[Livros Na Telona] A Irmandade das Calças Viajantes - Ann Brashares - Parte 2 | Minha Vida Literária
23

jan
2013

[Livros Na Telona] A Irmandade das Calças Viajantes – Ann Brashares – Parte 2

Livros Na Telona é uma coluna na qual analiso filmes que foram baseados em livros!
Esse post não contem spoilers de nenhum dos livros ou filmes da série.

Oi gente!
Como prometido, aqui está a segunda parte do post sobre A Irmandade das Calças Viajantes, lembrando que, na primeira parte, falei sobre o primeiro livro da série e o primeiro filme (veja aqui) e, agora, falarei dos outros três livros e o segundo filme, uma adaptação que mesclou esses três volumes.
Esse post, também, corresponde ao meu primeiro desafio cumprido do Desafio Realmente Desafiante de 2013.
Desafio #1: Ler um livro de um autor que tenha a mesma inicial que a sua
(#5 da lista de desafios propostos pela Clicia)
Sobre o Livro
As características citadas sobre a narrativa de Ann Brashares continuam presentes nesses outros volumes: há leveza e fluidez em sua escrita, ao mesmo tempo em que também há profundidade e intensidade. Os livros me envolveram tanto que li a série em quatro dias: um para cada volume.


O segundo verão da irmandade
O Segundo Verão da Irmandade, inicialmente, parecia não estar me agradando tanto quanto o primeiro em termos de desenvolvimento da história, até eu ser completamente arrebatada por ela. Enquanto o primeiro livro é sobre o amadurecimento, nesse a temática são os descobrimentos: as quatro amigas descobrem, conhecem e aprendem mais sobre si mesmas e sobre aquelas que as uniram – suas mães.

408 Páginas || Rocco || Skoob || Compare & Compre
Meninas de Calças
Meninas de Calças, por sua vez, é o começo daquilo que se concretiza, por completo, em Para Sempre de Azul: as mudanças. No terceiro livro, as mudanças estão na iminência de começarem e as garotas já estão conscientes disso. Ainda, é quando algumas precisam definir e correr atrás do que querem, enquanto outras pesam o que vale mais: um momento ou suas consequências. Talvez seja o livro da série que mais reúna passado, presente e futuro.


376 Páginas || Rocco || Skoob || Compare & Compre

Para sempre de azul
No último volume, as mudanças já aconteceram e, agora, as amigas precisam compreender não apenas a nova realidade, mas as coisas que mais valem à pena e que transcendem qualquer situação. 



384 Páginas || Rocco || Skoob || Compare & Compre

O interessante da série é que os livros sempre se passam no verão, ou seja, são separados por um período de um ano. Nos primeiros capítulos, já somos informados de tudo o que aconteceu nos meses entre cada livro e, muitas vezes, a situação no final de um é completamente diferente no início de outro, o que dá mais veracidade à história. Afinal, muito pode mudar no período de um ano.
Os livros realmente me surpreenderam. Fui preparada para uma leitura fofa e encontrei muito mais do que isso. Alguns momentos são muito intensos e verdadeiros, não tanto pelas situações em si, mas pelos sentimentos das quatro personagens. Essa é a chave da série: ela é muito mais sobre o que se passa por dentro das meninas ao invés do que acontece externamente, e isso só seria possível por meio de uma escrita tão sensível como a de Ann Brashares.
Não sei, ao certo, o quão profunda é ou não a série. Só sei que ela me envolveu por inteira, o que torna difícil olhar para ela de forma imparcial. Se achar que os livros podem te interessar, então dê uma chance. A probabilidade deles te agradarem, se você gosta de livros assim, é enorme.
Sobre o Filme
Para que três livros fossem condensados em um filme, mudanças certamente aconteceram, bem como fatos – muitos deles – foram omitidos.
Logo nas primeiras cenas, temos um resumo muitíssimo resumido dos dois anos que separaram o primeiro do segundo filme. Assim, temos flashes de acontecimentos tanto do segundo quanto do terceiro livro da série.
Contudo, o segundo filme não é composto apenas de fatos do último livro. Ainda que a base dele seja Para Sempre de Azul, acompanhamos acontecimentos tanto de O Segundo Verão da Irmandade quanto de Meninas de Calças, já que neles ocorreram importantes momentos da vida das quatro amigas.
Com tantos “remendos” na história, poderia parecer que o filme ficou sem sentido. Entretanto, o roteirista fez um excelente trabalho, deixando a história coesa, linear, com começo, meio e fim.
Antes de ler a série, eu havia gostado dessa adaptação e, mesmo agora, continuo gostando dela. Porém, diferentemente do primeiro filme, no qual o aprofundamento emocional da história foi mais compatível com o livro, achei que esse segundo ficou muito superficial se comparado aos três volumes, principalmente a história de Lena. Por mais que eu adore Alexis Bledel, acho que ela não conseguiu transmitir todo o peso de sua história  sem contar que, no próprio roteiro, ela foi suavizada e modificada.
Ainda, não gostei do fato de ter sido criado um conflito entre as amigas, inexistente na história original. Ele não ficou sem sentido na trama e nem foi de todo inventado, já que algo semelhante realmente acontece de forma mais branda em Para Sempre de Azul. Contudo, embora eu tenha preferido à versão original, compreendo que esse conflito tenha sido importante para dar mais sentido ao filme.
Para os que assistiram ao primeiro filme e desejam ter uma leve ideia do que o futuro reservou para as quatro amigas, Quatro Amigas e um Jeans Viajante 2 dá uma boa noção, além de cumprir bem seu papel como entretenimento. Entretanto, recomendo fortemente que a leitura da série seja feita, já que no quesito emocional, os livros são muito mais completos do que aquilo representado nas telas.
Confira o trailer do filme!

 





Deixe o seu comentário

15 Respostas para "[Livros Na Telona] A Irmandade das Calças Viajantes – Ann Brashares – Parte 2"

Cíntia Ribeiro - 23, janeiro 2013 às (19:56)

Eu AMO essa série e amo os filmes também. Realmente, o segundo não é tão profundo, mas gosto do mesmo jeito. Amo a sensibilidade que a autora coloca em cada palavra, amo como as meninas são amigas mesmo sendo tão diferentes e o desenvolvimento delas a cada livro. Amo como ela não subestima as meninas, por elas serem adolescentes, e não as trata como se a única coisa que importa para pessoas dessa idade é ter um par para o baile de formatura. Eu sou dez anos mais velha do que elas no primeiro livro e, mesmo assim, consigo me identificar.

Nos filmes, acho que as atrizes escolhidas foram perfeitas para cada uma delas e quase dá pra acreditar que elas são amigas de verdade (nos extras de um dos DVDs elas falam que realmente se tornaram amigas com a convivência, achei super legal). Também adoro a fotografia (muitas cores, paisagens lindas) e a trilha sonora. Sou super fangirl de tudo o que se refere a essa série, como deve ter dado pra perceber.

Você já leu o quinto livro, lançado em 2011? Sisterhood Everlasting. (Até onde eu sei, não há previsão para lançamento no Brasil.) Conheço pouquíssimas pessoas que o leram e adoraria ter uma outra opinião, porque até hoje ele me deixa dividida. É tão bonito e bem escrito quanto os outros, só que eu não gostei do rumo dado à vida das meninas depois de dez anos.

Responder

Aione Simões 25 jan 2013

Oi Cintia!
A sensibilidade da autora também foi uma das coisas que mais me agradou na série. Eu também me identifiquei muito com as meninas em muitos aspectos!
Eu também achei as escolhas perfeitas, principalmente pra Bee. A própria Alexis eu achei perfeita pra Lena, só achei que a carga emocional da história dela é muito maior e, no filme, ficou mais suavizada. Também pode ter sido pelo fato de eu ter me envolvido demais com a história dela e ter sentido falta de mais no filme hehe
Eu não li esse último não! Aliás, eu lembrava de ter visto algum comentários sobre ele existir, então fui procurar se o “Nosso Último Verão”, o outro livro da autora lançado aqui, era esse e, como não era, desisti de procurar.
Bom saber, vou querer lê-lo! Quando eu fizer isso, aviso você da minha opinião. Só fiquei com medo do que vou encontrar nele hehe!
Beijos!

Responder

Cíntia Ribeiro 25 jan 2013

Oi!

Realmente, acho que a Lena precisaria de um filme só pra ela pra conseguir transmitir toda a carga emocional da personagem. Ela é muito intensa e complexa. As outras também são, só que de uma forma diferente, mais fácil de expressar, eu acho. Só não senti muita falta porque minhas histórias preferidas são da Tibby e da Bee.

É difícil comentar sobre o último livro sem dar spoilers, mas ele é muito intenso e muito melancólico, mais do que os anteriores. Já li Nosso Último Verão, não tem nada a ver com a irmandade, mas também é lindo, recomendo.

Beijos

Responder

Lili - 24, janeiro 2013 às (00:43)

Ahhhh eu quero que outubro chegue logo para eu ler. Era um série que eu não me empolgava, e acabei comprando porque estava em promoção e pensando que podia ser que eu achasse legalzinha.
Você modificou essa visão. Eu realmente estou ansiosa para me emocionar também :/

E a Rory, ops Alexis, mudando totalmente de assunto, é perfeita para o papel em 50 tons. Quero que você leia e me diga se não imagina ela ao menos nas primeiras páginas quando a própria personagem se descreve com sua pele branca, cabelos castanhos e olhos azuis grandes demais para o próprio rosto.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Lucas Kammer Orsi - 24, janeiro 2013 às (01:57)

Oi Aione, adorei a análise. Não li ela toda com medo de ter algum spoiler dos livros e dos filmes, já que não assisti ao segundo filme, nem li aos dois últimos livros, coisa que quero mudar urgentemente. Acho legal os livros que tratam de amadurecimento dos personagens, principalmente em séries. Tipo, ler o primeiro e o segundo, e ver que já ouve uma mudança de comportamento. Com certeza vou ler esse ano, já que tem na biblioteca aqui na cidade vizinha a que eu moro.

Beijos
Lucas
ondeviveafantasia.blogspot.com.br

Responder

Stéph - 24, janeiro 2013 às (15:36)

Amei o post, Mi. Estou muito curiosa para ler a série, só vi o primeiro filme e me apaixonei. Vou ver o segundo para ver minhas impressões e assim que puder, compro a série.
Achei estranho isso de misturarem três livros em um filme, deve ter ficado muito resumido mesmo, mas você disse que a roteirista fez um bom trabalho, então acredito.
Beijos!
http://vidadaleitora.blogspot.com.br/

Responder

Alinne - 24, janeiro 2013 às (16:44)

Oi Mi.
Amei o post.
Fiquei mais ansiosa para ler os livros. E quanto ao filme pretendo assistir o segundo, mas como faz bastante tempo que vi o primeiro, o melhor será assistir um após o outro.
Beijos.

Responder

Naah doida - 25, janeiro 2013 às (17:03)

Oi Mi,
eu nem conhecia essa série,
se eu soubesse que era tão legal tinha comprado quando estava em promoção, mas na hora nem liguei achei que era chato, pq o título não é muito legal,né? Kkkk
Agora eu quero muito!
Beijos.

Responder

Leandro de Lira - 25, janeiro 2013 às (18:33)

Oi Aione!
Eu tenho os 4 livros aqui, mas só li o primeiro. Eu curti bastante a leitura e estou louco para ler os outros. Sobre os filmes, eu já havia assistido ambos, bem antes de comprar e ler o primeiro livro. Apesar de que, após a leitura, achei o primeiro filme muito superficial em alguns momentos. Eu me senti bem envolvido e conectado com o livro, do que com o filme.
Enfim, adorei sua análise e vou passar na frente de outros livros “O Segundo Verão da Irmandade”. Não aguento mais a curiosidade. rsrs
Abraço!

“Palavras ao Vento…”
http://www.leandro-de-lira.com

Responder

Camila - 26, janeiro 2013 às (04:28)

Oi, Aione!
Já li os quatro livros da série e só lamento que eles custem o olho da cara. Na época peguei os livros emprestados com uma amiga e fico triste de não achar uma boa promoção para comprar uns exemplares para mim! hehehe
Eu li os livros e nem sabia sobre os filmes, até que, num belo dia, me deparei com o primeiro passando numa sessão da tarde! hehehehe
Beijos
Camis – Leitora Compulsiva

Responder

Pah - 28, janeiro 2013 às (15:43)

Oi gêmea, que post mais lindo! Semana passada vi o primeiro filme da tv (pela milionésima vez) e chorei feito uma boba! Gosto muito dos laços familiares presentes na trama, ainda mais ao ver o quanto as personagens amadurecem. Queria muito poder ler os livros, fiquei curiosa com essa onda de emoção presente na narrativa. Vou ficar de olho em uma promoção dos livros.

Beijos

Responder

Camila Costa - 29, janeiro 2013 às (01:22)

Não tem a magia do primeiro, mas adoro muito mesmo assim *-*
Aliás, esse filme que me fez ler Um Conto de Inverno do Willy Shaks HAHAHA
Preciso urgente ler o resto dos livros argh –‘
Beijos fofa ♥
http://blogcabelosaovento.blogspot.com.br

Responder

Julia G - 29, janeiro 2013 às (14:48)

Oi Mi, já tinha comentado em sua primeira análise que não tinha me encantado tanto pelo filme, o que me fez não ter tanta vontade de ler os livros. Mas estou mudando de idéia, ainda mais com essa paixão toda pela história que você consegue demonstrar com suas palavras. E eu não assisti ao segundo filme, então criei agora uma curiosidade extra de conhecer o que acontece com as garotas. Vou tentar ler os livros – quando eu puder comprar.

Beijos

Responder

Lucas Martins - 01, fevereiro 2013 às (02:46)

Como comentei na primeira parte, Mi, eu achei interessante os dramas internos e tal, tirando a parte mais divertida. Não são livros que eu vá correr atrás, mas se tiver a oportunidade até leio.
Beijão!

Responder

Becca Martins - 31, julho 2015 às (00:23)

Oi Mi,
Eu ainda não li nem o primeiro livro, mas já vi os filmes. Que a propósito eu gosto muito.
Então quero sim, ler os livros e fazer a minha comparação.
Se bem que eu vi os filmes há séculos atrás, então nem me lembro de nada, o que vai facilitar a minha leitura e impedir que seja entendiante.
Beijos!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil