[Resenha] Não Diga Uma Palavra! - Jennifer McMahon | Minha Vida Literária
22

mar
2013

[Resenha] Não Diga Uma Palavra! – Jennifer McMahon

Título: Não Diga Uma Palavra!
Autor: Jennifer McMahon
Editora: Jangada
Número de Páginas: 408
Ano de Publicação: 2013
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Em uma agradável noite de verão em Vermont, Lisa, uma menina de 12 anos de idade, vai até o bosque atrás de sua casa e nunca mais volta de lá. Antes de desaparecer, ela conta ao seu irmão mais novo, Sam, sobre uma passagem que dá para um lugar mágico, onde irá se encontrar com o Rei das Fadas e tornar-se a sua rainha. Quinze anos depois, Phoebe está apaixonada por Sam, um homem prático e ajuizado que não teme o escuro, nem tem pesadelos – o que, na verdade, ajuda Phoebe a ignorar os dela. Mas, de repente, o casal se depara com uma série de estranhas e inexplicáveis ocorrências que desafiam a visão de mundo sensata e pragmática de Sam. À medida que são levados a questionar a própria realidade, uma terrível promessa feita por Sam anos antes é revelada – uma promessa que pode destruir a todos eles.

Comecei a leitura de Não Diga Uma Palavra! sem saber, ao certo, a temática do livro. Pelo comentário que li na capa sobre esse ser um thriller assustador e o pouco que li superficialmente da sinopse, cogitei ser um policial. Estava enganada.

A trama se desenvolve mesclando acontecimentos passados e presentes, intercalando os capítulos segundo essas visões em uma tentativa de descobrir o real motivo para o desaparecimento de Lisa. Nos atuais, o enredo é contado em terceira pessoa pelo ponto de vista de Phoebe, atual namorada de Sam, irmão mais novo de Lisa; já os demais, pela visão de Lisa, também em terceira pessoa. As duas visões fornecem aos poucos pistas para que toda a história seja compreendida, mas isso só se torna realmente possível nos capítulos finais.
O primeiro ponto que chamou minha atenção foi o fato de o livro não ser um thrillercomum, mas de mesclar nele a fantasia. Lisa era aficionada por conhecer o Rei das Fadas, alegando, inclusive, ter recebido dele O Livro das Fadas, no qual os segredos desse mundo mágico e sombrio são revelados. Teria Lisa partido para esse mundo ou sido sequestrada por alguém completamente humano e perigoso que se utilizou do artifício da fantasia para atraí-la até o bosque? Dessa maneira, toda a história se baseia no paralelo fantasia/realidade, questionando o sentido dessa última: seria ela aquilo que existe ou aquilo em que acreditamos? Aliás, a condição para algo existir não depende de se acreditar nisso? Seria, talvez, a realidade algo além do que conhecemos?
Infelizmente, o livro não funcionou para mim. Não posso negar, passei a leitura inteira curiosa pelo desfecho, mas a promessa de que a solução estaria ligada ao sobrenatural acabou por me desanimar por não conseguir me envolver na trama. Eu sentia curiosidade, mas não sentia aquela angústia em precisar ler, não compartilhava das sensações das personagens. Há diversos momentos sombrios na história, que contribuiriam para um bom filme de terror, mas nem eles me afetavam. Meu envolvimento melhorou nas últimas 100 páginas, quando as evidências são intensificadas e parecem se tornar ainda mais misteriosas antes de, enfim, serem esclarecidas por completo.
Depois, a trama me soou forçada em alguns momentos, como se houvesse uma preocupação excessiva em criar o suspense. A autora foi sim bem sucedida, principalmente se levado em conta que só consegui entender a situação por completo quando ela foi revelada, mas tive a sensação de isso ter acontecido, em partes, mais pelo fato de o enredo beirar o confuso do que pelo suspense em si. O final, também, conta com diversas reviravoltas, e acabei me sentindo inconformada com uma delas, simplesmente por aquilo ter soado absurdo demais para mim.
Em minha opinião, houve um excesso de preocupação em criar um enredo complexo, bem desenvolvido e extremamente misterioso, o que acabou resultando em algo confuso e pouco convincente. Não nego, o livro é sim interessante, mas talvez tenha me decepcionado por eu ter criado uma expectativa inicial diferente sobre ele.
De qualquer maneira, ainda que eu tenha me envolvido pouco e não tenha me convencido da história, o suspense conseguiu manter minha atenção e minha curiosidade e o livro pode muito bem agradar outras pessoas, principalmente as que têm um gosto mais inclinado para o sobrenatural. Há um comentário bem positivo de Chevy Stevens, autora de Identidade Roubada e É Melhor Não Saber, na contra capa do livro. Considerando que amei seus livros, sua opinião certamente merece ser levada em conta.




Deixe o seu comentário

23 Respostas para "[Resenha] Não Diga Uma Palavra! – Jennifer McMahon"

Catavento de ideias - 22, Março 2013 às (17:19)

OI MI!

Primeiro: Essa capa é muito muito muito ruim, caramba. kkk
Se você tivesse colocado no começo da resenha sobre o comentário da Chevy eu teria ficado super hiper animada pela história. Mas agora que conferi suas impressões mesmo a autora ter curtido não me anima. A história soou mesmo confusa. Não fez o meu estilo!

Super beijo Mi!
Brenda Lorrainy
cataventodeideias.com

Responder

Alinne - 22, Março 2013 às (18:32)

Oi Mi.
Apesar de gostar de thrillers, tenho receio em ler esse livro.Imagino que deve ser um pouco confuso e o fato de ser extremamente misterioso me desanima, por isso esse eu vou passar.
Beijos.

Responder

Lili - 22, Março 2013 às (18:58)

Não funcionou pra ti e acho que não funcionaria pra mim. Não curti a capa, não curti a sinopse e o que demonstrasse do desenrolar da história. Pra mim já estragou com essa coisa de fada no meio da história que me pareceu destoar.

Enfiem, já iria ler com 50 pés atrás e acho que não iria em agradar :/

liliescreve.blogspot.com

Responder

Manu Hitz - 22, Março 2013 às (21:52)

Acho que o grande problema em uma ótima história, muito intrincada e misteriosa no enredo, é justamente dar explicações que convençam o leitor e satisfaça as expectativas geradas… que pena que aqui o livro pecou!
Honestamente, quando o tema é fantasioso, nem pego pra ler. A não ser que uma dose de fantasia ligue a história e não seja tão surreal ao ponto de me tirar completamente da realidade.

Responder

Juliana Erdmann - 22, Março 2013 às (22:27)

amo thriller, mas juntar sobrenatural junto com o policial parece mesmo muito confuso.
otima resenha
beijo
http://melanciapink.blogspot.com.br/

Responder

Laura Zardo - 22, Março 2013 às (23:01)

Gostei da capa do livro, mesmo a menina sendo esquisita. Já a estória não me chamou NADA, absolutamente nada a atenção, eu não gosto muito deste gênero e juntar com o sobrenatural só piorou. Entendi a sua frustração e isso só me fez ter ainda menos vontade de ler este livro!

Responder

Lú Miranda - 22, Março 2013 às (23:16)

É tão chato quando se cria essa obrigação de querer criar suspense e não consegui, ainda bem qe ultimamente eu li livros bons e to rilex, mas mês passado li um que esbarrou na sua resenha, e claro, não rolou pra mim.

Super beijos, lindona!
clicandolivros.blogspot.com.br

Responder

Michelle - 23, Março 2013 às (00:06)

Oi Mi!
Que pena que você não curtiu, a sinopse parece ser tão interessante!
Confesso que não tinha visto nada sobre esse livro até agora, mas a história me chamou a atenção.
É chato quando um livro deixa a gente curiosa mas não realmente ansiosa pra saber o que vem a seguir, a leitura fica meio obrigatória.
Essa capa também não é das mais bonitas né?
Adorei sua resenha! (desculpa a ausência por aqui s2)
Beijinhos

Responder

Ana Paula Barreto - 23, Março 2013 às (00:06)

Nossa, esta capa é péssima!! Bem mal feita.
Não gostei muito da história. Na verdade, até estava animada lendo a introdução da resenha, mas quando você diz que mistura “realidade” com sobrenatural, aí pronto.. acabou meu interesse. E pelo visto a fórmula não deu tão certo!
bjs

Responder

Fabi Liberati - 23, Março 2013 às (12:55)

Oie Mi. Como todas ja falaram ai em cima, a capa é UÓ!!!! Sinceramente não me atraiu em nada.
Mas não vou desconsiderar a ideia de ler, eu gostei muito da sua resenha, apesar de eu achar meio confuso pra mim a parte que você disse que os capítulos intercalam entre passados e presentes. Bom eu vou tentar né, vai que eu gosto =D.
Beijos flor

Responder

cristiane - 23, Março 2013 às (16:22)

Já vi esse livro e confesso que não tive muita vontade de ler. O tema é meio batido, sei lá, quando vi não me interessei. Talvez algum dia leia, até que o livro acaba sendo bom.

Responder

Sofia - 23, Março 2013 às (17:04)

Oi Mi, acho essa capa muito feia, parece que não foi bem trabalhada… Apesar do livro ter te agradado um tanto, confesso que não é um livro que eu leria, claro, oportunidades dadas, porém, não é algo que me desperta atenção!

Beijãaaao!

Responder

Entre Fatos & Livros - 23, Março 2013 às (21:52)

Olá Aione!
A principio não é um livro que me chame mta atenção. Acho que não funcionaria mto comigo tb. Sabe de uma coisa? Acho que muitos autores pecam por querer forçar demais algo espetacular e acabam não atingindo o objetivo, deixando o enredo cansativo e incompleto. Já li tantos livros simples mas com histórias tão marcantes que ultimamente eu tenho preferido essa simplicidade, sabe…

BjoO
Pri
Entre Fatos e Livros

Responder

Vanessa Llona - 24, Março 2013 às (00:33)

O livro não me animou não, não sou chegada a thriller, mas abro exceção para os que parecem ser muito bons, mas esse não foi um deles, e achei a capa bem sem graça.

Responder

Sora Seishin - 24, Março 2013 às (13:27)

Oi Aione!
Acho que não compraria esse livro só pela capa, achei tão feinha.
Mas lendo sua resenha já percebi que também não iria gostar da história.

Beijos,
Sora – Meu Jardim de Livros

Responder

Amanda.. - 24, Março 2013 às (15:14)

Não me chamou muito minha atenção não..
tendo em vista os vários livros que quero ler..
esse deixarei passar..

Responder

Gladys Sena - 24, Março 2013 às (22:11)

É a segunda resenha que leio desse livro e o ponto de vista coincidiram, 😉
Gosto de temáticas com suspense, mistério, mas quando mistura fantasia não curto… gosto é gosto né!

Bjo!

Responder

Natália Alves - 25, Março 2013 às (13:16)

A capa do livro é bem estranha e não fiquei muito interessada em conhecer melhor o livro. Ótima resenha!

Beijo:*
Naty.

Responder

Julia G - 26, Março 2013 às (12:23)

Mi, eu também achei que era um suspense, levando em conta o título. Mas a imagem da capa não pareceu tanto assim, imaginei mais uma comédia, crítica, sei lá. Eu até gosto de sobrenatural, mas não me animo muito em ler esse.

Beijos

Responder

Ademar Júnior - 26, Março 2013 às (13:59)

Oi Mi, eu tinha comentado no vídeo em que você falou desse livro que a capa dele era horrível e que mesmo assim tinha me interessado por ele pelo fato de ser um thriller. Mas depois da sua resenha acho que ele vai ficar de fora da minha lista (infinita) de leituras mesmo.
Beijos

Responder

Eduarda Menezes - 28, Março 2013 às (05:45)

Oi Mi!
Quando comecei a ler a resenha até me interessei, mas depois quando você disse que não foi tão satisfatório e que pareceu um pouco forçado, arrefeceu um pouco a minha curiosidade. Confio na sua opinião (tudo bem que nem sempre temos as mesmas, já que eu adoro IAN por exemplo, e você nem tanto rs), mas ultimamente prefiro escolher apenas o que quero muito ler; com tantos livros excelentes, prefiro deixar de lado um mediano.
A resenha está ótima!
Ah, e eu só pular a do Enigma da Borboleta porque também pedi esse livro à LeYa e quando estou prestes a ler um livro prefiro me abster de toda e qualquer opinião rs Mas depois que fizer a leitura volto pra ler 😀
Beijos!

Responder

Lucas Martins - 29, Março 2013 às (20:02)

É, Mi, eu vi a capa e já odiei o livro, hahahahah Então você fala que a autora peca em forçar um suspense.. Não quero ler não. Tem taaanto thriller elogiado (os da Chevy mesmo) que eu quero ler..
Beijão!

Responder

Jessica Lisboa - 31, Março 2013 às (23:20)

Serio esse livro nao me despertou nenhum interesse desde a epoca de seu lançamento eu nao curti ele, mesmo que o livro seja um triller eu nao curti ele ;/

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por