[Livros Na Telona] Morte e Vida de Charlie St. Cloud - Ben Sherwood | Minha Vida Literária
20

jun
2012

[Livros Na Telona] Morte e Vida de Charlie St. Cloud – Ben Sherwood

Livros Na Telona é uma coluna na qual analiso filmes que foram baseados em livros!

Sobre o Livro

Título: Morte e Vida de Charlie St. Cloud
Autor: Ben Sherwood
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 304
Ano de Publicação: 2010
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Morte e Vida de Charlie St. Cloud é um dos meus livros favoritos.
Logo de início, já me vi completamente imersa na história por conta da introdução, feita pelo personagem Florio Ferrente. Discorrendo sobre milagres, ele chamou minha atenção tanto por tocar em um assunto pelo qual me interesso quanto por atiçar minha curiosidade pelo que eu poderia encontrar nas páginas da obra de Ben Sherwood.
Depois, foi a vez de me encantar pela narrativa do autor. Em terceira pessoa, ela é fluida o bastante para fazer a leitura agradável e contínua, contendo medidas certas de descrições e diálogos.
E então, a história. Ela já me cativou desde os primeiros capítulos, porque foi capaz de me emocionar e me conectar às personagens desde o início. Ainda que eu já soubesse o que estava para acontecer, não pude deixar de torcer para que não acontecesse, para que o rumo dos fatos fosse outro. Assim, capítulo a capítulo, o autor foi me envolvendo cada vez mais nos acontecimentos e despertando em mim as mais diversas emoções. Lembro-me, inclusive, de ter ficado boquiaberta quando me dei conta do que realmente estava acontecendo, já quase no fim do livro. E a conclusão de tudo só contribuiu ainda mais com minha emoção e minha alegria de ter feito uma leitura tão prazerosa.
Ben Sherwood foi muito feliz, a meu ver, ao escrever essa história. Ela fala de amor, em todas as suas vertentes, assim como fala de crenças e fé, o que foi uma combinação perfeita para me ganhar. Achei a obra doce, tocante e capaz de despertar não só o prazer de se ler como também reflexões sobre aquilo que é lido.
É claro que é impossível que um livro agrade a todos, mas posso afirmar, com toda certeza, de que esse me agradou e muito. Recomendo a todos que procuram por um bom romance e que tem um interesse por assuntos de cunho espiritual. Se você se considera cético quanto a essa última parte, talvez o livro não lhe agrade tanto.
Como já li o livro há mais de um ano, os detalhes já me escaparam, então espero ter dito o suficiente para passar uma impressão fiel de como foi a leitura para mim!
Sobre o Filme
 
Quando finalizei a leitura, fiquei doida para assistir ao filme e o fiz assim que foi possível. Porém, diferente do que o livro me proporcionou, o filme foi apenas um passatempo, não tendo me emocionado em nada.
Em primeiro lugar, as mudanças foram muitas. Para que Zac Efron pudesse interpretar Charles, a idade do personagem foi modificada. Além disso, modificaram a aptidão dele de jogador de beisebol para velejador, como Tess. Sei que essas mudanças são pequenas e não deveriam influenciar meu envolvimento com o filme, mas acho que são detalhes importantes. O fato de Charles ser mais velho no livro implica, diretamente, em um maior tempo em que ele está dedicando sua vida ao irmão. Além disso, o beisebol é uma importante conexão entre eles na história, ligação esta que não ficou tão forte ou tão evidente no filme.
Ainda, achei que outras mudanças, que não poderei explicar sem soltar spoiles, acabaram por modificar a essência do livro. Tais mudanças se baseiam, principalmente, nas atitudes e reações de Charles e seu irmão, e isso foi frustrante para mim ao assistir a adaptação, achei que parte da beleza da mensagem se perdeu por conta disso.
O final também foi um pouco diferente, além do enredo, no filme, ter sido mais enxuto, mas acho que essas mudanças não tiveram um impacto significativo em minha opinião quanto às outras.
Sobre os atores, não gostei da escolha de Zac Efron por um motivo, apenas: ele ser mais novo do que Charles. Acho que, se as personagens fossem mais velhas, a história teria um ar mais maduro e me envolveria mais do que realmente me envolveu. Achei que Amanda Crew fez um bom trabalho, tendo mantido o espírito teimoso e auto-confiante de Tess.
Talvez, se eu não tivesse lido o livro, o filme me agradasse mais, entretanto acredito que ele continuaria sendo apenas um passatempo. Achei que faltou a profundidade do livro, que tanto me envolveu durante a leitura.
Assim, se você procura um bom entretenimento na forma de um romântico filme, essa é uma boa pedida. Mas, se você quiser se aprofundar mais na história, então busque a obra de Ben Sherwood.
Confira o Trailer do Livro!




Deixe o seu comentário

17 Respostas para "[Livros Na Telona] Morte e Vida de Charlie St. Cloud – Ben Sherwood"

Julia G - 20, junho 2012 às (21:55)

Oi Mi, eu não tenho nenhuma opinião a acrescentar sobre essa história, já que desconheço as duas versões, tanto cinematográfica quanto literária. Não é uma narrativa que me dá curiosidade para ler, mas pelos vários elogios que já li sobre ela me fazem pensar se vale ou não a pena.
Um beijo

Responder

Tahis - 20, junho 2012 às (21:58)

Oie…

Ai, acho esse filme tão lindo, chorei muito vendo, é tão lindo a história desses irmãos!
Já Li o li o livro, e não goste muito, prefiro o filme!

Beijão
http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

Responder

Jonathan Henrique - 20, junho 2012 às (22:01)

Oi, Mi! Quando eu vi a capa e título desse livro pela primeira vez, isso há algum tempo atrás, na hora eu cogitei ser um obra do Nicholas Sparks. Sério!
Não é um tipo de estória que eu costumo ler, mas imagino que seja emocionante.
Quando ao filme, não vi ainda, mas são complicadas essas mudanças – e pelo que você falou, elas ocorreram para que Zac Efron interpretasse o protagonista, ou seja, houve “preocupação” do estúdio em pegar um ator já conhecido pelo público.
Beijos!

Responder

Rafaella - 20, junho 2012 às (22:19)

Comprei esse livro em uma promoção da NC – comprava um livro e poderia pedir para a editora um segundo – e ainda não li.
Eu acabo me decepcionando com as adaptações de livros para a telona, na maioria das vezes. Pretendo ler morte e vida esse mês, pois já faz meses que ele está guardado rs.
Adorei a postagem.
Rafa
http://laviestallieurs.blogspot.com.br/

Responder

Marcelo Lima - 20, junho 2012 às (23:15)

amo tanto o livro quanto o filme , acredite li em um dia ! é maravilhoso!

Responder

Lili - 20, junho 2012 às (23:34)

Eu não me interessei muito pelo livro porque fiquei conhecendo pelo filme, que também não assiste.

Nada contra Zac Efron, mas acho que ele ainda não está no ponto pra papéis muito maduros, e isso não me apeteceu a ver o filme. Porém tua resenha me tocou para ler o livro. Vou atrás.

Beijos
liliescreve.blogspot.com

Responder

Van Castro - 21, junho 2012 às (00:33)

Também odeio quando eles mudam a essência do livro. Tem coisas que ficariam tão lindas se eles mantivessem igual ao livro, mas eles preferem mudar mesmo assim, humpft.

Mas ainda quero ver o filme para comparar. Adorei o livro!

Responder

Planet Pink - 21, junho 2012 às (13:33)

Oi Mi.
Esse é um livro que quero ler há muiiiito tempo e até hoje não tive oportunidade. Uma pena o filme ter tantas mudanças assim que acabem afetando no nosso envolvimento com a história e com a emoção =
Vou tentar comprar o livrinho pra mim ainda esse ano!

Beijão

Responder

Entre Fatos & Livros - 21, junho 2012 às (16:27)

OI Aione!

Eu li esse livro há mais de um ano, mas ainda não assisti ao filme. Agora que li o post, me deu vontade de assistir. Eu só fico adiando e depois esqueço. Apesar disso, tb achei estranho a escolha de Zac Efron para protagonista, mas enfim… vou deixar para opinar depois que eu conferir. Fiquei curiosa para saber o quanto o enredo foi alterado e quanto eu detestarei essas mudanças.

BjoO
Pri
Entre fatos e livros

Responder

Lu - 21, junho 2012 às (16:46)

Oi Aione,
ahhh, ainda não li e nem assisti o filme, mas pretendo pelo menos ver o filme. Parece ser uma história triste, então fico meio desanimada a ler. =/

beijos.

Responder

Ana Ferreira - 22, junho 2012 às (00:16)

Cismo que esse livro é do Nicholas Sparks por causa da capa. Ben Sherwood, Ana, Ben Sherwood…
Confesso que sou meio cética em relação a certos conceitos mais espirituais e acabo não me comovendo tanto quanto eu gostaria. Contudo, apesar dos seus comentários sobre o filme, lembro de ter achado o trailer interessante, dando a ideia de uma história emocionante e bela, que ficou provavelmente mais evidenciada no livro. Um dos fatores que mais me agrada na premissa é a irmandade. Adoro histórias que exaltam esse lado familiar.

Beijo!

Responder

Érica Patricia Lopes - 22, junho 2012 às (12:25)

Oi, Mi!
Eu devorei esse livro! Ele é lindo, me emocinei muito com a história!
É um dos meus favoritos ^^

Não vi o filme, eles sempre modificam a história real do livro!

PS: Sorry pelo sumiço, ando tão ocupada e cansada!

Beijokas saudades

Responder

Lygia Netto - 22, junho 2012 às (13:41)

Não li o livro e nem assisti ao filme…de qlq forma, é realmente uma pena qnd as adaptações sofrem mudanças sem necessidade. Sei que cortes são necessários para o tempo de duração do filme, mas se as mudanças de uma forma ou de outra fazem perder a essência do está no livro, não vejo mt sentido. Uma pena realmente que uma parte do “sentimentalismo” e ligação com o irmão do personagem foram perdidos! =/

Beijos!

Responder

Eduarda Menezes - 23, junho 2012 às (15:31)

Fico feliz de não ter visto o filme antes do livro então haha Já tive a oportunidade de alugar esse várias vezes (e fico na vontade), mas sempre digo que primeiro quero ler o livro (que eu tenho há séculos e ainda não li), então vou sempre deixando pra depois.
É uma pena que a essência do livro tenha se perdido Mi; as veze por mais que ocorram modificações elas não são tão importantes no final das contas, pois a essência da mensagem continua lá =/
Fiquei curiosa para ler o livro e depois verificar a adaptação, realmente essas mudanças sutis que você falou podem não parecer muito mas dependendo do tipo de história a ser contada, elas tem uma importância muito maior para o conjunto da trama do que parecem!
Uma pena mesmo. Beijos, Mi! Adoro os seus Livros na Telona haha! ^^

Responder

Lucas Martins - 23, junho 2012 às (20:18)

A primeira vez que vi o livro achei que fosse do Sparks, rsrs Depois dei uma pesquisada e soube que inspirou o filme e foi um livro bem criticado. Apesar do quê de religiosidade, tenho vontade de ler, já que tenho o livro.
Não assisti ao filme também e foi bom saber que eles são um pouco diferentes. Sei do que é necessário para adaptar um livro para o cinema, mas a essência tem que ser mantida, independente de tudo!
Depois que eu ler comento com você o que achei, Mi!
Beijão!

Responder

Téh Moura - 29, junho 2012 às (03:23)

Ao contrário do que você achou, Aione, eu gostei mais do filme. O livro não foi uma leitura que me agradou tanto, mas o filme eu gostei demais. Interessante como as opiniões divergem, né? Nada contra o livro, achei-o muito bonito. Mas, sei lá, achei que faltou alguma coisa. Ah, e pra mim a escolha do Zac ficou até legal. Acredito que eu seja um pouco suspeita pra falar isso porque eu já sou fã dele desde alguns anos atrás. Outra coisa: eu fiz o que todo bookaholic não deveria fazer, que foi ver o filme antes de ler o livro. Talvez seja por isso que gostei do Zac no papel do Charlie. Uma coisa que eu notei foi que a atmosfera do livro e do filme são bem diferentes. Pra mim o livro teve um ar um pouco mais engraçadinho. Óbvio que não durante a história inteira.

Mas, enfim, gostei de ambos.

Beijos!

Téh Moura – http://www.aminhadimensao.blogspot.com

Responder

Becca Martins - 31, julho 2015 às (00:10)

Oi Mi,
Eu não conheço nem o livro nem o filme, mas quero em breve ter a oportunidade de conhecer os dois.
Começando pelo livro é claro, já que sempre são melhores e dá para ter uma noção melhor para poder compará-lo com o livro.
E cá entre nós, o Zac é incrível, então eu acho que ele deve ter feito um ótimo filme.
Beijocas!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil