Post Surpresa da Semana Chick-Lit: Visão Masculina | Minha Vida Literária
28

jul
2012

Post Surpresa da Semana Chick-Lit: Visão Masculina

    Chick-Lit é um gênero literário que surgiu em meados dos anos 90, com a publicação de livros como “Diário de Bridget Jones” da escritora britânica Helen Fielding. Esses livros trazem o mundo feminino de forma bem humorada, abordando questões envolvendo a mulher moderna. Os livros geralmente apresentam protagonistas mulheres, com feminilidade acentuada, variando em características como etnia, idade, condição social, estado civil, carreira e religião. Embora possam incluir elementos do romance, os chick-lits não são uma subcategoria do gênero. A relação sentimental pode ser tanto familiar quanto romântica, varia de obra para obra.
 
    O termo chick-lit é uma junção de “chick”, gíria americana que significa mulher jovem e iluminada, e a abreviação de literatura, “lit”. Em 1995, Cris Mazza e Jeffrey DeShell usaram, ironicamente, o termo como título para a sua antologia “Chick-Lit: Ficção Pós-Feminista”, assim, o gênero foi definido como um tipo de pós-feminismo que ia além do sexo feminino como vítima, para incluir ficção que falava com amplitude sobre experiências femininas, como namoro, sexo e etc.

      Como já citei, “Diário de Bridget Jones” foi um dos precursores, mas antes desse veio ainda o livro “Sheila Levine está morta e vivendo em Nova York”, que foi relançado recentemente pela editora Bertrand Brasil, inclusive. Além desses, ainda temos os bestsellers “Sex and the City” de Candace Bushnell e “Melancia” de Marian Keyes, livros que ajudaram a estabelecer o gênero na atualidade. Além dessas autoras, têm destaque: Sophie Kinsella (série Becky Bloom), Lauren Weisberger (O Diabo Veste Prada), Emily Giffin (O Noivo da Minha Melhor Amiga) e Meg Cabot (série O Diário da Princesa). Hoje em dia, o gênero é um dos que mais vende no mercado literário, tendo, inclusive, selo diferenciado em algumas editoras.

    Quando a Mi me convidou para escrever a postagem, não precisei pensar duas vezes antes de aceitar. Chick-lit é um gênero que me interessa imensamente, um dos que mais gosto. Isso soa estranho, um homem lendo chick-lit? As pessoas criticam muito homens que lêem livros “feitos para mulheres”, mas já se perguntaram se estes livros são realmente leituras apenas de mulheres? Eu acho que não precisa ser uma mulher para ler chick-lit, assim como não precisa ser homem para ler livros cheios de batalhas e mortes, como os da série “As Crônicas de Gelo e Fogo”. As mulheres costumam dizer que os homens não as compreendem, mas se esses livros falam sobre o cotidiano feminino, não seria um “empurrãozinho” para os homens terem uma noção do que se passa na cabeça delas? As inseguranças, a forma como elas vêem o sexo e os homens… E isso me interessa, saber como as mulheres nos vêem.

Minhas primeiras leituras do gênero foram “Diário de Bridget Jones” e “Presentes da Vida” e são livros que me marcaram, de certa forma. São meus chick-lits favoritos. Em vários momento me senti ligado à Bridget, de “Diário de Bridget Jones” (claro), pois temos personalidades parecidas. Ela é desastrada, tem momentos de depressão, mas, apesar de tudo, é bem humorada. Tem seus receios e inseguranças em relação aos homens e consegui compreender o motivo dessa insegurança. Às vezes, as mulheres não se sentem bem com uma roupa ou não estão confortáveis com seu peso, mas, na maioria das vezes, estão pensando no homem, no que ele vai achar disso.  E sim, mulheres, nós, homens, reparamos no penteado novo, na roupa nova e a maquiagem para aquele dia especial, mesmo que nós não comentemos o quanto gostamos de tudo. Toda insegurança acaba sendo em vão, às vezes.
E a Darcy, de “Presentes da Vida”, nossa, ela me fez refletir demais! Ela é a prova de que as pessoas podem mudar. A leitura veio no momento certo da minha vida; eu precisava daquela leitura.

      E por isso recomendo a leitura desses livros a todas as pessoas, não a uma mulher, não a um homem, apenas àqueles que procuram um livro descontraído, que fale sobre uma das melhores coisas da vida: as mulheres. 

 





Deixe o seu comentário

16 Respostas para "Post Surpresa da Semana Chick-Lit: Visão Masculina"

✿Vanessa✿ - 28, julho 2012 às (18:43)

Olá Lucas!
Que legal ver vc por aqui e falando sobre um tema que eu adoro!!
Hum, esses dois livros que vc citou eu tenho, mas ainda não tirei um tempinho para ler.
Já assisti ao filme da Bridget Jones, é muito legal!!

Bjinhs*
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

Responder

Lili - 29, julho 2012 às (00:02)

Adorei ler o post do Lucas. Eu conheço vários homens que gostam de chick-lits ou de filmes baseados em chick-lits. Mas acho que a coisa muda de figura quando perguntamos sobre se eles gostam DE chick-lits. Parece que é “coisa de mulherzinha”.

E esse post foi muito gostoso e sincero. Bom, são livros, são histórias sobre pessoas (fictícias ou não) e já vale a pena ser lido.
E conhecer mais do universo feminino é muito interessante.

Eu também tenho uma identificação gigantesca com Bridget.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Thamires R. - 29, julho 2012 às (01:40)

Ótimo post, Lucas!
Eu adoro ler chick-lits e estou com dois para ler este ano, se der haha é Um Amor de Detetive e A Vida É Uma Festa, conhece?
Bom, adorei o post, foi ótimo ler a percepção de um homem para este gênero literário! E concordo contigo, também acho que não é preciso ser mulher para ler chick-lits, já encontrei alguns blogueiros que lessem o gênero e gostassem!

Um beijo,
Thamires – Laço de Cetim

Responder

Milena - 29, julho 2012 às (04:46)

Que legal, Lucas! Adorei saber a sua opinião sobre o chicklit, que também é o meu gênero literário favorito, e também adorei saber que é o seu! Super legal saber que um menino também lê esse livros ^^ além de ser super interessante pra vocês, aliás, vocês conhecem um pouco mais do universo feminino!!

Beijos, Milena.
Livros na Cabeça

Responder

Ni - 29, julho 2012 às (11:51)

Hahahaha que lindo! Adorei essa explicação de chick-lit, porque tenho certeza de que muita gente acaba achando que ele é uma subcategoria do romance! Muito amor a opinião do Lucas sobre chick-lit também, concordo totalmente! Não é só para mulheres não! <3 😀

Responder

Planet Pink - 29, julho 2012 às (12:46)

Oi Lucas!!
Você foi demais no post. É bom saber que os homens também gostam desse gênero e que os próprios não tem preconceito em ler um chick-lit. E um ótimo argumento, dizer que é uma boa forma de nos conhecer, porque realmente, um chick-lit parece a leitura de várias mentes femininas e muitas em tpm! rs
Parabéns pelo post =)
E Parabéns a Mi pela ideia de trazer um homem para falar do gênero.

Bejinhos

Responder

Eduarda Menezes - 29, julho 2012 às (18:02)

Luuuuuu, eu já sabia que era você antes mesmo de ver a assinatura na parte debaixo do post hahaha acho que a gente já se conhece, né?
Adorei o seu texto, ficou ótimo. Também acho que se todos os homens começassem a ler chick-lits eles finalmente iriam descobrir muita coisa que não sabem sobre as mulheres. É mais informação do que qualquer um poderia encontrar num banheiro feminino! haha
Acho esse negócio de gênero específico para homens e mulheres, um preconceito bobo. Cada um deve ler o livro que lhe interessa, independente sobre o que ele fala, ou não. Já li numa biografia sobre o Gabriel Garcia Marquez (ganhador do prêmio Nobel de literatura, para aqueles que podem estar esquecidos), que ele lia romance de banca. Ele ainda completava dizendo que um bom leitor e escritor lê de tudo! Concordo plenamente com ele!
Beijão!

Responder

Mai - 29, julho 2012 às (20:29)

Que bom saber que tem homem que gosta de ler esse tipo de livro. Aliás, que bom saber que tem homem que gosta de ler, conheço pouquíssimos.

Responder

Nuvem de Letras - 29, julho 2012 às (20:44)

Oiê! Tudo bem?
Adorei o post e concordo contigo quando diz que chick-lit não é apenas para mulher. Eu, particularmente, adoro ler livros do gênero e sempre que o faço, me divirto demais com a protagonista. Dos que você citou li Presentes da Vida e realmente o livro é ótimo – virou um de meus favoritos! Pretendo ler ainda mais chick-lit, acho um gênero leve, descontraído, uma leitura mais serena e na maioria das vezes engraçada demais.

Ótimo post!

Beijinhos
Daisy — nuvemdeletras.blogspot.com

Responder

Babi Lorentz - 29, julho 2012 às (20:52)

É bom ver que ainda tem gente que pensa de outra forma sobre chick-lit. Aquele livro que todo mundo diz que é apenas para mulher também é para homem. Infelizmente, a mídia solta o livro divulgando como um chick-lit (para mulher) e fica aquele preconceito bobo entre os homens.
Adorei o post e adorei a visão. É bom saber que tem homem querendo ler pra saber como a gente se sente e pensa sobre as coisas que acontecem.
Beijos

Responder

Tahis - 29, julho 2012 às (21:04)

Olá Lucas!
Adorei o post, nunca vi nenhum homem falar de chick-lit, e fiquei feliz em saber que tem homem que gosta desse tipo de livro. Concordo com a Duda, se homens começassem a ler esse tipo de livro iria descobrir mais coisas sobre as mulheres! Conheço poucos homens que leem, e isso é trite! ótimo post, Parabéns!

Beijão
http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br

Responder

Kéziah Raiol - 29, julho 2012 às (22:44)

Oie, amei o post.
Acho massa o interesse masculino por chick-lit *-*
Adorei o texto e a visão do Lucas.
Vou começar a influenciar os meus amigos a lerem chick-lit! hahahaha’
Eu sou super fã, amo a Bridget, então comentou sobre ela já ganhou mil estrelas comigo! haha

Beijocas ;*
paixaoliteraria.com

Responder

Julia G - 30, julho 2012 às (16:47)

Eiii Mi, que super post! Muito especial mesmo, acho que é uma coisa um tanto quanto diferente.
E parabéns Lucas, acho mesmo que temos que estar abertos a todos os tipos de leitura, até porque esse estilo é delicioso! Adorei sua opinião.
Beijinhos

Responder

Ana Ferreira - 31, julho 2012 às (01:08)

Mi, a ideia da postagem foi muito bacana e acho que você nos pegou totalmente de surpresa ao colocar um homem como comentarista sobre o gênero, pelo menos para mim, o que tornou tudo ainda mais interessante, mostrando que, em matéria de literatura, não há limitações nem esses preconceitos bobos da sociedade.
Lucas, nota-se facilmente que você tem uma privilegiada sobre as graças dos chick-lits. A Bridget é realmente uma ótima personagem, divertidíssima. E fiquei boba com a sua homenagem às mulheres no final. hahaha
Beijão!

Responder

Pah - 31, julho 2012 às (12:12)

Oi gêmea, que incrível o post. Eu sabia que esse seria um gênero literário especialmente abordado por aqui. Lu adorei sua participação, você ressaltou um ponto importante, o preconceito que gira em torno desse tipo de literatura, os rótulos recebidos com relação ao simplório “literatura de mulherzinha”, concordo com você que ele não é um gênero exclusivamente feminino, não existe isso, o importante é você gostar do estilo literário e buscar mais sobre ele.

Beijos

Pah – Livros & Fuxicos

Responder

Lucas Martins - 01, agosto 2012 às (04:24)

Gente, muito obrigado pelos comentários, pelos elogios!
Preciso falar mais alguma coisa além de agradecer pelo convite? Sempre que quiser que eu escreva alguma coisa… hahaha
Beijão, Mi!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil