Parece, Mas Não É | Minha Vida Literária
22

mar
2012

Parece, Mas Não É

“Parece, mas não é” é uma coluna onde trago livros que, ao ver a capa pela primeira vez, achei tratarem de um assunto, mas, ao ler suas sinopses, descobri que não tinham nada a ver com o que pensei!


Dessa vez, a indicação foi da querida Anna, do Pausa Para Um Café.

Ao me deparar com Quando Nosso Boteco Fecha As Portas, me preparei para um livro de suspense por causa das cores escuras da capa.
Assim, esperava algo no estilo…
Sinopse – Quando Nosso Boteco Fecha As Portas – by Aione Simões
John Wood é o pacato dono de um bar em uma área isolada de New York. Trabalhando noite após noite, o já quase idoso senhor garante que sua clientela seja bem atendida, ouvindo lamentos e presenciado discussões sem nunca se intrometer.
Porém, sua calma aparência não deixa transparecer os segredos mantidos em seu domicílio, no andar superior ao bar. Nem muito menos a perversidade que sua mente abriga.
Ok, vocês já sabem que não vai ser nada disso.
Mas a pergunta é: vocês sabem do que se trata?
Sinopse – Quando Nosso Boteco Fecha as Portas – Lawrence Block
Em 1975, Matthew Scudder costumava se embebedar em todos os bares, sempre acabando ou começando pelo Armstrong’s, seu boteco favorito. Suas recordações povoam esse livro que, segundo Lawrence Block, apesar de não ser o primeiro da série Scudder, deveria ser o primeiro a ser lido por quem ainda não conhece o detetive. Para os inúmeros fãs, é a oportunidade de chegar mais perto do ex-tira Matt Scudder, detetive particular, protagonista de Punhalada no escuro (2001), Bilhete para o cemitério (1997) e Os pecados dos pais (2002). Em 1985, Scudder fica sabendo que um antigo comparsa foi libertado da prisão, após cumprir longa sentença. A notícia transporta o detetive para o verão de 1975 e o faz recordar fatos, amigos, bares, situações e acontecimentos numa Nova York muito diferente. Lawrence Block cria um universo emocional a partir de Scudder e suas jornadas noite afora, um mundo onde, apesar do cinismo e da violência entranhados na vida da metrópole, subsistem valores como a amizade, a solidariedade e a lealdade. Os bares freqüentados por Scudder e seus amigos são tão reais que, ao terminar a leitura, parece que também nós perdemos os amigos e o nosso santo boteco.

 

Posso dizer que não sei definir sobre o que é o livro?
Apesar do ar de suspense do autor nos outros livros, esse aparenta ter uma grande carga emocional e um fundo bem reflexivo, que eu realmente não esperava. Mas depois de ler a sinopse, até achei que a capa combina com ela. Quer lugar melhor para um homem liberar suas amarguras que em um boteco? É aquilo: o álcool entra, a verdade sai… Sem contar que essa vitrola na capa remete a um fundo musical melancólico também.
Assim, a uma primeira impressão, a capa não parece ser de um livro que realmente é – pelo menos, não pareceu para mim. Porém, se olhada com a visão certa, ela é sim condizente!
Muito obrigada, Anna, por ter sugerido a capa dessa semana!

Beijão, gente!

 





Deixe o seu comentário

14 Respostas para "Parece, Mas Não É"

Anna Carolina Schermak Alves - 22, Março 2012 às (22:06)

Oi Mi *-*
Que legal ver o livro aqui.
Eu acho ele muito bom, apesar de só ter lido esse livro do autor. Ele tem uma carga psicologica muito grande e tem também aquele clima “amigos” que gostei muito ao ler ;D

http://www.pausaparaumcafe.com.br

Responder

Lucas Martins - 23, Março 2012 às (00:33)

Não conhecia o livro, Mi! Quando vi a capa por cima pensei que fosse um livro do Dennis Lehane, que são numas edições muito parecidas (mesma editora e etc)
Eu não curti muito para falar a verdade… Nessas edições prefiro um livro do Lehane 😛
Miiii, tenho uma indicação pra coluna! Vou te mandar no twitter, ok?
Beijão!

Responder

Marinah Gattuso - 23, Março 2012 às (01:41)

Pra dizert a verdade nunca tinha ouvido falar do livro. Pra mim era algo ligado a literatura policial ou terror (:

Beijos

Responder

Raquel Machado - 23, Março 2012 às (01:58)

Oi flor,
Nunca tinha ouvido falar desse livro mas devo me arriscar a dizer que prefiro a sua sinopse do que a do original huahauhauha.Tu viu que vai estrear jogos vorazes…contando os minutos certo que estarei no cinema este fim de semana espero que não estraguem a historia ne?
Bjksss
Raquel Machado
Leitura Kriativa
http://leiturakriativa.blogspot.com/

Responder

Lendo e Comentando - 23, Março 2012 às (04:57)

Oi, Aione!

Nossa, nunca tinha visto esse livro. Que nome diferente, rs. Pela capa, assim como você eu esperaria um suspense. Mas esse nome… Hum, me remete pra um lado mais cômico. E eu não poderia estar mais errada também, né? hahahaha, jamais passaria pela minha cabeça que esse livro é, de certa forma, profundo… Tratando sobre assuntos com grande carga emocional.

Beijos,
Amanda || Lendo & Comentando
^_^

Responder

Leonardo Zegur - 23, Março 2012 às (11:54)

Muito interessante essa coluna, adorei a ideia, e ai digo isso porque meu livro Um Lugar Escuro, é um que, ao julgar a capa se tem uma impressão errada do contexto. Sobre esse livro, vou ser sincero, acho que consegui chegar mais próximo do que ele “era” realmente porque não conhecia os demais trabalhos do autor. Acredito que Lawrence usou este livro como forma de desabafo, como alívio para seus próprios questionamentos, suas desilusões e frustrações. Quero ler esse livro!

http://www.umlugarescuro.site.com.br

Responder

Michelle' - 23, Março 2012 às (14:02)

Oi Mi!
Eu não tinha ouvido falar desse livro ainda.
Realmente imaginei um suspense, e também não consegui definir muito bem o gênero pela sinopse original.
Parece ser bom de qualquer maneira ^^
Beijinhos
Michelle, Minha Bagunça

Responder

✿Nessa✿ - 23, Março 2012 às (16:18)

Oi Mi*
Ohla, eu não conhecia este livro e te confesso ele não me agradou nem um pouco, nem a sinopse e nem capa!
Mas eu gostei da sua sinopse, vc têm ótimas ideias!!

Bjinhs
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

Responder

Vanessa - 23, Março 2012 às (20:12)

Hiuahiu, nunca ouvi falar neste livro e assim como você achei que a capa se encaixa perfeitamente na sinopse original, parece mesmo ter uma boa carga emocional presente neste livro.

Vanessa – Balaio

Responder

Marcelo Lima - 23, Março 2012 às (23:32)

Me lembra um monte de coisa essa capa e eu não gostei rs. é sou chato!

Responder

Priscilla Duhau - 24, Março 2012 às (05:27)

OMG, tenho que dizer uma coisa: essa sua sinopse tá… não tenho palavras para defini-la. Tá boa DEMAIS! Tava torcendo aqui insconscientemente que fosse uma sinopse de um livro real, pois eu já estaria indo comprar agora mesmo! Juro que me interessei 1000 vezes mais pela sua sinopse do que pela verdadeira sinopse do livro, haha. Adoraria ler um thriller sobre um aparentemente pacato dono de um bar que esconde uma mente doentia. Arrasou!

Beijão ♥
Priscilla Duhau
Livrificando

Responder

Aetria (Camila Loricchio) - 24, Março 2012 às (14:44)

Uia…Gostei da sinopse…=O
Sempre tive uma queda por livros de detetive mas esse nunca tinha ouvido falar…
E o livro da sua sinopse seria muito legal mesmo…AHUAHUAHUAHUAHUAH

=**

Responder

Lygia Netto - 25, Março 2012 às (17:31)

Ah, sim….no #32 eu não havia concordado muito, mas dessa vez, concordo que não parecia mesmo, hahaha…

E gostei da sua sinopse! ‘-‘
O que o cara faz no andar de cima? Fiquei curiosa! (gosto de narrativa nesse estilo, rs).

Beijos

Responder

leitoracompulsiva - 26, Março 2012 às (20:15)

Dessa vez, prefiro a sua versão da história!
Ainda não entendi qual é a desse livro!
Beijos
Camis – Leitora Compulsiva

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por