[Resenha] O Inferno de Gabriel - Sylvain Reynard | Minha Vida Literária
24

jan
2013

[Resenha] O Inferno de Gabriel – Sylvain Reynard

Título: O Inferno de Gabriel
Autor: Sylvain Reynard
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 512
Ano de Publicação: 2013
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Enigmático e sexy, o Professor Gabriel Emerson é um especialista muito respeitado em Dante, mas à noite ele se dedica a uma vida desinibida na busca do prazer. Ele usa sua notória boa aparência e charme sofisticado para satisfazer seus caprichos, mas secretamente ele é um homem atormentado por seu passado sombrio, consumido pela crença profunda de que ele está além de toda esperança e redenção. Quando a doce e inocente Julia Mitchell se matricula como aluna de pós-graduação, a sua misteriosa atração por ela não só põe em risco sua carreira, mas o enviará a uma jornada em que o seu passado e seu presente colidem. Uma exploração intrigante e pecadora da sedução, amor proibido e redenção, “O Inferno de Gabriel” é uma história cativante e loucamente apaixonante, sobre como um homem consegue fugir de seu próprio inferno pessoal, enquanto ele tenta ganhar o impossível.

Com o sucesso crescente dos livros eróticos atualmente, é de se esperar vê-los serem lançados cada vez mais frequentemente. Sendo assim, enxerguei O Inferno de Gabriel dessa maneira: a aposta erótica da Editora Arqueiro.
Será inevitável o que direi a seguir, visto que tal comparação está presente inclusive nos próprios comentários divulgados pela editora dos que já leram o livro. Tendo sido 50 Tons de Cinza o grande impulsionador desse gênero, torna-se praticamente impossível não fazer nenhuma comparação. Apesar de não ter lido a obra de E.L. James, já vi comentários o suficiente para saber quais elementos estão presentes nela e será mentira se eu disser que não os encontrei no livro de Sylvain Reynard: um protagonista perturbado, milionário e misterioso, uma mocinha virginal e inocente, uma grande tensão sexual entre ambos. Porém, só me atrevo a comparar as obras até aqui.
Como já dito, o que eu esperava de O Inferno de Gabriel era um livro erótico e, portanto, carregado de cenas sexuais. Contudo, me arrisco a dizer que esse é muito mais sensual do que sexual, não apenas pela pouca quantidade dessas cenas presentes na história. Essa seria a primeira característica a diferenciar as duas obras citadas. Ainda, a própria relação entre Gabriel e Julia difere do que li sobre a maioria dos livros eróticos publicados: há uma grande história entre ambos e não apenas uma aproximação por conta da atração física. Temos, antes e acima de tudo, uma história de amor.
Dante e Beatriz, de Henry Holiday
A parte que mais me agradou foi a intensa e forte presença da história de Dante Alighieri e sua musa, Beatriz. Não apenas O Inferno de Gabriel é uma espécie de releitura de tal história como também a original é extremamente mencionada e analisada ao longo das páginas. Fiquei fascinada pelo casal e louca para ler A Divina Comédia, obra que imortalizou o autor, escrita após a morte de seu anjo de olhos castanhos.
Não apenas o livro é rico em informações sobre Dante e Beatriz como também na literatura, de um modo geral, e em obras de arte. Gabriel e Julia são muito cultos e isso refletiu diretamente na história de maneira positiva. A narrativa de Sylvain Reynard é fluida e simples, mas o conteúdo da história foi o que a enriqueceu. Não que o enredo seja completamente original e surpreendente, mas as diversas referências artísticas e históricas fizeram do livro mais rico.
Não bastasse o paralelo entre Dante e Beatriz e Gabriel e Julia, me deliciei com as metáforas utilizadas pelo autor, como o próprio nome do protagonista ser proveniente do nome de um anjo, do título fazer alusão à viagem de Dante ao Inferno em A Divina Comédia, além de um importante momento da história acontecer em meio a um pomar, próximo a uma macieira – árvore de cujo fruto Eva comeu.
Estava receosa quanto aos personagens. Não sei o quão disposta eu estava para encarar um protagonista instável e uma mocinha ingênua ao extremo e, confesso, em muitos momentos os frequentes pedidos de desculpas da parte dos dois me incomodou um pouco, além da excessiva timidez de Julia. Entretanto, até sobre isso me surpreendi. Ambos me pareceram muito palpáveis conforme conheci suas histórias. O passado dos dois contribuiu para serem como são – fato que me deixou curiosa desde o início, já que são dados indícios desses mistérios logo nas primeiras páginas -, e, ao contrário do que eu supunha, o relacionamento entre eles tende para que seja desperto o melhor entre eles e não para algo doentio. Como dito, essa é uma história de amor. É, também, uma história de redenção.
Por fim, gostaria de comentar sobre as informações contidas no verso sobre Sylvain Reynard. Pouco foi divulgado sobre o autor, inclusive se o pseudônimo Sylvain Reynard pertence a um homem ou a uma mulher. Sabe-se ser canadense – cenário de O Inferno de Gabriel -, já ter escrito livros de não ficção e ser amigo de E. L. James – o que justifica as semelhanças encontradas em suas respectivas obras. Também, o autor foi inspirado pela comunidade de fan fiction de Crepúsculo, da mesma forma que E. L. James, e muito do que há entre Edward e Bella pode ser também encontrado em Gabriel e Julia: o fato dele ser extremamente protetor em relação a ela, de não se considerar digno para ela, sua riqueza, sua beleza física. Sobre ela, o fato de ter uma baixa auto-estima, de sua pureza contrastar com a “maldade” dele, de sua beleza ser ao mesmo tempo comum e estonteante.
Em poucas palavras, embora o enredo não seja de todo original, o livro me surpreendeu por ser diferente do que eu imaginava e me agradou por ter me envolvido tão completamente com a história. Não me senti arrebatada ou extremamente emocionada, mas consegui me conectar ao enredo e às personagens de maneira mais do que satisfatória. Essa poderia ser uma obra única, mas é apenas o primeiro volume de uma trilogia, sendo que sua continuação – O Julgamento de Gabriel – será lançado em julho pela Editora Arqueiro e já estou curiosa para acompanhar o desenvolvimento da história de Gabriel e Julia. Se você procura por um livro sensual, onde a relação sexual é fruto do amor – e não o contrário -, então aguarde ansiosamente por fevereiro e o lançamento de O Inferno de Gabriel.




Deixe o seu comentário

24 Respostas para "[Resenha] O Inferno de Gabriel – Sylvain Reynard"

Lili - 24, janeiro 2013 às (17:13)

Nossa, eu não imaginava um livro erótico, e nem nada do que você mostrou, Mi.
Eu li a adaptação de A divina comédia para a escola na sexta série e adorei. Aí investi em ler o original. Claro que com mais dificuldade, até pela minha idade, mas senti igual satisfação.
Deste modo, obras relacionadas a ele são bem vindas.

Fiquei bem curiosa em saber como foi explorado o livro.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Lucas Kammer Orsi - 24, janeiro 2013 às (17:14)

Nossa, fiquei com muita vontade de ler o livro.. Já tinha visto a notícia do lançamento algum tempo, e me chamou a atenção.. Agora, depois da sua resenha, quero ler o quanto antes. Um dos motivos que percebi que me chamou a atenção no livro é que temos uma história de amor envolvida, não apenas uma série de cenas eróticas, o que acontece em 50 tons. Realmente há um sentimento de afeto e carinho que envolve o casal. Além disso, esse pano de fundo histórico que envolve Dante e sua musa Beatriz me deixaram bastante curioso pela leitura da obra. O ruim é que tenha que esperar até fevereiro para o livro sair.

Beijos
Lucas
ondeviveafantasia.blogspot.com.br

Responder

Eduarda Menezes - 24, janeiro 2013 às (17:20)

Oi Mi!
Pode até não ser original, mas pelo visto há algo diferente na história, que a faz sobressair em meio as demais. Fiquei curiosa e como já tinha solicitado o livro, estou feliz por agora ter quase certeza de que não vou me decepcionar.
Adorei saber que não é apenas mais um erótico, que possui uma história sólida, até levemente histórica já que faz alusão ao Dante Alighieri (já imaginava que fazia pelo título, mas não tanto) e a outras obras do mundo artístico.
Não sabia que esse livro era outro desses influenciados pela onda da E. L. James (por fora), nem que o autor(a) é amigo da James, mas é bom saber que, pelo menos, não caiu na mesmice. Só não gostei de saber que é uma trilogia. Os autores hoje em dia teimam em fazer trilogia ou série de tudo.
Beijos!

Responder

Ane - 24, janeiro 2013 às (17:29)

Oláa! Uaaaau, que resenha heim, fiquei sem palavras. Está muito bem feita e estou novamente sem palavras. O livro deve ser muito interessante. Confesso que não li a Divina comédia e saber que o livro está cheio de menções à ele, me deixa ainda mais curiosa.

Amei sua resenha e o livro já foi para minha listinha de desejados *.*
http://estoulendoo.blogspot.com.br/

Responder

Carissa Vieira - 24, janeiro 2013 às (17:53)

Desde que recebi o release da Arqueiro fiquei interessada.
Engraçado que pensei no Inferno de dante quando li o título, mas achei que não tinha muito a ver. Bom saber que o livro tem certa profundidade.

Fiquei com mais vontade de ler agora.

Beijos,

Carissa
http://artearoundtheworld.blogspot.com

Responder

Thais Priscilla - 24, janeiro 2013 às (19:57)

Estou querendo ler esse livro.
Já li Cinquenta tons e sei que terá, como você mesa falou, várias semelhanças mas ainda assim quero ler.

Beijinhos,
Thais Priscilla
http://thaypriscilla.blogspot.com

Responder

Natália Alves - 24, janeiro 2013 às (20:29)

Com tantos livros do gênero por aí é realmente difícil encontrar uma história mais original. Achei legal o fato do livro ter referências a outras obras. Adorei a resenha (:

Beijo;*
Naty.

Responder

✿Nessa✿ - 25, janeiro 2013 às (11:45)

Oi Mi*
Nossa, o livro parece ser bom mesmo, é a primeira resenha que eu leio.
Gostei disso que vc falou : “Se você procura por um livro sensual, onde a relação sexual é fruto do amor – e não o contrário…”
Ultimamente os lviros hot são ao contrário mesmo e isso me incomoda um pouco, principalmente os livros da Bella Andre, os casais só pensam em sexo e dali brota o amor, sei lá.
Estou lendo agora “Por um momento apenas”, estou gostando mais do que o “Um olhar de amor”, mas ainda pensam mais no sexo e prazer, do que no próprio amor e paixão.

Bjinhs*

Responder

Leandro de Lira - 25, janeiro 2013 às (18:40)

Oi Aione!
Agora estou mais tranquilo sobre a leitura desse livro. Eu já li “50 Tons de Cinza” e não gostei. Achei a história fraca, mal escrita e até tosca. Percebi que, mesmo com um enredo não muito original, o livro possui uma boa história. E os elementos literários presentes tendem a enriquecer ainda mais.
Enfim, adorei a resenha e quero muito lê-lo. (:
Abraço!

“Palavras ao Vento…”
http://www.leandro-de-lira.com

Responder

Kéziah Raiol - 25, janeiro 2013 às (20:01)

Nossa, que resenha hein :O
Fiquei maluca pra ler esse livro, ainda mais por ele abordar um lado mais sensual que sexual, eu acho mais legal de se ler.
E fora o fato de Divina comédia estar em “alta” no livro *-*
Como não gostei muito de Cinquenta tons, por causa da ausência de história, e tudo muito voltado para o lado sexual, creio que vou adorar esse.

Beijocas, flor.

Responder

Raquel Machado - 25, janeiro 2013 às (20:31)

Oi Mi,
Tudo bom??? Quanto tempo??? Pois então a minha vida anda assim uma zona total…voltei de férias semana passada e estou passando por uma fase de mudanças profissionais então tá bem complicado mesmo…mas decidi hoje vir visitar os amigos…e menina tenho que te dizer uma coisa curiosa acredita que sonhei contigo hoje de noite….tipo uma loucura isso porque afinal nem nos conhecemos pessoalmente ne…huahua…mas achei interessante lembro só que tinha te encontrado na praia e queria te mostrar minha estante de livros e tu me convidou para ir para SP algum dia…veja só a loucura….kkkk…enfim…falando do que interessa sobre a resenha não conhecia esse titulo porque sim ando meio desantenada de tudo que anda acontecendo sim to perdidona mas faz parte, achei interessante principalmente por vc ressaltar que tem uma historia por tras dos personagens e não ser somente pegação como os 50tons isso me chama bastante atenção vou ver se pesquiso mais sobre a obra e quem sabe consigo ler ela ne? Enfim deixa te pedir mais uma coisa sobre os textos que te mandei chegaste a ver algo? E um recadinho basico que saiu o resultado da historia que postei la no blog mes passado e tipo esta bem engraçada quando quiser conferir. Prometo tentar não ficar mais longe.
BjSSS
Raquel Machado
Leitura Kriativa
http://leiturakriativa.blogspot.com/

Responder

Alessandra Helena - 25, janeiro 2013 às (20:36)

Adoro quando o livro contém elementos literários clássicos e históricos! Sempre vejo isso como uma forma de enriquecer intelectualmente ainda mais o leitor! Amei que a história não fica focada só na parte sexual da coisa toda, pois isso torna o enredo menos cansativo, ao invés de ficar só na parte erótica! Enfim, tua resenha me deixou muito curiosa pra ler O Inferno de Gabriel!

OBS.: obrigada pelo elogio, Mi!! Dé e eu agradecemos hsuahsua

Beijãoo
Ale
Introducing you a Book

Responder

Rafael Fernandes - 26, janeiro 2013 às (16:51)

Oi Mih,

Essa onda de literatura erótica não me pegou, sou mais romances de banca mesmo, não sei se tem muita ligação, mas…
Ainda bem que tem suas diferenças em relação ao famosérrimo 50 Tons de Cinza, que não tenho nenhuma vontade de ler, mesmo assim fiquei curioso pra ler, só pra ver a narrativa pela qual te encantou e também pela comparação com o livro do Dante.

Beijos,
Rafa

Responder

Anonymous - 26, janeiro 2013 às (19:31)

Só por algumas palavras suas eu acho que é melhor que os 50 tons pelo fato da profundidade , quero ler , espero que a arqueiro me envie ! – Marcelo Lima.

Responder

Pah - 28, janeiro 2013 às (15:38)

Oi gêmea, que resenha linda! Fiquei curiosa com a profundidade da trama, as citações históricas e as comparações da obra com A divina comédia. Gosto muito disso, ainda mais como uma amante de história. É bom saber que o livro segue a linha ‘adulta’ e não erótica, atualmente existem muitas confusões quanto a esse estilo, mas em todo caso, prefiro o sensual, pois gosto de me conectar emocionalmente com os personagens. Estou curiosa para saber mais sobre a relação ‘professor X aluna’ que temos nesse livro, sem contar que quero compreender logo as indiretas presentes no título 🙂

Beijokas, saudades de passar por aqui

Responder

Lucas Martins - 01, fevereiro 2013 às (02:46)

Acho que na primeira vez que eu vi ele eu fiquei meio emocionado, mas, não sei porque, agora não me interessou tanto. E essa onda erótica meio que me enjoou, mesmo sabendo que esse não é erótico, só contem cenas e tal.
Enfim, beijão, Mi!

Responder

Morrighan - 07, fevereiro 2013 às (22:04)

Viva!
Estava a pesquisar sobre este livro e encontrei a tua opinião. Gostei bastante, está muito boa.
Eu sou uma blogger portuguesa que também escreve algumas opiniões. Se quiseres passar por lá és muito bem vinda! O blog é http://branmorrighan.blogspot.com
Beijinho!

Responder

Thaís Malheiros - 13, fevereiro 2013 às (23:28)

Mi, estou acabando de ler O Inferno de Gabriel e estou ansiosíssima para ler a sequência que é O Julgamento de Gabriel. Jura que só será lançado em julho?
Por favor preciso saber, pois estou muito ansiosa…

Obrigada! Beijos! Thaís

Responder

Aione Simões 14 fev 2013

Oi Thaís!
Infelizmente, é isso mesmo! Teremos que esperar até julho!
Se você ler em inglês, pode procurar o ebook para comprar (ou a versão física mesmo na Amazon e Book Depository), porque o livro já foi lançado lá fora 🙂
Beijos!

Responder

Thaís Malheiros 16 fev 2013

É o jeito é aguardar então…

Muito obrigada! Beijos!

Thaís

Responder

EMANUELA BARRETO - 09, abril 2013 às (19:33)

mi o terceiro livro já foi lançado? bjs

Responder

Aione Simões 09 abr 2013

Ainda não, flor =/
Beijos!

Responder

Aline Rodrigues - 27, maio 2013 às (16:04)

eu gostei do livro porem não me animei e nem estou ansiosa pelo próximo =/

Responder

Natalia - 27, abril 2016 às (11:04)

O que chama a atenção de uma pessoa para um livro primeiro de tudo é a capa mesmo sabendo que não se deve julgar pela capa. Mais o livro me chamou atenção além da capa, o título que já chama para si bastante julgamento, logo em seguida li a sinopse e foi o que me deixou entrigada a levar pra casa e ler. Já li o livro e estou relendo, gosto da história de amor que há nos personagens de como é narrada, de como o autor misturou a literatura de Dante com os personagens.. simplesmente perfeito e apaixonante.

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil