[Resenha] A Vida do Livreiro A. J. Fikry - Gabrielle Zevin | Minha Vida Literária
18

jul
2014

[Resenha] A Vida do Livreiro A. J. Fikry – Gabrielle Zevin

Título: A Vida do Livreiro A. J. Fikry
Autor: Gabrielle Zevin
Editora: Paralela
Número de Páginas: 190
Ano de Publicação: 2014
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Uma carta de amor para o mundo dos livros “Livrarias atraem o tipo certo de gente”. É o que descobre A. J. Fikry, dono de uma pequena livraria em Alice Island. O slogan da sua loja é “Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”. Apesar disso, A. J. se sente sozinho, tudo em sua vida parece ter dado errado. Até que um pacote misterioso aparece na livraria. A entrega inesperada faz A. J. Fikry rever seus objetivos e se perguntar se é possível começar de novo. Aos poucos, A. J. reencontra a felicidade e sua livraria volta a alegrar a pequena Alice Island. Um romance engraçado, delicado e comovente, que lembra a todos por que adoramos ler e por que nos apaixonamos.

Sabe quando um livro consegue reunir uma série de elementos atrativos de uma só vez? Pois bem, esse é o caso. Além de ter tudo – tema, premissa e capa – para agradar a nós, leitores, ele retrata o amor pelos livros, mas consegue ir além e nos proporcionar momentos de muito prazer durante a leitura.
A.J. Fikry é dono da única livraria da pequena Alice Island. Apesar de ter apenas trinta e nove anos, ele já é viúvo e esse fato o tornou um homem amargurado e ranzinza no tratamento com as pessoas e no modo de conduzir sua vida. O seu gosto literário é bastante peculiar e seletivo e, durante determinada parte do livro, nosso livreiro parece estar fechado a novas descobertas, tanto na sua vida pessoal, quanto na sua vida literária.

 

“Maya: as coisas que nos tocam aos vinte não são necessariamente as que nos tocam aos quarenta, e vice-versa. Isso é verdade para livros e para a vida.”

página 37

 

Em certo momento, uma série de acontecimentos faz com que A. J. Fikry crie novas perspectivas e quebre um pouco da sua rotina tão monótona e sem grandes perspectivas. Primeiro, o seu livro mais raro e precioso é roubado, nada menos do que uma seleção de poemas do Edgar Alan Poe. Depois, uma criança de dois anos é deixada em sua livraria com um bilhete para que ele cuide da menina, que se chama Maya.

 

“As pessoas contam mentiras chatas sobre política, Deus e amor. Você descobre tudo que precisa saber sobre outra pessoa com a resposta desta pergunta: Qual é o seu livro preferido?”

página 69

 

Depois desses fatos, fica muito fácil se apegar à leitura. A narrativa em terceira pessoa é doce, fluída e divertida. Ao mesmo tempo em que vamos aos pouquinhos nos afeiçoando ao livreiro, vamos conhecendo e nos afeiçoando também a vários outros personagens como a menina Maya, que é muito carismática, e o delegado Lambiase – que se torna um grande amigo de A. J. Fikry, sem falar em Amelia, uma figura muito importante nessa nova fase da vida do livreiro que surge para deixar seus dias mais suaves.

 

“Minha vida está nestes livros. Leia estes livros e conheça meu coração.”

página 180

 

Durante toda a trama são citados inúmeros livros e autores, o que torna a leitura muito dinâmica e interessante. Além disso, a autora depositou na história reflexões que giram em torno das relações familiares, amorosas e de nós mesmos, de como encaramos as dificuldades, as mudanças e as decepções. Tudo isso de um modo muito singular e envolvente e, quando penso que as surpresas já estariam esgotadas, ela aparece com uma carta na manga e me surpreende novamente.
É uma leitura muito leve e ao mesmo tempo emocionante que, a meu ver, foi suficientemente bem desenvolvida em suas 190 páginas dedicadas aos livros, às pessoas que amam os livros e, sobretudo, aos relacionamentos construídos ao longo das nossas vidas com outras pessoas que também amam o ato da leitura. Fui cativada por esse livro e por toda a sua carga de delicadeza e significados.

 

“ISLAND BOOKS- A única fonte de boa literatura em Alice Island desde 1999. Nenhum homem é uma ilha; Cada livro é um mundo”

página 14





Deixe o seu comentário

13 Respostas para "[Resenha] A Vida do Livreiro A. J. Fikry – Gabrielle Zevin"

Andressa Menezes - 18, julho 2014 às (09:21)

Oiee

Também já tive o prazer de ler esse livro e amei toda a história os personagens são uma maravilha!

Amei a resenha 🙂

Beijos

http://www.livrosechocolatequente.com.br

Responder

Letícia Souza - 18, julho 2014 às (10:25)

Olá!
Que mudança na vida de A.J. ,no começo ele é apenas um simples livreiro
depois um bebê é deixando em sua porta e alguns anos depois ele se apaixona por Amelia♥
Achei o livro um pouco fino,a história é tão boa que poderia ser descrita em mais páginas,não em apenas 190 mas pelo lado positivo a leitura é rápida.
E meu sonho é ter uma biblioteca!
beijos

Responder

Carla Vieira - 18, julho 2014 às (11:54)

Gostei da história do livro e da sua resenha que me incentivou a colocá-lo na minha lista haha <3

Responder

Edilza - 18, julho 2014 às (11:56)

Eu fiquei bastante interessada nesse livro, primeiro por se tratar de uma livraria e segundo da vida um homem que é ranzinza e gosta de ler. Quero como vai ser a mudança dele.
Boa resenha! Abraço <3

Responder

Diane Ramos - 18, julho 2014 às (15:02)

Descobri esse livro há pouco tempo e só pela sinopse ele me conquistou , agora com sua resenha me deu mais vontade de ler ainda .
Só que já gastei bastante com livros esse mês então esse aí vai ter que ficar para o próximo mês hahahaha

Responder

tagila gomes - 18, julho 2014 às (15:36)

Nossa que resenha mais chamativa … adorei a premissa do livro a capa é perfeita , e se tratando de livraria , livros , livreiro não tem como não se interessar e por ter 190 paginas meus deus é muita coisa para poucas paginas e se foi bem escrita preciso ler urgentemente
amigadaleitura.blogspot.com

Responder

Raquel - 18, julho 2014 às (15:39)

Oi,
Hoje vim te pedir um super favor coloquei um post muito especial lá no meu blog do meu livro, sim eu escrevi. Se puder dar uma olhada e comentar agradeço muito.
http://leiturakriativa.blogspot.com.br/2014/07/super-novidade-vinganca-mortal-de.html
Beijos
Raquel Machado
Leitura Kriativa

Responder

Mylena - 21, julho 2014 às (11:01)

Amei a resenha! Parece ser um livro bem leve mas com reflexões importantes. Entrou pra minha listinha haha.

Bjs

Responder

FABRINE - 21, julho 2014 às (15:09)

Nunca tinha lido nada sobre esse livro.
Gostei bastante da resenha, parecendo ser um bom livro com o enredo recheado de livros e citações dos mesmos.
Amei e já está na minha listinha. Bjs

Responder

Neny - 21, julho 2014 às (18:19)

Este livro não chama minha atenção, infelizmente.
Não consigo imaginar um homem sozinha cuidando de um bebe abandonado em sua porta..e as autoridades deixarem ele ficar com o bebe…so lendo pra saber rs. Mesmo a leitura parecendo ser agradavel, não chega a chamar minha atenção, uma pena, mas parece ser um bom livro,
beijos.

Responder

Michele Lopez - 25, julho 2014 às (19:14)

Vi ótimas resenhas falando sobre o livro, esta não foi diferente. Fiquei muito curiosa em ler o livro que parece ser envolvente e agradável

Responder

Karolyne Kazakeviche - 31, julho 2014 às (18:58)

Eu tenho o livro e é uma graça =)
Quero ler logo mais pois a história me encantou de vez, e tenho certeza que é um livro lindo, de acordo com várias resenhas. Uma leitura leve e emocionante? É disso que preciso.

Responder

Carol - 24, outubro 2016 às (15:35)

Livros que falam sobre livros são muito interessantes. Lendo essa resenha lembrei de um livro que li faz pouco tempo: “A caderneta vermelha” de Antoine Laurain; que também é a história de um livreiro, e possui várias citações de livros, o que enriquece a história. É um livro muito legal, que recomendo com certeza!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por