[Resenha] O Retrato - Charlie Lovett | Minha Vida Literária
12

fev
2015

[Resenha] O Retrato – Charlie Lovett

O Retrato

Título: O Retrato
Autor: Charlie Lovett
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 416
Data de Publicação: 2014
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Buscapé

Um livro para aqueles que amam os livros. 1995. A morte precoce de Amanda Byerly foi um golpe duro, que encheu de tristeza o coração de seu marido, Peter. Mais introspectivo do que nunca, ele decide deixar os Estados Unidos e se instalar na Inglaterra, onde passa a se dedicar à recuperação e à negociação de livros raros. Em um de seus dias de pesquisa solitária, Peter se depara com o retrato de uma jovem muito parecida com sua amada esposa, guardado dentro de um livro. A semelhança impressiona, mas a aquarela foi pintada há muito, muito tempo. Trilhando um sinuoso caminho entre a era vitoriana e o final do século XX, Peter passa a investigar a origem do misterioso retrato. As pistas acabam por levá-lo a se envolver em um mistério histórico: uma obra perdida do dramaturgo William Shakespeare. “O Retrato” é uma fascinante mistura de suspense e paixão que nos convida a viajar no tempo, no rastro de histórias sobre livros.

O Retrato 1

Foi a premissa de O Retrato que chamou minha atenção: uma obra que promete a imersão em uma história completamente centrada na literatura e na paixão de seu protagonista por ela e por sua falecida esposa.

 

“Com os joelhos repentinamente fracos, caiu no chão contra uma estante e observou, como se fosse um sonho, enquanto o papel flutuava até o chão. O rosto ainda estava ali; ele fechou os olhos de novo, querendo que sua pulsação diminuísse mais uma vez e suas mãos parassem de tremer. Respirou fundo e abriu os olhos. Ela estava ali, olhando para ele, cama e serena, esperando. Era sua esposa. Era Amanda.”

página 8

 

Em terceira pessoa, a narrativa se alterna dentre três diferentes períodos: o presente de Peter, momento no qual o personagem se depara com um retrato de sua esposa, inexplicável por pertencer à época vitoriana e, posteriormente, com um manuscrito capaz de alterar a história da literatura Shakesperiana; o passado de Peter e Amanda, trazendo ao leitor a forma de como ambos se conhecerem e desenvolveram seu relacionamento; e o passado do Pandosto, o manuscrito encontrado por Peter, narrando a real trajetória da polêmica obra literária até sua chegada nas mãos do protagonista.

O Retrato 2

Inicialmente, a característica responsável por meu encantamento com a obra foi a paixão de Peter pelos livros – algo fascinante a qualquer bibliófilo. Não apenas por seu sentimento, também achei extremamente interessante adentrar na vida profissional do personagem, um vendedor de livros raros envolvido com projetos literários desde a época da faculdade. Somos apresentados a processos de restauração, a histórias de manuscritos e a histórias de diversos colecionadores, também amantes dessa arte. O interessante de O Retrato, também, é o fato de mesclar ficção com realidade, de forma a aumentar o interesse pelo enredo, questionando o limiar entre o real e o imaginário.

 

“Peter ganhara uma bolsa de estudos em Ridgefield, e a orientação aos calouros foi uma experiência dolorosa, focada em ‘conhecer’ pessoas. Peter não queria conhecer pessoas. O que ele queria era encontrar aquele mundo-dentro-do-mundo onde pudesse se ele mesmo consigo mesmo. Depois da visita guiada pelo foyer da livraria e do depósito, suspeitou ter encontrado o seu lugar. Ao ficar para trás durante a visita e escorregar para o meio das fileiras de estantes que desapareciam na escuridão, Peter descobriu exatamente o que o protegeria: livros.”

página 17

 

Contudo, meu envolvimento com a história foi diminuindo com seu avançar. Ainda que eu achasse o enredo interessantíssimo, não conseguia me prender a muitas páginas de uma só vez, de forma a fazer uma leitura bastante lenta e sem emoções. O fato de eu ter precisado interromper a leitura por alguns dias logo após tê-la iniciado por conta de alguns imprevistos pessoais pode ter sido o responsável pelo corte no meu envolvimento, e não a obra de Charlie Lovett em si.

O Retrato 3

Apesar do meu baixo envolvimento com o enredo ao longo das páginas, O Retrato configurou em uma história bastante interessante e bem estruturada, cuja leitura certamente vale a pena de ser conferida.





Deixe o seu comentário

8 Respostas para "[Resenha] O Retrato – Charlie Lovett"

Manu Hitz - 12, fevereiro 2015 às (09:20)

Oi, Aione
Querida, compreendo bem sua falta de conexão com a leitura, ainda que você a tenha achado interessante. De fato é, mas comigo rolou uma inquietação, uma vontade de terminar logo porque os longos capítulos descritivos demais me cansaram. A trama é boa, só que fiquei confusa com tantos personagens e, realmente, não me envolvi como achei ao escolher o livro., o que fiz tb pela sinopse promissora. Acabei dando quatro estrelas. O romance do casal é mesmo bonito, o momento do suspense dá novo fôlego, mas no geral achei enfadonho…
Beijo!
Ler para Divertir

Responder

Cristiane Oliveira - 12, fevereiro 2015 às (11:06)

Oi Aione. Este livro me chamou a atenção desde que vi o seu lançamento. Eu também me senti atraída pelo fato de ele conter toda esta atmosfera cercada de livros. E mesmo a leitura tendo te desapontado um pouco, eu continuo bem curiosa com a história.
Beijos

Responder

Rudynalva - 16, fevereiro 2015 às (00:03)

Aione!
Muito desanimador quando por algum motivo temos de interromper a leitura para retomá-la posteriormente, perdemos totalmente o pique.
Na verdade o enredo parece mesmo bem interessante, então fico me perguntando se não é a forma de escrita da autora que torna a leitura arrastada?
O bom é que tem romance…
cheirinhos
Rudy

Responder

Maria Alves - 16, fevereiro 2015 às (10:11)

Bom como sou fã de mistério e suspense me pareceu interessante, sem contar que fala sobre livros também. O fato dele encontrar um retrato de alguém parecido com a esposa me despertou uma curiosidade pra ler e saber como termina.
Mas após ler a resenha e os comentários fiquei em dúvida se valeria a pena ler.

Responder

Debbi Az - 18, fevereiro 2015 às (14:02)

Tenho um certo receio de o livro não conseguir me prender no começo, e parar. Principalmente por que o enredo como você diz ser interessantíssimo só que ser bem lento ao mesmo tempo. Mas é preciso dar uma chance, já que você disse que vale a pena!
Xoxo

Responder

Juliana Frygoudakis - 18, fevereiro 2015 às (23:56)

Oii Mi!
Pela sinopse, o livro parece ser lindo e apaixonante!
Mas nada disso adianta quando não nos envolvemos com a história, não é ?
Ainda assim, continuo interessada em lê-lo!

Beijos!

Responder

emanoelle souza - 19, fevereiro 2015 às (17:27)

caramba! fiquei curiosa agora sobre a mulher da foto que é igual a mulher dele, possivelmente a esposa dele reencarnou.Tem até uma leve semelhança com o livro Um conto do destino e a capa veio a calhar para o livro.

Responder

Érica - 04, março 2015 às (11:38)

Ganhei o marcador desse livro e ele me chamou bastante atenção. Depois da sua resenha fiquei ainda mais curiosa para ler essa obra. Gosto desse tipo de história que mescla passado e presente.

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil