[Resenha] Ela Foi Até O Fim - Meg Cabot | Minha Vida Literária
20

jan
2015

[Resenha] Ela Foi Até O Fim – Meg Cabot

ELA_FOI_ATE_O_FIM

Título: Ela Foi Até O Fim
Autor: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 400
Data de Publicação: 2010
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Lou Calabrese é uma roteirista de sucesso – já escreveu vários roteiros de ação que renderam milhares de dólares de bilheteria e até ganhou um Oscar! O problema é que seu namorado, o grande astro do filme, resolveu deixa-la pela estrela principal, e agora lhe resta provar que conseguirá passar por tudo para esquecê-lo.

O que ela não esperava é que esse “tudo” significasse atentados contra a sua vida e sobreviver numa montanha congelada com o homem que mais odeia na face da Terra como único companheiro… Será que ela vai sobreviver a está aventura? E será que, no final, encontrará o verdadeiro amor?

ElaFoiAtéOFim1

Ela Foi Até O Fim é um chick-lit adulto de Meg Cabot que não pertence a alguma série. Em terceira pessoa, conhecemos a história de Lou Calabrese, roteirista vencedora do Oscar abandonada pelo namorado, estrela do filme escrito por ela. Durante a gravação de mais um de seus roteiros, Lou acaba por sofrer atentados contra sua vida por conta de Jack Townsend, ator odiado por ela e com quem ela acaba ficando sozinha, perdidos em uma montanha no Alasca.

O fato da história ser narrada em terceira pessoa permite ao leitor ter um panorama mais generalizado das situações, bem como das personagens. Embora Lou e Jack se odeiem, não somos influenciados pela visão de cada um deles, de forma que podemos “ouvir” ambas as partes e, inevitavelmente, nos encantarmos com cada uma delas, principalmente pelo divertimento presente nos diálogos travados por eles e nas situações que vivenciam. Ao mesmo tempo, também acompanhamos a história que se desenvolve entre as personagens secundárias, de prontidão nas buscas pelos protagonistas.

O livro pertence ao subgênero dos chick-lits Mistery-Lit, no qual acompanhamos o desenvolvimento de um mistério na obra – como nos thrillers. Contudo, o objetivo da história não é a solução do quebra-cabeça em si, ele apenas se faz presente no enredo. Dessa maneira, Ela Foi Até O Fim é previsível, visto que desde o início eu já havia solucionado a trama, mas sua função não é a de surpreender com uma teia mirabolante de eventos, e sim entreter e divertir, propósito muito bem atingido ao longo da leitura.

ElaFoiAtéOFim2

Mesmo que eu já houvesse solucionado o caso, os capítulos finais são tão cheios de ação que mal consegui desgrudar das páginas, ansiando pela resolução. Também, conforme cresce a relação de amor e ódio entre as personagens, mais nos rendemos a elas e à leitura.

É importante ressaltar que, por ser um chick-lit adulto, temos a presença de cenas mais picantes, bem como as piadas também são de um humor mais maduro. Ainda assim, o livro não é impróprio para menores e passa longe de ser classificado como um livro erótico.

Meg Cabot mais uma vez demonstrou sua extrema habilidade como escritora e me ganhou com a leitura. Ainda que a primeira metade da história não tenha me cativado tanto quanto supus e o livro, ao final, não tenha se aproximado dos meus favoritos, Ela Foi Até O Fim foi um excelente passatempo, leve e divertido como os bons chick-lits devem ser.

ElaFoiAtéOFim3





Deixe o seu comentário

18 Respostas para "[Resenha] Ela Foi Até O Fim – Meg Cabot"

Priscila Gatti - 20, janeiro 2015 às (10:09)

Interessante! Não conhecia o livro.
Parece ser legal.
Porém, eu não gosto de narrativas em terceira pessoa. Por isso, não sei se a leitura me agradaria muito.
Mesmo assim, se eu tiver a oportunidade de ler, com certeza, irei.
Beijos!!

Responder

Edilza - 20, janeiro 2015 às (12:23)

Não sabia desse subgênero, o Mistery-Lit. Parece ser muito legal, mesmo a trama sendo previsível. E conseguindo cumprir o papel de divertir pra mim tá ótimo!
Só não gostei muito da capa.
Amei a resenha! Bjs, Mi <3

Responder

Lise - 20, janeiro 2015 às (13:16)

Ahh não sabia que era exatamente um mistério. Faz tanto tempo que li uma resenha desse livro e ele caiu de para-quedas na minha mãe semana passada.
Acho que será minha próxima leitura assim que eu desempacar (tenho chegado em casa tão morta, ser bióloga, bailarina E DONA de casa é difícil…).

Eu acho que vou gostar, já que mesmo tendo sido fraquinho, eu gostei de 42 não é gorda.

Beijos, Mi
Lili escreve

Responder

Diane Ramos - 20, janeiro 2015 às (17:10)

Olá!
Pelo que você relatou na sua resenha o livro parece ser muito bom . Eu simplesmente AMO chick lits , esse gênero deixa a vida tão leve por isso , é sempre bom tê-los na estante .
“Ela foi até o fim” já está na minha lista de desejados!

Responder

Juliana - 20, janeiro 2015 às (18:42)

Esse livro já estava na minha lista a um tempo, mas confesso que já tinha esquecido do que história que se tratava. Minha experiência com Meg não foi das melhores, li Avalon High e fiquei bem decepcionada. Espero ter a oportunidade de rever meu conceito da autora, afinal há bastante obras publicadas da mesma e com certeza uma deverá me ganhar haha. Não sabia que existia o sub-gênero Mistery-Lit, fiquei muito curiosa. Adoro o gênero Chick-Lit, me sinto assistindo as comédias românticas e no final sempre acreditando que existe um final feliz em todas as histórias. Bjs.

Responder

Renata Kerolin - 20, janeiro 2015 às (23:45)

Não conhecia esse livro. Da Meg só li a coleção da Mediadora e gostei.
Ainda não li nenhum Mistery-Lit.
Curti a resenha. Vou ler esse livro.

Responder

camila gama prado - 21, janeiro 2015 às (14:03)

Da Meg Cabot só li a serie a mediadora, e na época gostei
bastante tenho muito interesse de ler seus livros para
adultos esse parece ser legal, mais tenho vontade de ler os
que ela escreve como Patricia Cabot.

Responder

Vanessa - 21, janeiro 2015 às (18:53)

Já li outros livros dela que parecem ser semelhantes, como os da série “Tamanho 42…”, e gostei. Então, fiquei bem curiosa! Já entrou pra minha lista!
Beijos,
Van

Responder

Maria Alves - 21, janeiro 2015 às (18:59)

Embora não seja um gênero que me agrada, me interessou por ter mistério, ação e ser divertido, adoro livros que tenham esses requisitos. E pelo visto esse ódio vai se transformar em amor, já que estão sozinhos e perdidos, acho que vai acabar rolando aquele clima.

Responder

Juliana Frygoudakis - 22, janeiro 2015 às (20:59)

Oii Mi
Gostei muito da premissa desse livro ! Muito legal ver a meg cabot escrevendo histórias mais adultas, e ainda mais com mistério e com cenas mais picantes!
Me interessei bastante !

Beijos!

Responder

Nik Chan - 23, janeiro 2015 às (09:39)

Ainda não li nada da Meg Cabot. Não sabia que ela escrevia Chick Lit, que legal esse ser um Mistery lit, hoje em dias eles andam arrumando gêneros pra tudo. Gostei da premissa do livro. Gosto de livros que são escritos para entreter e distrair.
Bye

Responder

Paula de Franco - 26, janeiro 2015 às (10:00)

Olá,

Só pelo começo da resenha já teve duas coisas que me agradou: Chick lit adulto e ser narrado em terceira pessoa. Eu prefiro livros assim, mas hoje a maioria é em primeira. Deve ser muito bom acompanhar Lou e Jack perdidos no Alasca.
Gosto muito da escrita da Meg Cabot e depois irei arriscar a leitura.

Beijos.

Responder

Cecília Martinns - 28, janeiro 2015 às (13:43)

Eu ri na sinopse do livro, as vezes, só as vezes é bom ler um livro previsível, claro quando você tem um livro que te surpreende no final é maravilhoso também, mas as vezes um livro que as vezes pode ser clichê é bom, e eu adoro Meg *….*
E sinceramente eu não imaginava pela capa do livro que seria uma estória assim mas me surpreendi fico muito feliz com isso kkk (bom pelo menos alguma coisa me surpreendeu)
Beijos e obrigada pela resenha.

Responder

Thayla Bilard - 29, janeiro 2015 às (16:03)

Ainda não li esse livro da Meg Cabot. Fiquei muito curiosa quando li sua resenha, principalmente quando foi dito que esse chick-lit é mais direcionado ao público adulto, por conter partes mais picantes.

Responder

Larissa Pinheiro - 29, janeiro 2015 às (22:23)

Olá, Aione!
Nunca li nenhuma obra de Meg Cabot e confesso que me sinto um pouco envergonhada por isso. A verdade é que, apesar de gostar de Chi-lits, ainda estou adentrando neste terreno.
O livro parece ser interessante, principalmente pelo fato de envolver um mistério, mas, como ressaltou em sua resenha, me parece muito previsível. Acho que você foi feliz em sua definição de um passatempo leve e divertido. Contudo, se pretendo conhecer a escrita da autora, “Ela Foi Até O Fim” me parece ser um bom começo.

Abraços literários!

Responder

Rudynalva - 29, janeiro 2015 às (23:44)

Aione!
Muito bom poder apreciar a diversidade de um autor, como no caso da Meg Cabot. Mesmo escrevendo chick-lit, incorporou alguns adicionais que tornou o livro ainda mais interessante.
Sempre achei o ódio uma linha tênue para o amor. Será que estou certa?
cheirinhos
Rudy

Responder

Vitória Pantielly - 30, janeiro 2015 às (00:32)

Oii Aione 😀

Nunca li nada da Meg Cabot, sou bem curiosa pra conhecer a escrita dela, mas ainda não tive a oportunidade de ter nenhum livro dela em mãos!
Confesso que o que mais me agradou no livro foi o fato desse “humor” no meio da história, e claro, a curiosidade de saber como esse casal (sim, já estou pensando neles como casal, rs) vai terminar .. Imagino que vai ser uma leitura bem leve, e como você disse, mesmo sendo prevísel, será impossível largar o livro até saber o desfecho da história! Adorei a resenha!
Bjs :*

Responder

Alexandra Periard - 28, fevereiro 2015 às (13:03)

Já quero muito ler! Sou atriz e roteirista e me identifiquei muito com a premissa, não que eu já tenho sido abandonada, rs Mas esse lance de interesses acontece muito nesse meio. 🙁
Adoro essa relação de amor e ódio, é sempre bem divertido. Sempre vejo você indicar os livros da Meg Cabot, mas ficava com preguicinha de ler a autora. Acabei de mudar de ideia com essa resenha, uhuuu vamos lá! Bj

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por