[Resenha] Amor Contra O Tempo - Myra McEntire | Minha Vida Literária
18

jan
2013

[Resenha] Amor Contra O Tempo – Myra McEntire

Título: Amor Contra O Tempo
Autor: Myra McEntire
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 368
Ano de Publicação: 2013
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Emerson Cole sempre achou que algo estava errado com ela. Quando passou a ver pessoas deslocadas da realidade – que eram, na verdade, projeções do passado – e que, ao tentar tocá-las, elas desapareciam como fumaça, Em teve certeza. E então vieram os remédios, a depressão, o colégio interno. Agora que seu período no internato chegou ao fim e ela está de volta ao lar, Emerson vê sua sensação de paz prestes a desmoronar. Alguns fantasmas não estão mais desaparecendo com um simples toque. E com a chegada de Michael Weaver, o consultor de uma misteriosa organização que promete ajudá-la a se libertar dessa condição, um simples toque poderá condicioná-la a algo ainda mais perigoso: a paixão.

Confesso que minha vontade de ler Amor Contra O Tempo surgiu da capa e do título. Sem conhecer os originais (em inglês, Hourglass, que significaampulheta”), fui levada pela ideia transmitida pela edição publicada pela Galera Record: a de que o romance é o centro da história. Embora o enredo tenha se mostrado diferente do imaginado por mim em um primeiro momento, ainda assim gostei do primeiro volume dessa série.
A começar pela narrativa de Myra McEntire, que mescla romance, drama, ficção científica e humor em frases impactantes, bem construídas e fluídas, capazes de envolver o leitor. Em muitos momentos, ficava admirando a beleza de algumas passagens para, logo em seguida, começar a rir com o humor ali inserido.
Como dito inicialmente, esperei por uma forte história romântica e não foi exatamente o que eu encontrei. Nesse primeiro volume, somos introduzidos à história e ao universo criado pela autora. Aqui, precisamos compreender o que são as visões de Emerson e, principalmente, o que é a Hourglass e para quê ela existe. Entretanto, não pensem que o romance é ausente. Aliás, ele é parte importantíssima na história e no desenrolar dos fatos.
Por esse ser o volume introdutório da série, achei o meio do livro um pouco lento por conta das muitas explicações e informações apresentadas, levando a uma diminuição do ritmo inicial, acelerado devido à curiosidade e ao mistério do que seria encontrado nas próximas páginas. Contudo, todas as informações cedidas são primordiais para a compreensão do enredo como um todo, que pode ser confuso caso a leitura seja feita sem a necessária atenção.
Outro fator que contribuiu para a desaceleração do meu ritmo de leitura no meio da história foi a sugestão de um início de um triângulo amoroso. Em minha opinião, se ele de fato for desenvolvido nos próximos livros, será desnecessariamente, a não ser que a autora tenha uma ideia genial e surpreendente para poder inseri-lo no contexto da história. Não que ele esteja solto nela, mas não vi grandes necessidades para que ele exista.
Embora eu tenha achado o meio do livro mais lento, o final veio para devolver todo o meu pique inicial em dobro. Foi impossível interromper a leitura nas últimas 70 páginas e o que achei ainda mais positivo foi o fato de não haver apenas um clímax final. Quando eu achei que a história voltaria a desacelerar para ser encerrada, fui pega de surpresa com mais um clímax, me fazendo finalizar a leitura empolgada e curiosíssima pela continuação.
O que é importante salientar aqui é o fato de a história ter começo, meio e fim, mesmo sendo o primeiro livro de uma série e deixando abertura para a continuação. Os principais mistérios e pontos da história são resolvidos nesse volume mesmo, então não me senti confusa, com a sensação de ter faltado algo para ser explicado.
Ressalto, também, que embora o título e a capa escolhidos pela Galera Record tenha me causado uma impressão diferente da história, acredito que tenham sido escolhas pertinentes, principalmente o título. A imagem da capa poderia ser próxima da original (ao final do post), mas o título perderia impacto se fosse, simplesmente, Ampulheta. Em inglês, o título é Hourglass tanto por conta de seu significado literal quanto por conta de esse ser o nome da Instituição na história onde o enredo será desenvolvido.
Para os fãs de um bom Young Adult, indico, sem dúvida, a leitura de Amor Contra O Tempo, principalmente se você gostar de histórias interessantes, temperadas com drama, ficção científica, humor e, claro, um romance literalmente eletrizante.
Capas originais dos dois primeiros volumes
Hourglass (Hourglass, #1)Timepiece (Hourglass, #2)




Deixe o seu comentário

20 Respostas para "[Resenha] Amor Contra O Tempo – Myra McEntire"

Amanda Faustino - 18, janeiro 2013 às (20:04)

Eu adoro essa capa… Tinha vontade de ler esse livro faz um tempo, desde que eu descobri ele no goodreads, mas não sei quando vou poder ler :/

Beijos,
Mandi – Book and Cupcake.

Responder

Brubs. - 18, janeiro 2013 às (20:07)

Assim como vc me interessei pelo livro por culpa da capa e da sinopse, porém não saiba que era um série, isso me desanimou e tbm por vc tido uma leitura lenta no meio do livro.Mas não deixar de querer ler o livro, pq essa é a primeira resenha que leio, vou pesquisá-lo mais 🙂
Beijos
Brubs
Livros de Cabeceira

Responder

Natália Alves - 18, janeiro 2013 às (21:30)

Eu acho a capa do livro linda e o enredo me chama bastante atenção, mas por se tratar de série prefiro não ler. :/

Achei a capa original bem mais bonita que a brasileira!

Beijo:*
Naty.

Responder

Stefani Goulart - 18, janeiro 2013 às (23:03)

A capa não me conquistou e num primeiro momento não tive interesse em ler o livro, mas aí vi resenhas tão positivas que não poderei deixar de ler!
Beeijos,
leitoraobsessiva.blogspot.com

Responder

Sammy - 18, janeiro 2013 às (23:08)

Gostei bastante da resenha, também pensei em algo bem diferente por conta da capa, e achei interessante o enredo, as capas apresentadas no final do post também são lindas =D

Bjs

daimaginacaoaescrita.com

Responder

Natalia Dantas - 18, janeiro 2013 às (23:52)

Olá, Aione!
Quanto tempo, hein?
Gostei bastante da sua resenha, a sinopse é bem legal. As capas originais são bem legais, prefiro elas do que essa do Brasil. ><‘

Abraços.
Entre Livros e Livros.
musicaselivros.blogspot.com

Responder

Rafael Fernandes - 19, janeiro 2013 às (11:48)

Oi Mih, estou com o livros em mão, não fazia ideia do que se tratava até ler sua resenha, eu também solicitei pela capa e título confesso que fiquei meio receoso de começar a leitura se fosse agora.
E gostei da parte que tem começo, meio e fim, também da parte que tem triângulo amoroso, quer dizer parece que tem, e também pela narrativa que não lhe foi confusa, já estou ansioso mesmo com receosidade. ^^
Beijos.

Rafa

Responder

Lucas Kammer Orsi - 19, janeiro 2013 às (14:20)

Oi Aione,
fiquei bem curioso pela leitura do livro. Parece ser um livro bem legal. Achei legal o fato de não ter apenas um clímax, já que quando estamos extasiados do primeiro, vem o segundo, e nos deixa aflitos para terminar a história. Confesso que gostei mais da capa brasileira, apesar de não ter nada a ver com o título, Ampulheta. Além disso, Amor contra o tempo foi um bom título, na minha opinião.

Com certeza estará na minha lista de desejos,

Lucas
ondeviveafantasia.blogspot.com.br

Responder

Miriam - 19, janeiro 2013 às (15:45)

Oi, Aione,

Acho que um livro com o nome de “Ampulheta” não chamaria muita atenção. A sinopse não me chamou atenção, mas tua resenha me fez querer conhecer o livro.

Beijo.

Livros, Bobagens e Guloseimas!

@Livrosbg

Responder

Vanessa - 19, janeiro 2013 às (16:33)

Se a história tem começo, meio e fim para que as autoras se decidem em fazer dela uma série? Não poderiam ser apenas um livro e pronto?
Eu amo esta capa, mas agora vendo as outras duas fiquei muito na dúvida de qual é a mais bonita…
Espero em 2013 conseguir ler este livro!!!

beijoksss

Van – Blog do Balaio

Responder

Ni Portela - 19, janeiro 2013 às (22:53)

Adorei! Principalmente por envolver tantas outras coisas além do romance. Mas essas capas originais são bem mais bonitas, se eu for comprar, vai ser em inglês <3

Responder

Eduarda Menezes - 20, janeiro 2013 às (04:00)

A capa brasileira é legal, mas achei as capas americanas mais originais e diferentes. Realmente passa a impressão de que o romance é o foco, algo do tipo A mulher do viajante no tempo, já as capas estrangeiras passam outra ideia, eu não pensaria em uma história puramente romântica olhando para ela e lendo o título Hourglass, e sim algo bem maior e mais abrangente, que é o que realmente o livro proporciona.
Apesar de ter gostado e achado interessante, acho que essa série eu vou passar, ao menos no momento. Estou com tantas séries inacabadas que prefiro evitar começar mais uma a não ser que seja extremamente necessário, ou seja, que a vontade seja enorme hehehe
Fora que estou correndo de triângulos amorosos, ou mesmo de insinuações deles.
Beijos, Mi!

Responder

Planet Pink - 20, janeiro 2013 às (17:06)

Essa capa é linda demais!!! <3
Não conhecia esse livro, mas fiquei intrigada com ele, acho que julgando só pela capa, eu não esperaria nada muito romântico mesmo e sim, mais pro drama.
Bom também ele ter começo, meio e fim, mesmo sendo livro de série, pois hoje em dia tá difícil achar um livro assim, “único”, tudo é trilogia ou séries =/

Beijos!

Responder

Sora Seishin - 20, janeiro 2013 às (18:12)

Oi Aione!
Também achei a capa e o título lindos… Ficaria estranho se chamasse “Ampulheta”.
Ainda bem que o final melhorou, já que o início estava bem lento. Fiquei com vontade de ler!

Beijos,
Sora – Meu Jardim de Livros

Responder

Marcelo Lima - 20, janeiro 2013 às (21:41)

eu comprei esse livro na pré venda , medo de ler ele agora depois da sua resenha , não ando com paciência nem tempo pra introduções . abandonei Hex Hall por esse motivo , o livro não é ruim , mas já estava na pagina 156 e NADA de relevante tinha acontecido , eu acho as capas originais mais bonitas rs , e fazia tempoo que eu queria ler esse livro então vou esperar que ele me chame hehe.

Responder

✿Nessa✿ - 21, janeiro 2013 às (12:21)

Oi Mi*
Eu tenho muita curiosidade em ler este livro, mas confesso que minha curiosidade é só por causa da capa que eu acho linda.
Mas comparando com as outras capa não tem nada a ver né. Nem me chamaria atenção uma capa dessas.
Agora eu não sei se leria ou não.

Bjinhs*
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

Responder

Lili - 21, janeiro 2013 às (17:07)

Eu não li, mas aos poucos fui me interessando durante a resenha.
Confesso que embora nossa capa seja linda, me pareceu que as capas de fora (lindissimas) combinaram melhor com a história.
Certo?

O problema dos triângulos é esse eterno achismo que crê que para ter um problema amoroso ou alguém tem que ser ‘badboy’ ou tem que ter um triângulo.
Poxa, todo mundo tem problemas diversos todos os dias nos relacionamentos por questões normais da vida.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Alinne - 22, janeiro 2013 às (18:00)

Oi Mi.
Acho essa capa linda e tenho muita vontade de ler esse livro.
Interessante é que com a sua resenha pude ver claramente do que se trata a história, pois eu estava completamente enganada a respeito disto rs. Gostei dos pontos que você citou e agora pretendo ler mesmo.
Beijos.

Responder

Julio - 22, janeiro 2013 às (21:07)

Estou muito empolgado pra ler esse livro, tenho ele em inglês mas ainda não tive tempo pra ler!
Não gostei da capa brasileira, nem do título…mas mesmo assim ainda to empolgado kkk
Fazia tempo que n passava por aqui! Adorei o layout
Beijos

Responder

Fe Fernanda - 29, janeiro 2016 às (14:25)

Que história linda

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil