agosto 2012 | Minha Vida Literária
31

ago
2012

[Resenha] Eu Sei O Que Você Está Pensando – John Verdon

Título: Eu Sei O Que Você Está Pensando
Autor: John Verdon
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 340
Ano de Publicação: 2011
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Uma carta perturbadora chega via correio com uma simples declaração ao final: “Veja como conheço seus segredos – apenas pense em um número.” Errará quem pensar que uma carta dessas chega a seu destino final apenas por obra do acaso. Para o detetive aposentado da polícia de homicídios da cidade de Nova York, Dave Gurney, que está formando uma nova vida ao lado de sua esposa Madeleine, as cartas começam a deixar de ser estranhas para se tornarem um complicado quebra-cabeça que levará a uma enorme investigação sobre assassinatos em série. Trazido para o caso como consultor, Gurney em pouco tempo percebe pistas que a polícia local deixou passar. Ainda assim, diante de um oponente que parece ter o dom da clarividência, Gurney vê seus esforços irem em vão, seu casamento rumando a um precipício e, finalmente, um medo incontrolável de que seu adversário não pode ser parado.

Continue lendo »

30

ago
2012

Parece, Mas Não É

“Parece, mas não é” é uma coluna onde trago livros que, ao ver a capa pela primeira vez, achei tratarem de um assunto, mas, ao ler suas sinopses, descobri que não tinham nada a ver com o que pensei!

Continue lendo »

29

ago
2012

[Resenha] Menina de Vinte – Sophie Kinsella

Título: Menina de Vinte
Autor: Sophie Kinsella
Editora: Record
Número de Páginas: 496
Ano de Publicação: 2009
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Lara Lington sempre teve uma imaginação fértil. Agora ela começa a se perguntar se está ficando maluca de vez. Meninas normais de vinte poucos anos não veem fantasmas, né? Pelo menos era o que ela pensava até o espírito da tia-avó Sadie, que foi uma jovem dançarina de Charleston com ideias avançadas sobre moda e amor, aparecer misteriosamente com um último pedido: Lara precisa localizar um colar que foi dela por mais de 75 anos. Só assim tia Sadie poderá descansar em paz. Além de encontrar a joia, Lara tem que lidar com probleminhas do dia a dia: a sócia foi curtir um romance em Goa, sua empresa está afundando e ela acabou de ser abandonada pelo homem “perfeito”. Nesta divertida história, Lara e Sadie são duas meninas de vinte bem diferentes que vão aprender a importância dos laços familiares e da amizade.

Continue lendo »

28

ago
2012

[Vídeo] Na Caixinha do Correio – Agosto (2012) – Parte II

Terceira semana consecutiva com um vídeo! Bienal faz isso com a gente!
Mas, depois desse, só daqui a duas semanas de novo. Acabou a bienal, eis que volta a programação normal (a rima foi intencional, só pra constar. E eu sei que foi péssima. Só pra constar, também).
Mil desculpas à Simone, porque na hora de gravar eu esqueci o nome dela! #ShameOnMe
E a luz ao fundo não é algo celestial ou do além. É só um reforcinho vindo do abajur, já que eu gravei de noite!
Enfim, ao vídeo!

Continue lendo »

27

ago
2012

Divulgações e Novidades

Oi pessoal!
Vamos conferir algumas novidades?
Editora Galera Record
A Galera está lotada de novidades esse mês!
Vamos conferir os destaques de Agosto?

Continue lendo »

26

ago
2012

Coluna da Duhau #33 – Figuras de Sintaxe Parte 2


Oi, pessoas! Vamos pra mais um domingo de postagem dessa coluna que eu tanto amo fazer? Bom, pra quem não se lembra do post passado, porque já faz um tempinho, aqui está ele. E como eu disse ao final dele, deixei algumas Figuras de Sintaxe de fora, por isso agora a gente volta com a parte II, né?

Então sem mais delongas, vamos às Figuras de Sintaxe que estão faltando:



– Sínquise –

Regra: Sínquise é a inversão de tal modo violenta das palavras de uma frase, que torna difícil sua interpretação.

Exemplo: “Lícias, pastor – enquanto o sol recebe, mugindo, o manso armento e ao largo espraia. Em sede abrasa, qual de amor por Febe – Sede também, sede maior, desmaia.”

Entenda-se:

“Lícias, pastor, enquanto o manso armento recebe o sol e, mugindo, espraia ao largo -, abrasa em sede, qual desmaia de amor por Febe, sede também, sede maior.”




– Assíndeto –

Regra: Há assíndeto quando as orações de um período ou as palavras de uma oração se sucedem sem conjunção coordenativa que poderia enlaçá-las. É um vigoroso processo de encadeamento do enunciado, que reclama do leitor ou do ouvinte uma atenção maior no exame de cada fato.

Exemplo: “A barca vinha perto, chegou, atracou, entramos.” – Machado de Assis

“Lavava roupas da Baixa, vestia, usava, lavava outra vez, levava.” – Luandino Vieira





– Polissíndeto –

Regra: O polissíndeto é o contrário do assíndeto, ou seja, é o emprego reiterado de conjunções coordenativas, especialmente das aditivas.

Exemplo: “Como uma horda de seres vivos, cobríamos gradualmente a terra. Ocupados como quem lavra a existência, e planta, e colhe, e mata, e vive, e morre, e come.” – Clarice Lispector




– Anacoluto –

Regra: Consiste numa irregularidade gramatical na estrutura de uma frase, como se começássemos uma frase e houvesse uma mudança de rumo no pensamento. Por exemplo, através do desrespeito das regras de concordância verbal ou da sintaxe. É utilizado para dar a sensação de espontaneidade. 

Exemplo:Umas carabinas que guardava atrás do guarda-roupa, a gente brincava com elas, de tão imprestáveis.” – C. de Abreu





– Silepse –

Regra: Silepse é a concordância que se faz não com a forma gramatical das palavras, mas com o seu sentido, com a ideia que elas expressam. Existem, então, silepse de número, gênero

Exemplos:

Silepse de número – “Deu-me notícias da gente Aguiar; estão bons.” – Machado de Assis

Silepse de gênero – “Imediatamente, pode Vossa Excelência ficar descansado!” – B. Santareno

Silepse de pessoa – “Todos entramos imediatamente.”





Espero que tenham gostado. Com esse post fechamos o tema Figuras de Sintaxe e espero que  eles tenham contribuído de alguma forma para o engrandecimento do conhecimento de vocês. ^^



Beijão e uma ótima semana a todos! o/






24

ago
2012

[Resenha] Amada Imortal – Cate Tiernan

Título: Amada Imortal
Autor: Cate Tiernan
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 280
Ano de Publicação: 2012
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Nastasya é uma imortal e, como todos iguais a ela, é capaz de realizar um tipo diferente de magia, a magick. O fato de ser imortal, de viver há séculos, de já ter passado por tantas perdas, simplesmente a deixou em um estado contínuo de anestesia, no qual ela se fechou para não mais sofrer, acabando por perder o sentido de sua vida e por perder-se em si mesma. Entretanto, na noite em que vê seu melhor amigo cometer uma atrocidade com magick, ela se dá conta de quão perdida está e resolve procurar auxílio, indo parar em uma espécie de clínica de reabilitação, onde vivem outros imortais com o mesmo propósito dela.

Continue lendo »

23

ago
2012

Parece, Mas Não É

“Parece, mas não é” é uma coluna onde trago livros que, ao ver a capa pela primeira vez, achei tratarem de um assunto, mas, ao ler suas sinopses, descobri que não tinham nada a ver com o que pensei!

Continue lendo »

21

ago
2012

22ª Bienal Internacional do Livro: Eu fui!

A bienal estava lotada. Foi cansativo, evitei de beber água o dia inteiro nos três dias que fui só para não ter que enfrentar as filas enormes (e por ser fresca também, confesso que tenho nojinho de banheiros tão públicos assim), além de ter gastado boa parte do meu dinheiro (com dor no coração) e do meu tempo para comer, já que as filas também eram absurdamente enormes e o preço bem mais do que salgado.
Mas ela foi maravilhosa. Sai em êxtase dela todos os dias, mal ligando para o fato de eu estar ou não cansada ou de ainda ter que enfrentar mais umas duas horas de viagem até chegar em casa. Mal posso esperar pela próxima, realmente espero conseguir ir à do Rio.
Vamos lá!

Continue lendo »

páginas 123

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por