Parece, Mas Não É | Minha Vida Literária
05

jun
2013

Parece, Mas Não É

“Parece, mas não é” é uma coluna onde trago livros que, ao ver a capa pela primeira vez, achei tratarem de um assunto, mas, ao ler suas sinopses, descobri que não tinham nada a ver com o que pensei!

Primeiro de tudo: finjam que hoje é quinta-feira, e não quarta, ok? Por problemas de logística (ou atraso da minha programação, mas dizer “de logística” é mais bonito), precisei postar a coluna hoje ao invés de amanhã, como faço normalmente.

Passado esse momento, vocês também pensaram em um chick-lit depois de olhar para essa capa?

Sinopse – Mulheres Japonesas Não Envelhecem Nem Engordam – by Aione Simões

Quando Kate, aos 25 anos, encontra a primeira ruga em seu rosto – ou apenas o vestígio de uma -, sente-se completamente desesperada. Para ajudar, percebe que sua numeração de calça mudou de 36 para 42 em um alarmante intervalo de menos de um ano.
Completamente assustada, decide começar uma nova dieta. Qualquer uma, desde que dê resultados.
É quando ela lê uma pesquisa sobre o estilo de vida das mulheres japonesas e decide que é essa sua solução: mudar-se para o Japão o mais breve possível.
E é assim que ela começa a planejar sua nova vida no Oriente, ignorando todos que pudessem dizer a ela que isso seria uma loucura.
Em meio a tanta determinação, poderia existir algo capaz de fazê-la mudar de ideia?

Bom, eu e a Lili pensamos.

Sinopse – Mulheres Japonesas Não Envelhecem Nem Engordam – Naomi Moriyama & William Doyle

 

Aparentar bem menos idade sem precisar recorrer a técnicas de rejuvenescimento e ter um corpo esbelto comendo normalmente. Para muitas pessoas, parece um sonho impossível, mas as mulheres japonesas conseguem. Qual é o segredo? Em Mulheres Japonesas Não Envelhecem Nem Engordam, Naomi Moriyama e William Doyle mostram que o jeito mais simples de alcançar a longevidade e manter a forma é cuidar da alimentação. A autora, em parceria com o marido, leva os leitores para um passeio pela cozinha caseira do Japão, com pratos que vão muito além dos sushis preparados em restaurantes.
Nascida e criada em Tóquio, Naomi se baseia na sabedoria de sua mãe, Chizuko, para descrever as delícias que compõem a mesa das famílias japonesas. A tradição culinária local tem mais de mil anos e está centrada em sete pilares: peixes, vegetais, arroz, soja, macarrão, chá e frutas. Com o passar do tempo, esses ingredientes foram combinados a elementos da cozinha ocidental, dando origem a novas iguarias sem perder suas raízes gastronômicas. Mas o conhecimento de Chizuko e de suas conterrâneas não se restringe ao modo de fazer comida. No Japão, uma refeição é para ser ingerida devagar, saboreando cada mordida. A apresentação dos alimentos também é fundamental: servidos em pequenas porções, são arrumados em tigelas separadas, de forma a mostrar sua beleza natural. 
Entre as dicas da autora para viver como uma mulher japonesa saudável estão tarefas que passam despercebidas na correria do dia-a-dia, como fazer o maior número de caminhadas possível e mastigar a comida em ritmo compassado. Trocar o pão branco por uma tigela de arroz selvagem ou de grão curto durante as refeições; pensar nos legumes como prato principal e ver a carne vermelha como acompanhamento; cozinhar com óleo de canola ou farelo de arroz; substituir refrigerantes por chá gelado sem açúcar e montar um cardápio pobre em gorduras saturadas e rico em peixes, frutas frescas e legumes são outros conselhos que contribuem para o bem-estar do organismo. 
De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, as mulheres japonesas têm a maior expectativa de vida saudável do mundo (85 anos), enquanto a população do Japão apresenta a mais baixa taxa de obesidade entre os países industrializados (3%). A explicação para isso passa não só por uma dieta nutritiva e balanceada, mas também pelo conselho que as mães japonesas dão aos seus filhos: “hara hachi bunme”, ou seja, “coma até estar 80% satisfeito”. 

 

Então. O título, confesso, realmente faz jus ao conteúdo. Mesmo a capa não está fora de contexto.
Mas esse desenho me faz pensar na hora em um chick-lit. Talvez, se tivessem sido usadas fotos de alimentos ou mesmo de mulheres, ao invés de um desenho, essa sensação se dissipasse…

E vocês, o que acham?

Beijos a todos!





Deixe o seu comentário

30 Respostas para "Parece, Mas Não É"

Gladys Sena - 05, junho 2013 às (14:55)

Realmente essa capa desenhada tem todo um ‘ar’ de chick-lit.
Até lembra as capas dos livros da Marian Keyes, rsrs.

Responder

Folhas de Sonhos artesanatos - 05, junho 2013 às (15:50)

Concordo, parece mesmo chick-lit, e achei bem legal essa coluna do blog! Abraços

Luciana

Responder

✿Nessa✿ - 05, junho 2013 às (15:56)

Oi Mi*
Concordo com vc, de cara eu pensei em chick-lit, mas fiquei com um pé atrás. rsrss
Achei engraçado este título, mas como vc disse tem a ver né com a sinopse verdadeira, foi o desenho que nos enganou.
Mas gostei da sua sinopse.

Beijos*

Responder

Fabi Liberati - 05, junho 2013 às (17:15)

Oie Mi, com toda a certeza parece um chick-lit, a capa e o titulo realmente tem tudo a ver com a sinopse. Lendo a sinopse deu pra entender por que as japonesas tem sempre um corpo bonito, e é raro vê um deles acima do peso.
Chá gelado e sem açúcar ainda, deve ser horrível =P kkkk
Beijos Flor

Responder

Alexandre Koenig de Freitas - 05, junho 2013 às (17:34)

Oi Mi,
O título me remeteu imediatamente a algum livro sobre hábitos alimentares, apesar da capa aparentar ser de um chick-lit…
De fato, péssima escolha por parte da editora…
Abraço,
Alê.

Responder

Ana Luisa - 05, junho 2013 às (18:18)

Também achei a capa fora de contexto, dá a impressão de ser um chick-lit. Mas acho que isso tem a ver com a questão de marketing, talvez uma capa com fotos de alimentos não chamaria tanto a atenção, fazendo as pessoas se desinteressarem pelo livro.

Abraços
Ana Luisa

Responder

ka macedo - 05, junho 2013 às (19:47)

A imagem realmente combinaria mais com um chick-lit do que com um livro de ‘culinária’, mas o título desmascarou a verdade para mim, haha (e também o fato de ser da Rocco, nunca os vi publicando um chick-lit).
As duas sinopses me parecem interessantes – e não dá pra deixar de concordar que as japonesas realmente não envelhecem nem engordam, hahah.

Beijo Mi!

Responder

cristiane - 05, junho 2013 às (20:34)

A capa até que lembra o que o livro é. Concordo que se mudasse seria um pouco melhor, faz lembrar de chick-lit mesmo e eu não sei se leria por isso…mas a história vale a pena.

Responder

Brubs. - 05, junho 2013 às (21:12)

Será que sou a única que não achou que a capa lembrasse chick-lit?? Eu pensei em auto-ajuda :)Mas não sei se leria o livro:x
Brubs
Livros de Cabeceira
@IWannaRuffles

Responder

Irinia Zachello - 05, junho 2013 às (22:49)

Legal essa coluna!

E realmente tem capas que nos enganam ou não nos agradam… E até deixamos de ler. E esse surpreendeu!

Beijos

Livros… Quero ler sempre

Responder

Luna Hybla - 05, junho 2013 às (23:48)

Oi Mi!
Gostei d++++++ dessa coluna. Confesso que mts vezes comprei um livro por causa da capa, tenho mania de capas :))
Ahhhh gostei tb do termo “logística”, super fofo.
O título e a sinopse realmente remetem ao conteúdo e são coerentes, até mesmo a imagem.
Pelo menos no que diz em como alcançar a longevidade e manter a forma cuidando da alimentação priorizando hábitos saudáveis.
Mas com certeza tem o estilooooo de chick-lit =)
bjs

Responder

Lucas Goulart Duarte - 06, junho 2013 às (01:54)

Realmente, parece ser um chick-lit, mas eh mais q issi 🙂 porem n eh um livro q eu leria haha

Responder

Thaynara ribeiro - 06, junho 2013 às (12:17)

Concordo!!! A capa é de um chick-lit!!!
Gostei de saber do tema de verdade do livro, achei bem interessante!!

Responder

Geovanna Ferreira - 06, junho 2013 às (16:20)

kkk É, realmente engana! As imagens usadas em capas de chick lit seguem muito um padrão né! Ai ai dessas que compram sem nem ler sinopse! Tem que ser muito louca!

Responder

Vânia Gama - 06, junho 2013 às (18:59)

eu realmente não gosto de quando a capa não condiz com o conteúdo… desanima demais…
adoro quando as capas mostram um desenho qualquer, que só vai fazer sentido pra você, quando acabar o livro! Acho fascinante haha
beijos

Livro de Capa Dura

Responder

Naty - 07, junho 2013 às (02:34)

Você tem razão, a capa lembra muito um chick-lit. E acho que o livro seria mais interessante para mim se fosse mesmo, gostei mais da sua sinopse do que a original rsrs

Responder

Julia G - 07, junho 2013 às (18:03)

haha, eu achei que tinha cara de auto-ajuda. O título me levou a isso, depois é difícil retirar essa impressão.

Beijos

Responder

Manu Hitz - 07, junho 2013 às (18:37)

A capa realmente é típica de um chick-lit! Esses desenhinhos fofos que nunca me atraem para um livro, hahaha! Mas como existem livros voltados para dietas específicas!
Mas é bem curioso mesmo, pq as estatísticas do Japão são maravilhosas para mulheres e homens!

Responder

Aline Gonçalves - 08, junho 2013 às (01:48)

Tô precisando de uma dieta japonesa, mas odeio peixe…kkk
Sério, o livro realmente lembra um chick-lit em que o peso da protagonista é um problema.

Responder

Planet Pink - 08, junho 2013 às (13:14)

Esses traços de ilustração sempre lembram chick-lit, não tem jeito haha. Inclusive ia até falar contigo pra fazer um PMNÉ com as novas capas de @mor e sua continuação, pois parecem muito chick-lit!
Beijos!

Responder

Fran Alves - 09, junho 2013 às (18:06)

Depois dos livros de Marian Keyes, qualquer livro com uma capa de desenho assim me fazem achar que é chick-lit, até a sinopse engana… se eu não lesse aqui, eu continuaria achando que era…

Responder

Mariana FS - 10, junho 2013 às (14:20)

Oi Mi,
Dessa vez eu acertei, embora tenha achado que penderia mais para auto-ajuda.
Entendo porque você e a Lili tenham pensado que era um chick-lit. Esse tipo de desenho na capa normalmente grita chick-lit, hehe.
PS.: Deixa eu aproveitar e responder a sua pergunta por aqui, hehe. Meu segundo Dan Brown também foi Fortaleza Digital. Pode não ser lá tudo isso, mas já dava alguns dos indícios do estilo que iria consagrar o autor, não é? 😉
Beijos

Responder

Mariana Zillo - 11, junho 2013 às (21:46)

Jura que não é chick-lit? É o tipo de livro que eu compraria pela capa e levaria um susto enorme hehe… Muito diferente.

Responder

○•Marcelinho•○ - 13, junho 2013 às (01:51)

Realmente parece super um chick-lit… tenho dó de quem comprou achando que era um e tomou um susto… péssima escolha da Editora…

Responder

Belezocas by Nah Moraes - 14, junho 2013 às (18:25)

Eu achei que era sobre alimentação,dieta…pelo título…!

Responder

Mah - 15, junho 2013 às (05:01)

eu pensei que era um guia ou um chick-lit, acertei uma das

Responder

Sarah - 24, junho 2013 às (17:47)

Apenas algo a comentar,se inspirando no titúlo:QUERO ME TORNAR JAPONESA hahahaha!!!

Responder

Naty - 30, junho 2013 às (18:22)

Hahaha parece mesmo um chick-lit! Prova de que nos enganamos muito com as capas.

Responder

EricaMarts - 01, julho 2013 às (00:29)

Eu fui pelo título mesmo e achei que era alto no estilo auto-ajuda. Mas a capa engana mesmo.

Érica Martins
Espiral dos Sonhos

Responder

Fe Fernanda - 29, Janeiro 2016 às (11:34)

Vendo a capa eu ja pensaria ” nossa deve ser um livro completamente sem história”

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por