[Resenha] A Cabeça do Santo - Socorro Acioli | Minha Vida Literária
20

maio
2014

[Resenha] A Cabeça do Santo – Socorro Acioli

A_CABECA_DO_SANTO_1391530780P
Título: A Cabeça do Santo
Autor: Socorro Acioli
Editora: Companhia das Letras
Número de Páginas:  168
Ano de Publicação: 2014
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Pouco antes de morrer, a mãe de Samuel lhe faz um último pedido: que ele vá encontrar a avó e o pai que nunca conheceu. Mesmo contrariado, o rapaz cumpre a promessa e faz a pé o caminho de Juazeiro do Norte até a pequena cidade de Candeia, sofrendo todas as agruras do sol impiedoso do sertão do Ceará. Ao chegar àquela cidade quase fantasma, ele encontra abrigo num lugar curioso: a cabeça oca e gigantesca de uma estátua inacabada de santo Antônio, que jazia separada do resto do corpo. Mas as estranhezas não param aí: Samuel começa a escutar uma confusão de vozes femininas apenas quando está dentro da cabeça. Assustado, se dá conta de que aquilo são as preces que as mulheres fazem ao santo falando de amor. Seu primeiro contato na cidade será com Francisco, um rapaz de quem logo fica amigo e que resolve ajudá-lo a explorar comercialmente o seu dom da escuta, promovendo casamentos e outras artimanhas amorosas. Antes parada no tempo, a cidade aos poucos volta à vida, à medida que vai sendo tomada por fiéis de todos os cantos, atraídos pelo poder inaudito de Samuel. Em meio a esse tumulto, ele irá descobrir a verdade sobre o desaparecimento do pai e se apaixonar por uma voz misteriosa que se destaca entre as tantas outras que ecoam na cabeça do santo. Já consagrada por seus livros infantojuvenis, a escritora Socorro Acioli apresenta este seu primeiro romance dirigido ao público adulto, desenvolvido na oficina Como Contar um Conto, promovida por Gabriel García Márquez em Cuba.

Originalidade é uma excelente palavra para definir o livro A Cabeça do Santo da autora Socorro Acioli. O livro conta a história de Samuel, um rapaz que até então vivia em Juazeiro do Norte, mas que, em face da morte da sua mãe, se vê diante de uma grande jornada. Antes de falecer, ela lhe fez um pedido: que ele acenda três velas para os santos de sua devoção e que vá até o vilarejo de Candeia para encontrar o pai e a avó que nunca conheceu.

Até aí tudo bem, parece uma história comum de uma pessoa em busca de parentes distantes. Porém, o mais incrível está por vir. Samuel faz o caminho a pé, passando por diversas intempéries ao longo do caminho. Mas, ao chegar, logo se vê sem ter um lugar para ficar, até encontrar uma gruta um tanto diferente: uma enorme cabeça oca de um santo, o Santo Antônio. Ali ele se abriga.

Samuel faz da cabeça oca o seu lar temporário; no entanto, o que ele não esperava é que alguns acontecimentos incomuns começassem a ocorrer em sua mais nova moradia. Em determinado momento o rapaz descobre que, de dentro da cabeça oca, ele consegue ouvir as preces que várias mulheres fazem ao santo falando de suas angústias amorosas.

É justamente esse toque de fantasia que faz toda a diferença na narrativa, que, por sinal, é muito fluida e envolvente, além de ser bastante poética, o que me agradou bastante. A meu ver, a autora foi incrível na construção do enredo, nos despertando a cada capítulo uma curiosidade por vezes angustiante, pois queremos saber em que essa história toda vai dar. Contudo, tal angústia é boa, já que ela permite, também, que possamos dar asas a nossa imaginação. Pude desenhar em minha mente todo o percurso de Samuel, as cenas com os moradores da pequena cidade e principalmente a cidade, que me pareceu uma cidade fantasma daquelas de filmes antigos. Consigo facilmente imaginar a adaptação dessa história ao nosso cinema nacional.

Destaco também o trabalho da editora que conseguiu deixar o livro ainda mais atrativo: ele veio envolvido em uma luva amarela e por dentro tem uma linda foto com a paisagem do sertão nordestino. A diagramação está incrível e o conjunto da obra deixou a leitura ainda mais interessante e envolvente. Sem falar que o incentivo às publicações de autores nacionais por parte da Companhia das Letras também vem merecendo relevância, temos muitos bons escritores brasileiros no cenário atual e vale a pena se abrir a novos caminhos literários e conhecer um pouco mais do que tem sido produzido por aqui.

Nos agradecimentos do livro, a autora ressalta que suas primeiras ideias foram escritas para a oficina de criação e roteiro “Como contar um conto”, ministrada por ninguém menos do que o sensacional Gabriel García Márquez, em Cuba. Penso que a Socorro Acioli tenha um grande aporte teórico e de vivências na área da literatura que pode ser apreciado em suas mais diversas formas nesse livro, permitindo ao leitor adentrar num lugar pouco comum e se surpreender. A história me agradou em diferentes aspectos e recomendo se você deseja fazer uma leitura leve e diferente que dialoga com diversas vivências e experiências do ser humano.





Deixe o seu comentário

9 Respostas para "[Resenha] A Cabeça do Santo – Socorro Acioli"

Manu Hitz - 20, maio 2014 às (09:23)

Clívia, querida, que bom ver o livro da cearense Socorro Acioli aqui! Como conterrânea da talentosa escritora, fico feliz pelo sucesso que ela vem alcançando entre o público adulto, já que escreveu antes livros infantis.
Tb achei o enredo muito original! E com o aval de Gabo, um mestre, como não ficar curiosa com essa história? Já está entre os meus desejados!
Mesmo preferindo sempre, sempre os dramas, aqui vale a ousadia da autora em contar algo inusitado, instigante, curioso, com pitadas fantásticas. Como vc bem colocou, já podemos vislumbrar essa história adaptada para o cinema, seria genial!

Tem resenha minha aqui (sou colaboradora). Adorarei saber sua opinião. Beijo!
Ler para divertir

Responder

Edilza - 21, maio 2014 às (12:44)

Pela capa pensei que ia ser um livro chato (mania de julgar o livro pela capa). Mas o livro parece ter um toque bem legal de fantasia pelo fato de acontecer aquelas coisas com Samuel na gruta. Pena que é fininho!
Ótima resenha, Clivia!

Responder

Natan Marreiro - 25, maio 2014 às (19:29)

Ainda não li, mas fiquei encantado com a resenha. Sou cearense, e aqui há uma história parecida…
Na cidade de Caridade (CE) foi erguida uma estátua de Santo Antônio em cima de um morro, mas a cabeça da estátua caiu pouco tempo depois de a concluírem. Sempre que eu passava por essa cidade meus pais me mostravam a estátua e falavam que um homem morava na cabeça caída, falavam de reportagens feitas ali, falavam que um escultor de nossa cidade pretendia colocar uma cabeça de São Francisco na estátua de Santo Antônio… Eu ficava ‘viajando’ com essas histórias.

Responder

camila rosa - 26, maio 2014 às (02:48)

Nossa eu achei o livro super interessante, mas não sei se irei ler ele, parece ser super bacana, mas a ideia não me convenceu, não sei direito, mas quem sabe um dia eu mude de ideia não é mesmo, parabéns pela resenha.
Beijos!!!

Responder

Karolyne K. - 28, maio 2014 às (21:15)

Essa editora tem todo um capricho com sua obras, é lindo de se ver..
Mas realmente este livro não me chamou a atenção no momento, apesar de todas essas qualidades…. =/

Responder

Maria de Fátima Borges - 29, maio 2014 às (00:42)

Gostei muito da resenha.Parabéns! Amanhã estarei providenciando a compra do livro.

Responder

Neny - 01, junho 2014 às (08:58)

Eu ainda não tinha ouvido falar/nem lido nada a respeito do livro,
ele parece ser um lviro bom, com um tema interessante e falando muito de coisas bem nacionais, como santos e o nordeste.
Um livro com cara de cinema, curiosa pra ler,
também amo quando editoras publicam livros nacionais, acho super valido e tem crescido bastante pel oque noto, eu amo varios autores nacionais.
beijos.

Responder

FABRINE - 09, junho 2014 às (15:06)

Ao ver este livro não fiquei muito interessada, pela capa e pelo título. Mas sua resenha me encantou e estou muito curiosa para saber como são as preces das mulheres. Deve ser um livro fantástico e muito interessante. Amei!

Responder

José Marcos - 07, outubro 2014 às (08:11)

Olá Clivia Lira,

Gostei muito de sua resenha. Gostaria de comentar que a cidade em que se passa a história de “A Cabeça do Santo”, Candeia, é inspirada em duas cidades do Ceará: Caridade, onde existe uma estátua de Santo Antônio cuja cabeça se encontra no chão separada do corpo, e Cococi, uma cidade praticamente sem habitantes. Deixo, a seguir, o link dessas duas cidades no youtube:

a) Caridade
https://www.youtube.com/watch?v=grZYs9hzCKM

b) Cococi
https://www.youtube.com/watch?v=unfe0MWTyZc

Responder

Últimas Resenhas

Calendário de posts

maio 2014
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Participo

<div class="titulo participo"><h6>Participo</h6></div>

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por