Parece, Mas Não É | Minha Vida Literária
21

jun
2012

Parece, Mas Não É

“Parece, mas não é” é uma coluna onde trago livros que, ao ver a capa pela primeira vez, achei tratarem de um assunto, mas, ao ler suas sinopses, descobri que não tinham nada a ver com o que pensei!

 

Devo dizer que essa capa, que encontrei na coluna do Yago, me passa a sensação de… nada.
Sério, não consigo ver uma história olhando essa imagem. Mas, se eu tivesse que chutar algo, então seria um distópico.
Sinopse – by Aione Simões
 
Em Craftown, um continente surgido após um desastre natural ter devastado o mundo como era conhecido um século atrás, as profissões de todos são decididas ao nascer. A invenção de um aparelho possibilitou que fossem determinadas, em um único exame, as áreas de atuação em que cada pessoa teria mais habilidades. Assim, um comitê governamental determina a ocupação de cada habitante em seu primeiro dia de vida, pensando em extrair, dessa maneira, o melhor resultado em cada atividade feita.
Deana cresceu sabendo que seria uma Mentalista, uma das estudiosas responsáveis pela definição das profissões da população de Craftown. E ela sempre se orgulhou de ter sido designada para essa função.
Agora, ao completar 18 anos, chegou o momento de, finalmente, se aprofundar nos treinamentos específicos para poder ser uma Mentalista. E de, também, ter seu mundo confrontado ao descobrir como ele realmente é.
Se não é distópico, o que pode ser?

 

Sinopse – A Mulher do Viajante no Tempo – Audrey Niffenegger

Henry sofre de um distúrbio genético raro. De tempos em tempos, seu relógio biológico dá uma guinada para frente ou para trás, e ele se vê viajando no tempo, levado a momentos emocionalmente importantes de sua vida tanto no passado quanto no futuro. Causados por acontecimentos estressantes, os deslocamentos são imprevisíveis e Henry é incapaz de controlá-los. A cada viagem, ele tem uma idade diferente e precisa se readaptar mais uma vez à própria vida. E Clare, para quem o tempo passa normalmente, tem de aprender a conviver com a ausência de Henry e com o caráter inusitado de sua relação.

 

Romance. Romance dos bons e famosos, ainda.
Japão, você fez isso muito errado.
Darei um parabéns muito grande e merecido pra quem acertou essa!

Só uma observação. Essa capa de cima, da Editora Suma de Letras, era a única que eu conhecia, mas achei essa outra, da Editora Objetiva, e gostei muito mais dela!

Enfim, fico por aqui com minha indignação com a capa japonesa.

Beijos, seus lindos!





Deixe o seu comentário

19 Respostas para "Parece, Mas Não É"

Lili - 21, junho 2012 às (22:57)

Meu comentário é. Indignação total. Parece livro de editora universitária sobre cálculo J

liliescreve.blogspot.com

Responder

Flavio P. Oliveira 22 jun 2012

Comentário perfeito!!! rs

Responder

Marcelo Lima - 22, junho 2012 às (00:01)

Cada vez mais eu adoro essa coluna , to O.O

Responder

Ana Ferreira - 22, junho 2012 às (00:08)

Mi, os asiáticos e suas admiráveis habilidades para criar capas. Não me conformo com o fato de que sempre essas capas estranhas sejam do Japão, da China, da Indonésia e vizinhos.
Acho que eles têm uma concepção meio diferente do conceito de livros. heieheiuh Sem contar que são muito ligados a mensagens subliminares, pelas próprias cores. Mas creio que meu subconsciente ocidental não esteja habilitado a esse tipo de compreensão. haha
Agora, falando do livro, sempre ouço elogios sobre “A Mulher do Viajante do Tempo” e, ao contrário de você, gosto mais da capa da Suma. Pelo menos em tratando-se de beleza, quanto ao sentido não sei…
Beijo!

Responder

Yago Dalben - 22, junho 2012 às (00:50)

Hey,

Realmente, essa capa não passa nada. Não sei nem como conseguiu desenvolver uma sinopse em cima dela, rs 🙂

Abraços,
Yago.

Responder

Planet Pink - 22, junho 2012 às (02:14)

Mi, só tenho uma coisa a dizer
que capa é essa? O.o
não sei como você conseguiu criar alguma sinopse pra ela, parabéns! hahaha

;***

Responder

Aymée Meira - 22, junho 2012 às (05:52)

adoro quando chego aqui e essa coluna tá postada.
‘-‘
poxa amo suas sinopses. kkk
elas são muito mais interessantes uhauhahuahuahua
beijos
amy – Macchiato

Responder

Lygia Netto - 22, junho 2012 às (13:31)

Vc falou certo…a capa não dá a sensação de coisa alguma…eu hein, rs.

Eu gosto mais da capa nova…acho a garota com os cabelos ruivos voando simplesmente adorável! <3

Bjs.

Responder

Neidinhap - 22, junho 2012 às (14:20)

Tenho esse livro que comprei na Bienal passada, mas ainda não li..vou passar ele na frente, parece legal..agora quanto as capas a primeira realmente não dá para imaginar se tratar do mesmo livro das capas seguinte…Bjs

Responder

Esmalte de Morango - 22, junho 2012 às (15:00)

Quando olho para essa capa do Japão penso: ”O cara que fez isso daí, pegou qualquer coisa do seu próprio computador e chamou de capa.” Na bom, não tem nada a ver.
Tô indignada, não faz sentido. ‘-‘

Beijos, Meire.

Responder

Julia G - 22, junho 2012 às (18:04)

kkkkkkk
me matei de rir com essa sensação de nada ;x
Mas eu também não saberia o que chutar, talvez um romance pela cor rosada. Mas uma coisa mais agua com açúcar, sabe? hehe

Beijos

Responder

Sheylla - 22, junho 2012 às (18:48)

Para…fiquei tipo assim: oO
Que capa mais nada a ver…
Eu chutaria que seria algo de espiritismo…rs

Já li o livro, não gostei tanto. É bom, mas meio confuso e se torna cansativo pelas repetições.

Beeijo

Responder

Eduarda Menezes - 23, junho 2012 às (15:37)

Mi, assim que eu vi a capa eu pensei a mesma coisa que você: nada! huahau Não sei de onde eles tiram essas ideias, sério!
Adorei a sua sinopse como sempre. Você conseguiu extrair uma história interessante a partir de um figura sem graça completamente abstrata, parabéns mesmo!
Eu sou louca para ler esse livro, faz tempo que tenho e preciso tomar vergonha na cara (é esse, e o Charlie St Cloud )!
Ah, Mi, eu prefiro a capa mais nova, é tão linda, uma das minhas preferidas até. Não gostei muito da capa da Objetiva na verdade, achei esse homem crescido sem roupas, olhando para a menininha um tanto pedófilo huahau
Beijão, querida!

Responder

Mariana Fontana Szewkies - 23, junho 2012 às (18:43)

Oi Aione!!

Fiquei encarando a capa, intrigadíssima, tentando entender o que ela queria representar e…sem entender. Fiquei pensando “o que será que era para ser isso?” e nada me ocorreu. Você pelo menos chutou distópico, eu não consegui arriscar nada.
Aí li teu comentário: “me passa a sensação de… nada.” Você tem toda a razão. Não transimite nada! Acho que podiam ter usado a capa para qualquer tipo de livro que se aplicaria tão bem quanto a esse romance, ou seja, nada bem, hehe.

Beijos
http://www.alemdacontracapa.blogspot.com

Responder

Lucas Martins - 23, junho 2012 às (20:14)

Meu Deus, que coisa bizonha essa capa, sério! Hahaha
Eu tenho o livro, vou ler em Julho para o Desafio (aliás, o livro deste mês ainda não li, rsrs)
Beijão!

Responder

leitoracompulsiva - 25, junho 2012 às (16:39)

Caramba, Aione!
Só você para achar uma capa de um nada!! rs… E olha que você fez milagre criando uma história para isso!
Impossível imaginar o que essa capa tem a ver com o livro!
beijos
Camis – Leitora Compulsiva

Responder

Aetria (Camila Loricchio) - 27, junho 2012 às (03:36)

Que. capa. horrível.
Mas a sinopse me atraiu… a história parece ser bem legal mesmo…:)
e o fato do Henry ficar pulando no tempo me lembrou de Efeito Borboleta hahahha ^^

bjos

Responder

JennyCullen - 28, junho 2012 às (04:41)

Japão, você fez isso muito errado.²
Com certeza,o Japão não sabe fazer capar com nexo!!
Eu quero muito ler ‘A Mulher do Viajante no Tempo’,acho que vou comprar a versão pocket da Submarino…

Responder

Rafael - 29, junho 2012 às (19:18)

Tem cara de livro didático de matemática.
Jamais. Repito: jamais pensaria em A Mulher do Viajante no Tempo, que é um do livros que estão me aguardando aqui. ^^
Sua sinopse merece um livro!

@rafaschiabel
http://lembradaquelahistoria.blogspot.com/

Responder

Últimas Resenhas

Calendário de posts

junho 2012
S T Q Q S S D
« maio   jul »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Participo

<div class="titulo participo"><h6>Participo</h6></div>

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por