu ainda não conhecia o livro, muito menos que tinha um book tour dele. Mas eu sempre tenho as informações, claro QQQ UAHSUAHSAUHSUA Poxa, uma pena que não tenha ultra amado porque não gosta do gênero. Ain, esse lance de gêneros também é um tanto conturbado pra mim de vez em quando :S

Beijos, Vanessa.
This Adorable Thing

Responder

Raquel Machado - 24, fevereiro 2012 às (21:00)

Oi flor,
Ahahah ia falar exatamente isso que tu disse no final da resenha infelizmente esse não é meu tipo de leitura preferida livros de fantasia não me chamam muita atenção diferente do meu excelentíssimo namorado que é apaixonado por esse tipo de história e se o livro tem os mapas e tudo que tu me disse ele ia adorar mais ainda…ele adora esse tipo de coisa. Legal o autor se envolver tanto no projeto e dar tantos detalhes…
Bjksss
Raquel Machado
Leitura Kriativa
http://leiturakriativa.blogspot.com/

Responder

Fernanda Faria - 25, fevereiro 2012 às (00:06)

Adoro esse tipo de leitura *-*
Vi você mostrando ele na caixinha do correio e fiquei encantada com a diagramação de uma obra independente. Esses autores merecem muito destaque, pois fazem um trabalho excelente para divulgar e agradar ao público e espero que quando conseguir uma editora continue assim. Que bom que ele explica as coisas antes da leitura, seria bem difícil conseguir entender por si só.
Adorei, mas que pena que não seja o seu estilo de leitura 😉

Responder

Alinne - 25, fevereiro 2012 às (17:29)

Eu não conhecia esse livro mas fiquei interessada logo após ler a sua resenha, mesmo que este não seja o meu gênero preferido acho que vale a pena lê-lo. Ainda mais porque adorei saber do cuidado que o autor teve em sua diagramação! E a capa é linda também.
Beijos Mi.

Responder

Lucas Martins - 26, fevereiro 2012 às (03:38)

Olha, Mi, você já me viu falar em várias postagens sobre minha opinião em relação aos livros de fantasia neste tipo. Então sabe que não sou tãão fã de literatura fantástica assim. Entretanto, por esse livro, em especial, fiquei interessado. Tanto pela capa linda, a diagramação (que você mostrou no vídeo) e sua resenha linda!
Que bom que o livro deixou um gancho legal para o próximo livro, e não pontas soltas em excesso, como em vários livros de série.
Fiquei com vontade de lê-lo. Quando houver a oportunidade o farei.
Bjão, Mi!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por