Especial: Por que ler clássicos? | Minha Vida Literária
18

jul
2012

Especial: Por que ler clássicos?

Verdade seja dita: há um preconceito enorme com livros clássicos.

Os motivos para isso são muitos, variando desde o método das escolas e vestibulares que obrigam a leitura de muitos desses livros (não discutirei aqui a validade ou não desses métodos) até a própria linguagem utilizada em cada um.

A questão é que estamos cada vez mais acostumados a narrativas dinâmicas, com o objetivo único de entreter. Nunca fui de dizer que há boa ou má literatura, amo um bom best-seller como a maioria dos leitores, mas o fato é que esses costumam ser muito mais fáceis de serem lidos, o que nem sempre acontece com os livros clássicos. Assim, a probabilidade de alguém deixar de lado um clássico por preferir alguma leitura contemporânea e da moda é enorme. Porém, se conseguirmos ultrapassar as resistências naturais impostas a esses livros, podemos nos surpreender e muito.

Minha lista de leituras desse ano já ultrapassou a marca dos 70 livros e, dentre todos eles, acredito que meu favorito tenha sido, até o momento, Jane Eyre. Todo o livro é maravilhoso, desde sua narrativa até sua história. Se eu fosse me prender ao detalhe de ser um livro clássico, teria perdido uma das leituras mais incríveis que tive a oportunidade de fazer.
Já pararam para pensar que um livro escrito em outro século é um pedaço da história, é um pedaço desse século? Ler um livro clássico é muito mais do que um ato de leitura, é também um ato de conhecimento de outras épocas, que já não existem mais. Um livro escrito por Jane Austen, por exemplo, é um pedaço da história por ela vivida. Ela ficou imortalizada por meio de suas obras, assim como a época por ela descrita. Se hoje temos conhecimento de sociedades e culturas antigas, isso só é possível por causa dos registros deixados por cada uma, inclusive devido às obras literárias.
Ainda, é interessantíssimo observar a mudança de alguns conceitos e a permanência de outros. O papel da mulher na sociedade hoje é outro, se comparado ao início do último século. Porém, a força de impacto do amor na vida do homem é a mesma desde antes de Shakespeare ter criado Romeu e Julieta.
Quer mais um motivo para se aventurar em livros clássicos? Sabia que várias histórias contemporâneas têm raízes nessas obras literárias?
10 Coisas Que Eu Odeio Em Você é uma das minhas comédias românticas favoritas e foi inspirada em A Megera Domada, de Shakespeare. Aliás, a novela global O Cravo e a Rosa também é baseada na mesma obra Shakespeariana.
Ainda com a combinação Rede Globo e William Shakespeare, lembram-se de Pedro e Julia, na Malhação de 2003? Poderíamos facilmente chamá-los de Romeu e Julieta!
A Marca de Uma Lágrima, de Pedro Bandeira, leitura nacional infanto-juvenil obrigatória, é inspirada em Cyrano de Bergerac, de Edmond Rostand.
Conhece o filme nacional Nina, estrelado por Guta Stresses e que conta com Wagner Moura, Lázaro Ramos e Selton Melo no elenco? Ele é baseado na obra Crime e Castigo, de Dostoievski!
Também, acho importante ressaltar que os clássicos nacionais são os que mais sofrem resistência ao serem lidos. Dom Casmurro é, de longe, um dos meus livros favoritos de todos os tempos. A obra é genial, a ponto de causar controvérsias até os dias atuais. Afinal, Capitu traiu ou não Bentinho? Teria sido todo o ciúme fruto de uma mente perturbada ou baseado em reais fundamentações? Apenas Machado de Assis poderia responder a essas perguntas com exatidão. Não simplesmente por essa trama espetacular, o que mais chama a atenção nas obras de Machado de Assis é a qualidade de sua escrita. O autor é um dos maiores nomes da literatura brasileira, senão o maior, e ele mal estudou, suas obras são frutos de um talento natural. Como não apreciar seu trabalho tendo isso em consideração? Como não conhecer sua escrita? Ah, e vale lembrar que Dom Casmurro, um clássico, tem também muitas influências de outro clássico: Otelo, de Shakespeare.
E Guimarães Rosa? Quantos autores por ai têm licença poética para usarem e abusarem de neologismos?
Os livros clássicos não são clássicos à toa. São obras literárias riquíssimas e merecem a atenção de qualquer leitor, especialmente dos que se consideram viciados em leitura. Não é questão de considerar esses livros superiores a qualquer outro contemporâneo, é simplesmente que ler um clássico, de vez em quando, não mata ninguém. É bom sairmos de nossas zonas de conforto às vezes e enfrentarmos leituras diferentes do que estamos acostumados, especialmente essas que estimulam mais o nosso raciocínio. É muito bom pegar um livro para ler e se distrair, fugir do mundo, mas também faz bem ler algo mais difícil.
Não sou nenhuma leitora exemplar de clássicos, visto que não foram tantos assim os que já li até hoje, mas tenho uma lista enorme dos que ainda pretendo ler desse gênero.
E, se pensarmos bem, daqui muitos anos, os nossos livros contemporâneos também poderão ser classificados como Clássicos, eles também serão característicos dessa nossa época e de nossa sociedade. Então, o livro que hoje é visto como Clássico, em algum momento da história pode já ter sido um best-seller.  Basta apenas encará-lo dessa maneira!
Alguns dos meus clássicos favoritos:
 
 
 
 
Quer ler algum clássico, mas não quer gastar seu dinheiro com eles?
Então acesse o Domínio Público e baixe quantas obras você quiser, gratuitamente, e de maneira legal! O único problema é que nele não há muitas obras estrangeiras traduzidas, elas estão em seu idioma original. Mas há quase 50 páginas apenas de obras nacionais! Vale a pena conferir!




Deixe o seu comentário

16 Respostas para "Especial: Por que ler clássicos?"

Clara Beatriz - 18, julho 2012 às (18:38)

Gostei do último parágrafo, falando que os nossos livros hoje poderão ser vistos futuramente como clássicos. Dependendo do clássico, eu posso ler. Na minha opinião, os livros que eu menos me empolgo pra ler dentre os clássicos, são justamente os brasileiros. Eu já li Otelo, A Megera Domada, Dom Casmurro (todos em versões menores. Não sei qual o tamanho mesmo de Dom Casmurro), Orgulho e Preconceito, mas os que eu mais gostei foram justamente os internacionais!
maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

Responder

Lucas Martins - 18, julho 2012 às (20:08)

Post impecável, Mi! Se são clássicos hoje, é porque sobreviveram ao tempo e foram lidos por pessoas que recomendaram para outras e assim em diante, então TEMOS que ler clássicos. O problema é que as pessoas não gostam de linguagem mais chatinha que realmente causa estranheza, mas a experiência da leitura é ótima. Sempre que leio um clássico me sinto bem, sinto meu intelecto mais alto e fico feliz por ter conhecido outras culturas.
Muitos dos seus favoritos eu quero ler, mas desses já li os Pollyanna e Orgulho e Preconceito, e adoro. Eu tenho alguns deles como Dom Casmurro (PRECISO ler), Persuasão, Jane Eyre, Romeu e Julieta e Morro dos Ventos Uivantes e alguns em ebook. Eu tive O Retrato de Dorian Gray, mas dei para um amigo que estava desesperado (se arrependimento matasse…).
Enfim, adorei a post, Mi! Beijão!

Responder

Planet Pink - 18, julho 2012 às (20:36)

Oi Mi!!!
Adorei o post, bem diferente até, gostei dessas comparações com obras conteporâneas, tanto de livro, como cinema e tv. Ficou mais fácil visualizar a importância que os clássicos têm e que eles podem sim, ter bastante atrativos.

Beijocas!

Responder

Millena Bezzerra - 18, julho 2012 às (22:08)

Tenho uma prima que também gosta de Jane Eyre, eu ainda não li. Estou com dívida com alguns clássicos, também amo Dom Casmurro e Orgulho e preconceito, não sei qual deles é o meu livro favorito.

Pollyanna é outro que não esqueço.

http://www.amorporclassico.com

Responder

Mai - 18, julho 2012 às (23:40)

Adorei as comparaçÕes! E, de fato, se pararmos pra ler um clássico com paciência, vamos nos surpreender bastante. Não sou muito chegada aos clássicos por conta da escrita que acho muito formal. Mas de vez em quando, tiro tempo pra ler um por pura curiosidade e sempre me apaixono.

Responder

Raquel Machado - 19, julho 2012 às (00:40)

Oi Aione,
Adorei o post sempre ao falar de clássico eu me lembro de escola e de dom casmurro com o você mesma disse mas por ser algo tão imposto eu realmente tenho trauma daquela época…enfim já tentei ler algo de shakespeare também mas ele possui uma linguagem bem rebuscada e adorooo a megera domada é muito legal essa historia…não enho problema algum com eles mas com certeza eles tem que me chamar muita atenção visto que eles são realmente mais complexos de se ler…
Bjksss
Raquel Machado
Leitura Kriativa

Responder

Vanessa - 19, julho 2012 às (12:38)

Mi

Eu li poucos clássicos até hoje e a maioria dos que li foram reedições com a linguagem mais acessível, porque para mim o que mais dificulta a leitura é a linguagem ultrapassada, dos meus favoritos posso citar O Morro dos Ventos Uivantes, A Morenhinha e Amor de Perdição, um mais lindo que o outro.

Vanessa – Balaio

http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

Responder

Lili - 19, julho 2012 às (16:14)

Bom, muito do que tu disse são minhas próprias palavras.
Outra curiosidade, A hora da verdade de Pedro Bandeira é inspirada em duas histórias clássicas: Dom Casmurro e Otelo.
E veja só, Machado de Assis adorava Shakespeare, tem várias citações do autor em alguns dos seus livros. Então, mesmo um clássico de diferentes épocas inspirava o mesmo estilo de literatura, assim como inspira-nos hoje.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Andressa Tomaz - 19, julho 2012 às (17:18)

Oi Mi!
Adorei o seu post! O único filme que eu sabia ter sido baseado em um clássico era 10 Coisas que eu Odeio em Você e posso dizer que também uma das minhas comédias românticas preferidas!
Nunca li muitos clássicos e na verdade nem sei o porque, mas tenho muita vontade de conhecer principalmente Jane Austen e o livro O Retrato de Dorian Gray.
Ganhei Pollyana no blog do Lucas e estou doida para ler!

Beijos.

Responder

SÔNIA Montenegro - 19, julho 2012 às (21:45)

Muito boa essa sua abordagem sobre os clássicos. Na minha opinião, o q afugenta os jovens desse tipo de leitura é justamente a obrigação imposta pelas escolas de ler alguns livros clássicos que não sãode certa forma, dirigidos a eles. Eu mesma, aos 61 anos, só agora estou aproveitando esse tipo de literatura e realmente curtindo.
Deixem os mais complicados e mais chatos para quando estiverem maduras pra isso, e vão lendo outros clássicos mais de acordo com suas idades, experiências de vida e gostos pessoais, porque clássicos DEVEM ser lidos, para não correr o risco de se habituar somente a leituras da moda e com pouco conteúdo. A partir do momento que concluímos que há clássicos realmente muito bons e que vale a pena lê-los, começamos a procurar assuntos mais complexos, que, certamente, vão nos abrir novos caminhos e nos deixar mais inteligentes.
Bjs.

Responder

leitoracompulsiva - 20, julho 2012 às (02:17)

Oi Aione,
Adorei o seu post de hoje.
Acho que o grande problema com os clássicos não é o preconceito, mas sim aversão! A forma como a literatura clássica nos é apresentada acab nos amedrontando! Basta me lembrar de clássicos que já penso em provas, em características dos personagens, em clímax, em estilos literários… Nunca consegui ler um clássico pelo prazer de acompanhar uma história pura e simples!
É uma pena!
Beijos
Camis – Leitora Compulsiva

Responder

JennyCullen - 20, julho 2012 às (02:43)

Ameeei o post!!
Nunca fui muito de ler clássicos,mas não por preconceito,é só que sempre passava batido na hora de escolher um livro pra ler.
Os pouquíssimos que li,devo dizer que é mesmo uma leitura beeeem diferente,mas não deixa de ser agradável. É fascinante ler sobre os costumes da época por um livro escrito naquela época.
Depois que comecei a frequentar o blog,meu interesse por clássicos cresceu consideravelmente,principalmente por Orgulho e Preconceito e O Retrato de Dorian gray.

Eu até gostaria que minha escola nos fizesse ler clássicos,mas é tããão raro algum professor nos fazer ler um livro sequer =/

Beijooss,
Jennifer

Responder

Karolyne Oliveira - 20, julho 2012 às (03:13)

Post legal. Nessa hora eu tenho certeza de que preciso ler mis clássicos. Só li Orgulho e Preonceito que amei e O morro dos ventos uivantes, que não foi isso tudo…

Responder

Flavio P. Oliveira - 20, julho 2012 às (12:50)

Eu leio dois clássicos para cada livro novo… rs… Os últimos três livros que li foram: Travessuras de Menina Má, Nexus e A Hora Azul, clássicos…
🙂

Responder

Mariana FS - 21, julho 2012 às (01:31)

Oi Aione!
ADOREI o post e adorei os livros que você citou porque (de verdade!) eu também gosto muito desses livros. Só não li “Pollyana”, “Sonho de uma noite de verã”o e “Jane Eyre” (esse último tenho muita vontade de ler, ainda mais depois do seu comentário)
“Dom Casmurro” também é um dos meus livros preferidos (e a Capitu umas das minhas personagens preferidas). “Otelo” é o meu preferido de Shakesperare. Quanto ao “O Morro dos Ventos Uivantes”, nem tenho o que dizer. Adoro esse livro e acho o Heathcliff fascinante, mesmo com todos os seus defeitos (ou talvez justamente por isso). “Frankenstein”, “Romeu e Julieta”, “O Retrato de Dorian Gray”…todos maravilhosos!
Gostei muito das comprações dos clássicos com tramas contemporaneas. Não conhecia esse filme baseado em “Crime e Castigo”. Ai…confesso que li o livro e não gostei.
PS.: 70 livros? UAU! Hehe.
Beijos
http://www.alemdacontracapa.blogspot.com

Responder

Eduarda Menezes - 22, julho 2012 às (06:12)

Mi, adorei essa postagem! =D
Concordo demais com você, ler um livro clássico é como ter em suas mãos um pedaço de uma outra época, é fugir um pouco da realidade e mergulhar de cabeça em um passado distante e entender como o mundo em que vivemos mudou tanto com o passar dos anos.
Vira e mexe pego um clássico para ler, e mesmo assim gostaria que esse número fosse maior, são tantas histórias ótimas que não conhecemos ainda… esse é um dos motivos pelos quais comprei o “1001 Livros Para Ler Antes de Morrer”, há dicas ótimas por lá.
Sabe um que eu tenho certeza de que você vai amar? O Rebecca de Daphne du Maurier, é um livro incrível Mi, de verdade! Se tiver a oportunidade não deixe passar, é imperdível.
Muitas das nossas histórias hoje foram originadas em clássicos mesmo, o 10 Coisas Que eu Odeio em Você, também é um dos meus preferidos. ^^
Beijão, querida! Adorei 🙂

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por