[Resenha] Princesa Adormecida - Paula Pimenta | Minha Vida Literária
08

jul
2014

[Resenha] Princesa Adormecida – Paula Pimenta

Título: Princesa Adormecida
Autor: Paula Pimenta
Editora: Galera Record
Número de Páginas:  190
Ano de Publicação: 2014
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

“Era uma vez uma princesa… Você já deve ter ouvido essa introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas essa princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada romântica como são os contos de fada. Muito pelo contrário. Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim isso tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que de uma hora pra outra, tudo mudou. Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real, nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida. Se alguma vez passar por isso, saiba que você não é a única. Eu não conheço a sua história, mas a minha é mais ou menos assim…”

Se contos de fadas já costumam chamar a atenção e conquistar o coração das leitoras que gostam desse tipo de histórias – eu entre elas -, contos de fadas adaptados e modernos certamente são grandes atrativos para nós, tanto pela vontade de se deleitar, novamente, com um “Era uma vez…” que promete um “e viveram felizes para sempre” ao final, quanto pela curiosidade de conferir uma já conhecida história, porém escrita por uma nova visão. Sendo assim, ansiei pelo lançamento de Princesa Adormecida, releitura de Paula Pimenta para o conto de A Bela Adormecida, e pude me deliciar com a história de Áurea, ou Rosa, como é mais conhecida durante sua adolescência.
Falar da narrativa envolvente da autora é uma óbvia constatação, considerando que Paula é uma das escritoras brasileiras de maior renome atualmente. Contudo, não citar o quanto é fácil se envolver com a história por ela contada seria um erro maior. Em primeira pessoa, sua protagonista relata sua história, tendo, também, o apoio de diversas matérias de jornais para situar o leitor sobre alguns detalhes importantes na trama.

 

“Deitei na minha cama e por uns quinze minutos fiquei sozinha no escuro, sentindo muita pena de mim mesma. Eu sabia que os meus tios só queriam o meu bem e que eu não deveria ter mentido para eles. Mas aquilo tudo era uma grande injustiça! Antes eu tivesse mesmo sido vítima de algum sequestro, como meus pais tinham inventado quando eu era criança, assim pelo menos eu teria alguma vida!”

página 50

 

Nas primeiras páginas, já tive minha curiosidade atiçada por não saber exatamente o que havia acontecido nos primeiros anos de vida de Áurea e pela própria personagem fazer certo mistério antes de explicar tudo ao leitor. Também, continuei curiosa para entender como Paula conseguiria ligar os pontos de sua história com o conto de A Bela Adormecida, e, assim como em Princesa Pop, seu conto em O Livro das Princesas, fiquei admirada em como ela foi feliz nesse quesito.
Os que, assim como eu, assistiram aos desenhos da Disney incansavelmente, não deixarão de notar todas as similaridades, tanto sobre o próprio desenrolar da história quanto, até mesmo, os nomes das personagens e seus papéis na trama. Áurea facilmente remete à Aurora, e o trunfo da autora, em minha opinião, foi transformar as fadas madrinhas da protagonista – Flora, Fauna e Primavera – em três tios amorosos e superprotetores – Florindo, Fausto e Petrônio.

Adorei a maneira de como Paula Pimenta conseguiu transportar todos os acontecimentos importantes de A Bela Adormecida para a história de Áurea, de maneira que fosse verossímil aos dias contemporâneos. É claro que, ainda assim, a história foge de nosso quotidiano, uma vez que a protagonista tem o sangue real correndo por suas veias e começou sua vida em meio a esse mundo. Ainda assim, após sua vinda ao Brasil, quando passa a viver como Anna Rosa, poderia facilmente ser uma adolescente qualquer – ainda que uma adolescente extremamente vigiada e protegida pelos tios. De qualquer maneira, Princesa Adormecida é um misto perfeito de uma história moderna com o conto que a originou, não deixando nada a desejar como conto de fada.

 

“Fechei os olhos com força. Eu tinha certeza de que aquilo tudo era uma alucinação. Eu precisava dormir de novo, para acordar na minha própria vida!”

página 124

 

Vale lembrar que, em muitos pontos, a história é previsível, tanto por já sabermos o desfecho de A Bela Adormecida quanto pelo próprio estilo de Princesa Adormecida. Assim, não é uma leitura para arrebatar o leitor com sua trama, mas sim para entretê-lo, agradá-lo e, possivelmente, surpreendê-lo pela capacidade da autora de transportar o mundo de Aurora para o de Áurea. Também, embora o livro seja voltado ao público infanto-juvenil, certamente é capaz de agradar leitores mais velhos que apreciem esse tipo de leitura.
Apenas um ponto não me deixou completamente satisfeita: a amizade de Áurea com Clara, sua melhor amiga. Na primeira parte da história, Clara é bastante presente e importante no desenrolar de muitos aspectos do enredo. Contudo, na segunda parte, ela é apenas mencionada em alguns momentos, não tendo uma presença efetiva, algo que não me convenceu, considerando a forte amizade entre as garotas. Ainda assim, não foi algo suficiente para diminuir o brilho do livro aos meus olhos.
Merece ser ressaltada a aparição de Cintia, a Dj Cinderela de Princesa Pop. Além de causar uma gostosa sensação por permitir esse reencontro e que saibamos um pouco mais sobre sua vida após o desfecho de seu conto em O Livro das Princesas, é sempre agradável ver a junção do universo de duas diferentes histórias. Também, me deixou curiosa para saber se, futuramente, teremos uma história apenas para Clara, já que, em determinado instante, é feita uma alusão a ela como se fosse a Branca de Neve.
De modo geral, Princesa Adormecida configura uma leitura agradável e leve, sendo uma ótima pedida para um entretenimento. É o tipo de leitura que causa admiração pela habilidade da autora em recontar uma já conhecida história dando ainda mais brilho a própria criada por ela. Um conto de fada moderno capaz de nos fazer relaxar, divertir e suspirar!




Deixe o seu comentário

14 Respostas para "[Resenha] Princesa Adormecida – Paula Pimenta"

Fernanda - 08, julho 2014 às (09:58)

Olá!!
Eu estava com um tremendo preconceito com esse livro desde que lia sinopse, não sei o motivo.Mas depois da sua resenha deu até vontade de ler um dia… rs

Responder

Lise - 08, julho 2014 às (11:54)

Ahhh Mi.. que delícia! Acho que todo mundo curte aparições de personagens. E eu fiquei muito satisfeita de ver que a história vale a pena!
Quero ver se leio logo.

Beijos!

liliescreve.blogspot.com

Responder

Crislane Barbosa - 08, julho 2014 às (16:11)

Oi!
A primeira coisa que li da Paula foi o conto da Dj Cinderela e achei fofo.
Queria que tivesse mais. rsrs…
Esse livro aprece bem fofo. Talvez eu leia “Princesa Adormecida”.
Quando ela lançar da “Bela e a Fera” lerei com certeza. É minha história de princesa preferida.
Beijão!

Responder

Edilza - 08, julho 2014 às (18:40)

Pela resenha achei um livro bem para passar o tempo, sem aprofundamento maior.
A escrita boa da autora só me deixou mais curiosa pra ler.
Mas eu não gostei da protagonista ficar explicando a vida dela aos pouquinhos, achei chato 😮
A capa é linda!
Amei a resenha!! Bjs <333

Responder

tagila gomes - 10, julho 2014 às (10:36)

Aione Logo que este livro foi lançado me bateu a curiosidade de lelo mas como a historia é previsível … fiquei com receio mas como você disse que mesmo sabendo tudo não interfere na historia agora eu vou da um ponto pra esse livro

Responder

Raquel - 10, julho 2014 às (15:34)

Oi flor,
Sou fã da Paula e esse e um dos livros que esta no topo da minha lista de desejados. Com certeza quero ler ele.
Beijos
Raquel Machado
Leitura Kriativa
http://leiturakriativa.blogspot.com/

Responder

Diane Ramos - 10, julho 2014 às (17:13)

Gostei bastante de sua resenha , ela até me convenceu á ler o livro ,pois já havia lido a sinopse e também outras resenhas em outros blogs e ambos me desanimaram a ler.
Vou ver se eu compro um exemplar , para minha estante hahaha

Responder

Neny - 10, julho 2014 às (17:48)

Eu pretendo começar a ler este livro em breve, ja comprei ele so esperando chegar o/o/o/
Adoro estas versões dos contos de fadas, você parece ter gostado muito da formna que a autora colocou esta versão no papel, espero gostar também.
E ela ter tios e não tia rs, achei legal esta mudada no genero rs,
beijos.

Responder

tamiris guimaraes - 17, julho 2014 às (20:11)

Oie aione tudo bem? Adorei a resenha, adoro os livros da paula ela é simplesmente d+ quero logo ler esse livro..

Responder

Letícia Souza - 19, julho 2014 às (20:06)

Oiee
Quero muito ler esse livro!
Nunca fui muito fã de princesas,desde pequena eu tenho algo contra elas,mas consegui gostar dessa história…adorei essa princesa toda moderna.
Contos de fadas modernos sempre foram do meu interesse mas aqueles mais históricos me remetem as princesas da disney que me fazem lembrar daqueles filmes horríveis que minhas irmãs assistiam 7 dias por semana,dai deve ter vindo meu trauma kkk
A Paula Pimenta é uma grande escritora,li apenas um livro dela ainda mas adorei,o modo como ela escreve te faz querer nunca mais desgrudar do livro,então tenho certeza que esse também é ótimo.
beijos

Responder

FABRINE - 21, julho 2014 às (12:54)

Sou doida para ter esse livro na minha estante e ter a oportunidade de ler.
Acho incrível ter os clássicos infantis de antigamente com um toque de tecnologia atual.
Parece bem levinho e gostoso de ler, assim como todos da Paula Pimenta.

Responder

Michele Lopez - 25, julho 2014 às (19:40)

Não gosto muito de conto de fadas, então o livro não me chamou a atenção. Porém, confesso que gostei bastante da capa do livro. Parece ser uma ótima leitura para quem gosta.

Responder

Karolyne Kazakeviche - 31, julho 2014 às (20:02)

Como já citei, gosto de leituras mais leves e clamas.
Algo para ler naquela tardezinha com tempo sobrando, sabes? Amo temáticas de princesas e comentam muito bem da autora. Então claro que quero ler =D

Responder

Fe Fernanda - 29, janeiro 2016 às (11:50)

Adorei a ideia de refazer contos, trazendo eles para a realidade atual

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por