[Resenha] O Resgate - Nicholas Sparks | Minha Vida Literária
05

ago
2014

[Resenha] O Resgate – Nicholas Sparks

Título: O Resgate
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Número de Páginas:  320
Ano de Publicação: 2014
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

“Confrontado com situações de extremo perigo, Taylor McAden, bombeiro voluntário, expõe-se até ao limiar do perigo. Denise é uma jovem mãe solteira, cujo filho de cinco anos sofre de um inexplicável atraso de desenvolvimento e a quem ela devota a sua vida numa tentativa de o ajudar. Mas o caso vai aproximar estes seres. Numa noite de tremendo temporal, Denise sofre um acidente de automóvel e é Taylor quem vem socorrê-la. Embora muito ferida, a jovem depressa toma consciência de que o filho já não se encontra na sua cadeirinha do banco traseiro. Taylor irá até ao fim de uma angustiante noite de buscas para o encontrar. Foram tecidas as primeiras malhas que os irão unir – o pequeno Kyle desabrocha ao calor da ternura daquele homem. Denise abandona-se à alegria de um amor nascente. Mas Taylor tem em si cicatrizes antigas, que o não deixam manter compromissos de longa duração. Nicholas Sparks, esse talentoso contador de histórias, intervém com a sua magia redentora e a sua inigualável capacidade de aprofundar a complexidade das relações e dos afetos.”

A cada vez que escrevo uma resenha sobre algum livro de Nicholas Sparks, sinto-me repetitiva: ou me pego falando de como o desenrolar da história me desagradou por ter seguido uma fórmula e, assim, ter sido previsível e incapaz de me emocionar, ou – na maioria dos casos – como me envolvi com os acontecimentos e personagens, a ponto de ser tomada por diversas emoções e ter terminado a leitura acreditando que aquela se tornou, para mim, a melhor dentre as obras do autor. Em O Resgate, felizmente minha experiência se enquadrou no segundo caso.
Novamente, as descrições das cenas foram tão completas e fluidas que foram perfeitamente visualizadas, como se eu estivesse assistindo a um filme. Também, foi impossível não me envolver com a história e com as personagens, principalmente a protagonista, Denise. Ainda que a narrativa seja em terceira pessoa, ela aproxima muito bem o leitor dos personagens, mesmo que alterne a visão, em determinados momentos, de acordo com cada um.
Sem dúvida alguma, a parte que mais me comoveu foram os obstáculos enfrentados por Denise com relação a Kyle. O garoto, por apresentar um distúrbio auditivo raro que não o permite compreender muito bem a linguagem, apresenta uma comunicação verbal bastante limitada, e o autor explorou com maestria todas as implicações desse fato: as dificuldades de Denise durante o diagnóstico do garoto, que demorou a acontecer; seus receios sobre o futuro de Kyle, já que é impossível prever sua evolução; sua própria vida, pessoal e profissional, ter sido inteiramente modificada para se dedicar inteiramente ao filho. Ao terminar a leitura, completamente emocionada, voltei a me emocionar lendo a nota do autor: seu segundo filho, Ryan, tem o mesmo problema de Kyle, o que tornou fácil compreender o porquê de Sparks ter escrito com tanta propriedade sobre o assunto.

 

“- Você tem sorte.
Denise olhou para ela, interrogativa.
(…)
– Eu disse que você tem sorte. – Ela apontou a cabeça para o filho. – Este aqui nunca cala a boca.
(…) Enquanto caminhava na direção do carro, sentiu uma súbita vontade de chorar.
– Não – sussurrou para si mesma. – Quem tem sorte é você.”

página 10

 

Kyle, independentemente de ser ou não um garotinho “normal” – como muitas vezes a própria Denise ressalta – é encantador, e foi impossível não me apaixonar e me afeiçoar por ele, ao mesmo passo em que admirei Denise, principalmente por sua força. Ainda assim, o autor também mostrou seus momentos de dúvidas, em que ela questiona seu papel de mãe quando perde, parcialmente, a cabeça com o filho. Assim, a personagem se mostra humana, e não idealizada.
Ainda que o romance tenha me agradado, não foi a parte de maior destaque, para mim, ofuscado pela presença de Kyle. De qualquer maneira, gostei de seu desenvolvimento e, principalmente, do papel de Denise e Kyle como redentores para Taylor, que convive com seus próprio demônios. O título “O Resgate” pode se referir ao acontecimento em que aproxima Denise de Taylor e dá início à história, mas, em minha opinião, diz muito mais respeito ao que Denise e Kyle causam em Taylor.

 

“Quando tocou o rosto de Denise, ela fechou os olhos, desejando se lembrar daquele momento para sempre. Sabia intuitivamente o significado do toque de Taylor, as palavras que ele não dissera. Não porque o conhecesse muito bem, mas porque se apaixonara por ele no mesmo instante em que ele se apaixonara por ela.”

página 195

 

Merece ser citado o fato de que senti raiva de Taylor em determinados momentos por sua maneira de conduzir as situações, provando, novamente, a veracidade com que Sparks escreve suas histórias. Foi muito fácil compartilhar dos sentimentos e temores de Denise e, dessa maneira, peguei-me sofrendo junto da protagonista.
Ainda que os principais focos da história sejam esses dois citados por mim, Sparks construiu um cenário mais amplo e complexo, mostrando, também, o casal de amigos de Taylor, Melissa e Mitch, e sua mãe, Judy, apresentando, assim, outras formas do sentimento central de suas histórias: o amor.
Em linhas gerais, O Resgate é uma obra emocionante principalmente pela questão mãe e filho, mas que também tem seu mérito no romance desenvolvido. Como postei em minha página pessoal do Facebook ao terminar a leitura, ficou claro para mim que para escrever romances como esse não basta ao autor entender de escrever. É preciso, principalmente, entender de amar.




Deixe o seu comentário

21 Respostas para "[Resenha] O Resgate – Nicholas Sparks"

Aline Lázaro - 05, agosto 2014 às (09:16)

Oi, Aione!

Os últimos livros que li também me simpatizei mais com as crianças. Com a inocência e um humor puro dos acontecimentos ao seu redor.
Fiquei bastante emocionada com o trecho da página 10. Com certeza, lerei esse livro.
São histórias bem distintas, mas senti que ele puxa mais para o drama do que o romance como em ” Um Porto Seguro”

Bjsss

Responder

Juu-Chan ;3 - 05, agosto 2014 às (17:46)

OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOI, lindaaaaaaaaaaaaaaa *-* Tudo bom? ♥ Huuuuuuuum, quando vi que este livro era do Nicholas, não me interessei nada. Não, eu não sou naaaaaada fã dele, hahaha! Mas depois li algumas resenhas e acabei me interessando, pois não foca somente no amor e blá, blá, blá, hahahahaha! (coração de pedra o meu, uashaushhaus! :p) Hehehe, muita gente diz que, em relação aos livros do Nicholas, é oito ou oitenta: ou gosta ou não gosta, uahsauhhuas! E pelo visto, com você também é assim, hahahahahahaha! Fico feliz que tenha gostado desse livro! A maioria das pessoas nunca se decepciona com os livros do Nicholas, né? Hahaha! E que legal você ter conseguido visualizar direitinho as cenas, hahaha! Adoro isso! E cara, eu também fiquei emocionada quando fiquei sabendo que o filho do Sparks tem o mesmo distúrbio do personagem Kyle… Triste, né? Acho que se eu ler esse livro, começarei a sentir “pena” do Nicholas e começarei a gostar dele e de suas histórias, que convenhamos: são bonitas as histórias, hahaha! Sabe quem o garotinho me lembrou, quando você disse que a Denise faz questão de ressaltar que ele é normal? O August, do Extraordinário, hahaha! Já leu? Ele é tão fofo, tão inteligente e tão diferente! ♥ E legal a personagem se mostrar humana e não idealizada, como você mesma disse. Porque diante dessas dificuldades, uma mãe perde mesmo a cabrça com o filho, isso é inevitável, concorda? Hahaha! E sabe, eu gostei muuuuuuuuito desse livro justamente por focar no Kyle e não no romance, uashhusauhashusa! E por que você sentiu raiva do Taylor? Além, claro, da maneira que ele conduz a situação? Hahaha! Ele não apoia a Denise? :3 E sim, eu concordo, o autor precisa saber o significado do “amor”, para poder escrever um livro digno de aplausos, hahahahaha! Que frase linda, hein? Hahaha, goooostei! E ameeeeeeeei sua resenha, diva ♥

BEIJOS INFINITOOOOOOOOOOOOS! ♥

Juu-Chan || Nescau com Nutella

Responder

Michele Lopez - 05, agosto 2014 às (17:46)

Oie…
Estou louca para ler este livro do Nicholas Sparks! Adoro seus livros e cada um me emociona e surpreende de maneira única.
Mal posso esperar para conferir se Taylor irá abrir seu coração e deixar as mágoas do passado para trás!

Responder

Michele Lopez 05 ago 2014

Oie… minha net deu problema e por isso saiu dois comentários iguais… desculpe rsrsrs e não sei onde apagar.

Responder

Michele Lopez - 05, agosto 2014 às (17:49)

Oie…
Estou louca para ler este livro do Nicholas Sparks! Adoro seus livros e cada um me emociona e surpreende de maneira única.
Mal posso esperar para conferir se Taylor irá abrir seu coração e deixar as mágoas do passado para trás!
Concordo com a Aline em relação a este livro ser mais voltado para o drama ao invés de romance e acho que ele fará muito sucesso.

Responder

Edilza - 05, agosto 2014 às (18:17)

Oi, Mi!
O que mais me chamou a atenção neste livro é a relação de Denise e Kyle, deve ser interessante. Tenho certeza de que vou me emocionar.
Gostei do Sparks escrever sua história com veracidade, é muito bom entender as personagens.
Amei a resenha! Bjs <333

Responder

Diane Ramos - 05, agosto 2014 às (18:31)

Nunca me interessei por livros do Nicholas Sparks , porém ao assistir ao seu vídeo ontem , me interessei bastante , especialmente nesse livro “O resgate” , sua resenha também me motivou á ler e , agora esse livro está entre os meus desejados 🙂

Responder

Gisele Aguiar - 05, agosto 2014 às (19:21)

Oi Mi, tudo bem?
Nossa, com toda certeza do mundo esse vai ser o primeiro livro de Nicholas Sparks que vou ler! Já me encantei só com a sua resenha, imagina com o livro então? Sempre tive muito receio de ler os livros dele, por pensar ser meio maçante porém vou dar uma chance e ver se gosto ou não (não dizem por ai que você não pode dizer que não gosta de uma comida sem nunca ter experimentado?)… Resenha 10! Não muito curto (aquelas que faltam quase tudo), nem muito longa (que falta comentar o livro inteiro)…A sua foi na medida certa…hehe

beijão!

Responder

Fran Ferreira - 06, agosto 2014 às (00:52)

lindo Aione.. Concordo completamente com esta última frase. Se não entender como funciona o amor, como poderá explicar as facetas que ele causa em nossas vidas; eu não imaginaria tão explicação para o assunto.
Bom, eu já li algumas resenhas e me parece que além de amor, ele trata de uma certa forma de superação com esse amor tanto da parte de Denise quanto de Taylor; achei bem interessante e o já inclui em minha lista. Não é o meu gênero preferido, mas como gosto e estou em uma fase assim, com toda certeza ele fará parte de minha leitura.
Aione, eu adorei o 2º quote, eu posso te dizer que já senti as palavras do mesmo.

Bjssss

Responder

Vitória Pantielly - 06, agosto 2014 às (01:08)

Oi Aione 🙂
Então, sou apaixonada pelos livros do Nicholas, ele sempre comandou minha prateleira ! Acho que, de certa forma, essa história me toque de forma diferente por ter relação com o filho do Sparks, e com a sua doença! Não li o livro ainda, mas como você disse na resenha achei interessante mesmo o fato de não focar só no romance homem/mulher, mas também na relação mãe/filho, e até onde o amor pode nos levar !
Deixar toda a sua vida pra se dedicar ao seu filho não é fácil, e ainda mais complicado mostrar para alguém que talvez já tenha desistido do amor o que é ser amado !
Isso sim é lindo <3
Beijos :* :*

Responder

Neny - 06, agosto 2014 às (19:13)

O livro parece ser bom, mas com a velha formula usada por este autor, que não me agrada em nada.
Mas vamos ao livro, quando tem criança e o livro é bem escrito eles sempre são os melhores não é mesmo,
não deve ser um livro que passe sem derrubar umas lagrimas,
mas não acredito que va ler, pois não sou fã do autor rs,
beijos.

Responder

RUDYNALVA - 06, agosto 2014 às (20:37)

Aione!
Percebo a cada novo livro do Nicholas um crescimento literário. Antigamente as histórias terminavam ou tinham tragédias mortais no livro, nos últimos ele aborda temas com algum tipo de distúrbio e junta tudo isso a um romance, o que o torna mais interessante.
Falar sobre a doença de um de seus filhos, traz maior conhecimento ao tema, mesmo que ficcional.
Fiquei interessada em ler, claro, afinal me parece que Denise passa por muitas coisas ao lado do filho e de Taylor.
Boa resenha.
cheirinhos
Rudy

Responder

Aione Simões 07 ago 2014

Oi Rudy!
Então, esse crescimento até pode existir, viu, mas nesse caso não se aplica, porque “O Resgate” foi um dos primeiros livros do autor, publicado em 2000, apesar de somente agora ter chegado ao Brasil!
De qualquer maneira, a história é bem completa sim e vale a pena de ser conhecida!
Beijão!

Responder

Nathalia Simião - 08, agosto 2014 às (17:14)

Aione sofro do primeiro caso descrito por você ao ler Nicholas Sparks: acho as histórias muito iguais, seguindo a mesma fórmula de sempre e etc. Estou no aguardo por um livro dele que me faça feliz com a leitura de verdade. Pela primeira vez falo lendo a resenha de um livro dele, que este parece ser um bom livro. Creio que eu se eu ler vou ficar que nem você, focada não no romance mas sim no Kyle.
beijos

Responder

Oliveira - 08, agosto 2014 às (18:49)

Sua última frase foi linda! Não sabia que se tratava disso o conteúdo do livro, interessei justamente pelo problema do personagem com problema auditivo. E de como ele deve ter pego algo da experiência que tem com o filho dele. Deve ser um ótimo livro, pretendo ler.

Responder

Fabiola Luz - 13, agosto 2014 às (14:35)

Sou fã dos livros do Nicholas Sparks e estou louca pra ler esse. Fiquei feliz pela editora trazê-lo pro Brasil pois sei que já foi lançado lá fora faz um tempo. Na minha coleção só falta esse e Uma Carta de Amor. Amei seu blog. Beijos!!

Responder

Aline Ramos Costa - 31, agosto 2014 às (21:49)

O Nicholas tem uma forma de escrever única, em que ou me faz amar sua obra ou odiá-la. E esse livro O Resgate possui uma trama que me conquistou a cada parágrafo lido em sua resenha..gostei muito de vê-lo retratar a dislexia do som (que é o problema do Kyle), é muito bom ver esses problemas que as crianças enfrentam ganhando destaque no mundo e quebrando preconceito e intruindo às pessoas…Sem sombra de dúvida essa parece ser uma leitura cativante, repleto de aprendizados e sem contar que o desenvolvimento do amor e companherismo entre Denise e Taylor deve ser fantástico..Estou apenas com medo das cenas que você diz ter sentido raiva do Taylor, tremo só de imaginar o que seria…. Quero muito ter esse livro…parabéns pela resenha..bjs

Responder

Rayza - 28, setembro 2015 às (10:14)

Bom dia, comprei esse livro para dar de presente para uma menina de 11 anos, porem ainda não tive tempo de ler para ver como é a história.
gostaria de saber de alguém que já leu se tem algo demais no livro, que não seja recomendado para essa faixa de idade.

Responder

Aione Simões 28 set 2015

Oi Rayza, tudo bem?
Vamos lá: o livro não é impróprio a ela no sentido de conter alguma cena sexual, de violência, ou alguma outra temática do tipo. Ela não teria problemas em ler por esses motivos.
Contudo, é um romance adulto. O problema, na minha opinião, seria simplesmente ela não aproveitar a leitura ou acha-la desinteressante, visto que é voltada a um público mais velho e trata de questões, como relacionamentos, que talvez exija certa maturidade para serem melhor compreendidas. É claro que isso varia de pessoa para pessoa, mas essa seria a única ressalva que eu faria.
Beijos!

Responder

Erica - 15, fevereiro 2016 às (12:05)

Oi tudo bem?
Parabéns pelo blog, estou lendo o livro e estou gostando muito.
Adorei sua resenha.
bj

Responder

Raquel - 10, dezembro 2016 às (08:45)

Olá!
Estou lendo esse livro é completamente emocionada, pois meu filho também tem dificuldade com a fala e como Kyle foi diagnosticado com autismo, ainda não confirmado.
Também me vejo na Denise, também perco a cabeça as vezes. Para mjm, por tudo, está sendo o melhor livro do Nicholas.

Beijo

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por