[Resenha] Caminhos da Sedução - Julianne MacLean | Minha Vida Literária
12

out
2012

[Resenha] Caminhos da Sedução – Julianne MacLean

Título: Caminhos da Sedução
Autor: Julianne MacLean
Editora: Nova Cultural
Número de Páginas: 221
Ano de Publicação: 2008
Skoob: Adicione

Ela só tinha olhos para um homem… E faria de tudo para conquistá-lo!
A criação rígida, num lar sem calor humano, não abalou a natureza romântica de Lily Langdon, nem sua paixão por Edward Wallis, o conde de Whitby, doze anos mais velho que ela. Mas Edward vê a irmã mais nova de seu melhor amigo como uma menina, sem perceber que ela se transformou numa mulher linda e fascinante, determinada por todos os meios a seduzi-lo. Quando Lily recorre a seu poder de sedução para conquistar o coração de Edward, ele adoece gravemente. Essa adversidade, no entanto, apenas fortalece sua determinação de conhecer o êxtase da paixão nos braços daquele homem e de provar a ele que nunca é tarde demais para se apaixonar e viver o amor em toda a sua plenitude…

Caminhos da Sedução se tornou um dos meus romances de banca favoritos. Gostei não só da história como dos conflitos desenvolvidos por Julianne MacLean.
A começar, Lilly, a protagonista, é cativante por ser determinada. Ela sabe muito bem o que quer e o que está disposta a fazer para conseguir seus objetivos. Ainda, gostei muito do romance em si, do fato de Edward começar a notar Lilly não simplesmente como a irmã mais nova de seu melhor amigo, mas sim como uma mulher.
Também, há diversos conflitos familiares, todos resultando em impactos significativos na vida e decisões das personagens. Particularmente, gostei muito do que envolve Lilly e Marion, mãe da protagonista.
Achei interessantes certas análises feitas pelas personagens sobre si próprias, procurando sempre compreender o porquê de seus anseios e sentimentos. Não só por terem sido interessantes, gostei por serem próximos da realidade, já que é natural do homem procurar explicações para seus sentimentos.
Um ponto que, para mim, foi controverso, já que ao mesmo tempo em que gostei eu também duvidei se seria compatível à realidade da época – por mera falta de informações da minha parte -, foram as diversas situações sobre doenças e procedimentos médicos. Por fazer uma faculdade na área da saúde, esses assuntos sempre despertam meu interesse, mas, em certos momentos, achei que as informações estavam avançadas demais para a época em questão. Contudo, esse meu julgamento foi puramente intuitivo, não tinha informações consistentes para me basear. Ao final da história, entretanto, há uma nota da autora elucidando o que não havia sido dito na história, e, também, o que era procedente ou não naquela época. Se de fato são corretos ou não, não fui pesquisar para confirmar.
Ainda, alguns pontos me pareceram ficar um pouco em aberto ou, então, que foi criada uma expectativa quanto a eles para, no fim, a história tomar um rumo diferente e o clímax esperado não acontecer. Isso não significa que a história em si não tenha seu clímax, apenas em um momento específico eu esperei por um desenvolvimento diferente do que realmente acontece.
Algo que achei relevante foi o título da obra. Em português, os títulos dos romances de banca costumam contribuir com a resistência a suas leituras. Porém, o título original de Caminhos da Sedução é algo como O Amor De Acordo Com Lilly, muito mais bonito, natural e próximo da obra.
Apenas depois de finalizar a leitura é que descobri que esse é o quarto volume de uma série intitulada Herdeiras Americanas, composta por seis livros. Cada um narra a história de um diferente casal e, pelo que pude perceber, apenas o casal do primeiro livro tem um maior destaque em Caminhos da Sedução; assim, foi apenas essa a história cujo final deixaria de ser uma surpresa caso eu viesse a ler o livro. Ainda, os livros são independentes, então não há necessidade de se ler os primeiros volumes para compreender esse.
Em termos gerais, a leitura me agradou imensamente, tendo prendido minha atenção em todo o seu decorrer, sempre por um conflito diferente. Recomendo a todos que gostam de um bom romance histórico, independentemente se de banca ou não.




Deixe o seu comentário

11 Respostas para "[Resenha] Caminhos da Sedução – Julianne MacLean"

Marcelo Lima - 12, outubro 2012 às (18:09)

uau , que resenha ! muito boa mi , me deu vontade de ler esse livro , mas me parece outros que eu estou lendo então , quem sabe um dia 🙂

Responder

Lygia Netto - 12, outubro 2012 às (19:21)

Eu não costumo ler livros de banca, não por preconceito, mas por falta de hábito mesmo…mas já sei que, se eu sentir vontade de ler um, vou sempre procurar suas indicações! (:

Beijo grande, Aione! ^^

Responder

Sofia - 12, outubro 2012 às (21:55)

Oi Mi!

Ah, não gosto quando mudam o título original e tudo o mais, sempre melhor o original, né? rsrs

Beijos

Responder

Mari ♥ - 13, outubro 2012 às (01:59)

Oi Mi,
Comecei a ler livros de Banca depois que conheci o Blog da Sua gemula a Pah do livros e fuxicos e depois ganhei uma promoção toda especial lá.
Esse por sinal fiquei super interessando por ser um romance historico que te surpreendeu em partes ^^
Beijos

Mari – Stories And Advice

Responder

Danzinha - 13, outubro 2012 às (13:53)

Oiie Mi,

Desculpa o sumiço!! Bem, não sou muito de ler livros de banca, apesar de ter gostado dos que li. Mas, como você sempre consegue me convencer sobre os livro eu já estou curiosa em relação a este, por ter se tornado seu favorito.

Beijos

Responder

Lucas Martins - 13, outubro 2012 às (14:22)

E a novela: Lucas e romances de banca continua. Será neste capítulo que ele irá finalmente ler um? Ou vai continuar nesta vida de indecisões e preguiça? Para saber, assista o próximo capítulo desta novela recorde de audiência!

Responder

Eduarda Menezes - 13, outubro 2012 às (17:26)

Oi Mi!
Quando se trata de publicações nesse estilo, eu não me importo em ler fora de ordem porque o final é sempre conhecido por todos hehehe E o melhor, é sempre feliz! Esse pelo visto, ainda tem um certo diferencial, já que você disse que o esperado não acontece e a autora muda o rumo da história. Mesmo com algumas falhas aqui e ali, imagino que o livro agrade e consiga atingir o seu objetivo, que é o do puro entretenimento. Adoro livrinhos de banca, quase sempre me rendem bons momentos de diversão.
Também preferi imensamente o título original, não sei o que a Harlequin daqui tem na cabeça às vezes, ficou tão sem… identidade. huahaua
Beijos!!

Responder

Lili - 13, outubro 2012 às (19:13)

Concordo com a Eduarda com a questão da ordem, embora seja sim mais gostoso ler na ordem.
E concordo contigo quanto ao título, acho uma ena isso acontecer na verdade.

Aliás, ia até fazer uma brincadeira: que título para o dia das crianças. hehehe

Beijos e bom fim de semana

liliescreve.blogspot.com

Responder

Milena - 14, outubro 2012 às (16:05)

Oi, Mi!

Confesso que a minha vontade para ler livros de banca só anda crescendo cada vez mais! Ainda não li nenhum desse tipo, mas é cada resenha que me deixa instigada para ler que olha, confesso que não vai demorar muito para que eu leia.. hahaha. Adorei a sua resenha, como sempre! Essas transformações dos personagens de olhar para outro como se fosse a irmã do melhor amigo para depois enxergá-la como mulher realmente é super bacana! Fiquei bem curiosa!

Beijos, Milena.
Livros na Cabeça

Responder

Profª Lourdes - 14, outubro 2012 às (19:05)

professores educadores em sala de aula ou não:, Pais, Artistas, Artesãs, Poetas, Escritores(as), Culinaristas,Evangelizadores, Blogueiros( as), em fim, todos que ensinam e educam merecem no dia 15 de outubro ser homenageados(as).
Um autor desconhecido escreveu assim:
” Educador, como ninguém, você exerce com maestria essa função. Você professora.,já foi criança e… ontem você não entendia muitas coisas, hoje precisa se fazer entender, criar soluções. No seu dia-a-dia a sua capacidade de amar é colocada à disposição de todos. Quando você volta para casa, a tarefa ainda não está terminada, mas a sua consciência está em paz. Você corre em paralelo com o tempo para não ficar ultrapassado. Aceita-se todo por dentro para mostrar a seriedade que é exigida e ainda sorrir para aqueles que precisam de afeto. Na sua angústia existencial ainda se propõe a ajudar a quem procura. Você avalia. Que coisa difícil é avaliar. Aprova , reprova e finalmente recupera. Pelos caminhos da sua vida você vai encontrando tantas portas…..umas quase se fecham, quando deveriam se abrir. Tantas que se abrem, quando deveriam fechar-se, Portas sombrias, enferrujadas, à espera de alguém ansioso por um toque, outras escancaradas pela falta de responsabilidade e amor. E você, passo a passo, vai contribuindo para cada uma delas. Você transforma, ilumina, esclarece, compreende e vence o desafio. É o suave mistério da sua vocação. Como você é importante!!!”
Ser professor não é um dom é uma escolha e se escolhemos exercer esta profissão devemos cumprir com amor, dedicação e preparo, está sempre disposto a aprender.
Como diz Paulo Freire: “Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção”.
Feliz dia do professor e muito sucesso cada dia da tua vida! Abraços da amiga Lourdes Duarte.

Responder

Raquel Machado - 18, outubro 2012 às (00:36)

Oi flor,
Nossa tenho algumas romances de banca aqui em casa para ler mas nao sei quando irei conseguir pegar eles…tem tanta coisa na fila ai to enlouquecendo ihihih…adorei a resenha como sempre e achei bem interessante a história eu como tenho mae enfermeira acho que entenderia um pouquinho mais dos procedimentos medicos ou não ne…sei lá…huahua
Bjssss
Raquel Machado
Leitura Kriativa
http://leiturakriativa.blogspot.com/

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil