Delírios Sobre Se Eu Fosse Leitora Da Minha Vida | Minha Vida Literária
12

dez
2013

Delírios Sobre Se Eu Fosse Leitora Da Minha Vida

Após a leitura de Delírio, de Lauren Oliver, fiz um post com minhas reflexões e o chamei de Delírios Após “Delírio”. Tive uma boa resposta dos leitores e, alguns, me pediram para “delirar” mais vezes.
Sempre gostei de encarar minha vida como se fosse um livro, com direito a vários capítulos e obstáculos culminando em um final – o encerramento de uma etapa – para, logo em seguida, recomeçar em um novo volume. Me pego, até mesmo, descrevendo mentalmente momentos, criando diálogos e narrações, interpretando sensações e pequenos acontecimentos intercalados em primeira e terceira pessoa. Eu nunca disse ter uma mente normal…
Mas viver uma história é muito diferente do que fazer sua leitura, e às vezes me pego pensando que gostaria de ser leitora da minha (sabe, ter um livro como aquele da Tamara, de O Livro do Amanhã?)

Quando leio, é comum solucionar enigmas e prever desfechos. Seria ótimo poder desvendar alguns mistérios na vida real, situações que, por mais que eu pense por horas e dias a fio, talvez nunca chegue a uma conclusão. Talvez eu até me aproxime das verdades, talvez as acerte em cheio. Porém, nem sempre há um conflito final, quando tudo é revelado, e assim o mistério permanece para sempre, até enfraquecer, perder sua importância, e dar lugar a um novo suspense. Mas, até que isso aconteça, fica ali, rondando os pensamentos e os consumindo, mostrando-se presente mesmo quando deveria estar quietinho em seu canto.
É fácil, em uma leitura, prever os próximos passos, ainda que não exatamente sejam definidos quais. Se o livro está no começo, no meio ou no fim, automaticamente identificamos o que pode ou não acontecer e já começam as suposições. Mas na vida real, o mais frequente é que, quando esperamos, nada aconteça, e quando estamos despreparados, somos atingidos por uma avalanche de eventos.
E, como a maior das ironias, me vejo desejando os odiados spoilers. Às vezes seria tão mais prático e tão menos dolorido saber o que vai acontecer, horas de ansiedade e infrutíferas expectativas poderiam ser evitadas com uma única resposta.
Talvez a maior diferença entre a vida e os livros é que esses são escritos por somente um autor, poucos os que são criados em conjunto. Uma só pessoa para tomar as decisões de cada personagem, podendo modificar cada acontecimento em favor de sua própria vontade. Na vida real, somos autores e personagens e só atuamos em nossos próprios enredos, sem controle nas histórias além das nossas. A vida real é uma antologia. Na vida real, existe o livre-arbítrio.
Provavelmente seja essa a graça em viver: essa imprevisibilidade. Talvez, o sentido de tudo esteja em aprender com cada decisão, como se cada situação fosse um novo teste. E, no fim, é isso o que me cabe: me contentar em ler os capítulos passados enquanto escrevo uma nova página por dia, para não correr o risco de deixar meu livro em branco por delirar demais sobre as cenas dos próximos capítulos…




Deixe o seu comentário

8 Respostas para "Delírios Sobre Se Eu Fosse Leitora Da Minha Vida"

Lili - 12, dezembro 2013 às (11:40)

Mi, adorei o texto. Concordo que seria bom pular as páginas e saber o que acontece, para então voltar ao momento mais tranquila.
Achei bonito dizer que somos autores e personagens, porque eu também às vezes me pego “romanceando” minha vida. Querendo descobrir respostas, comparando minhas vivências com a ficção, criando cenas na minha cabeça e seus diálogos.

Não sei se a graça de viver está na imprevisibilidade, porém é isso que temos. Cabe-nos aproveitar.

Beijos,
liliescreve.blogspot.com

Responder

Renato Jardim. - 12, dezembro 2013 às (19:01)

Então eu não sou o único a imaginar esse tipo de coisa e você não está sozinha nesse mundo imaginário (ou não).

Estou me sentindo bem por constatar que não sou louco e que por mais que pessoas que fazem isso sejam raras, elas existem! o/

Beijo, Aione!

http://www.cabecadetinta.com

Responder

Miriam - 12, dezembro 2013 às (19:24)

Oi, Mi!

Acho que eu sou normal demais então… queria ser mais louca e imaginar a vida como um livro, assim como você.

E os spoilers da vida ajudariam em muitos momentos, talvez evitassem alguns sofrimentos… queria não ser tão normal…

Mas como dizem, olhando bem de perto todo mundo é meio louco! Talvez eu começe a imaginar a minha vida como um livro também!

Adorei seus ‘Delírios’!

Livros, Bobagens e Guloseimas!@Livrosbg

Responder

Juliana Ramirez - 12, dezembro 2013 às (20:29)

Eu sempre imagino essas coisas também! É sempre reconfortante saber que eu não sou a unica!
Muito bom o seu texto, parabens!

depoisdeumlivro.blogspot.com

Responder

Van Castro - 12, dezembro 2013 às (21:31)

Um dos seus textos que mais gostei de ler 😀
Seria realmente bom saber os spoilers, pra mudar o final se ele fosse ruim… mas aí perderia a graça do livro! 😉

Responder

Oliveira - 13, dezembro 2013 às (22:28)

Bonito Aione, muito lindo!
É a vida é imprevisível. E amei quando disse que na vida real somos autores e personagens!

Responder

Stéph - 16, dezembro 2013 às (01:30)

Que texto lindo Mione! Super me identifiquei.
Também já pensei em como seria minha vida se estivesse em um livro, mas apesar de tantas vantagens e da certeza de um final feliz (ou não) também prefiro essa vida imprevisível.
Beijos.
http://vidadaleitora.blogspot.com.br/

Responder

Louise Demetrio - 02, janeiro 2014 às (18:34)

Adorei seu texto ! Concordo que muitas vezes a curiosidade fala MUITO mais alto, e a vontade de saber sobre o que temos de enfrentar no futuro é grande. Mas se não fosse por toda essa incógnita nossa vida não seria tão surpreendente !
Beijos

Responder

Últimas Resenhas

Calendário de posts

dezembro 2013
S T Q Q S S D
« nov   jan »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Participo

<div class="titulo participo"><h6>Participo</h6></div>

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por