[Resenha] O Leopardo (Harry Hole #8) - Jo Nesbo | Minha Vida Literária
13

jan
2015

[Resenha] O Leopardo (Harry Hole #8) – Jo Nesbo

o leopardo

Título: O Leopardo
Autor: Jo Nesbo
Editora: Record
Número de Páginas: 602
Data de Publicação: 2014
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Ao trocar a fria Oslo por Hong Kong, Harry Hole encontra refúgio no ópio, no álcool e nos jogos de azar para fugir de sua antiga vida. Porém, por mais que ele tente se manter afastado, um sórdido assassino consegue trazê-lo de volta à realidade.
Duas mulheres são encontradas afogadas no próprio sangue, e uma terceira é morta por enforcamento. A cobertura da imprensa provoca grande comoção na cidade. Não há pistas do assassino, a única conexão entre as mortes é o fato de que todas as vítimas passaram a noite em uma cabana isolada nas montanhas. Conforme a investigação avança, Harry tem certeza de que está lidando com um perigoso e implacável assassino, que escolhe suas vítimas a dedo. Porém, ele não imagina que, ao assumir o caso, coloca-se também na mira desse perigoso psicopata.

OLeopardo2

Meu primeiro contato com algum livro de Jo Nesbo se deu através de Boneco de Neve, livro que antecede O Leopardo, 8º volume da série do investigador Harry Hole. Da primeira vez, fiquei admirada com a habilidade do autor em conduzir o suspense da trama e em criar climas de tensão com suas cenas. Agora, fui novamente surpreendida.

Embora eu não tenha achado O Leopardo assustador como Boneco de Neve foi para mim em diversos momentos, o autor demonstrou seu domínio na criação de momentos de agonia, com cenas completamente capazes de causar aflição. Também, a trama desse novo volume conseguiu ser ainda mais complexa. Com uma escrita detalhada, Jo Nesbo não apenas se mostra capaz de situar o leitor muito bem nos cenários descritos como também consegue fazer reflexões interessantes através dos pensamentos e emoções de suas personagens, muito bem delineadas de acordo com suas intricadas características. Harry Hole, acima dos demais, é o anti-herói multifacetado, desapegado de honrarias e comprometido com a luta contra o mal, mas que vive seus próprios conflitos interiores contra seus demônios, sobretudo o alcoolismo. Contudo, nenhuma personagem apresentada segue uma linha maniqueísta: embora algumas pendam mais para uma apresentação positiva e outras para uma mais negativa, todas se mostram complexas, o que dota cada uma delas de uma realidade extremamente notável.

 

“A conversa na frente do carro havia terminado, e Harry fixou o olhar na parte de trás da cabeça de Kaja. Como o Amazon de Bjørn Holm tinha sido fabricado muito antes de alguém inventar o termo trauma cervical, não havia encosto de cabeça, e com o cabelo dela em coque, Harry podia ver o pescoço fino, a penugem branca na sua pele, e meditou sobre a vulnerabilidade das coisas, sobre a rapidez com que tudo podia mudar, sobre tantas coisas que podiam ser destruídas em questão de segundos. Era isso a vida: um processo de destruição, uma desintegração de algo que a princípio era perfeito. O único suspense era se seríamos destruídos de repente ou lentamente. Era um pensamento triste, mas agarrou-se a ele mesmo assim.”

página 43

 

A investigação de homicídio toma o primeiro plano do enredo, sendo a ação principal a ser desenvolvida. Entretanto, outros conflitos assumem importância e contribuem para a construção de uma profunda teia de acontecimentos, como a luta entre a Divisão de Homicídios e a Kripos, nova divisão policial de Oslo; o agravamento da doença do pai de Hole; o próprio combate interno enfrentado pelo protagonista – seu desejo de afastamento de seu cargo contraposto a sua sensação de dever na investigação e ao seu incontrolável desejo de solucioná-lo.

OLeopardo3

Não apenas as várias camadas da trama fazem dela complexa como o próprio desfecho da investigação assim se mostrou: Jo Nesbo conseguiu me surpreender por diversas vezes ao longo da leitura, trazendo conclusões inimagináveis. Muitas reviravoltas no enredo, inclusive, não necessariamente diretamente ligadas ao caso, tiveram igual impacto em mim.

 

“O que é, onde está, aquilo que transforma alguém num assassino?
(…) Pessoalmente, acho que a capacidade de matar é essencial qualquer ser humano saudável. Nossa existência é uma luta pelo próprio lucro, e aquele que não consegue matar o próximo não tem direito a existir. Matar, afinal, é apenas adiantar o inevitável. A morte não abre nenhuma exceção, o que é bom, pois a vida é dor e sofrimento. Nesse sentido, todo assassinato é um ato de caridade. Você só não consegue perceber isso no momento em que o sol esquenta sua pele e a água molha seus lábios, e você sente em cada batida do coração a vontade idiota de viver e se dispõe a pagar por qualquer migalha de tempo com tudo que conquistou durante a vida: dignidade, status, princípios. Nesse momento é preciso mergulhar nas profundezas, ir além da luz confusa e ofuscante. Entrar na fria e reveladora escuridão. E compreender o núcleo rígido. A verdade. Porque era isso que eu tinha que encontrar. E foi o que encontrei. O que transforma uma pessoa em um assassino.”

página 11

 

Embora eu tenha iniciado a leitura da série pelo 7º volume, não senti prejuízo de compreensão do conteúdo por não ter lidos os primeiros volumes. Inclusive, o fato de eu ter lido Boneco de Neve antes de O Leopardo não me acrescentou muito, tendo em vista que eu já havia me esquecido de boa parte de seu teor. Ainda assim, a leitura sequencial de qualquer série acrescenta uma compreensão muito melhor de seu universo e de suas personagens, como também proporciona um maior envolvimento, de modo geral.

Os fãs de thrillers policiais não podem deixar de conhecer Harry Hole e seus casos, considerando a excelência da história e de seu desenvolvimento construídos por Jo Nesbo. Aos que tiverem oportunidade, a editora Record também publicou os primeiros volumes da série – que atualmente conta com 10 livros, 4 ainda não lançados no Brasil (a série começou a ser publicada pelo 3º volume) -, porém com capas que diferem do padrão dos dois últimos por aqui lançados.

OLeopardo1

 

Outros volumes da série

(Apenas os títulos em português já foram publicados no Brasil)

Série_HarryHole





Deixe o seu comentário

14 Respostas para "[Resenha] O Leopardo (Harry Hole #8) – Jo Nesbo"

Paula de Franco - 13, janeiro 2015 às (19:10)

Oie,

Uma meta que quero cumprir esse ano é ler mais livros policiais. Não tenho nenhum conhecimento nesse gênero. Já tenho um do Harlan Coben aqui e depois de ler a sua resenha fiquei tentada a ler Boneco de Neve. Como você mesma disse que ler na ordem não agrega tanta coisa assim, mas ainda é válido. Mas também não temos todos aqui no Brasil que é outra coisa que complica. Irei tentar com Boneco de neve mesmo. Curti bastante a resenha e quem saiba eu não tome gosto do gênero.

Beijos.
Visite: Paradise Books BR // Sorteio Fim de ano

Responder

Diane Ramos - 13, janeiro 2015 às (19:20)

Olá!
Sinceramente , não gosto de livros do gênero Suspense /Policial , li uma vez um de Sidney Sheldon e não gostei , nele os mocinhos viraram vilões e vice -versa .Porém não conheço esse autor então não posso dizer que ele é ruim.
Bjos e até a próxima resenha …

Responder

Alexandre Freitas - 14, janeiro 2015 às (00:34)

Oi Mi,
Do Nesbo só li O Redentor, mas foi suficiente para virar fã. A narrativa dele é ótima e a trama que ele cria é verossímel, mas não deixa de empolgar. Tenho aqui em casa Garganta Vermelha e A Casa da Dor e preciso criar vergonha na cara para ler rsrs
Harry Hole é um do melhores protagonista da literatura policial da atualidade, né?
Opa, opa, n sou só eu que esquece os detalhes do livro anterior??
Abraço,
Alê
http://www.alemdacontracapa.blogspot.com

Responder

Aione Simões 14 jan 2015

Oi Alê!
Acho que você é um dos primeiros que vejo dizer que tem algum dos outros livros da série! Eu pelo menos não conhecia quase nenhum, lembro de já ter visto “A Estrela do Diabo”, mas só fui associá-lo ao Jo Nesbo e a essa série depois de ter lido “Boneco de Neve”!
Com certeza! Gosto dele pelo mesmo motivo que gosto do David Gurney do John Verdon: os conflitos internos e problemas pessoais que afetam a vida profissional. Gosto dessa ligação entre tudo!
E não, você não é o único a esquecer hahaha…Pra você ter noção do meu problema, as vezes acabo de terminar um livro e já esqueci o nome dos personagens!
Beijos!

Responder

Maria Alves - 14, janeiro 2015 às (12:11)

Só conhecia o leopardo e o boneco de neve, mas ainda não i nada do autor, não sabia que era tantos livros assim. Como são casos investigativos creio que de para ler fora de ordem rsrsrs. Gostaria de ler parece ter muito mistério por trás dos homicídios.

Responder

Edilza - 14, janeiro 2015 às (15:56)

Muito curiosa pra ler algo do Jo Nesbo por ele criar cenas aflitivas, e achei legal isso de transmitir reflexões interessantes através do seus personagens.
As capas de Boneco de Neve e O Leopardo estão tão lindas! As cores combinaram perfeitamente.
Ótima resenha! Um abraço, Mi!

Responder

Juliana Frygoudakis - 15, janeiro 2015 às (10:50)

Oi Mi!
Acho muito ruim quando as editoras do Brasil não publicam os primeiros volumes da série.. Fico meio confusa com isso! haha Mas pelo menos não prejudicou ao entendimento do livro !
Eu não sou muito familiarizada com o gênero policial.. mas justamente porque não me agrada muito..
Acho que, se algum dia eu ler esse livro, vai demorar um pouco rs

Beijos !

Responder

camila gama prado - 15, janeiro 2015 às (13:14)

olá!!!
esse não é meu gênero preferido, mais dos pouco
que li do sidney sheldon e agatha christie eu gostei.
esse parece ser surpreendente.

Responder

Nik Chan - 17, janeiro 2015 às (14:39)

Que capa mais linda essa desse livro de O Leopardo. Fiquei com vontade de ter ele em minhas mãos. São bastantes livros dessa coleção do Jo Nesbo. Fiquei com muita vontade de ler depois da sua resenha. Adoro livros desse gênero e quero ler algo desse autor. Uma coisa que me agrada é livros com reviravoltas e finais surpreendentes.
Bye

Responder

Priscila Gatti - 20, janeiro 2015 às (10:15)

Eu adoro livros de investigações. Logo, me interessei por O Leopardo, claro.
Não conhecia Jo Nesbo, mas fiquei muito curiosa para ler seu livros.
Adorei a dica.
Beijos!!

Responder

Thiago Martins - 20, janeiro 2015 às (19:00)

Poxa preciso ler urgente. Tenho o Headhunter do Nesbo,está na minha lista de leitura de 2015.

Responder

Vitória Pantielly - 29, janeiro 2015 às (23:57)

Aione :}
A primeira vez que me deparei com O leopardo jurei que não iria gostar (inclusive acho que já comentei isso por aqui), mas já estou mudando de idéia ! Em primeiro lugar o livro me conquistou por ser polícial, adoro uma boa história de suspense, e acredito que esse enredo vá me conquistar. E em segundo lugar por mostrar o lado desse “anti-herói” e os dêmonios que ele enfrenta na vida pessoal .. Adoro quando o autor nos prende nos acontecimentos de uma investigação, e tenho a impressão de que será exatamente isso o que vai acontecer com essa leitura! Vou dar uma pesquisada sobre os livros da série, achei as capas fantásticas, mas esse já entrou pra lista !
Bjs :*

Responder

Alexandra Periard - 28, fevereiro 2015 às (12:55)

Confesso que tenho preguiça de séries, rs A única série que li foi Crepúsculo (amei).
Adorei as citações que você divulgou, também sou a louca das citações. rs Tem livros que são tão bons que dá vontade de marcar todas as páginas, rs
Bj

Responder

Daniel Faria - 02, janeiro 2017 às (13:24)

Conheci o escritor Jo Nesbo e o investigador Harry Hole no excelente “O Redentor”. Fui na livraria semana passada comprar outro, como não tinha O Boneco de Neve, optei pelo “O Leopardo” e estou gostando muito da narrativa.

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil