[Resenha] Todo Dia - David Levithan | Minha Vida Literária
19

ago
2013

[Resenha] Todo Dia – David Levithan

Título: Todo Dia
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 280
Ano de Publicação: 2013
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.

Sinto como se tivesse perdido as palavras para descrever minha experiência com Todo Dia. Fui arrebatada de tal forma que precisei de alguns minutos para me recompor após finalizar a leitura e ainda não sei muito bem como começar essa resenha, porque acho que nada do que eu disser será suficientemente fiel para reportar tudo o que senti, pensei e vivi junto de A, protagonista dessa obra de David Levithan. Tentarei começar da parte mais fácil e objetiva, distanciando-me das emoções em um primeiro instante.
Primeiramente, a proposta do autor foi extremamente criativa. Anão tem corpo, acorda a cada dia em um diferente hospedeiro. Não sabe o porquê de ser assim, só sabe que essa é sua vida. Assim, tal premissa já é suficiente para instigar o leitor a continuar a leitura pela própria curiosidade de descobrir o que ela lhe reserva, sem contar o fato de que, com isso, diferentes histórias e situações serão narradas. Ainda, a escrita de Levithan é impecavelmente construída, sendo ao mesmo tempo fluida, convidativa e recheada de frases de impacto. Acho que nunca marquei tantos quotes em um só livro, porque cada frase me parecia incrível e brilhante, merecedora de ser destacada. Talvez, a maior característica tanto da história quanto da escrita do autor seja a sensibilidade nelas presente.

“Não sei como isso funciona, nem o porquê. Parei de tentar entender há muito tempo. Nunca vou compreender, não mais do que qualquer pessoa normal entenderá a própria existência. Depois de algum tempo é preciso aceitar o fato de que você simplesmente existe. ”

página 8
David Levithan conseguiu, com maestria, destacar diferentes pontos de reflexão. Primeiro, ao fazer de A alguém sem corpo, desvincula-o de um gênero. A é a essência, não é homem ou mulher, apenas existe de acordo com a vida que habita a cada dia, sempre havendo a separação entre ele e seu hospedeiro. Há dias em que vive como um garoto que gosta de garotas, outros nos quais vive uma garota que gosta de garotas. Nada disso, entretanto, importa para ele, porque o que ele é não é definido pelo que ele mostra ser e, com isso, consegue passar com clareza sua mensagem, bem como a dificuldade em que temos de aceitar tal ideia. Ainda, há também a forte distinção entre a essência e o corpo, nem sempre feita por nós, o que torna mais difícil compreender, por exemplo, muitas doenças que acometem uma dessas partes. Também, explorou o conceito de passado, presente e futuro, mostrando que apesar de ser importante viver o agora, porque ele é a única coisa real entre os três, são os outros dois que contribuem na construção do que somos e dos laços que criamos. Sem um passado e um futuro, somos apenas nômades em nossas próprias vidas.

“- É só que, sei que parece um modo horrível de se viver, mas eu já vi muitas coisas. É muito difícil ter uma noção verdadeira do que é a vida quando se está num único corpo. Você fica tão preso a quem você é. Mas quando quem você é muda todos os dias, você fica mais próximo da universalidade. Mesmo os detalhes mais triviais. Você percebe que as cerejas têm gosto diferente para pessoas diferentes. Que o azul parece diferente. (…) Você aprende o valor de um dia, porque todos os dias são diferentes. (…) Ao enxergar o mundo de tantos ângulos, percebo melhor a dimensão dele”.

páginas 93 e 94
Não bastasse ter achado Todo Dia brilhante por seu desenvolvimento de modo geral – o que inclui a criatividade de sua premissa e as reflexões construídas ao longo do enredo – foi seu romance que me arrebatou desde o momento em que apareceu. O amor sentido por A foi incrivelmente real, sincero e intenso, e foi impossível permanecer imune a ele. Quando o livro terminou, precisei de vários minutos para me recompor, porque as lágrimas continuaram teimando a cair, e tenho certeza de que esse foi um dos livros que mais mexeu comigo dentre todos os que já li.

Acredito que o único ponto que poderia ser considerado como “negativo” foi o fato de muitas perguntas não terem sido respondidas, tanto sobre a própria situação de A, quanto sobre o relacionamento inicial de Rhiannon, a garota por quem A se apaixona, e Justin, o primeiro corpo habitado por A no enredo. De qualquer maneira, isso não chegou a afetar a minha opinião sobre o livro nem o impacto que ele teve sobre mim. Tais respostas pareceram irrelevantes, contrapostas ao efeito geral da obra em mim.
Não sei o quão clara consegui ser, e provavelmente ainda deixei muito de fora para ser dito. Contudo, acredito que o mais forte indicador do que Todo Dia foi para mim é exatamente esse misto de pensamentos, palavras e sentimentos arrebatadores, possíveis apenas quando uma obra verdadeiramente nos toca. Tentar transpor tudo o que pensei sobre ele será, talvez, tirar parte da mágica que ele poderá trazer para cada um que ainda o deseja ler. Assim, finalizo dizendo que esse foi, provavelmente, o melhor livro que li esse ano e um dos melhores lidos em minha vida, um daqueles que me marcou para sempre. Recomendo, recomendo e recomendo.




Deixe o seu comentário

64 Respostas para "[Resenha] Todo Dia – David Levithan"

Mariana FS - 19, agosto 2013 às (13:36)

Oi Mi!
Tenho visto todo mundo amando essse livro.
A premissa é mesmo originalíssima e não tem como não ficar curiosa para saber qual o rumo que o personagem irá tomar porque é o tipo de situação em que a expressão “o céu é o limite” pode ser aplicada.
Impossível não ficar contagiada com a sua resenha. Adorei ver a sua dúvida sobre se conseguiu expressar tudo que queria ou não (me solidarizo, porque issso acontece muito comigo, hehe) e com certeza isso é um indicador de quanto o livro mexeu com você e do quão amplo o autor conseguiu ser. Tendo deixado coisas de fora ou não, uma ótima resenha.
Beijos

Responder

Nil Macedo - 19, agosto 2013 às (13:41)

Essa proposta do personagem principal não ter corpo é realmente fabulosa, ele acaba sendo várias pessoas, vários personagens ao mesmo tempo mas sempre com o mesmo sentimento. Agora sim fiquei bem curiosa para ler esse livro.
bjs.

http://booksandmuchmore.blogspot.com

Responder

Amanda - 19, agosto 2013 às (14:12)

Já estou curiosíssima!

Bjos!!

Responder

Ruti - 19, agosto 2013 às (14:26)

Eu não sabia que o livro era assim. esse toque distópico e esse “ser” sem gênero escolhido pelo autor, é bem diferente em um livro. A estória parece emocionante, mas não sei se o leria, talvez porque não esteja afim de livros assim agora. A resenha ficou ótima!

Responder

Fabi Liberati - 19, agosto 2013 às (17:37)

UAU…..Mi, não sei nem o que dizer com a sua resenha só que eu preciso muito ler esse livro e que esse tipo de leitura é tudo o que eu estou precisando. Um livro que mexa comigo assim como mexeu com você e que seja inesquecível pra mim.
Nunca li nada do autor e acho que seria uma boa ideia começar por essa obra que parece ser magnifica.
Beijinhos

Responder

Amanda Z. Dutra - 19, agosto 2013 às (18:41)

Nunca li nenhum livro do David Levithan e acho que descobri qual será o primeiro…
Adorei a premissa de o personagem não ter corpo, e ficar mudando de hospedeiros, realmente, como você disse, devemos ficar totalmente curiosos para descobrir o que nos aguarda!
Amei a resenha, e obrigada por me motivar a ler esse livro, Beijo

Responder

Vanessa Meiser - 19, agosto 2013 às (19:22)

Gente do céu, eu já imaginava que o livro fosse ser esta maravilha toda, mas pelo visto ele é ainda mais!
Recebi o meu exemplar na sexta – feira passada e em breve começo a minha leitura, não tenho dúvida de que vou gostar muito, muito, muito.

Beijoks, Van – Blog do Balaio
balaiodelivros.blogspot.com.br

Responder

Cristiane Dornelas - 19, agosto 2013 às (20:15)

Já que vou vou babar querendo livros desse autor. Gostei do estilo dele, essa nova trama parece muito interessante e pelo jeito vale mesmo a pena. Espero conseguir ler, e não ter esse sentimento de perguntas sem respostas, mas mesmo assim acho que vale a pena, dá aquele ar de mistério, questionamento, a gente acaba pensando mais no livro quando algumas coisas ficam em branco. Se esse é o único ponto negativo acho que é uma boa leitura mesmo.

Responder

Catharina M. - 20, agosto 2013 às (01:28)

Desejo muuuuuuuuito esse livro, amei a resenha. Fiquei mais curiosa.
http://realityofbooks.blogspot.com.br/

Responder

✿Nessa✿ - 20, agosto 2013 às (12:23)

Oi Mi*
Ainda não li nada do autor e a cada dia fico mais curiosa com os livros e títulos que vejo.
Pela sua resenha o livro parece ser diferente de tudo que eu já li e isso me deixa mega curiosa para ler.
Adorei sua resenha*

Beijinhos*

Responder

Renato Jardim. - 20, agosto 2013 às (13:20)

Ultimamente estou lendo tanta coisa que não costumava ler. Coisas que não lia antes, não por achar ruim, só por me interessar por coisas diferentes. Hoje sinto vontade de ler todo tipo de coisa, e me interessei pelo livro! o/

http://www.cabecadetinta.com/

Responder

Ana Luisa - 20, agosto 2013 às (14:51)

Vou dar a oportunidade para esse livro, fiquei interessada. Me pareceu um pouco confuso, mas, só lendo para saber. Achei interessante o fato do protagonista chamar A, o que ajuda a construir a ideia de um personagem que pode ser qualquer um.

Beijos!

Responder

Petra Henning - 20, agosto 2013 às (14:59)

Ainda não conhecia o livro. Estou apaixonada! Só pela sinopse já vi que o livro deve ser incrível, a história é diferente, nada do comum que estamos acostumados. E com a sua resenha vi que não posso deixar de lê-lo!

Responder

Michelli Santos Prado - 20, agosto 2013 às (17:50)

Já tinha ficado bem interessada quando o livro foi lançado pelo fato dessa viajem do tempo. Li com bastante atenção a tua resenha e quero quando puder comprar este livro e matar minha curiosidade, por que fiquei bem interessada no livro.

Responder

Clara Coelho - 21, agosto 2013 às (15:25)

Preciso ler esse livroooo! A premissa já me encantou de cara, mas essa sua resenha me deixou extremamente curiosa!!!! Parabéns 😉

Responder

Fran - 21, agosto 2013 às (18:31)

Estou já apaixonada pela história desse livro!! Vc me deixou morrendo de vontade de ler… mas nao posso mais comprar livros pôxa vou ter q ficar só na curiosidade por enquanto mesmo hehehehe

Responder

MsBrown - 21, agosto 2013 às (20:05)

Cada vez que eu apareço neste blog minha lista de livros para ler aumentam! Que livro maravilhoso é esse que nunca vi? Eu preciso dele imediatamente!
Ótima resenha 🙂

Responder

Lindsay Leão - 22, agosto 2013 às (03:58)

Ai Mi, eu quero esse livro!
Que tudo, parece ser muito lindo mesmo!
Fiquei comovida com a premissa dele, bem diferente mesmo!
Os quotes que você escolheu também são lindos, mal posso esperar para conhecer essa história!
Esse livro me pareceu uma mistura de De volta para o futuro, com a mulher do viajante
do tempo e a hospedeira, tudo misturado! kkkkk
Por isso, me deixou louca para ler!
Quero muito conhecer a intensidade do amor de A, e com tantas recomendações, é claro que irei incluir esse livro na minha wishlist now! rsrsrs
Muito obrigada por essa resenha tão rica!
Beijos

Responder

Michelle Ladislau - 23, agosto 2013 às (11:32)

Eu não conhecia o livro, mas fiquei encantada com a história!
A premissa dele é maravilhosa e quero loucamente ter a oportunidade de ler!

Os quotes que você escolheu me encantaram!

Nunca vi um livro que seu personagem principal não tem corpo, quero urgentemente saber a história toda!

Beijinhos
http://www.estilogeek.blogspot.com.br

Responder

Nara Brasil do Amaral - 23, agosto 2013 às (19:32)

Me apaixonei pela sinopse do livro e pelo o que você falou não irei me decepcionar com a história. Há muito tempo estava procurando um livro que me passasse mensagens que irão ficar para vida inteira e confesso que acho que ‘Todo dia’ pode ser um deles, principalmente pelo fato do personagem principal lidar com uma situação que não é comum a ninguém: Acordar todo dia em um corpo diferente. Com certeza esta na minha lista de leituras!

Responder

Ademar Júnior - 27, agosto 2013 às (23:54)

Oi Mi,
Ainda não recebi o meu, mas vou buscá-lo amanhã nos Correios.
A cada resenha que leio fico mais ansioso, e também por já ter lido Will & Will, agora acho que quero ler qualquer coisa do David Levithan.
Vi alguns blogueiros comentando no Twitter que haviam se frustrado com o final, mas isso só me deixa mais curioso.
Beijos
Cooltural

Responder

Bruna Oliveira - 30, agosto 2013 às (01:18)

Nossa, já vou correr atrás desse livro, fiquei muito curiosa, sério! Preciso ler *–*

Responder

Gabriela C. - 30, agosto 2013 às (16:37)

Li o livro “Julieta Imortal” que tem pontos parecidos com os desse livro, e também é um livro ótimo! Quero muito ler “Todo dia”… creio que vai ser ótimo!

Responder

beteavsantos - 11, outubro 2013 às (18:10)

não fica meio confuso esse negócio de não ter corpo? mas pelo que descreveu me interessou muito, gosto desse tipo de leitura. tenho a série Fallen e os imortais que é mais ou menos assim mas adorei o enredo !!! vai ser o próximo da minha lista de compra que só tem uns 30 livros !!!! kkkkk

Responder

Samuel Henrique - 11, outubro 2013 às (18:13)

Nunca li nenhum livro do autor e também é a primeira resenha que leio deste livro, mas Mi, você com certeza despertou minha curiosidade. Gosto desse tipo de livros que “mechem” com nosso emocional, já adicionei aos “desejados” o livro Todo Dia.

Beijos.

http://blogliterariopalavrasaovento.blogspot.com/

Responder

Mayara Pereira - 11, outubro 2013 às (18:29)

Não conheço o autor, mas tanto a sinopse quando as críticas e as resenhas positivas que vejo do livro o vendem com facilidade. Fora que o enredo parece do tipo que te envolve por ser uma coisa nova, já tem assuntos que atingiram suas cotas de livros. Quero muito ler, já foi pra wishlist.

Responder

Tâmara Moya - 11, outubro 2013 às (18:32)

Oi flor
Nossa menina, fiquei impressionada com a resenha! Esse livro parece ser lindo!!! A linguagem parece ser fantástica, adulta, poética. As palavras de autor parecem ser intensas, profundas e nos levam a variadas reflexões sobre a vida e o ser humano. Outro ponto que notei é que em Todo dia os personagens são maduros, coerentes e intensos.
A premissa do livro é GENIAL! De onde David Levithan tirou essa ideia de um personagem acordar a cada dia no corpo de um ser ser humano diferente? Com certeza será prazeroso acompanhar tantos personagens em seu cotidiano.
Acredito que Todo dia nos leva também a refletir sobre nossa própria vida, sobre nossos próprios sentimentos e relacionamentos.
Quero muito esse livro!
Adorei a resenha
Bjus

Responder

Ingrid Sodré - 11, outubro 2013 às (19:28)

Li várias resenhas sobre esse livro e todas constavam criticas positivas a respeito dele. Não foi preciso ler para me cativar com o enredo. Embora ainda não tenha lido, sei que trata-se de uma história diferente de qualquer uma que já conheci, já adicionei o livro para a minha wishlist. Devo dizer que há alguns aspectos que me atrairam mais, um deles foi o fato da personagem principal não ter uma forma, nome e sexo definido. Além do mais, parece ser uma história que flui muito fácil, uma vez que prende a atenção do leitor. A sinopse é incrível, assim que tiver oportunidade, lerei com certeza.

Responder

Nessa - 11, outubro 2013 às (19:48)

Oi Mi!
Eu ainda não o livro, mas só pela resenha já deu pra perceber que a história é incrível!
O autor foi super criativo ao cria-la, nunca vi história parecida.
Quero ler o mais breve possível e espero gostar o tanto quanto você gostou!
Beijos 😉

Responder

Ivi Campos - 11, outubro 2013 às (22:26)

Mi, este livro foi uma das melhores leitura, não só de 2013, mas da minha vida e confirmou uma série de pensamentos que eu já alimento a muito tempo. Foi intenso viver a agonia do A e torcer para que ele encontrasse um meio de viver o amor pela Rhiannon, mas também fiquei esperando as respostas das questões que se levantaram ao longo da narrativa e elas não vieram, mas isso também não afetou minha impressão do livro. Agora estou buscando tudo do David Levithan pra ler. Adorei!!!

Responder

romass - 12, outubro 2013 às (00:08)

Adorei a resenha!
Muito ansioso pra ler!^^

Responder

Cris Aragão - 12, outubro 2013 às (03:17)

Eu adorei a premissa do livvro, mas realmente gostaria de uma explicação por mais inusitada que fosse para o que acontece com A. De qualquer forma esse livro depertou muito a minha atenção e ele já etá na minha lista de desejados.

Responder

Vitória Katherine - 12, outubro 2013 às (14:42)

Ótima resenha! Tô doida pra ler esse livro faz um tempão, deve ser muito difícil pro/pra A viver desse jeito..

Responder

Shadai - 12, outubro 2013 às (19:51)

Adorei sua resenha, pois que bom ler algo tão positivo sobre um livro que quero muito ler.
Acho a premissa dele fantasticamente original e interessante. Mas, achei que o desenrolar seria ruim por se tratar de um romance adolescente, que geralmente, costuma ser muito exagerado.
Pelo jeito, me enganei, e o romance é lindo, que nos pega de jeito.

Responder

Larissa Lins - 12, outubro 2013 às (21:33)

Achei suuuuuuuper interessante o que o autor propôs nesse livro, não sei se tem algum livro com a “mesma” história, se é que me entende, se tem eu nunca vi e apesar dos pontos negativos citados não creio que tenha tirado toda a maravilha que deve ser essa história, eu me identifico muito com as tuas leituras e com os teus gostos e fiquei muito empolgada pra ler depois de ver que você amou esse livro e depois de ser tãaaaao recomentado por ti entrou pro topo da wish list o/

Responder

Aline Rodrigues - 13, outubro 2013 às (01:25)

Oi Aione, preciso falar que fiquei mega curiosa para ler?
espero me apaixonar pela história ♥
Beijos

Blog Relíquias

Responder

Michele Vaz Pradella - 13, outubro 2013 às (15:37)

Livro lindo, capa maravilhosa, frases perfeitas e premissa incrível. Depois de tantas leituras, ainda consigo me surpreender positivamente. Esse é um dos livros que merece ser lido, relido, e relido milhares de vezes…

Responder

Lucas Kammer Orsi - 13, outubro 2013 às (20:00)

Mi,
confesso que sua resenha me tocou profundamente. Acho que o livro tocará também. A maneira que você falou do livro, principalmente na questão que sem passado ou futuro não somos ninguém me deixou em profunda reflexão. Sou obrigado a concordar com isso. São as escolhas do passado que refletem no nosso presente, e é aquilo que plantamos no nosso presente é que determinará o nosso futuro.

Achei super bacana a proposta do David. Original e instigante, como você disse na sua resenha. Foge daquelas histórias clichês que estamos carecas de conhecer. Não li nenhum livro dele, mas Todo Dia entrou para a lista de desejado, com
certeza.

Beijos,
Lucas
ondeviveafantasia.blogspot.com.br

Responder

Pós Realidade - 13, outubro 2013 às (22:20)

Imaginei uma coisa totalmente diferente quando li o título do livro.
Acho que não gostaria viver na “pele” do protagonista, até porque ele não tem uma “pele”. Parece ser uma história linda, mas triste ao mesmo tempo. Estou curiosa pra lê-lo.

Beijos,
posrealidade.blogspot.com.br

Responder

Caroline Rodrigues - 14, outubro 2013 às (01:15)

Nossa Mi, esse livro ja pulou pros meus top desejados, só vc falando que acabou a narrativa chorando litros já me cativa, mas parece não ser apenas a historia de amor a responsável por todo esse chororô certo, seria mais pela historia de A mesmo pelo que intendi, assim deve ser diferente dos que eu costumo soluçar de tanto chorar !! hehehe bom, como vc falou a premissa realmente é fantástica, nós que lemos e temos taaantos livros pra ser lidos adoramos uma temática inovadora neh =)

bjus

Responder

Vanessa Grandin - 14, outubro 2013 às (12:21)

Terminei de ler esse livro e fiquei com um nó na garganta!!!!
No começo da leitura, não havia me simpatizado com o A, mas depois me encantei por ele !!!
Não posso comentar muita coisa pra não dar spoiler, o que posso dizer é que amei o livro…….até essa falta de explicação sobre a origem do A não me incomodou nem um pouco……porque o valeu mesmo é entender a essência do personagem……muito, muito bom !

Responder

Amanda G - 14, outubro 2013 às (16:53)

Quando eu li a sinopse estranhei bastante a proposta do David , mas lendo sua resenha percebo que dá pra escrever um excelente livro em cima disso , basta essa ideia vir na cabeça de um cara competente.E pelo visto o David é esse cara.
Achei bacana também a ideia do David fazer do ‘A’ uma coisa universal , sem genero , mostrando que todo mundo pode se sentir como o A , alguém sem lugar definido que ainda nao sabe exatamente quem é e onde se encaixa no mundo …
Sua resenha só aumentou ainda mais meu desejo de ler este livro , já entrou para a minha wishlist e certamente será lido futuramente por mim pois a leitura promete 🙂

Responder

Victor Lacerda    - 15, outubro 2013 às (15:47)

Esse livro parece incrível, ando lendo resenhas bastantes positivas.
Isso de mudar de corpo todos os dias é super criativo, e a capa do é linda.
Espero ler em breve !
leitorinsaciavel.blogspot.com

Responder

Franciele de Santana - 15, outubro 2013 às (19:06)

Ownm fiquei louca para ler ele, livros que trazem uma mensagem de vida que nos faz refletir sempre me atraiu, se o pouco que você passou já me fez repensar algumas coisas, imagine o que está por vir com a leitura de todo o livro. Parabéns pela resenha.

Responder

B Anjos - 15, outubro 2013 às (19:57)

Este comentário foi removido pelo autor.

Responder

B Anjos - 15, outubro 2013 às (19:58)

Oi Mi, adorei a resenha! Desde o primeiro momento eu senti muito vontade de ler esse livro, o tema me parece muito bom, a forma como o autor conseguiu desenvolver a história, cujo tema não é algo comum, também me chamou a atenção.Ah, sem contar que adorei a capa, e todo as criticas que leio sobre ele, são realmente muito positivas, um grande beijo.

Responder

Thais Belarmina - 17, outubro 2013 às (10:48)

Oi Mi, tudo bem?
Sim, mais um livro nacional que entrou para minha lista de compras graças a vc.
Quero muito ler esse livro graças a sua resenha viu?
O livro me parece ser maravilhoso, espero ter a oportunidade de le-lo, já que pra vc foi a melhor leitura do ano, talvez pra mim seja também.

luadesangue1.blogspot.com.br

Responder

Diogo L - 18, outubro 2013 às (13:01)

Adorei a resenha estou louco para ler esse livro!
Ele parece ser muito, muito bom!
http://meybealife.blogspot.com.br/

Responder

Lorena D'Andrade - 18, outubro 2013 às (14:27)

Deixa eu começar te dizendo que adoro tuas resenhas! Você escreve super bem e eu sinto que estou lendo o livro e sinto as emoções junto. Já li alguns livros que me deixaram meio desencontrada no final. Nos apegamos e vivemos a história com uma intensidade tão grande que quando acaba, parece que um pedacinho de nós foi arrancado, né? É preciso um tempo mesmo para pegar todos os pedacinhos e juntar. haha. Esse negócio de viver cada dia em um corpo me lembra A Hospedeira (que li há um bom tempo e não lembro bem da história, mas lembrei de algumas coisas em comum mesmo assim). Quero ler esse livro logo, pra me emocionar por completo também.

Sucesso no blog! Beijocas!

Responder

Júllia - 19, outubro 2013 às (20:32)

Oi,Aione!Adorei a resenha,estou muito ansiosa para ler o livro.A capa me fez interessar ainda mais por ele e também já ouvi falar que esse autor é um dos melhores,também adoro o gênero romance e adorei o jeito que você resenhou,me despertou bastante interesse em ler a obra.Adorei o fato que o protagonista acorda em outro corpo,isso me fascinou bastante 😀 Beijinhos

Responder

Cristiane de oliveira - 22, outubro 2013 às (19:05)

Gostei muito das suas palavras na resenha se já queria ler Todo Dia agora quero mais ainda, parece mesmo ser um livro incrivel e eu passaria por uma situação assim, como gosto de saber como são as pessoas acho que seria uma experiencia e tanto, fiquei muito curiosa com A.
Os cotes que escolheu são lindos gostei bastante, a capa também é linda.

Responder

aline cristina - 23, outubro 2013 às (16:25)

Nossa, me parece ser um livro muito bom, a trama é bem interessante.
Nunca imaginei uma pessoa sendo todo dia um personagem diferente, um dia sendo mulher em outro um homem, tbm em lugares diferentes, convivendo todos os dias com pessoas diferentes, muito interessante..
Fiquei curiosa pra saber se quando “A” acorda sendo uma pessoa ele faz tudo que aquela pessoa costumava fazer no dia-dia, ou não..
Quero muito ler.. Já adicionei a minha lista de leitura =)

Responder

Vitória Bulgarelli - 24, outubro 2013 às (00:08)

Este comentário foi removido pelo autor.

Responder

Vitória Bulgarelli - 24, outubro 2013 às (00:17)

A história me parece ser muito intrigante, emocionante e que mexe com nossos sentimentos mais profundos. Isso da história prezar que temos sempre que viver o presente, pois não sabemos o que vem no amanha, é algo que nos faz pensar e refletir. Penso como deve ser difícil para A acordar cada dia em um corpo diferente, sem saber quem realmente é nem de onde veio, tendo que aceitar e viver cada dia em um corpo, em um lugar diferente, em uma vida diferente. Imagino como deve ser complicado para ele ter de conviver com isso.

Responder

miriam73 - 25, outubro 2013 às (14:19)

Na realidade o livro é mais que criativo é brilhante. O livro deixa claro que temos que viver o hoje, porque não sabemos como será o amanhã, podemos não acordar no dia seguinte. Fiquei um pouco triste por A não ter seu relacionamento com Rhiannon resolvido.
Nome de seguidora: Miriam Guiraldelli

Responder

Nardonio - 25, outubro 2013 às (14:52)

É impressionante a quantidade de resenhas positivas que tenho lido em relação a esse livro. Creio que apenas uma, até agora, não foi tão positiva assim. Confesso que no início, achei bem estranho essa questão de “A” não ter um corpo, ou gênero. Mas depois vi a criatividade e, acima de tudo, a essência do que o Levithan queria passar. Só posso dizer que quero muito ler em breve.

@_Dom_Dom

Responder

Edna Dias - 25, outubro 2013 às (16:40)

Nossa. Adorei a recomendação final. Já li muitas resenhas e várias comentam o fato de algumas questões ficarem sem respostas. Será que terá continuação? Mesmo assim o livro é muito bem aceito e elogiado. Acho que pela estória ser de um personagem que acorda todo dia em um corpo diferente e todas as emoções e situações envolvidas empolgam e dão este aspecto arrebatador a estória.

Responder

Gislaine Silva - 26, outubro 2013 às (17:23)

Gostei da resenha. Tinha muita curiosidade de ler esse livo e depois de ler a resenha só reforçou esse meu desejo.

Responder

Jakelynne Matos - 27, outubro 2013 às (12:19)

Gostei da sua resenha, acho que foi bem clara com o que podia contar… Mas não gosto de me deixar levar por uma história que vai contra a lógica da vida real… Tem muito a ver com o que a pessoa acredita no campo espiritual, por isso não sei se conseguiria me envolver assim como você com o/a personagem principal, fiquei na dúvida, rsrsrs.

Responder

Minha Velha Estante Adriana Roque - 27, outubro 2013 às (23:36)

Adorei a temática de Todod Dia, totalmente inusitada. Acho q poucas pessoas poderiam ter imaginado uma prisão tão diferente como essa q é estar preso ao corpo de pessoas diferentes a cada 24 horas. Bela resenha. Merece sim, ser lido!

Adriana Medeiros

minhavelhaestante1.blogspot.com

Responder

Stéph - 28, outubro 2013 às (17:12)

ADOREI a resenha, Mi. Me deixou louca para ler o livro.
A proposta realmente é muito criativa, diferente de tudo que tinha pensado. E também parece ser muito mais complexo do que imaginava, muito mais reflexivo, adorei a ideia.
Confesso que antes o livro não me chama atenção, não sei, talvez algo na capa que não gostei, mas sua resenha me convenceu, por ter falado com tanta paixão. Já está na minha lista de desejados.
Também adorei as quotes, beijos!
http://t.co/rKtsXfWyb6

Responder

Willian - 02, novembro 2013 às (19:18)

Bela resenha, resumindo de forma sucinta e inteligente, o conteúdo do livro, nos dando uma boa noção sobre o enredo, facilitando o entendimento e despertando o interesse dos leitores, vale a pena conferir.

Responder

Vitória Katherine - 15, janeiro 2014 às (11:43)

Amei o livro! Fico arrepiada só de lembrar, li por indicação sua, obrigada!

Responder

Talita Santos - 20, agosto 2014 às (19:51)

Oi!! Nossa, estou super hiper mega curiosa pra ler esse livro. Muitos blogs falaram dele, mas a sua resenha me deu mais vontade ainda de lê-lo. A temática é muito interessante, nos faz refletir bastante. E as quotes que você destacou são maravilhosas!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por