[Resenha] Eu Sou Malala - Malala Yousafzai com Christina Lamb | Minha Vida Literária
07

nov
2014

[Resenha] Eu Sou Malala – Malala Yousafzai com Christina Lamb

Eu Sou MalalaTítulo: Eu Sou Malala
Autor: Malala Yousafzai- com Christina Lamb
Editora: Companhia das Letras
Número de Páginas:  344
Ano de Publicação: 2013
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Quando o Talibã tomou controle do vale do Swat, uma menina levantou a voz. Malala Yousafzai recusou-se a permanecer em silêncio e lutou pelo seu direito à educação. Mas em 9 de outubro de 2012, uma terça-feira, ela quase pagou o preço com a vida. Malala foi atingida na cabeça por um tiro à queima-roupa dentro do ônibus no qual voltava da escola. Poucos acreditaram que ela sobreviveria. Mas a recuperação milagrosa de Malala a levou em uma viagem extraordinária de um vale remoto no norte do Paquistão para as salas das Nações Unidas em Nova York. Aos dezesseis anos, ela se tornou um símbolo global de protesto pacífico e a candidata mais jovem da história a receber o Prêmio Nobel da Paz. Eu sou Malala é a história de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito à educação feminina e dos obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que valoriza filhos homens. O livro acompanha a infância da garota no Paquistão, os primeiros anos de vida escolar, as asperezas da vida numa região marcada pela desigualdade social, as belezas do deserto e as trevas da vida sob o Talibã. Escrito em parceria com a jornalista britânica Christina Lamb, este livro é uma janela para a singularidade poderosa de uma menina cheia de brio e talento, mas também para um universo religioso e cultural cheio de interdições e particularidades, muitas vezes incompreendido pelo Ocidente. “Sentar numa cadeira, ler meus livros rodeada pelos meus amigos é um direito meu”, ela diz numa das últimas passagens do livro. A história de Malala renova a crença na capacidade de uma pessoa de inspirar e modificar o mundo.


malala2.jpg

“Nasci menina num lugar onde rifles são disparados em comemoração a um filho, ao passo que as filhas são escondidas atrás de cortinas, sendo seu papel na vida apenas fazer comida e procriar.

página 21

 

Malala Yousafzai nasceu em 1997, no Vale do Swat, Paquistão, mas foi em 2012 que ela ficou conhecida mundialmente depois de ter sido baleada por extremistas do Talibã por lutar pelo direito das mulheres à educação.

O livro é uma biografia, escrita por Malala com a colaboração da jornalista e correspondente no Paquistão e no Afeganistão Christina Lamb. Com uma narrativa extremamente rica, clara e envolvente o livro nos proporciona mergulhar na vida dessa jovem ativista, bem como na realidade do país em que nasceu e, sobretudo, nas condições sócio-históricas que permeiam a realidade paquistanesa.

No país de Malala nascer mulher significava ter a vida permeada por limites, regras e normas específicas, como, por exemplo, de só poder sair na rua acompanhada de uma figura masculina. Filha de um professor, desde cedo a menina foi incentivada à busca por conhecimento e empoderamento. E esse aspecto é um dos mais bonitos e singelos que pude notar: a relação entre pai e filha, uma relação de cumplicidade, aprendizagem, admiração e que nos emociona em diferentes momentos durante a leitura.

malala1.jpg

A história é bastante ampla, pois mostra, além da rotina de Malala, os conflitos políticos e econômicos que acometiam o país, as mudanças que foram ocorrendo na medida em que ela foi crescendo, o contexto religioso e o ponto crucial que é a questão educacional, que passou a ser restrita apenas aos meninos. Depois dessa restrição, Malala, que já era uma garota com uma opinião muito bem formada e que escrevia sob um pseudônimo para um blog denunciando as atrocidades cometidas às meninas que tentavam frequentar a escola, mais tarde passou a ser chamada também para dar palestras. Com isso, sua família passou a sofrer inúmeras ameaças e, em outubro de 2012, um homem armado parou um ônibus escolar procurando por Malala e disparou vários tiros que acertou a menina, inclusive na cabeça.

malala4.jpg

A luta por direitos, por igualdade e por educação foram as bandeiras de luta dessa corajosa garota que também teve que lutar pela sua sobrevivência e se tornou uma inspiração para pessoas em todo o mundo. Hoje, com 17 anos, ela é a mais jovem ganhadora do Nobel da Paz pela luta contra a opressão das crianças e pelo direito de todas as crianças à educação. Considero sua biografia uma verdadeira fonte de inspiração, um retrato histórico de uma sociedade que dita regras e restringe direitos, uma obra que informa, emociona, mexe com o leitor e deixa reflexões incríveis para levarmos pelo resto das nossas vidas.





Deixe o seu comentário

13 Respostas para "[Resenha] Eu Sou Malala – Malala Yousafzai com Christina Lamb"

Edilza - 07, novembro 2014 às (11:16)

Que história interessante dessa moça!
Realmente parece ser uma biografia inspiradora e que mexe com a gente.
A edição está linda!
Ótima resenha! Bjs, Clivia <3

Responder

DeebAmorim - 07, novembro 2014 às (11:17)

Tenho muita vontade de ler esse livro! Histórias como essa me dão vontade de chorar, um misto de tristeza, de alegria, de esperança, de alívio! Minha mente não consegue nem mensurar como deve ser a vida nesses países mais restritos, por isso dou graças a Deus pela liberdade de expressão que temos no Brasil! Malala realmente é um símbolo de esperança, de um futuro melhor, como uma flor em meio ao deserto! Que haja mais exemplos assim, e que cada um de nós, da nossa forma, possamos contribuir pra um futuro livre de censuras!

Responder

Amanda Couto - 07, novembro 2014 às (20:57)

Sempre tive curiosidade de ler essa biografia por causa da história e da coragem da Malala, mas não sou fã de biografias, por isso nunca leio, mas acho que preciso repensar essa decisão. rs
Beijos!!

Responder

Maria Paula - 08, novembro 2014 às (00:23)

Com certeza um história para se inspirar! Uma história incrível de uma pessoa que luta por razões verdadeiramente nobres! Ótima resenha!

Responder

Oliveira - 09, novembro 2014 às (13:23)

Normalmente não gosto de biografias, não seria um livro que ficaria louca para lê-lo, mas não há como dizer que a história dela é comovente e esse livro uma fonte de conhecimento também.

Responder

thayna ta - 09, novembro 2014 às (13:28)

Legal a história dela, e acho bom um livro assim, mostra para as pessoas o enforco dos outros para obter direitos a vida e educação, e que todos merecem viver como quiserem e não a oposição e ordens de outros. Ninguém é nascido para ser oprimido e comandado como ‘escravo praticamente’ de outros que se acham no poder.
A obra parece ser bem interessante e com um grande ensinamento.
Beijos Clivia, ThaynáQ.

Responder

Cristiane Oliveira - 12, novembro 2014 às (09:47)

Oi Clivia. Eu geralmente gosto de Biografias, ainda mais neste caso, que é uma história tão comovente e atual. É o tipo de livro que nos abre a mente e nos faz nos colocar no lugar de tantas meninas e mulheres que passam por esta situação. Sempre leio livros deste estilo, fico refletindo por dias. Muito legal.

Responder

Milena Soares - 14, novembro 2014 às (16:00)

Essa garota é um grande exemplo para todo mundo, super merecido ela ter ganho o Nobel da Paz, quero muito ler esse livro que conta a sua emocionante história.

Responder

Rudynalva - 17, novembro 2014 às (00:26)

Clivia!
Gosto muito de apreciar uma leitura educativa, que nos mostra o aspecto de uma com normas e regras inimagináveis para nós ocidentais.
Admiro a luta de Malala e estou com esse livro aqui, quero apreciar a biografia dela.
cheirinhos
Rudy

Responder

Fernanda Bizerra - 17, novembro 2014 às (09:25)

Oi.
Acompanhei a história dela na TV e realmente é super interessante. Ainda não tive a oportunidade de ler o livro, mas com certeza me sentirei como você, pois vejo que é uma leitura enriquecedora e nos faz querer e fazer algo pela nossa sociedade também.
Ainda temos muito que mudar, mas eles tem mais resistências a estas mudanças que os brasileiros.

Beijos
http://www.amorliterario.com

Responder

Aline Rodrigues - 22, novembro 2014 às (15:13)

Oi Clivia, devo ser uma das poucas pessoas que nunca leu uma biografia, e por incrível que parece não me vejo fazendo esse tipo de leitura

Responder

samara - 23, novembro 2014 às (15:23)

sempre gostei dessa histooria da malala agora estou mais curiosa para ler conhecer.
gente eu acho um absurdo a pessoa n poder estudar e uma escolha da pessoa. Ela teve muita coragem de falar gostei muito de sua determinaçao quero conhecer mais dessa historia espero poder ler logo esse livro.

bjs!!!

Responder

Desbravadores de Livros - 27, novembro 2014 às (07:24)

Clivia, essa sim é uma história emocionante e de deixar o leitor indignado com muitas coisas. Com certeza leria essa obra. Super adorei

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil