[Resenha] Nas Sombras - Jeri Smith-Ready | Minha Vida Literária
18

maio
2012

[Resenha] Nas Sombras – Jeri Smith-Ready

Título: Nas Sombras
Autor: Jeri Smith-Ready
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 336
Ano de Publicação: 2012
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Aura, como todo adolescente nascido após a Passagem, é capaz de ver e se comunicar com fantasmas de pessoas que morreram inesperadamente. Convivendo com isso desde que nasceu, a garota já estava acostumada à situação, bem como a ter que usar artifícios para fugir deles, quando necessário. Foram muitas as vezes em que ela desejou nunca ver nenhum. O que ela nunca imaginou, porém, é que um dia se sentiria grata por essa capacidade, nem muito menos que seu namorado, Logan, mal conheceria o sabor de completar 18 anos…

Quem acompanha o blog deve saber que livros sobrenaturais não são os que mais costumam chamar a minha atenção. Aliás, são poucos os que eu, de fato, me interesso por ler, sempre que possível eu fujo deles. Contudo, Nas Sombras foi um desses exemplos que se encaixam nas exceções. Não sei se foi sua belíssima capa ou a frase em seu verso – “O amor os uniu. E a morte não vai separá-los” – que mais me chamaram a atenção, sei que eu quis lê-lo.
O livro me surpreendeu por um principal motivo: a narrativa. Havia imaginado um livro romântico cuja narrativa também seria romantizada. Apenas para exemplificar, já que meu exemplo nada tem a ver com a obra de Jeri Smith-Ready, eu imaginei a escrita da autora similar a de Stephenie Meyer em Twillight, diferente do que encontrei. A narrativa, ainda que tenha seus momentos mais românticos, e até mesmo dramáticos, é leve, divertida e jovial, garantindo à história essas características. Eu certamente não esperava encontrar humor e ironias. Porém, indo de encontro ao que eu esperava anteriormente, tanto as frases finais de cada capítulo quanto as que separam dois diferentes momentos dentro de cada capítulo, são frases de impacto, dando mais emoção e dramaticidade a esses momentos. Acho importante ressaltar que a linguagem do livro abrange expressões de adolescentes, o que incluem os palavrões. Não me importo com a presença deles, mas sei que nem todos gostam. Então, apenas para não haver desagradáveis surpresas, considerem-se avisados!
Gostei do fato de, na história, os fantasmas não serem um segredo. Ainda que os nascidos antes da Passagem não sejam capazes de vê-los, eles sabem que existem e que os nascidos após o misterioso dia podem interagir com eles. Há, inclusive, diversas adaptações na sociedade e nos diferentes locais frequentados pelas pessoas, inclusive em suas moradias, por causa da presença dos fantasmas. Não que eles não existissem antes da Passagem, eles apenas não eram vistos e/ou sentidos.
A autora fez uso da ficção para tratar de um assunto real: o apego dos que ficam frente à morte de um ente querido. O fato de Aura poder ver Logan após sua morte (isso não é um spoiler, visto que é o fator desencadeante para toda a história acontecer, presente inclusive na sinopse do livro e na do Skoob) é um conforto para ela, que ainda não está pronta para dizer adeus. Também, outro ponto é abordado e que está longe de ser apenas ficcional: a culpa, tanto pela morte em si, como forma de não aceitá-la, quanto, e principalmente, a culpa pela pessoa que continua viva seguir em frente.  Apesar de tratar de um assunto dolorido como a morte, o livro não é pesado ou triste, como já dito anteriormente. Ele tem partes mais sofridas, a ponto de me fazer chorar (o que não é parâmetro algum, vamos combinar), mas é, em sua maioria, um YA leve e divertido.
Jeri Smith-Ready também acertou no suspense. Terminei o livro querendo desesperadamente sua continuação (título em inglês: Shift, lançado nos EUA em Maio/2011) para compreender todos os mistérios que envolvem Aura, apenas introduzidos a nós nesse primeiro volume. Aqui, também, figura um dos pontos que, ao meu ver, foi negativo no livro. Em todo momento, a Passagem foi apenas citada, não houve uma grande explicação sobre ela, é o leitor que precisa compreender o que ela significa durante a leitura. Isso, no começo, foi um pouco confuso, porque eu não sabia do que ela se tratava. Entretanto, acredito que isso possa ter sido proposital, porque a Passagem em si envolve muito mistério, ela não foi muito bem elucidada. Acredito que esse será o foco do próximo livro, já que sua tradução literal é algo como “Deslocar” e, acredito eu, refira-se à Passagem.
O romance também me agradou e muito. Como todo bom YA, é claro que temos um triângulo amoroso. Nesse caso, parece não restar dúvidas sobre para que mocinho deve-se torcer, visto que um deles é um fantasma. Mas, nesse caso, o triângulo não se trata sobre com quem Aura vai ou não ficar, a morte já eliminou as chances da continuidade de um real relacionamento com um dos envolvidos. A dúvida, aqui, refere-se à garota estar ou não pronta para seguir em frente. Voltamos à questão da culpa.
De um modo geral, ainda que a leitura só tenha realmente me deixado sem fôlego nas páginas finais, ela foi agradável como um todo e conseguiu prender minha atenção. Consegui me envolver com a história e o saldo final foi positivo, ainda que não tenha entrado para a minha lista das melhores leituras ever. Fico feliz que o volume final, que fecha a trilogia, tenha sido lançado esse mês nos EUA, porque isso significa que não precisamos esperar algum dos livros ser escrito para, só então, ser lançado aqui. Espero que a Galera Record não demore a lançar Shift e Shine! Se você gosta de YA sobrenaturais, que mesclam humor, romance, drama e mistério, não deixe de ler Nas Sombras, principalmente se você já cansou de vampiros, anjos e lobisomens, mas ainda está em busca de obras desse gênero. Os fantasmas podem te agradar!




Deixe o seu comentário

12 Respostas para "[Resenha] Nas Sombras – Jeri Smith-Ready"

Ana Ferreira - 19, Maio 2012 às (00:21)

Mi, acho que nossas opiniões sobre “Nas Sombras”, em geral, foram bem semelhantes. Especialmente no que diz respeito às dúvidas sobre o conceito da Passagem. Muitos fatos careceram de maiores explicações que provavelmente teremos nos próximos livros.
A culpa é uma constante na vida de Aura, mas torci muito para que ela seguisse em frente, apesar de Logan também ter me conquistado com seu jeito meio imaturo e fervoroso, cheio de amor.
Sua resenha ficou ótima =)

Beijinhos!
Ana – Na Parede do Quarto

Responder

Lili - 19, Maio 2012 às (02:00)

Não é algo que me atrai tanto. Mas parece ser interessante.

Gosto de livros sobrenaturais que tratam de morte, mas sobre fantasmas propriamente ditos, não fazem muito meu estilo (lembrar do livro que resenhei essa semana hehehe). Esse tá com uma aboradagem diferente, pelo visto.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Evellyn - 19, Maio 2012 às (15:53)

Uau
eu nem tinha dado atenção a este livro (ao contrario de vc, acho a capa é tão sem sal) mas li umas coisas e pensei ‘é, vou dar uma chance’.. ai vc vem e diz que pra quem gosta de e YA sobrenaturais, que mesclam humor, romance, drama e mistério é imperdivel… Eu acho que vou mesmo gostar!

E eu amei sua resenha! ACho que vou gostar ´pq adoro a linguagem adolescente, humor, ironia… E essa temática de fantasmas é uma das que mais gosto, embora eu não tenha lido nada.. è, o pessoal devia investir nesse sobrenatural!
ACho que a falta de desenvolvimento de algumas coisas (explicações) pode aparecer nos proximos né.. Em series é sempre assim!
E esse triangulo deve ser interesante mesmo!

Ahh tomara que a Galera não demore a lançar os outros!

bjss
Evellyn!

Responder

Marcelo Lima - 19, Maio 2012 às (18:53)

esse é um dos livros que vou ler só quando tiver 9,90! mas fora isso sua resenha está muito boa mi, como sempre de fato.

Responder

Vanessa - 19, Maio 2012 às (20:33)

Mi, eu também não sou fã de livros sobrenaturais e acho que por este motivo é que não pedi este exemplar para a editora, apesar de que a capa é mesmo bem bonita como você já disse.

Vanessa – Balaio

Responder

Luana Farias - 19, Maio 2012 às (22:08)

Aiii eu querooo, um monte de gente falando do livro e eu é claro super querendo.

Bjs

Responder

Eduarda Menezes - 20, Maio 2012 às (20:38)

Mi, o livro realmente parece ser legal e o universo criado pela autora interessante até certo ponto – mesmo que algumas perguntas tenham ficado sem repostas ou maiores explicações como você mencionou -, mas ainda assim sinto que não é leitura para mim no momento.
Comentei o mesmo na resenha da Ana, que também gostou bastante do livro – e penso até que eu poderia gostar também – mas estou um pouco cansada de narrativas YA’s que envolvem garotas vendo fantasmas, e principalmente triângulos amorosos. Odeio triângulos amorosos e sinto que na maioria das vezes os autores os colocam apenas porque sentem que dessa forma a coisa vai ficar mais interessante – o que para mim funciona de forma contrária.
Acho que em alguns livros eles são completamente justificados, como em Jogos Vorazes, onde realmente o triângulo faz algum sentido. Mas na maior parte dos casos sinto que é uma coisa extremamente forçada, quase como se o triângulo fosse um ingrediente indispensável à criação de um bom YA, o que não é o caso.
Então, não digo que nesse caso seja injustificado, até porque não o li. Mas sempre que vejo livros com tema sobrenatural batido e um triângulo amoroso na história, só consigo pensar: “eles não conseguem pensar em nada mais original do que isso?”
Vou deixar esse passar por enquanto!
Beijão, querida! Ótima resenha, como sempre!

Responder

Danzinha - 22, Maio 2012 às (12:28)

Oiie Mi,

Estou com muita vontade de ler este livro. Parece realmente interessante, infelizmente no momento acredito que não vai dar – estou procurando por leituras um pouco mais fortes e impactantes – mas, em um futuro próximo com certeza.

Beijos

Amigas entre Livros

Responder

leitoracompulsiva - 22, Maio 2012 às (18:27)

Oi Aione,
Esse é um livro que se destacou entre os inúmeros sobrenaturais que li nesse ano! Acho que o tema foi abordado pela autora de uma forma muito interessante, já que ela criou toda uma geração de pessoas capazes de ver os mortos e não somente a protagonista!
beijos
Camis – Leitora Compulsiva

Responder

Ni - 23, Maio 2012 às (21:00)

Oi, Mi!
Pois então, de primeira eu torci o nariz para o livro. Jurava que sua resenha seria negativa! Estou super enjoada de sobrenaturais, mas meu coração tem um lugar reservado para fantasmas (influência: “A mediadora”.). Me empolguei, mas ainda assim não fiquei totalmente interessada, porque rola triângulo amoroso (apesar de diferente). Todos os YAs que leio apresentam triângulo! Estou cansadinha ):
Beijão!
Ni

Responder

Lucas Martins - 24, Maio 2012 às (00:12)

Que bom que você curtiu, Mi!
Eu tô querendo ler o livro há horas… Curti a sinopse, uma distopia bem diferente, tô precisando de algo assim…
Triângulo amoroso é algo muito comum ultimamente, até me acostumei.
Não tinha imaginado que a escrita era leve assim… Melhor, né. Assim a leitura é mais fluida/rápida.
Adorei essa capa, bem legal! Ainda não vi o livro na livraria, mas sei que gosto dela, rsrs
Enfim, quero ler!
Beijos, Mi!

Responder

Anonima1 - 21, outubro 2013 às (20:25)

serio eu li o livro e sabe, foi amor na primeira pagina, eu não gostava muito de ler e tal, mas depois desse ai eu amo li o livro em 1 dia e meio (imagina eu n largava por nada kkk) e agora leio MUITO

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por