Parece, Mas Não É | Minha Vida Literária
05

abr
2012

Parece, Mas Não É

“Parece, mas não é” é uma coluna onde trago livros que, ao ver a capa pela primeira vez, achei tratarem de um assunto, mas, ao ler suas sinopses, descobri que não tinham nada a ver com o que pensei!


Essa capa, mais essa frase “Quando o nascer se torna proibido” me levaram a crer que eu estava diante de um romance dramático.
Só podia, né?

Sinopse – O Pacto – by Aione Simões
Bastou apenas um olhar para Anna vivenciar o mais profundo sentimento de toda sua vida. No momento em que conheceu John, soube de uma maneira totalmente inexplicável que era ele seu grande amor.
Porém, ela se vê em um dilema: seu amor não tem perspectiva alguma de ser correspondido. John acaba de ficar noivo, tornando qualquer rendição dela ao seu sentimento um verdadeiro suicídio.
E, então, Anna se vê firmando um pacto com John: olhando dentro dos olhos dela, ele pediu para que Anna o esperasse e ela concordou, antes de despertar.
Como lidar com uma promessa feita apenas em um sonho, ainda que esse tenha sido mais real do que qualquer outra experiência vivida por ela?

Preparados para saber do que se trata, já que não é um romance dramático?

Sinopse – O Pacto – Quando o nascer se torna proibido – Gemma Malley
Futuro. Ano 2140. A Terra sofre com o superpovoamento. Medicações prolongam indefinidamente a vida das pessoas – uma ameaça ao equilíbrio do planeta. Em meio a este cenário, uma declaração – o Pacto – proíbe a população de ter filhos, um ato eivado de egoísmo. Os pais de Anna desrespeitaram esta regra e, agora, ela é um fardo para a sociedade, um “Excedente”. E, como tal, precisa compensar o erro de seus progenitores. Este é o ponto de partida do romance juvenil O Pacto – Quando o nascer se torna proibido, de Gemma Malley.
Para ser um “Ativo Valioso” à sociedade, útil pelo menos – “o menos pior dos males” –, Anna é levada à Grange Hall, “lar” desse tipo de gente indesejada, onde todos são gratos por suas vagas. Uma aparente bênção e salvação para quem não deveria nem existir. Contudo, ainda que nascer não tenha sido uma escolha, há um preço a ser pago, embora as crianças e jovens que vivam lá não compreendam estas “entrelinhas” – mais que punitivas, autoritárias – de cerceamento.
Toda essa estrutura assim prosseguiria se um novo interno, Peter, não tivesse chegado a Grange Hall. O jovem conta para Anna das maravilhas da vida fora daqueles muros, do amor sem limites de seus pais e não dos seus “crimes”, e das terríveis consequências do Pacto. “Verdades” que a fazem questionar tudo aquilo em que sempre acreditou com tanta fé, abrindo seus olhos e de todos os demais detentos, e não internos, para a realidade.
Logo Anna se verá engajada numa luta pela verdadeira liberdade, sua e de outros jovens. Nem “Excedentes”, nem mais “Ativos Valiosos” – apenas humanos. Surpreendente e impactante, “O Pacto” é uma alegoria sobre a busca desenfreada pela vida eterna.
Pois é, peeps. Distópico.
Aliás, que eu achei muito interessante, diga-se de passagem. Fiquei feliz em estar errada!
E pelos comentários que eu vi sobre o livro, ele vale muito a pena de ser lido!
E ai, o que acharam?
Beijão, queridos!




Deixe o seu comentário

20 Respostas para "Parece, Mas Não É"

Gabi - 05, abril 2012 às (23:19)

Vendo apenas pela capa também diria que era um romance mais puxado para o drama. Já tinha lido resenhas sobre ele, e quero muito ler e conhecer mais uma distopia 🙂

Gabi

Responder

Nana - 05, abril 2012 às (23:36)

Nossa esse livro me lembrou Terra Nova,o seriado.. lá a pessoa só poderia ter dois filhos.
Mas o casal principal teve 3, e eles sempre escondiam a mais nova…
Parece ser um livro bem interessante, fiquei com vontade de ler até!
Não conhecia =/

beijos e um ótimo feriado pra você
Feliz Páscoa
Nana – Obsession Valley

Responder

Marcelo Lima - 05, abril 2012 às (23:44)

Gostei mas da sua sinopse #fato

Responder

Luana Feres - 06, abril 2012 às (01:20)

Uma das primeiras vezes que gosto mais das sinopses originais do que das suas, Mi. Achei ela tão interessante, enigmática, parece ser muito, muito bom. Fiquei bastante curiosa, apesar de achar a capa muito pouco atraente. :/

Beijos

Responder

Sheylla - 06, abril 2012 às (01:31)

É…imaginei ser um suspense, misturado com drama.
Nada a ver com a sinopse original.
Mas fiquei curiosa pra ler. A capa é bonita.

Beeijo

Responder

Marina Menezes - 06, abril 2012 às (01:34)

Nossa lendo sua sinopse o livro parece até mais interessante.
Realmente, parece mas não é…

Responder

Books and Dreams - 06, abril 2012 às (01:35)

Oii Mi,

Você acertou o nome da protagonista o/ Eu adorei a sinopse deste livro. A capa já me conquistou e é uma distopia tão diferente que já estou louca para ler.

Beijos

Amigas entre Livros

Responder

Bárbara Murat - 06, abril 2012 às (02:38)

Oi Mi =)
Olha, dessa vez eu acertei 😀 Assim que vi a frase “Quando o nascer se torna proibido” eu já imaginei um livro distópico, sabia? hehe
Fiquei com vontade de ler!

Beijos.

Responder

Priscilla Duhau - 06, abril 2012 às (02:48)

SANTO CRISTO! Eu preciso ler URGENTEMENTE esse livro, sério! Sua sinopse tá ótima como sempre, mas a sinopse verdadeira me conquistou demais. Muito obrigada por ter apresentado esse livro pra mim, aqui, pelo “Parece, mas não é”. Entre outras coisas boas, essa coluna também é muito boa para nos mostrar vários livros novos. ^^

Beijão ♥
Priscilla Duhau
Livrificando

Responder

Lygia Netto - 06, abril 2012 às (11:45)

hahaha!

Esse eu sabia que era distópico já, pq já vi a Adriana, do Mundo da Leitura, comentar sobre ele! xD
Mas realmente a Rocco pecou com a capa…poderia ter uma melhorzinha, de forma a chamar mais atenção pra história! xD

Beijos!

Responder

Renata Leite - 06, abril 2012 às (13:36)

Oi =)
Adorei! Agora sim a frase “Quando o nascer se torna proibido” está explicada né?
Eu sempre dou risada com as suas sinopses, e é realmente assim que imaginamos! Adoro essa coluna!

Beijos ^^

Responder

Lili - 06, abril 2012 às (13:41)

nossa, eu achei muito diferente de outras coisas que já li. ele vai entrar pra minha listinha.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Ni - 06, abril 2012 às (15:03)

Também fiquei feliz por você estar errada, porque o livro parece ser muito interessante mesmo! Concordo com a Priscilla, a coluna também é muito boa para nos mostrar livros novos! Fiquei bem interessada, mesmo, por este livro. Hora de pesquisar!

Responder

Esmalte de Morango - 06, abril 2012 às (17:04)

Não conhecia o livro!
A sinopse original me conquistou muito, fiquei aqui imaginando a história e olha só, já vai para a lista! rs

Beijão!

Responder

✿Vanessa✿ - 06, abril 2012 às (18:56)

OI Mi*
Eu leria mais o livro pela sua sinopse, até por que eu adoro romances!
Já a sinopse verdadeira não me chama muito atenção, mas daria uma chance!!

Bjinhs!!
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/2012/04/oi-pessoal-e-mais-uma-semana-passou.html

Responder

Carol - 06, abril 2012 às (19:39)

Wow, nada com nada, a capa, o título e o que realmente se trata o livro!
Parece ser bem instigante, entretanto =]

Beijos.
#Resenha falada.

Responder

Vanessa - 06, abril 2012 às (19:49)

2140???? Nossa, e eu aqui imaginando um romance tipo meio que incestuoso…algo assim, rsrs. Viajei igual a você agora, confesso que a sua sinopse me agradou bem mais do que a original.

Vanessa – balaio

Responder

Lucas Martins - 06, abril 2012 às (22:06)

Mi, eu tô louco para ler o livro! Hahaha
Eu já tinha lido algumas resenhas, então já sabia do que se tratava… Distopias, tomando conta de tudo, não?
Gosto de distopias e estou louco para conhecer essa!
O que me impressiona é que é um livro que quase não teve divulgação, já que foi lançado há algum tempinho…
Mas, né, Rocco… rsrss
Beijão, Mi!

Responder

Eduarda Menezes - 09, abril 2012 às (16:33)

Mi, eu havia gostado da sua sinopse, mas dessa vez também confesso que fiquei super feliz por ver do que o livro realmente se tratava, parece ser muito interessante. 🙂
Achei a ideia central do livro, um pouco parecida com a do filme “O Preço do Amanhã”, que é a de que para alguns viverem para sempre, muitos outros pagam o preço de não viver (ou viver pouco), já que é impossível que a terra comporte todo mundo indefinidamente. Gostei muito. Quero ler!
Beijão!

Responder

Mah - 20, maio 2013 às (22:50)

não achei que era romance dramático não, pensei em sobrenatural.
Sei lá, o título não tem relação nenhuma com romance pra mim.

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil