[Resenha] Branca de Neve Tem Que Morrer - Nele Neuhaus | Minha Vida Literária
05

dez
2012

[Resenha] Branca de Neve Tem Que Morrer – Nele Neuhaus

Título: Branca de Neve Tem Que Morrer
Autor: Nele Neuhaus
Editora: Jangada
Número de Páginas: 472
Ano de Publicação: 2012
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Tobias Sartorious acaba de ser libertado da prisão onde esteve por dez anos. Há onze anos, ele fora acusado de assassinar duas garotas, cujos corpos jamais foram encontrados. Apesar de ter sido acusado, Tobias não consegue se lembrar do que aconteceu na fatídica noite. Ao voltar para sua cidade, depara-se com as mudanças: a separação de seus pais, as dívidas contraídas e o estado lamentável de seu sítio. Não bastasse isso, a cidade parece estar revoltada com seu retorno. Não muito longe dali, Pia  Kirchhoff e Oliver Von Bodenstein precisam solucionar dois casos: o de um esqueleto encontrado e a tentativa de assassinato de uma mulher, empurrada de uma passarela em cima de um carro em movimento. Ao descobrirem que a mulher é Rita Cramer, mãe de Tobias, os inspetores vão até a pequena cidadezinha, onde mais um caso parece se desenrolar: uma nova garota desaparece, em situações muito semelhantes às de onze anos antes.

Branca de Neve Tem Que Morrer se tornou um dos meus suspenses policiais favoritos.
Inicialmente, me senti um pouco confusa por conta das diferentes situações acontecendo simultaneamente e, também, por conta dos muitos nomes em alemão que foram difíceis de serem memorizados nas primeiras páginas. Porém, passado o estranhamento inicial, logo me acostumei com os personagens e consegui acompanhar a história sem problemas de compreensão.
A escrita de Nele Neuhaus é incrível. Ainda que eu estivesse confusa no começo, a autora não demorou a conseguir me envolver e a me deixar extremamente curiosa pelo desfecho. Alguns livros vão preparando o leitor e, a partir de um momento, torna-se quase impossível interromper a leitura, tamanha é a vontade de se descobrir todos os mistérios. Nesse livro, entretanto, me senti dessa maneira desde o início, o suspense já fisga o leitor nas primeiras páginas.
A história é complexa devido ao seu número de acontecimentos e à incrível quantidade de ligações entre eles. Eu ficava com a sensação de que havia compreendido a situação ao mesmo tempo em que não a conhecia. O leitor é levado em direção à correta resolução, mas, ao mesmo tempo, não consegue resolver o caso completamente.
Apesar da complexidade da história por conta de seu desenvolvimento, essa não é uma leitura difícil ou pesada; ao contrário, foi bastante prazerosa e empolgante. Esse é o tipo de livro carregado de adrenalina, que contagia o leitor e o convida a lê-lo interruptamente.
É necessário dizer que esse é o quarto livro da série de Bodenstein & Kirchhoff, os detetives da história. Porém, não é necessário ler os volumes anteriores, eu mesma só fui descobrir que era uma série ao ler, por acaso, o resumo da autora na aba do livro quando já estava finalizando a leitura.
Se você é fã de suspenses policiais, leia esse livro. Se você está procurando uma boa obra do gênero para se iniciar nele, então comece por esse. Branca de Neve Tem Que Morrer não apenas me agradou, como também me surpreendeu. Leiam!



Observação: Caso haja dúvidas do porquê do título, o livro não está relacionado com o conto de Branca de Neve. Na história, “Branca de Neve” é o apelido de uma das garotas desaparecidas e há um motivo para esse ser o título da obra. Aliás, a editora manteve o original. 
 
 




Deixe o seu comentário

13 Respostas para "[Resenha] Branca de Neve Tem Que Morrer – Nele Neuhaus"

Lili - 05, dezembro 2012 às (16:32)

Sim! Sim! Sim!
Sou leitora de policias! Eu lerei o livro! Quero me surpreender!

Realmente o livro conseguiu me empolgar com a capa, e que bom que logo trouxesse a resenha satisfatória!

É a isso que me refiro quando digo que o livro pode sim começar jogando as cartas na mesa, só não pode perder as cartas no meio do jogo.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Pah - 05, dezembro 2012 às (17:24)

Não creio. Sério que é bom assim gêmea? Olha o preconceito, levando em conta a sinopse e a capa do livro, achei que ele seguiria pelos caminhos da normalidade, tudo na linha do mediano. Mas que bom saber que é o contrário, bom ler livro que nos surpreendem, estou sentindo falta desses na minha pilha de leitura.

Beijos,

Pah – Livros & Fuxicos

Responder

Julia G - 05, dezembro 2012 às (17:35)

Mi, eu tenho que dizer que fugiria dessa capa como o diabo da cruz! rsrs Achei horrível. Mas já li algumas resenhas que falam muito bem do livro e estou começando a ficar curiosa. Adoro quando o autor consegue misturar suspense com um roteiro gostoso e empolgante, sem tornar tudo cansativo. Faz tempo que eu não leio um policial, mas acho que está na hora.

Beijos

Responder

Lucas Kammer Orsi - 05, dezembro 2012 às (19:52)

Já vi o livro na livraria, mas nunca me interessara… Depois da sua resenha, não posso deixar de dizer que fiquei com uma vontadezinha de ler!

Beijos,
Lucas
ondeviveafantasia.blogspot.com.br

P.S: Só uma perguntinha: por que Branca de Neve? Tem alguma referência ao conto?

Responder

Van Castro - 05, dezembro 2012 às (20:54)

O livro logo me chamou a atenção numa livraria por causa da capa, aí li a sinopse e achei bem interessante!
Que bom que ele não decepcionou!
Beijos

Responder

Danzinha - 05, dezembro 2012 às (22:48)

Oiie Mi,

Já havia lido uma resenha sobre este livro que também falava muito bem dele, mas agora que você disse o quão cativante ele é fiquei ainda mais curiosa em relação a leitura, só li um livro policial até o momento – que foi incrivelmente bom diga-se de passagem – e pretendo dar continuidade ao gênero, este livro parece ser ótimo para recomeçar.

Beijos

Responder

Vanessa Grandin - 06, dezembro 2012 às (11:26)

Adoro livros policiais……desde Agatha Christie, James Patterson, Harlan Coben …é sempre bom lermos de outros autores…..
Se fosse pela capa e pelo título eu jamais leria…nada me chamou a atenção…mas a sua resenha mostra que vale a pena a leitura!

Responder

JennyCullen - 06, dezembro 2012 às (21:06)

Já tinha ouvido falar desse livro,pensei até se tratar de um conto distorcido da Branca de Neve. Ler que é um romance policial é surpreendente.
Aliás,faz tempo que não leio nenhum livro policial,e fiquei curiosa em relação a este. A capa é bem sinistra,e eu adorei. A história também,parece ser empolgante. Amei sua resenha,Mi!

Beijooss,
Jennifer♥

Responder

Tahis - 07, dezembro 2012 às (00:04)

Olá Aione!

Tinha visto uma caixinha do correio, onde você mostrou esse livro, e eu fiquei bem curiosa para ler! Fiquei mais ainda, depois da sua resenha, nem passava pela minha cabeça ser um suspense policial, sou super fã do gênero, adorei a capa! Fiquei pensando se teria alguma coisa a ver com a história de Branca de Neve, mas depois da nota em baixo, senti um alivio! Não sou muito fã de mudanças com histórias já prontas!
Parabéns pela resenha, flor!

Beijão
http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

Responder

Renata e Andrea - 08, dezembro 2012 às (03:04)

Nossa, que legal!! Já tinha visto o livro, mas pela capa e título achei que tinha algo a ver com branca de neve..rs Bom, já que gostou tanto vou ler, pois adoro suspense policial.
Adorei o blog.
bjs
Renata
http://serieslivroseafins.blogspot.com.br/

Responder

Anonymous - 14, maio 2013 às (04:15)

eu irei ler minha prima leu e adorou e depois do q li asima eu fiquei mais interesada aindo no livro se tiver o fiume vou assisti com tosa sertesa

Responder

Mariana FS - 16, julho 2013 às (18:50)

Mi!
Como é que eu não conhecia esse livro? Estou indignada comigo mesma, hehe. Já tinha ouvido falar, mas acho que nem li a sinopse (evidentemente fui enganada pelo título), quer dizer, acho não, tenho certeza, porque se tivesse lido tinha ficado doida para conferir.
Adorei essas histórias simultâneas. Realmente é o tipo de coisa que confunde um pouco no início, mas sendo bem desenvolvida (como parece ter sido o caso) acrescenta muito porque além de a trama se tornar mais ampla, também faz o leitor devorar o livro em busca de todas essas respostas e conexões.
Nomes alemães devem ser confusos mesmo. Eu tive o mesmo problema com “Garganta Vermelha” do Jo Nesbo (que é Norueguês). Além dos nomes serem difíceis, alguns eram parecidos, então a confusão foi grande, hehe.
Adorei a resenha e a dica 🙂
Beijos

Responder

Amanda Trindade - 10, dezembro 2013 às (00:02)

Olá,
tem um ano que comprei esse livro e ainda não li, apesar de gostar de romances desse tipo, mas acabei me interessando por outros livros, e deixando este de lado. 😛 Gostei muito de sua resenha e decidi ler o livro, tomara q eu tb goste, pois pelo q vc falou, esse é um livro que vale à pena! 😀
Abraços e boas leituras!!!

http://amandatrindadepalavrasaovento.blogspot.com.br/

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil