[Resenha] Não Brinque Com Fogo - John Verdon | Minha Vida Literária
03

set
2013

[Resenha] Não Brinque Com Fogo – John Verdon

Título: Não Brinque Com Fogo
Autor: John Verdon
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 400
Ano de Publicação: 2013
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

No ano 2000, um criminoso que ficou conhecido como Bom Pastor matou seis pessoas em estradas, dentro de seus carros em movimento. Na época, ele enviou um manifesto à polícia no qual deixava claras suas motivações: uma cruzada solitária contra a ganância. Após o sexto assassinato, no entanto, encerrou a matança e nunca foi descoberto. Dez anos depois, uma jovem estudante de jornalismo está fazendo um documentário sobre os familiares das vítimas quando coisas estranhas começam a acontecer em sua casa. Objetos são trocados de lugar, maçanetas são afrouxadas, luzes se apagam sozinhas. Assustada, ela contrata Dave Gurney como consultor. Depois de ler o material sobre o caso – incluindo o perfil psicológico do assassino elaborado pelo FBI –, o detetive coloca em dúvida toda a lógica da investigação. Ao confrontar os agentes responsáveis, porém, Dave percebe que está mexendo em um ninho de vespas, o que fica evidente quando até pessoas que o apoiaram no passado se voltam contra ele. Agora seu único aliado é o antigo parceiro Jack Hardwick, um policial grosseirão e debochado que não esconde seu desprezo pelas autoridades. Com sua ajuda, Dave tem acesso aos relatórios confidenciais do caso e começa a própria investigação. Mais uma vez, ele se colocará em risco enquanto tenta provar seu ponto de vista e capturar o criminoso. Além de reunir todas as qualidades da série Dave Gurney – personagens bem construídos e uma admirável engenhosidade narrativa –, “Não Brinque Com Fogo” vai além: é um lembrete do poder da fé em si mesmo num mundo onde isso é cada vez mais raro.

Não Brinque Com Fogo é o terceiro volume da série protagonizada pelo detetive aposentado David Gurney, personagem criado pelo americano John Verdon. Como os casos relatados em cada livro são independentes, eles podem ser lidos fora de ordem sem que haja prejuízo da compreensão do enredo. Contudo, recomendo que a sequência seja seguida, uma vez que, assim, é possível conhecer mais a fundo o detetive e suas motivações, já que há uma clara importância, em sua vida, dos fatos cronológicos ocorridos em cada um dos livros, e isso pode afetar o envolvimento do leitor com a história e os personagens.
Desta vez, John Verdon demorou um pouco até conseguir fazer com que eu mergulhasse por completo no enredo. Talvez, o motivo para isso tenha sido uma ligeira diferença da apresentação do caso nesse volume em comparação aos primeiros: enquanto neles Dave Gurney foi contatado para ajudar a desvendar casos recentemente acontecidos, em Não Brinque Com Fogo uma jornalista conhecida de Gurney pede seu auxílio para orientar sua filha, estudante de jornalismo, em seu projeto sobre o Bom Pastor, serial killer cujos crimes assombraram o país há 10 anos sem que sua identidade jamais fosse descoberta. Ao mesmo tempo em que, em um primeiro momento, essa premissa demorou a me envolver, foram justamente os pontos abertos do caso, notados pelo detetive, que acabaram por ganhar minha atenção ao longo do enredo: eu simplesmente precisava entender todo o mistério, e quanto mais pontas soltas eram reveladas, mais curiosa eu me sentia e mais vidrada na história eu ficava.
Também, o autor contou com um importante fator para despertar ainda mais a curiosidade do leitor: seriam as pontas soltas da história realmente relevantes ou apenas frutos de uma instabilidade psicológica e emocional do detetive? Costumo dizer que é esse panorama emocional um dos pontos que mais me agrada na série, e ele foi reafirmado em mais esse volume. Sendo assim, novamente afirmo a importância de se ler os livros em ordem. Aqui, o estado emocional do protagonista é um resultado direto dos acontecimentos de seus dois últimos anos de vida, relatados em Eu Sei O Que Você Está Pensando e Feche Bem Os Olhos, principalmente nesse último. Ainda que o resumo dos fatos ocorridos no segundo livro seja exposto em Não Brinque Com Fogo, toda a profundidade desenvolvida por Verdon é perdida, caso a leitura não seja realizada.
Como já dito, o caso foi ganhando minha atenção aos poucos e tentei – sem sucesso – elaborar as mais diversas teorias junto de Gurney. Ao final, o autor me trouxe uma sensação semelhante sentida ao final de Eu Sei O Que Você Está Pensando, um misto de surpresa com a impressão de que a simplicidade, na maioria das vezes, é a melhor resposta para complexos desafios.
Aos amantes do gênero ou interessados em conhecê-lo, John Verdon é certamente um nome a ser indicado. Sua narrativa é detalhada e bem construída, resultando em uma leitura mais lenta – mas não cansativa -, envolvente e que retrata histórias bastante inteligentes. O diferencial da série está em seu complexo protagonista e na forma de como são trabalhadas suas emoções e relacionamentos, principalmente com sua esposa Madeleine.
Uma pena que este seja um lançamento, porque já mal posso esperar pelo próximo volume da série, ainda sendo finalizado, conforme dito na entrevista dada pelo autor para o blog parceiro Cooltural.




Deixe o seu comentário

25 Respostas para "[Resenha] Não Brinque Com Fogo – John Verdon"

Alice Aguiar - 03, setembro 2013 às (14:10)

pow uma pena q seja lançamento, é ruim quando amamos um livro e o próximo vai demorar pra lançar
gostei da rsenha o livro parece ser bom
http://www.seguindoocoelhobrancoo.com.br/2013/09/top-comentarista-setembro.html

Responder

Gabriela C. - 03, setembro 2013 às (15:16)

Amo livros assim, e tô muito interessada na série do John Verdon! Sou viciada na série Alex Cross do autor James Patterson, que segue a mesma linha… certamente a do John Verdon não vai me decepcionar! ^^

Responder

Fabi Liberati - 03, setembro 2013 às (17:21)

Oie Mi, eu sou muito curiosa pra ler essa série mas sempre que vou fazer uma comprinha acabo deixando para depois hahahaha.
Eu sei o quanto é ruim quando agente ama tanto um livro e a sua continuação ainda nem foi finalizada =/
Eu adoro livros desse gênero e sei que esse não vai me decepcionar =D
Beijinhos

Responder

Amanda Z. Dutra - 03, setembro 2013 às (22:38)

Eu ainda não comecei a ler esses livros (na verdade achei que uma trilogia e esse era o último, nossa o duro é esperar mesmo os próximos… :S)
Adorei sua resenha Aione, você me deixou com mais vontade de ler essa série….

Beijo

Responder

Anne Viana - 04, setembro 2013 às (00:35)

Parece ser bem interessante..nc li nada desse autor,vou procurar saber mais sobre esses livros =)

http://livroaoavesso.blogspot.com.br/

Responder

Nara Brasil do Amaral - 04, setembro 2013 às (01:57)

Não é muito meu tipo de leitura, pois não consigo me prender a livros de detetives e investigações criminais, apesar de você ter dito que esse livro tem pontas soltas ao longo da história que prendem a curiosidade do leitor, eu simplesmente não consigo me interessar por livros desse gênero :/ …
Sei que tenho que mudar isso, mas nesse momento não quero me forçar a ler nada e quem sabe algum dia eu acabe gostando e sendo uma fã dos livros de John Verdon!!

Responder

Raquel Machado - 04, setembro 2013 às (19:01)

Oi flor,
Tudo??
Ainda não li nada desse autor mas me parece bem interessante e espero ter o prazer de ler algo do mesmo logo.
Bjss
Raquel Machado
Leitura Kriativa
leiturakriativa.blogspot.com

Responder

Cristiane Dornelas - 05, setembro 2013 às (00:15)

Odeio essa demora pra lançar continuação, é uma birosca! Mas quando o livro é bom então? Putz! Eu por exemplo esqueço tanta coisa que quando vou ler os próximos fico boiando. Odeio isso =/
Esse novo já vi que segue sendo tão bom quanto os outros dele. A trama tem jeito de prender, o autor escreve bem mesmo. Agora é esperar por mais.

Responder

Ruti - 05, setembro 2013 às (14:34)

Eu ainda não li nada do autor, mas tenho muita vontade, bem o gênero que livro que adoro! Gostei da resenha, deu mais vontade ainda 😀

Responder

Nika Moura - 05, setembro 2013 às (17:11)

Olá, Mi!
Como estou curiosa para ler essa série. Sempre vejo você falando destes livros e do autor, mas nunca consigo compra-los para poder, enfim, ler. Concordo com você no ponto de ser melhor ler os livros na ordem, sempre falta algum fiozinho sobre o personagem. É uma pena que eu não possa debater sobre o livro, mas a sua resenha atiçou ainda mais a minha curiosidade.
Um beijo!

Responder

Gabriela - 05, setembro 2013 às (23:17)

Vixe! Não sou amante do gênero nem senti vontade de ler! Pelos outros comentários meus em resenhas dá pra perceber, ele realmente não me chamou atenção, assim como os outros do gênero. Mas parece ser bem bacana pra quem curte, assim como vc.

Responder

Giselle Oliveira - 09, setembro 2013 às (12:36)

Não conhecia a série e nem o autor. Não leio muitos livros do gênero mas não é por não acha que a historia é ruim, é só por não ser meu gênero favorito acabo deixado os livros na prateleira. Gostei da sinopse tem tudo para ser um ótimo livro.
A capa me lembrou o Jack Bauer de 24 horas.

Responder

Paula Barbosa - 10, setembro 2013 às (13:32)

Legal. Com certeza é um must para esse ano 😀

Responder

Jéssica Ribeiro - 11, setembro 2013 às (15:55)

Ah, não fui cativada pelo livro não sei bem porque! Acho que o gênero não é bem a minha cara, ou a história desenvolvida não me agrada! Certamente, não pretendo lê-lo!

Responder

Camila Vasconcelos - 13, setembro 2013 às (20:11)

O únicos livros que já li desse gênero foram os do Harlan Coben, os quais são muito envolventes. Esse livro parece interessante e o fato de não ter ligação com os outros, me faz querer ler. Ótima resenha, Mi! Beijos

http://entrefraseserabiscos.blogspot.com.br/

Responder

Lalá Hayame - 15, setembro 2013 às (04:45)

Sou louca pra ler Eu sei o que você está pensando.
Tá na minha lista já faz um tempão.
Já até esqueci quando foi a última vez que li um livro de mistério, tô numa fase muito menininha, onde os romances ocupam todo meu tempo.
Adorei a resenha Flor!
Bjus!!

http://apequenaquele.blogspot.com.br/

Responder

Selma Marina - 16, setembro 2013 às (14:57)

Achei interessante toda a história, adoro autores que sabem ser detalhistas, porque assim conseguimos nos imaginar melhor e viajamos literalmente na história. Eu amo mistérios, confesso que nunca li nenhum livro do autor, mas quem sabe depois desse eu não leia outros não é? (: a sua resenha me deixou muito curiosa!

Responder

Tahis - 23, setembro 2013 às (04:25)

Olá Mi!
Sou doida para ler ” Eu sei o que você está pensando e Feche bem os Olhos”, adoro um suspense, e que pena que esse não te agradou muito, odeio quando isso acontece, ainda mais sendo um livro sobre investigação, que sempre nos deixa vidrados na leitura! Espero poder ler em breve!

Beijos!

Responder

Michele Vaz Pradella - 01, outubro 2013 às (22:14)

John Verdon parece ser um dos mestres do romance policial contemporâneo. Curiosa pra ler!

Responder

Airton Sena - 02, outubro 2013 às (00:17)

A coleção já é encantadora e me fascina desde as capas e as sinopses, mas com suas resenhas… Você simplesmente vê que precisa lê-la!

Responder

SR. LIVRO - 09, outubro 2013 às (01:21)

Este comentário foi removido pelo autor.

Responder

SR. LIVRO - 09, outubro 2013 às (01:33)

Incrível!

Responder

Michelli Santos Prado - 25, outubro 2013 às (17:59)

Parabéns pela resenha!!
Não li nenhum livro do autor, mas quando vi que era um gênero policial, fiquei bem animada e curiosa…Pois é meu gênero de leitura preferido =)
Já está na minha lista de desejados e espero conferir em breve!!

Responder

Paulo - 18, dezembro 2013 às (14:47)

Eu li os três livros. O primeiro é excelente, o segundo excepcional, mas o terceiro deixou a desejar, acho que o autor rodeou muito para engrenar a história – acho que estava mal acostumado com o “Feche bem os olhos”. De qualquer forma, vale a leitura.
Uma dica para a dona do site: O aliciador, de Donato Carrisi. Se vc gostou do Verdon, vai adorar esse livro.

Responder

Leandro Negrelli - 02, dezembro 2014 às (14:27)

Adoro o gênero romance policial. O problema é que o Verdon começou muito bem, mas no terceiro livro, no meu entender, virou caça-niquel. Acho o terceiro livro, em especial a solução do enigma, um plágio de Agatha Christie, na obra “Os Crimes do ABC”.

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil