[Resenha] Divergente - Veronica Roth | Minha Vida Literária
07

jun
2013

[Resenha] Divergente – Veronica Roth

Título: Divergente
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
Número de Páginas: 502
Ano de Publicação: 2012
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.

A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Havia resolvido dar um tempo dos distópicos por causa da grande quantidade de lançamentos do gênero desde o sucesso de Jogos Vorazes. Contudo, por conta do Virando A Página, clube do livro que frequento em São Paulo, acabei por realizar a leitura que já vinha chamando minha atenção devido a sua excelente aceitação dentre os leitores.
A característica mais notável da obra, em minha opinião, é sua fluidez, praticamente não senti as 500 páginas que compõe o livro passarem. Acredito que o principal motivo para isso esteja na narrativa da autora, em primeira pessoa, totalmente ligada aos pensamentos e sentimentos de Tris, a protagonista, a ponto de, inclusive, não se ater tanto a detalhes e caracterizações de cenários. Conhecemos muito melhor o que a protagonista sente e pensa, ao invés do ambiente em que está. Isso não significa que a autora nos prive dessas informações, ela apenas não se demora em detalhá-las.
Apesar de ter gostado bastante da leitura, não consegui me apaixonar por ela principalmente por um motivo: achei Divergente introdutório e vago demais. Já fui alertada de que essa foi a intenção da autora e que há mais explicações em Insurgente, segundo volume da trilogia. Ainda assim, o fato de eu não ter conseguido compreender muito bem alguns aspectos da sociedade fez com que os acontecimentos como um todo não tivessem muito nexo para mim, eu não consegui ver muito sentido no que acontecia e isso certamente prejudicou meu envolvimento com a história.
Ainda assim, achei a ideia das facções – que dividem a sociedade segundo as características de cada cidadão – bastante original, embora pouco verossímil. Independentemente do que aconteceu para que a sociedade tenha se estruturado dessa forma, acho difícil pensar que as pessoas passariam a ser tão limitadas em suas qualidades, acredito que algumas características se destacam mais em cada um de nós, mas não a ponto de excluir outras. Não consigo acreditar que podemos ser tão facilmente definidos e classificados.
Outro ponto positivo, a meu ver, foi o romance desenvolvido pela autora. Acredito que foi inserido no contexto na medida certa e deu à história um sabor especial, principalmente pela maneira de como ele acontece, bastante ligado à personalidade de seus personagens.
De um modo geral, embora Divergente não tenha sido uma leitura arrebatadora, conseguiu me cativar por sua fluidez, originalidade e pela audácia da autora em não poupar os leitores de acontecimentos mais trágicos e, sem dúvida, inesperados. Também, seu próprio ponto negativo, para mim, acabou tendo uma influência positiva em minha vontade de ler Insurgente, já que fiquei curiosa para compreender melhor o panorama da sociedade criada por Roth.




Deixe o seu comentário

31 Respostas para "[Resenha] Divergente – Veronica Roth"

Fabi Liberati - 07, junho 2013 às (18:01)

Oie Mii, eu adorei Divergente, confesso que gostei mais dele do que de Insurgente, eu ri muito com os personagens e me emocionei muito também. Foi a primeira distopia que li, e acho que por isso me apaixonei tanto por ela, realmente a leitura flui de uma forma bem rápida, tanto que eu também não senti passar as 500 páginas e isso pra mim já torna o livro ótimo significando que não teve enrolação. Ele deixa muitos pontos pendurado mesmo para serem resolvidos em Insurgente, mas se não deixasse acho que você não ficaria tão curiosa para lê-lo, certo?
É isso, eu indico o livro também e achei uma ótima leitura.
Adorei o post como sempre Mi, Beijos flor =D

Responder

Julia G - 07, junho 2013 às (18:01)

Oi Mi, eu adoro quando os autores não têm medo de arriscar e “jogam” com as tragédias. Uma pena que não tenha sido possível compreender muito bem os acontecimentos pela falta de profundidade, mas acho que isso é superado quando os livros seguintes conseguem suprir isso – ainda mais se for além. Também acho impossível uma definição específica de alguém, mas tenho curiosidade de conhecer essa história, mesmo assim.

Beijos

Responder

Lili - 07, junho 2013 às (18:36)

Eu estou curiosa, mas bem como tu, sem desejos insanos de ler.
Está na minha lista de futuras compras. E é provável que eu deixa a série avançar um pouco para pegar o bonde andando e não sofrer com a espera.

Sobre ser válida ou não, teus pontos positivos contaram muito mais do que os negativos para mim, continua sendo uma leitura bem interessante e que provavelmente bombará com o lançamento dos filmes.

liliescreve.blogspot.com

Responder

Manu Hitz - 07, junho 2013 às (19:13)

Até tentei, mas acho que distopia não é pra mim.
A premissa dessa série é boa, sim, acho bem curiosa a Tris tentar se encaixar num grupo – facção -, remetendo à ideia dessa mesma situação na adolescência da nossa vida real. Por isso as ‘tribos’ diferenciadas nessa idade.
Mas, definitivamente, ainda não encontrei uma distopia pra mim.

Responder

✿Nessa✿ - 07, junho 2013 às (19:54)

Oi Mi*
Este foi um dos unicos livros que eu abandonei a leitura, não consegui gostar da história. Mas tenho visto varios comentarios falando bem desse livro e estou com vontade de voltar a lê-lo.
Pelo que vc diz o livro não é o oh, mas é bom. Talvez eu dê uma segunda chance.

Beijinhos*

Responder

cristiane - 07, junho 2013 às (20:28)

Eu gostei dele. Não foi nenhum Jogos Vorazes (não consegui respirar quando lia, era um desespero que só!) mas é bem feito, uma boa história. Gosto do jeitinho dela. A unica coisa que acho ruim é ser contado do ponto de vista da menina. Seria legal se tivesse uns capítulos com outros personagens contando, pra ter uma ideia melhor de como tudo é. Seria legal…mas isso é doideira. O livro vale a pena, é muito gostoso de ler.

Responder

Lucas Goulart Duarte - 07, junho 2013 às (21:49)

Acabaram de chegar os dois primeiros da serie aqui em casa e n posso esperar para ler 🙂
Ja li muitas resenhas falando muito bem do 1# e algumas q falavam como vc, mas ainda assim sei q gostarei e muito!

Responder

Vânia Gama - 07, junho 2013 às (21:57)

fiz um você decide no meu blog, e o povo escolheu esse livro com próxima leitura! Estou bem curiosa, pois já vi muita gente falando bem, e quase nenhuma crítica *-*
beijos

Responder

Gabriel Barbosa - 07, junho 2013 às (22:15)

EI Aione, tudo bem?
Ah, Divergente não foi o que eu esperava.
Achei o romance muito “oi…oi… te amo”
Concordo com você a respeito da fluidez, por que li o livro 80% do livro em um único dia.
Realmente, muitas coisas referente ao universo de Divergente ficaram soltos para mim, até agora estou tentando entender o que é ser divergente, e o que isso faz pra alguem ser imune a algun tipo de soro controlador, tipo WHAT?
Mas, acabei dando 3 estrelas, tem algumas coisas ruins, mas no geral é um bom livro.

Gabriel – http://umpapoentrepaginas.blogspot.com.br/

Responder

Pamela Liu - 07, junho 2013 às (22:28)

Oi Mi. Ainda não li Divergente, mas o tenho na minha estante, assim como Insurgente. Só vou terminar de ler alguns livros que estão na minha estante há mais tempo.
Espero que eu goste da narrativa da Tris, para que a leitura flua e eu aproveite bastante a leitura.
Gostei de saber dos pontos negativos, espero que eles não me incomodem muito.

Responder

Gladys Sena - 08, junho 2013 às (01:26)

Ainda não me aventurei no mundo distópico, tô pensando em começar por A Seleção que é mais light.

Essa trama parece boa, quem sabe dê uma chance, 😉

Responder

Amanda T. - 08, junho 2013 às (02:21)

Oie! Eu adorei Divergente, mas vou ser sincera: me envolvi tanto na leitura (ela realmente flui) que nem me importei muito com essa questao das divisoes. Nao foi algo que me fez falta. E por mais que tenha sido introdutorio, a autora conseguiu desenvolver a historia e me surpreender com seus desdobramentos! Insurgente tambem é muito bom, embora o comportamento de uma certa personagem tenha me deixado meio chocada, de forma negativa. Nao curti. Mas adorei a resenha!

Um beijo, flor
escolhasliterarias.blogspot.com.br

Responder

Luna Hybla - 08, junho 2013 às (02:39)

Oi Aione!

Eu ainda não li Divergente, ele está na listinha esperando sua vez, mas por algum motivo sempre passa para o final. Talvez pq fico imaginando que vou novamente encontrar personagens parecidos com os de Jogos Vorazes.
Gostei mtoo da sua resenha, e vou dar uma chance para o livro, já que vc diz que é fluído, original e cita a audácia da narrativa.

bjss

Responder

Thamires R. - 08, junho 2013 às (14:26)

Oi Mi!
Eu amei Divergente e quero ler Insurgente o mais rápido possível. Mas realmente, a autora deixa a desejar e esconde bastante coisa. Acho que é para revelar no próximo livro mesmo. A divisão em facções me agradou, mas parece que ela fez isso porque está ”na moda” dividir a sociedade em casas/distritos etc, porque acho que isso agarra o leitor e o instiga mais a continuar a história para mais pra frente tentar se encaixar em algumas das características. Contudo achei bem interessante e uma ótima leitura. Beijos.

Responder

Fran Alves - 09, junho 2013 às (18:24)

oiee.. então eu dei um tempo em Distopias… nossa li tantas que não aguento mais nem ouvir falar nisso…

Mas fiquei curiosa sim , com a repercussão desse livro. Muitos falaram muito bem dele, não tão bem do segundo… E concordo com você a respeito das facçoes , não tem como categorizar uma pessoa em uma só qualidade… Mas ela tinha que dividir a sociedade de algum jeito né…

bjuss

Responder

Camila Costa - 09, junho 2013 às (20:49)

Mais um livro que já passou da hora de eu ler!!
Também fiquei meio saturada de distópicos teve uma época…
Se uma coisa faz sucesso, logo outras mil do mesmo gênero aparecem haha

Responder

Naty - 09, junho 2013 às (23:29)

Eu tenho muita vontade de ler esse livro, tanto pelos comentários positivos como pelo filme que está chegando. Eu vi em resenhas de que esse primeiro livro não explica muita coisa mesmo, só espero que quando eu leia não sinta isso como um problema.

Responder

Ana Luisa - 10, junho 2013 às (23:39)

Confesso que não estou muito curiosa em ler esse livro, gosto muito de distopias, em especial Jogos Vorazes, talvez uma das melhores que li. Acho que minha falta de vontade em ler novas distopias seja essa “Ressaca” pós distópica. Muito boa resenha, bem sensata.

Beijos.

Responder

Thaynara ribeiro - 11, junho 2013 às (00:13)

Minha curiosidade com esse livro começou depois q li algumas informações sobre o filme!
Estou bem curiosa, mas tento não ter tanta expectativa para não me decepcionar.
Gostei muito da resenha, me fez querer ainda mais ler o livro.

Responder

Mariana Zillo - 11, junho 2013 às (21:49)

Eu não leria por conta do gênero “Distopia” estar um pouco gasto. Depois de “Jogos Vorazes”, vários surgiram. Porém li “Partials” e adorei! Quem sabe esse também não acaba me pegando de surpresa…

Responder

○•Marcelinho•○ - 13, junho 2013 às (01:19)

Eu to numa super onda de distopias… eu já li a trilogia Jogos Vorazes, Startes, Estilhaça-me, A Hospedeira e ainda pretendo ler a trilogia Feios e Delírio, mas pelo visto vou ter de adicionar Divergente a essa minha lista… ele esta super bem comentado e como eu adoro o gênero Distopia necessito ler…
bjs Aione!

Responder

Ademar Júnior - 14, junho 2013 às (03:47)

Oi Mi,
Eu não entrei muito na onda dos distópicos ainda, quero ler alguns como Jogos Vorazes, por exemplo. Recentemente eu li algumas distopias, mas das clássicas “Não Verás País Nenhum” e “1984”. Em relação a Divergente eu também não simpatizo muito com essa ideia da divisão das facções por características, acho isso muito pouco crível. Mas precisarei conferir para emitir mais opiniões.
Ótimo texto!
Beijos

Responder

Aline Gonçalves - 16, junho 2013 às (04:43)

Não li Jogos Vorazes e nem esse livro, mas não sei porquê tenho a impressão de que as distopias são sempre muito iguais. Eu acho a proposta desse livro um pouco distinta com alguns elementos que me lembram outras narrativas.

Responder

Ana Alves - 17, junho 2013 às (18:58)

Meu irmão leu e gostou bastante, lerei também!
Ana.
http://umlivroenadamais.blogspot.com.br/

Responder

Folhas de Sonhos artesanatos - 22, junho 2013 às (02:50)

Acho totalmente mercadológico uma autora produzir um livro com o intuito de sê-lo apenas uma introdução aos outros, como acontecem em filmes de baixa categoria. A questão que se salva, apesar de não ter lido, é ser mt bem falado esse livro. De resto, a premissa parece boa. Abraços!

Responder

Sarah - 24, junho 2013 às (17:40)

Todos falam bem desse livro e confesso que sua resenha me deixou com vontade de lê-lo mais por conter um tema meio pesado estou em dúvida ainda!

Responder

Naty - 30, junho 2013 às (18:41)

Uma das coisas que me motivaram a ler Divergete, além das resenhas positivas, foi a ideia das facções. Embora eu também ache ser pouco verossímil. Ainda não li mas já está na minha listinha de ‘vou ler’. bjs

Responder

Gabriela Romero - 01, julho 2013 às (21:57)

Nossa…foi tudo que eu pensei lendo…eu gostei do livro, mas não amei como muita gente amou…acho que fui com muita expectativa e achei ele bem o que você falou: vago…
Tinha hora que a impressão é que a autora se repetia para encher página e no final tudo acontece rápido demais…
Mas no fim, o saldo foi positivo, pois morri de curiosidade para ler Insurgente!!! Achei o segundo livro bem melhor que o primeiro e estou morrendo de curiosidade para saber como a trilogia acaba

Responder

luis felipe - 09, abril 2014 às (20:48)

Adorei esse livro, mas vc já leu o livro “reverso” escrito pelo autor Darlei…apesar de não ser tão conhecido, se destaca por marcar a história, pois coloca em cheque, as leis que governam o nosso universo, e ainda por cima desafia os principais dogmas religiosos, nossas principais crenças são postas em dilemas cruciais, enfim se trata de um livro arrebatador, esse é o link do livro. Abraços..
http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..

Responder

Taciana Cristina de Oliveira - 02, setembro 2014 às (02:24)

Amei Divergente achei muito interessante como a autora dividiu a sociedade, insurgente e convergente ainda não li mais está na minha lista de compras.

Responder

Fe Fernanda - 29, janeiro 2016 às (14:30)

Amo livros assim, adorei

Responder

Últimas Resenhas

Calendário de posts

junho 2013
S T Q Q S S D
« maio   jul »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Participo

<div class="titulo participo"><h6>Participo</h6></div>

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por