[Resenha] Três Céus - Enderson Rafael | Minha Vida Literária
17

dez
2012

[Resenha] Três Céus – Enderson Rafael

Título: Três Céus
Autor: Enderson Rafael
Editora: Gutenberg
Número de Páginas: 459
Ano de Publicação: 2012
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

“Três Céus”, um romance nas alturas! O jovem comissário de voo Lucas Luchesi está de mal com a empresa e em busca do amor da sua vida. Já Patrícia Milano é a típica garota do interior que vê sua chance de ganhar o mundo tornando-se aeromoça na cidade grande. As preocupações do comandante Fernando Villas são bem outras: salvar seu casamento. Levando suas vidas a novecentos quilômetros por hora e doze mil metros do chão, estes três personagens se descobrirão numa rotina que só os aviões podem proporcionar, sem saber que seus destinos convergem para um encontro de tirar o fôlego!

Três Céus, como o próprio autor diz nos agradecimentos, é a fusão de duas paixões de Enderson Rafael: a literatura e a aviação, e isso está nítido em cada momento do livro.
Sua paixão pela literatura se faz perceber por sua escrita. A narrativa, em terceira pessoa, tende para o lado formal, entretanto não deixa de ser fluida em momento algum. Os diálogos, por outro lado, são representações do coloquialismo e, nem por isso, tornam-se artificiais. A mistura entre os dois diferentes tipos de linguagem poderia não dar certo, mas, aqui, coube perfeitamente ao caso – o que só acontece quando se tem certa familiaridade com as palavras e com a escrita.
A paixão pela aviação não se dá apenas por esse ser o cenário do enredo. Há diversas informações sobre o tema, muitas das quais eu não fazia ideia. Enderson procura explicá-las da melhor maneira possível ao leitor, frequentemente leigo, não apenas no glossário, ao final do livro, mas durante a própria história. Contudo, não é pela quantidade de informações sobre a aviação que fica clara sua paixão, mas sim pela defesa e pela admiração do autor pelas pessoas que dedicam suas vidas a esse ramo. Diversos mitos ou preconceitos são quebrados pelo fato de a história ser narrada pelo ponto de vista de três diferentes pessoas envolvidas com a aviação.
Enderson Rafael tem um tato para falar sobre pessoas, como diz o próprio comentário da Priscila Braga no verso do livro: “Três Céus pode ser para alguns um livro sobre aviação; para mim, é um livro sobre pessoas”. Por trás de cargos como Comissários, Copilotos ou Comandantes, ele apresenta ao leitor as pessoas que ocupam tais funções, bem como seus receios, anseios, sonhos, buscas e dificuldades – como ocorre com qualquer um de nós. Apesar de serem contadas as histórias desses três personagens, tive a sensação de que o autor poderia contar muitas outras além dessas, principalmente em uma das cenas finais, na qual, com apenas poucas linhas, são mostradas as visões de diferentes passageiros naquele momento. Passageiros que, mesmo sem terem um nome de conhecimento do leitor, têm uma vida.
O livro foi diferente do que eu esperava, mas, nem por isso, foi uma leitura ruim. Ao contrário, foi interessante, prazerosa e, principalmente, me envolveu. Senti que as personagens ficaram marcadas em mim, de alguma forma. Desde que finalizei a leitura, sempre que olho para os céus e vejo algum avião, não consigo não pensar em Três Céus e logo começo a imaginar todas as histórias possíveis dentro dele. Ainda, é inevitável não pensar em todo o trabalho para aquele avião estar ali, em toda a equipe e organização por trás daquela viagem.
O que posso dizer é que jamais enxergarei a aviação com os mesmos olhos. Três Céus me mostrou a real função de toda a equipe presente em cada voo e, mais do que isso, do quanto podem abrir mão de suas próprias vidas para darem o seu melhor para cada passageiro. Enderson, mais do que explicar cargos ou termos, apresentou vidas. Se antes eu já pretendia ler Todas As Estrelas do Céu, primeiro romance publicado do autor, agora é uma necessidade.




Deixe o seu comentário

13 Respostas para "[Resenha] Três Céus – Enderson Rafael"

Alexandre Koenig de Freitas - 17, dezembro 2012 às (15:00)

Oi Mi,
Gosto mto de aviação, e a capa do livro já tinha sido suficiente para despertar minha atenção.
A premissa do livro me pareceu bem interessante e inédita, pois não lembro de ter visto nada semelhante.
Acho legal quando o autor consegue mesclar diferentes tipos de linguagem. É algo que Jane Austen, a seu modo, faz com perfeição, e nunca encontrei outro autor que fizesse o mesmo.
Certamente lerei o livro.
Abraço,
Alê
alemdacontracapa.blogspot.com

Responder

Rennata Ferreira - 17, dezembro 2012 às (15:48)

há adoorei a resenha nao sou muito fan de aviação mas eu gostei da sua resenha e me interreseei apesar de parecer um romace lindo de se ler ne http://rennatamarquetto.blogspot.com.br/

Responder

Thamires R. - 17, dezembro 2012 às (18:59)

Oi Mi,
Me encantei pela sinopse. Acho que os melhores livros são aqueles que nos marcam, assim como seus personagens, pois é desses que você levará pela vida e se lembrará sempre. Sua resenha está ótima, parabéns!
Espero ter a oportunidade de ler este livro!
Beijos.

Responder

Julia G - 17, dezembro 2012 às (19:39)

Oi Mi,
Eu não fazia idéia da existência do livro, mas gostei da proposta dele. Apesar de ser algo bastante incomum e, aparentemente, um tanto tecnico, parece ter um fundo mais sensível, e com certeza seria algo que eu leria, mesmo que ainda não saiba exatamente o que esperar da história.

Beijos

Responder

Raquel Machado - 17, dezembro 2012 às (23:24)

Oi flor,
Então eu não conhecia essa história mas achei bem interessante principalmente pelo fato de ele colocar varias emoções e pelos personagens serem bem descritos…interessante esse esquema do avião também. Vou anotar e quero ver a resenha do proximo por aqui.
Bjsss
Raquel Machado
Leitura Kriativa
http://leiturakriativa.blogspot.com/

Responder

Preto no Branco - 18, dezembro 2012 às (02:15)

Oii Aionee!!
Gostei bastante da resenha, essa junção das paixões do autor chamou a minha atenção desde a primeira vez que li a respeito. É bem verdade o que voceê falou a respeito da mistura entre formalidade e coloquialismo geralmente não dá certo, então fiquei curiosa para saber qual a fórmula mágica usada pelo autor para fazer isso dar tão certo, rs.
Com certeza irei procurar mais a respeito do livro, para decidir se lerei, ou não, haha;
Beijo!

Responder

Planet Pink - 18, dezembro 2012 às (02:58)

Hey Mi!!
Acho essa capa lindaaa!! É ótimo quando o livro nos toca né? Fiquei meio assim de a história se aprofundar muito na função de cada profissional, será que não ficou um pouco chato?
Mas se você gostou, deve ser uma boa leitura sim,
o primeiro livro dele parece muito bom.

Beijos

Responder

Enderson Rafael - 18, dezembro 2012 às (03:22)

Oi, Aione, como te disse, fiquei muito feliz por você ter sentido lendo o mesmo que senti escrevendo. “Três Céus” é um livro sobre pessoas comuns que vivem um cotidiano extraordinário, e acho que é daí que vêm as melhores histórias. Um beijo imenso e obrigado pela excelente e carinhosa resenha! Depois que você tiver lido o “Todas as estrelas do céu” quero ver se você descobre o personagem lá que participa do “Três Céus”;-)

Responder

✿Nessa✿ - 18, dezembro 2012 às (11:38)

Oi Mi*
Nossa, fiquei mega curiosa com sua resenha!
O tema é diferente, mas muito interessante. Fiquei com vontade de ler mesmo, gosteii.
Bela resenha!!

Bjinhs*

Responder

Beatriz Gosmin - 18, dezembro 2012 às (16:14)

Já havia ouvido falar deste livro em algum lugar, porém não sabia sobre o que se tratava.
Adorei a resenha e acho que neste momento eu adoraria ler ele! Vou dar uma pesquisada para me informar melhor…

Bia | http://www.livroseatitudes.com.br

Responder

Lili - 20, dezembro 2012 às (10:56)

Eu tinha pulado esse post. Não sei porque não vi.
Eu curti a história e a resenha. E me empolguei em anotar para presente de várias pessoas que eu conheço ligadas a aviação (tipo, a família do Diego tem 2 aeronáuticos haha e meu cunahdo é controlador de vôo).

Esse será um presente com segundas intenções, ainda mais agora que não posso gastar pelos próximos meses.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Ceile - 22, dezembro 2012 às (17:49)

Oi, Mi!
Eu sou o contrário: como li Todas as Estrelas do Céu, fiquei louca por Três Céus.
Felizmente, ganhei na promoção da Babi Lorentz, mas ainda não comecei a ler.

Sinceramente, eu tenho medo dos termos e, por mais que vc tenha falado que flui, receio que eu me canse =/

Bem, mas só vou mesmo saber quando ler *-*

Beijos!

Responder

Eduarda Menezes - 25, dezembro 2012 às (19:01)

Oi, Mi!
Acho que o único outro livro que li com o tema aviação foi o Você Tem Meia Hora, da Camila Nascimento, que amei! Mas aquele tendia mais para o chick-lit e, pela resenha, achei que esse tende mais para o drama (ainda que mão tão dramático) ou tô enganada? rs
Eu gosto bastante do tema, ainda mais por ter trabalhado quase 3 anos com isso. Fiquei curiosa. Bem que eu podia ter comprado naquele dia na Bienal, né? haha Mas haverá outras oportunidades!
Gostei muito da resenha!
Beijão, querida! E um ótimo Natal para você e toda a sua família! ^^

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil