[Resenha] O Circo da Noite - Erin Morgenstern | Minha Vida Literária
27

abr
2012

[Resenha] O Circo da Noite – Erin Morgenstern

Título: O Circo da Noite
Autor: Erin Morgenstern
Editora: Intrínseca
Número de Páginas: 368
Ano de Publicação: 2012
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar. Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá. À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam. Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.

Há tempos não me sentia tão encantada com um livro como me encantei com esse. Porém, O Circo da Noite não é daqueles cujo fascínio te leva a ler páginas e mais páginas uma atrás da outra. Minha leitura, inclusive, foi lenta e creio que toda a magia não é tão facilmente percebida, logo de cara. É daquelas que precisa ser digerida aos poucos para, somente depois, ser compreendida.
A escrita de Erin Morgenstern é muito bem desenvolvida e estruturada. A narrativa, em terceira pessoa, oscila em duas diferentes formas. Uma, que compõe quase toda a história, é feita por um narrador onisciente, cujo foco varia segundo o personagem em cena. Já a outra, presente apenas em alguns poucos momentos, interage diretamente com o leitor, como se estivesse o guiando para dentro do circo.
Aliás, parabenizo a editora, aqui, pela diagramação excelente do livro e que, aliada a essa particularidade da narrativa, conseguiu um efeito sensacional na história. Nesses momentos em que o narrador se dirige diretamente ao leitor, os parágrafos não estão justificados, o alinhamento utilizado foi o “à esquerda”. Dessa maneira, os diferentes tamanhos das frases ao final acabaram gerando um efeito de movimento, e a impressão que tive foi a de um tecido balançando ao vento, como se você realmente estivesse entrando em uma tenda do circo. Enquanto lia esses trechos, tinha comigo uma sensação de mistério, que deu um toque todo especial a leitura. Além disso, a diagramação do livro como um todo merece os parabéns, as ilustrações separando alguns capítulos ficaram belíssimas.
Não bastasse o visível talento da autora, a história em si foi completamente original em minha visão. Nunca havia lido nada semelhante ao presente nessa obra, o que tornou tudo ainda mais interessante. Fiquei simplesmente doida de vontade de conhecer esse circo, andar por suas tendas, provar de seus deliciosos e exóticos sabores. Acho que é impossível fazer a leitura e não se imaginar visitando as atrações tão ricamente descritas.
E, é claro, eu precisava comentar sobre o romance. Ah, que romance. Foi digno de me fazer suspirar e segurar as lágrimas no trem diante de uma das mais belas cenas românticas que já tive a oportunidade de ler, isso se não a mais. Claro, isso é em minha opinião, mas acredito que agradará a todos os românticos de plantão e que são, também, apaixonados pela leitura e por Shakespeare.
Outro ponto que me agradou enormemente foi a imensa inserção de simbologias na história. Não sei até onde elas foram intencionais ou não, mas fui fazendo diversas associações enquanto lia. Uma delas foi o fato de Marco realizar suas construções mágicas a partir do papel. O personagem é um ávido leitor, então fica claro como a autora quis transmitir que ele usa do conhecimento retirado dos livros para construir o mundo ao seu redor. Afinal, quanto maior é o conhecimento, mais amplo se torna o mundo e a maneira de como o enxergamos. Acredito que sempre que haja a mágica envolvida, expande-se a possibilidade de se criar simbologias, como é o caso aqui.
O único aspecto que colocarei como negativo, mas que, na realidade, não chega a ser um, é que o leitor precisa estar atento durante a leitura porque cada capítulo se passa em um local e épocas diferentes. Se não houver atenção para esse dado, a leitura pode ficar um pouco confusa.
O Circo da Noite não foi um livro que me tragou para seu interior no sentido de não conseguir me fazer parar de lê-lo. Havia dias que eu lia pouquíssimas de suas páginas. Porém, ele me envolveu de uma maneira diferente, conseguiu me colocar dentro da história e me fazer imaginar por completo o mundo nele criado. Foi um daqueles livros que, mesmo após a leitura, eu continuei ligada a ele, pensando nele. Logo que finalizei a leitura, eu não sabia dizer se ele estava ou não entre meus favoritos. Porém, depois de algumas horas, acabei por encaixá-lo nessa listagem, pelo simples fato de ele ter me encantado tanto. É uma leitura que pretendo refazer daqui um tempo, para novamente me tornar uma Revêur.




Deixe o seu comentário

15 Respostas para "[Resenha] O Circo da Noite – Erin Morgenstern"

Niii - 27, abril 2012 às (23:46)

as opinião são tantas sobre esse livro!
que bom q vc gostou!!! *_*

Responder

Eduarda Menezes - 28, abril 2012 às (06:20)

Tô louca por esse livro, não sei bem o porquê mas estou com uma sensação de que vou amá-lo. O ar de mistério que ele exala, suspense, romance, espetáculo, tudo me encanta enormemente. Nem sei muito sobre a história mas ela me remete à poesia e a encantamento. Não sabia que o romance era assim tão arrebatador, então é claro, me animei mais ainda. A diagramação é linda e parece acrescentar ainda mais ao livro como um todo.
Às vezes algo tão bom assim realmente merece ser degustado aos poucos.. o torna ainda mais especial!
Adorei a resenha, Mi!
Beijão!

Responder

Mari ♥ - 28, abril 2012 às (16:32)

Oi Mi,
Já li algumas resenhas desse livro, e estão dizendo que temos que presta um pouco mais de atenção.
Quando o livro foi lançado eu já queria ler, agora com cada resenha que estou lendo essa vontade só aumenta ^^
Adorei tua resenha 🙂
Beijos

Responder

PamFardin - 28, abril 2012 às (17:59)

Ei Aione!
Também não sei o porquê, mas esse livro me atrai pela capa de um tal maneira…. Que bom que você gostou, acho que vou comprá-lo 😀

Beijos
aritmeticadasletras.blogspot.com

Responder

Danzinha - 28, abril 2012 às (18:08)

Oiie Mi,

Já vi muitas resenhas positivas deste livro, e a sua só me fez ficar com mais vontade de ler este livro que me parece ser tão fascinante. Já vi gente comentando que a estória está centrada mais no circo que no romance, mas, depois de você comentar que leu uma das cenas de romance mais incrível, fiquei mega curiosa.

Beijos

Amigas entre Livros

Responder

Mariana FS - 28, abril 2012 às (20:24)

Esse livro tem dividido opiniões, né? Uns amam, uns odeiam (e os que odeiam normalmente é porque acharam confuso, então que bom ver você ressaltar que é sim um livro que exige do leitor atenção redobrada para que ele não se perca). Eu ainda não li, mas pelos comentários que tenho lido acho que caso decida me aventurar, vou fazer parte do primeiro grupo. Simbologia, Shakespeare…como resistir? Apesar de não ser uma pessoa que gosta de circo, o livro parece repleto de elementos interessantes.
Também ainda não vi o livro “pessoalmente”, mas fiquei muito curiosa para ver a diagramação que você comentou. Realmente parece dar um toque especial a leitura.
E quando um livro faz a gente ficar pensando nele mesmo depois de terminar a leitura, é porque alguma coisa no processo foi especial,né?

Tem meme para você lá no blog http://www.alemdacontracapa.blogspot.com

Abraço

Responder

Yago - 28, abril 2012 às (21:12)

Hey,

Eu tenho interesse no livro, digamos assim, rs. Sua resenha me deixou muito curioso para lê-lo, e como você, a maioria das análises que eu li elogiam a diagramação. Quero conferir 🙂

Abraços,
Yago.

Responder

Fernando Turozi - 29, abril 2012 às (18:53)

Nossa Mi! Todos dizem que esse livro é bom, mas nunca me disseram que havia tanta intensidade no romance ! Eu já queri a ler o livor, mas agora quero muuuito mais, quero saber qual cena tãão profunda, se não a mais bela, que você leu, estou romântico atualmente 🙂 heheh Adorei a resenha, e digo a você: também adoro livros que nos deixa confuso, se são favoritos ou não.. isso só nos mostra o quão bom é o livor ! Parabéns pela resenha 🙂

Fernando

http://nerdliterario.blogspot.com.br/

Responder

Marcelo Lima - 29, abril 2012 às (19:30)

Quero ler esse livro , mas fico na dúvida , todas as resenhas que leio parecem dizer quase a mesma coisa sobre o fluir do enredo , se for igual a Fallen eu vou amar , mas se não vou perder o fio da meada e odiar o livro… espero que o sub o coloque por 9,90 logo rs !

Responder

Entre Fatos & Livros - 30, abril 2012 às (20:27)

Aione, tenho lido várias resenhas positivas para esse livro. Então não tem como não desejá-lo em minha estante. Não sou fã de circos, mas como li Água para Elefantes e gostei, provavelmente essa antipatia não afetará a minha leitura. E o que eu mais gosto é quando uma leitura me faz ficar pensando, considerando a história, refletindo, pesquisando… enfim, que me envolva mesmo depois da última página. Quero ler!

BjoO
Pri
Entre Fatos e Livros

Responder

Lucas Martins - 01, maio 2012 às (03:00)

Eu imaginava que a leitura de Circo de Noite fosse meio lenta, até se acostumar com a escrita da autora e se naturalizar com a história.
Na época do lançamento, confesso que estava com mais vontade de ler o livro, agora, nem tanto. Perdi um pouco de vontade por conta dos comentários nem sempre positivos. Fui influenciado mesmo, rsrs
Odeio quando acontece isso, de ler um livro e em alguns dias mais páginas outros menos, rsrs Me dá vontade de abandonar, mas prossigo.
Beijão, Mi!

Responder

Ana Ferreira - 01, maio 2012 às (23:39)

Mi, a sua resenha me deixou um pouco mais animada para ler “O Circo da Noite”, tão bem escrita ela foi, com tanta paixão e carinho visivelmente inseridos.
Confesso que a história, apesar de totalmente diferente – o que eu costumo esperar de um livro -, não conseguiu me atrair ao ponto de eu comprar o livro e lê-lo, de uma vez por todas. Algo ainda faz com que eu oscile um pouco, não sei se a estranheza em si, o que costuma me agradar, ou algo que alguém comentou sobre lesmas. É isso mesmo ou eu tô viajando? heiuehieuhei
O elemento romance por você comentado foi inesperado, mas gostei de saber :]

Beijinhos!
Ana – Na Parede do Quarto

Responder

Aetria (Camila Loricchio) - 02, maio 2012 às (19:02)

Comprei o livro ontem…HAHA…a sinopse dele me encantou tanto que nem resisti… e a resenha me deixou com a opinião de ter feito um bom negócio…rsrs

Bjoos
ps.: Ah…queria que sp fosse mais perto para poder ir ao VAP =/

Responder

A Leitora - 03, maio 2012 às (12:09)

Estrou louca por esse livro, e achei uma sacanagem você falar que teve uma cena romantica muito linda ao²
Menina malvada.
Amei a resenha, de boa qualidade como sempre.
Beijokas enormes
Brih
Meu Livro Rosa Pink

Responder

Pah - 03, maio 2012 às (14:03)

Oi Gêmea, menina esse livro parece ser muito bom. Toda essa magia e esse lance da narrativa me deixou super curiosa. Legal o que essa edição da Intrínseca passou pra você, isso da impressão de estar “andando”… Acho que o livro deve ser difícil, daqueles que nos faz pensar, por isso o fato de não ser do tipo que encanta logo de cara. E romance mais que bom? OMG quero o livro logo, Submarino, faz uma promoção!!! ahauhauah

Beijos

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por