[Resenha] Sisterhood Everlasting - Ann Brashares | Minha Vida Literária
14

nov
2014

[Resenha] Sisterhood Everlasting – Ann Brashares

sisterhood-everlasting2

Título: Sisterhood Everlasting
Autor: Ann Brashares
Editora: Random House
Número de Páginas:  348
Ano de Publicação: 2012
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Saraiva (Paperback) // Saraiva (Hardcover)

From #1 New York Times bestselling author Ann Brashares comes the welcome return of the characters whose friendship became a touchstone for a generation. Now Tibby, Lena, Carmen, and Bridget have grown up, starting their lives on their own. And though the jeans they shared are long gone, the sisterhood is everlasting. Despite having jobs and men that they love, each knows that something is missing: the closeness that once sustained them. Carmen is a successful actress in New York, engaged to be married, but misses her friends. Lena finds solace in her art, teaching in Rhode Island, but still thinks of Kostos and the road she didn’t take. Bridget lives with her longtime boyfriend, Eric, in San Francisco, and though a part of her wants to settle down, a bigger part can’t seem to shed her old restlessness. Then Tibby reaches out to bridge the distance, sending the others plane tickets for a reunion that they all breathlessly await. And indeed, it will change their lives forever—but in ways that none of them could ever have expected. As moving and life-changing as an encounter with long-lost best friends, Sisterhood Everlasting is a powerful story about growing up, losing your way, and finding the courage to create a new one.

SisterhoodEverlasting3

A Irmandade das Calças Viajantes é uma das minhas séries favoritas. Isso porque me encanta a maneira introspectiva de como Ann Brashares desenvolve a trama, revelando não apenas os conflitos externos, mas principalmente as emoções e os pensamentos das personagens como forma de resolverem os obstáculos apresentados. Ainda que os quatros primeiros livros da série retratem as vidas de Lena, Tibby, Bridget e Carmen entre seus 15 e 19 anos – uma idade para cada livro, sempre no verão -, achei a história como um todo e as reflexões apresentadas mais profundas do que outros YA que já li. Em Sisterhood Everlasting, a mesma atmosfera dos primeiros livros se faz presente. Contudo, as personagens estão 10 anos mais velhas, quase com 30 anos, e pela primeira vez a trama não se limita ao verão, compreendo um maior intervalo de tempo.

Em terceira pessoa, os capítulos são compostos pelas visões das personagens alternadamente, sem que haja uma métrica: há capítulos em que temos as visões de todas; em outros, de apenas parte delas. Apenas o prólogo e o epílogo são escritos em primeira pessoa, segundo a visão de Carmen.

 

“Growing up is hard on a friendship. There’s no revelation in that. I remember my mom once told me that a good family is built for leaving, because that is what children must do. And I’ve wondered many times, is that also what a good friendship is supposed to be built for? Because ours isn’t. We have no idea how to cope with the leaving. And I’m probably the worst of all. If you need a picture, picture this: me putting my hands over my eyes, pretending the leaving isn’t happening, waiting for us all to be together again.”

Prologue

 

Não demorei a me envolver com a história, movida principalmente pela curiosidade de descobrir como estaria a vida das “Setembros”, como se auto-intitulam, dez anos após a conclusão de Para Sempre De Azul – O Último Verão Da Irmandade. Tanto alguns pontos da série ficaram, de certa forma, em aberto e eu esperava encontrá-los aqui, quanto novos conflitos e situações deveriam surgir, e em nada fui desapontada nesse aspecto.

SisterhoodEverlasting1

Ao mesmo tempo em que Ann Brashares me deu o que eu esperava para o livro, ela também me surpreendeu por completo, a ponto de me deixar em choque logo nas 100 primeiras páginas, e inserindo novas descobertas no restante do enredo. Meu choque foi tamanho que, por instantes, desejei ter parado a leitura no quarto volume e ignorado a existência desse, mantendo em minha mente as ilusões e as suposições do que poderia ter acontecido, ao invés da certeza sobre o que realmente acontece.

 

“Maybe you think you’ll be entitled to more happiness later by forgoing all of it now, but it doesn’t work that way. Happiness takes as much practice as unhappiness does. It’s by living that you live more. By waiting you wait more. Every waiting day makes your life a little less. Every lonely day makes you a little smaller. Every day you put off your life makes you less capable of living it.”

páginas 276 e 277

 

Contudo, ainda que o desenvolvimento do livro como um todo tenha sido em diversos aspectos doloroso, foi também emocionante e recompensador. Ao virar a última página, tive novamente a sensação de ler um livro que mexeu comigo por completo e que não diminuiu em nada meu apreço pela série. Ann Brashares foi totalmente audaciosa em sua história, e muito bem sucedida, não se perdendo em momento algum e construindo um enredo coerente aos primeiros. Suas personagens estão mais velhas, e suas essências, amadurecidas, fazem jus às adolescentes que conhecemos anteriormente.

Uma pena que Sisterhood Everlasting ainda não tenha sido publicado no Brasil; entretanto, espero que a Editora Rocco o traga porque a série merece mais esse capítulo. Ainda assim, quem tiver interesse em fazer a leitura em inglês pode ficar despreocupado porque a leitura é de fácil compreensão – desde que você já tenha certo domínio sobre o idioma. Em uma pequena entrevista ao final do livro, Ann Brashares disse que pode voltar a escrever sobre as Setembros e, caso isso aconteça, não pensarei duas vezes em embarcar em mais quantos livros ela resolver escrever sobre elas. A série A Irmandade Das Calças Viajantes não apenas traz o amadurecimento de quatro jovens amigas e emocionantes histórias, como a força e a beleza da amizade entre elas.

SisterhoodEverlasting2

 

Traduções

*As traduções foram feitas livremente por mim e não são oficiais.

Sinopse

Da autora best-seller #1 do New York Times, Ann Brashares traz o retorno bem vindo das personagens cuja amizade tocou uma geração. Agora Tibby, Lena, Carmen e Bridget cresceram, começando suas vidas por elas próprias. E apesar de o jeans que elas compartilharam ter ido embora há muito tempo, a irmandade é para sempre. Apesar de terem empregos e homens que amam, cada uma delas sabe que algo está perdido: a proximidade que um dia as sustentou. Carmen é uma bem sucedida atriz em Nova York, noiva e prestes a casar, mas sente falta de suas amigas. Lena encontrou consolo em sua arte, ensinando em Rhod Island, mas ainda pensa em Kostos e no caminho que ela não tomou em sua vida. Bridget vive com seu namorado de anos, Eric, em São Francisco, e embora parte dela deseje se assentar, uma parte ainda maior parece não conseguir se livrar de sua antiga inquietação. Então Tibby toma uma atitude para diminuir a distância, enviando às outras passagens de avião para uma reunião pela qual elas mal podem esperar. Como uma história de mudança de vida e de um encontro entre melhores amigas, “Sisterhood Everlasting” é uma poderosa história sobre crescer, perder o seu caminho, e encontrar a coragem de criar um novo.

 

Citação #1

“Crescer é difícil para uma amizade. Não há nenhuma surpresa nisso. Eu me lembro que minha mãe uma vez me disse que uma boa família é feita para partidas, porque é o que as crianças devem fazer. E eu me perguntei várias vezes, será que é para isso que uma boa amizade também foi feita? Porque a nossa não. Nós não temos a menor ideia de como lidar com a partida. E eu provavelmente sou a pior de todas. Se você precisa de um exemplo, imagine isso: eu colocando minhas mãos sobre meus olhos, fingindo que a partida não está acontecendo, esperando por todas nós estarem juntas de novo.”

 

Citação #2

“Talvez você pense que será mais feliz depois que renunciar a tudo isso agora, mas não funciona assim. A felicidade precisa de tanta prática quanto a infelicidade. É vivendo que você vive mais. É esperando que você espera mais. Cada dia de espera torna sua vida um pouco perdida. Cada dia de solidão te torna um pouco menor. Cada dia colocando sua vida de lado te torna menos capaz de vivê-la.”





Deixe o seu comentário

11 Respostas para "[Resenha] Sisterhood Everlasting – Ann Brashares"

thayna ta - 14, novembro 2014 às (14:23)

Achei bem legal a sua leitura do livro ter sido em inglês, nunca peguei para ler livros em outros idiomas, apesar de saber um pouco do básico/médio de inglês.. a série parece ser bem interessante, sobre as amizades e mudanças no caminho da vida, vai ter lançamento em português? Não me interessei tanto pela série, mas parece ser bem divertida para quem gosta do tema.
Beijos Aione, ThaynáQ.

Responder

Edilza - 15, novembro 2014 às (10:04)

O que mais me chama a atenção nessa série é a amizade entre essas amigas, deve ser muito fofa!
Que bom que a autora não decepciona nesse quinto livro.
Ótima resenha! Bjs, Mi <3

Responder

Rudynalva - 16, novembro 2014 às (01:50)

Aione!
Bem… são tantas as séries que já nem mais qual acompanhar.
Quando iniciei a leitura da sua resenha, fiquei um tanto confusa do que se tratava mesmo o livro e daí aos poucos fui esclarecendo minhas dúvidas e até achei interessante, porém não é uma leitura que quero fazer de imediato.
cheirinhos
Rudy

Responder

Fernanda Bizerra - 17, novembro 2014 às (09:07)

Nossa depois daquele vídeo “livros que estilhaçaram meu coração” eu não posso mesmo deixar de conhecer a série. Não tinha conhecimento dela ainda, mas assim que possível eu lerei.
Gostei do fato da autora conseguir te prender até o último livro, mesmo você tendo vontade de parar para preservas as coisas, mas a credito que o final foi muito bom e valeu a pena todo sofrimento.

Beijos
http://www.amorliterario.com

Responder

Cristiane Oliveira - 18, novembro 2014 às (10:36)

Oi Aione. Não conheço a série. Mas é muito legal quando a gente acompanha uma série e mesmo assim a autora consegue nos surpreender, mesmo que às vezes as coisas não aconteçam como a gente espera…
Beijos

Responder

Taciana Cristina de Oliveira - 18, novembro 2014 às (17:10)

Não sabia que tinha o quinto livro, à duas semanas passada, consegui os 4 primeiros
livros em ebook, mais não sei quando começar a ler pois a lista pra ler ta bem grande.
Conheci os livros à alguns anos quando eu vi os filmes, o primeiro eu comprei em uma locadora que estava fechando, comprei o DVD por R$ 5,00 reais e eu me apaixonei,
dai veio o 2° filme mais vi online e me apaixonei mais por saber que tinha livros.

Responder

Milena Soares - 21, novembro 2014 às (20:56)

Não conhecia essa série, parece ser ótima, histórias super emocionantes, fiquei bastante interessada em ler.

Responder

Aline Rodrigues - 22, novembro 2014 às (15:40)

Olá Aione, como não faço leitura em inglês, estou esperando para ser lançado o ultimo livro e assim poder acompanhar toda a série de uma vez. Estou com tantas começadas esperando pela caridade das editoras publicarem o final q optei por não começar a leitura de mais uma.

Responder

Oliveira - 23, novembro 2014 às (16:07)

Sempre que ouvi comentários sobre essa série, nunca dei atenção, e jamais pensei que ela fosse tão profunda assim. Estou até admirada!

Responder

samara - 23, novembro 2014 às (20:43)

oi mi
eu nunca li livros em ingles , quero muito ler essa serie sua resenha me deixou super curiosa, vai ser uma das minhas leituras em ingles. pretendo ler essa serie.

beijos !!!

Responder

Desbravadores de Livros - 27, novembro 2014 às (07:16)

Livro em Inglês? Eu não conseguiria ler nem amarrada, Aione. Meu inglês é péssimo e fiquei até com vontade de ter essa facilidade sua, até mesmo em traduzir as frases. Adorei.

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por