[Livros na Telona] O Diário de Bridget Jones - Helen Fielding | Minha Vida Literária
17

abr
2013

[Livros na Telona] O Diário de Bridget Jones – Helen Fielding

Livros Na Telona é uma coluna na qual analiso filmes que foram baseados em livros!

Sobre o Livro

Título: O Diário de Bridget Jones
Autor: Helen Fielding
Editora: Record
Número de Páginas: 320
Ano de Publicação: 1998
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Considerando que os chick-lits estão entre meus gêneros literários favoritos, é uma vergonha que eu apenas tenha lido O Diário de Bridget Jones agora. Contudo, é válida a máxima “Antes tarde do que nunca”.
Bridget Jones já passou dos trinta anos, não é casada e, através do seu diário, acompanhamos um ano de sua vida, no qual ela se esforça para perder peso, parar de fumar e encontrar um namorado.
Os pensamentos de Bridget são hilários e irônicos ao mesmo tempo em que assumem um tom sutilmente melancólico, próprio de sua personalidade e do seu desgosto com alguns momentos e situações de sua vida. Bridget é quem faz do livro cômico por conta da maneira com que narra para o leitor os acontecimentos pelos quais passa.
O Diário de Bridget Jones é uma releitura moderna de Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, e foi ótimo poder acompanhar a história notando as semelhanças entre elas, não apenas com relação aos sentimentos iniciais entre Bridget e Mark Darcy, cujo sobrenome torna impossível não pensar no Mr. Darcy original. Muitas situações importantes no enredo são claramente inspiradas no clássico de Austen, bem como as personalidades das próprias personagens. Elizabeth Bannet é uma personagem marcante por conta dos seus ideais, principalmente por se opor à ideia da mulher com a mera função de esposa, algo radical para a sociedade britânica da época. Bridget, por sua vez, constantemente se vê encarando circunstâncias nas quais é questionada por ainda não estar casada, sendo criticada por investir em sua carreira profissional enquanto corre o tempo de seu “relógio biológico”. Tal paralelo também acontece entre Mark e Mr. Darcy, ambos donos de uma aparente arrogância que escondem sua generosidade, e entre Daniel e Mr. Wickham, cujos carismas mascaram seus caracteres.
De um modo geral, O Diário de Bridget Jones não entrou para minha lista de chick-lits favoritos, contudo, isso não significa que a leitura não tenha sido proveitosa, divertida e agradável.  Aos fãs do gênero, é leitura obrigatória por ser um dos seus pioneiros.
Sobre o Filme
Primeiro assisti ao filme para depois ler o livro. Entretanto, há muito tempo eu não o via novamente, então fiz a leitura sem me lembrar dos detalhes, o que só aconteceu quando o assisti para escrever esse post.
A adaptação estrelada por Renée Zellweger contém cenas exatamente iguais às descritas por Helen Fielding ao mesmo tempo em que conta com outras exclusivas, fazendo com que o roteiro tomasse um rumo próprio. Ainda, alguns dos momentos do livro foram alterados na adaptação. Dentre eles, só senti falta do que envolve o relacionamento da mãe de Bridget com Julio. Embora ele esteja presente no filme, se desenvolve de uma forma diferente e preferi à do livro, principalmente por ela remeter a outra situação de Orgulho e Preconceito. Isso não fez do filme ruim ou mal adaptado, apenas gostaria de ter visto essa parte específica por ela ter me agradado no livro.
Os atores escolhidos para interpretar os personagens foram simplesmente perfeitos. Renée é Bridget, assim como Colin Firth e Hugh Grant são Mark e Daniel. Quando fiz a leitura, foi impossível não imaginar os personagens de outra maneira e sei que fui influenciada por primeiro ter visto o filme; porém, mesmo se eu não soubesse quem os interpreta, teria aprovado a escolha do elenco. Cada um deles consegue transmitir a essência de seus personagens e é isso que faz deles perfeitos para seus respectivos papeis. Também, vale lembrar que Colin Firth foi quem interpretou Mr. Darcy na adaptação da BBC de Orgulho e Preconceito.

 O Diário de Bridget Jones consegue ser fiel ao livro ao mesmo tempo em que é diferente. O cerne da obra de Helen Fielding está lá, bem como muitas das situações criadas por ela, mesmo que não integralmente. Acredito que as modificações feitas foram felizes, tanto por permitirem que o filme não ficasse muito longo quanto, também, por possibilitarem um maior destaque para Mark Darcy – pelo menos foi a sensação que tive. Ambos me agradaram e recomendo tanto o livro quanto o filme aos que procuram por um bom entretenimento.

Acredito que a maioria – como eu – já tenha visto o filme, mas ainda não tenha lido o livro. Não se deixe impedir por isso: o livro traz situações que não estão presentes na adaptação e a leitura vale à pena. Se não viu o filme ainda, então não perca a oportunidade de dar boas risadas com a Bridget de Renée.
Confira o trailer do filme!
Esse livro foi lido para o Desafio Realmente Desafiante de 2013 #3: Ler um livro com um doce na capa.




Deixe o seu comentário

21 Respostas para "[Livros na Telona] O Diário de Bridget Jones – Helen Fielding"

Fabi Liberati - 17, abril 2013 às (19:35)

Oie Mi, eu não li o livro e também não vi o filme (que vergonha, eu sei)
mas vou assistir ao filme assim que der. Não sei se me interessaria
pelo livro, porque não sou muito fã de chick-lits. Mas quem sabe né!
Adorei o trailer e fiquei bem curiosa pra assistir =D
Beijos flor

Responder

Planet Pink - 17, abril 2013 às (21:43)

Oi Mi!!
Eu adoro esse filme!!! Ainda mais por ter Colin Firth no elenco <3
O livro vou ler agora em abril, pro desafio dos chick-lits. E espero gostar tanto quanto filme.
Postei agora a resenha do livro do desafio de março. Estou adorando esse desafio, cada livro melhor que o outro!!

Bejinhos

Responder

Shaiene Giatte - 17, abril 2013 às (23:32)

Oi adorei seu blog e posso dizer que amo tanto o livro quanto ao filme eu queria comprar os filmes e aqui na minha cidade nao acho..rs acho q tenho um pouquinho de bridget..rs
Beijos shai

Responder

Jeh Asato - 18, abril 2013 às (00:42)

Oi flor, tudo bem?

Gostei da coluna em que você compara livro e filme! Tive a oportunidade de lê-lo também mas faz muito tempo. E, como eu AINDA não li Orgulho e Preconceito, as comparações foram menos evidentes. Acho que está mais que na hora de eu me aventurar nesse romance que todos adoram (ou adoram o Mr. Darcy? Não sei… )

Eu confesso que o filme deixou mais a desejar, não me chamou tanta atenção. Talvez por eu ter uma certa raiva do Hugh Grant ou por achar a Renée meio fraca..sei lá!

Beijos e boa semana!
;*

Responder

Ademar Júnior - 18, abril 2013 às (01:35)

Oi Mi,
Ao contrário de você o chick-lit não é um dos meus gêneros favoritos, não que eu não leia nada nesse gênero, mas em geral não é prioridade. Mas “O Diário de Bridget Jones” é um dos que sempre tive curiosidade para ler, acho que muita gente que não curte o gênero já se sentiu curioso por este livro por causa da fama dele. O Mailson é que gosta, ele tem o livro, me emprestou uma vez, mas acabei não lendo, hahahaha…
Nunca vi o filme na esperança de que eu leia o livro antes.
Beijos

Responder

Lili - 18, abril 2013 às (11:07)

Que bom que gostaste!
Eu amo a Bridget, principalmente como personagem. Porque me identifico muito com as neuroses dela. Não fumo, não sou compulsiva com bebida ou gordinha. Mas eu tenho mania de anotar as coisas e de tentar ficar controlando do mesmo modo que ela. Finjo controle quando na verdade não tô organizando nada na vida.

Eu também adoro a questão da mãe dela e seu caso, porque foi uma forma divertida de incluir a questão da Kitty no universo atual.

Agora tens que ler o segundo livro (eu não curti muito, até achei o filme melhor). Mas é porque tem uma cena de um jantar, e eles discutem o seriado falando do Mr. Darcy. Gente, a primeira vez que li eu ainda não tinha lido o clássico. E demorei um tempo para entender toda aquela confusão de Darcys e fazer a relação de que o seriado era adaptação da obra de Jane Austen.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Manu Hitz - 18, abril 2013 às (12:29)

Acho esse filme uma delícia e nós, mulheres, especialmente as trintonas, nos identificamos demais com várias situações hilariamente mostradas – aquelas cômicas e trágicas, principalmente…
Não li o livro, mas como sei q costuma ser sempre melhor q o filme, pela riqueza de detalhes e entrelinhas escritas nesse caso – o que supomos no filme está bem descrito no livro – acho que pode ser uma boa estreia minha num chick-lit.

Responder

Julia G - 18, abril 2013 às (13:10)

Oi Mi, eu também só assisti ao filme e faz MUITO tempo mesmo. Provavelmente, se eu vir novamente, vai ser como assistir pela primeira vez.
Mas não tenho curiosidade de ler o livro.

Beijos

Responder

Pah - 18, abril 2013 às (17:15)

Oi gêmea! Não se sinta mal, pq. além de não ter lido o livro, eu nunca vi esse filme! Pois é, ahuahauha Mas você me ganhou com: O Diário de Bridget Jones é uma releitura moderna de Orgulho e Preconceito… Sério? Como assim eu não sabia disso?! Sou louca por livros que tomam J.A. como base, independente do caminho que percorrem, ficar procurando semelhanças é uma das minhas predileções, ahauha Fiquei super curiosa, vou ver se consigo comprar esse livro!

Beijokas super gêmea.

Responder

Stefani Goulart - 18, abril 2013 às (17:39)

Olá!
Faz muito tempo que quero ler O diário de Bridget Jones, já ouvi falar muito desse livro e principalmente do filme, que também ainda não tive a oportunidade de assistir. Eu aprecio muito os filmes de chick-lit (se é que existe esse gênero no mundo dos cinemas), mas nunca tive a oportunidade de ler um livro de chick-lit, e gostaria muito de começar por esse livro ou por algum da Sophie Kinsella que é um ícone desse gênero literário!

Beeijos,
iSteh

Responder

Amanda Péres - 19, abril 2013 às (02:08)

Confesso que já assisti o filme e não li o livro… mas tbm não me recordo dos detalhes do filme, o que ajuda no desejo de ler o livro.
Tbm não li ‘Orgulho e Preconceito’ mas é um livro que está na listinha de desejos faz teeeempo… fiquei curiosa em saber como ficou a releitura! 🙂

Responder

Mi - 19, abril 2013 às (13:58)

Faz tempo que li O Diário de Bridget Jones e gostei muito (principalmente por ser fã de chick-lits), mas não sei o porque de ainda não ter assistido a adaptação, só ouço elogios sobre ela e ainda mais com Renée Zellweger no papel principal. Vou ter que conferir o mais rápido possível!

Beijos
letrasecupcakes.blogspot.com

Responder

Laura Zardo - 20, abril 2013 às (00:35)

Nunca li o livro, mas no momento dei um tempo nos chick-lits, não que eu tenha cansado, apenas acho que tem a hora certa para cada livro e agora estou focada em outros gêneros.
Se eu não me engano eu cheguei a assistir este filme, mas agora não lembro.
Também nunca li Orgulho e Preconceito, tenho que mudar isso logo, mas haja tempo.

Responder

Ana Paula Barreto - 21, abril 2013 às (00:07)

Eu li o livro e vi o filme, mas ambos quando era bem mais nova. E simplesmente adorei os dois (não sei se agora teria a mesma impressão). Mas de fato o livro foi um dos precursores do gênero e tem seu valor. Me diverti bastante e também indico os dois!
bjs

Responder

Carol - 21, abril 2013 às (22:04)

Já vi o filme sim, mas ainda não li o livro.
Sei que muitas vezes os livros trazem situações inusitadas, mas não consigo ler depois que assisto. :/
Adorei essa coluna!!

bjus
terradecarol.blogspot.com

Responder

✿Nessa✿ - 24, abril 2013 às (01:28)

Oi Mi*
Vc ja sabe que eu quero muito ler este livro né..
Eu já assisti ao filme várias vezes e eu adorooo.

Adorei a coluna!
Beijos*

http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

Responder

Gladys Sena - 28, abril 2013 às (22:29)

Ah sinceramente esse foi um dos poucos casos, onde gostei muito mais do filme.
Li o livro depois de assistir ao filme e a Bridget do livro é muito chatinha. A mãe dela no livro é bem mais pirada que a versão do filme.

Responder

Elaine André - 29, abril 2013 às (13:11)

Já assisti os dois filmes e simplesmente amei amei amei.
Tenho os dois livros e ainda não li 🙁
Fiquei naquela vontade de comprar, pensei que não poderia esperar mais para lê-los e no final… estão lá parados na estante …
Espero ler em breve, pois parece ser muito divertido…

Beijos.

Responder

Renata Kerolin - 30, abril 2013 às (04:42)

Ainda não assisti esse filme, e nem sabia que tinha livros.
Vendo aqui os comentários positivos, vou tentar assistir em breve, já que é mais fácil do que conseguir os livros.

Responder

Fernanda Faria - 01, maio 2013 às (02:09)

Adorei tanto o livro, quanto o filme. O filme eu já perdi as contas de quantas vezes eu assisti, adoro mesmo, super engraçado. hahah
beijos

Responder

Talita Santos - 20, agosto 2014 às (20:03)

Um dos meus filmes preferidos e uma das razões é por ele ser uma releitura de um dos meus livros preferidos hahaha Colin Firth está perfeito como Mark Darcy e a Reneé nem se fala. Só li O diário de Bridget Jones uma vez e confesso que o filme é melhor do que o livro. Parece que os personagens ganharam mais vida no filme do que no livro. Minha humilde opinião.
Beijos e mais uma vez parabéns!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil