[Resenha] Dois Garotos Se Beijando - David Levithan | Minha Vida Literária
17

mar
2015

[Resenha] Dois Garotos Se Beijando – David Levithan

Dois garotos se beijando

Título: Dois Garotos Se Beijando
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 224
Data de Publicação: 2015
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonCulturaSaraiva

Baseado em fatos reais e em parte narrado por uma geração que morreu em decorrência da Aids, o livro segue os passos de Harry e Craig, dois jovens de 17 anos que estão prestes a participar de um desafio: 32 horas se beijando para figurar no Livro dos Recordes. Enquanto tentam cumprir sua meta — e quebrar alguns tabus —, os dois chamam a atenção de outros jovens que também precisam lidar com questões universais como amor, identidade e a sensação de pertencer.

Dois Garotos Se Beijando1

A cada vez que finalizo um livro de David Levithan me pergunto se é possível que o autor seja menos do que incrível. Dois Garotos Se Beijando foi mais uma de suas obras capaz de me arrebatar devido à tanta sensibilidade presente em cada uma de suas linhas.

A estrutura de Dois Garotos Se Beijando chama a atenção por ser diferente em dois principais aspectos: capítulos e narrativa. Aqui, não temos a divisão em capítulos, mas sim agrupamentos de parágrafos. Sobre a narrativa, quem nos conta a história é um sujeito coletivo, na primeira pessoa do plural, formado por homens homossexuais de uma geração à frente da atual e que já faleceram em decorrência da Aids.

 

“Ele odiava se sentir assim. Odiava se sentir impotente. Refletiu sobre o que podia fazer. Como poderia se defender? Ele sabia que vingança não era uma opção. (…) Mas tinha que haver alguma forma de mostrar ao mundo que ele era um ser humano, um ser humano igual.”

página 69

 

Dessa maneira, o narrador faz inúmeras ponderações conforme a trama se desenvolve. Sendo onipresente e onisciente, é capaz de nos contar não apenas os fatos, descrevendo-os ao leitor, mas também as emoções e pensamentos de cada personagem, contrapostos a própria vivência dos narradores. Estes demonstram compreender não apenas como cada garoto se sente por já terem sentindo as mesmas emoções, mas também apontam como podem ser seus futuros e futuras visões, uma vez que apresentam a sabedoria dos que já viveram uma vida inteira e precisaram aprender e amadurecer com ela – algo ainda em desenvolvimento nos garotos.

Dois Garotos Se Beijando2

É na voz desse narrador que se deposita toda a sensibilidade característica de Levithan. O autor fala das mais complexas e simples emoções, fala de como atitudes e pensamentos têm impactos diferentes na vida de cada pessoa, demonstra o quanto atitudes irracionais, baseadas na pura ignorância e no mais denso preconceito, afetam tão profundamente os que sofrem deles. Acima de tudo, o autor divaga sobre sentimentos e necessidades intrínsecas de todo e qualquer ser humano, independentemente de crenças, orientações sexuais ou etnias, o que faz com que suas temáticas sejam universais e extremamente verossímeis.

 

“Nós nos vemos como criaturas marcadas por uma inteligência particular. Mas uma de nossas características mais específicas é a incapacidade de nossa expectativa simular verdadeiramente a experiência que esperamos. Nossa expectativa de alegria nunca é o mesmo do que alegria. Nossa expectativa de dor nunca é o mesmo que dor. Nossa expectativa de desafio não é nem um pouco como a experiência do desafio em si. Se pudéssemos sentir as coisas que tememos antes da hora, ficaríamos traumatizados. Assim, nós nos arriscamos pensando que sabemos como as coisas serão, mas não sabemos nada sobre a verdadeira sensação de cada coisa.”

página 137

 

Dois Garotos Se Beijando não traz apenas, como premissa, dois garotos tentando quebrar um recorde mundial através de uma tentativa desesperado de serem reconhecidos como iguais e detentores dos mesmos direitos do restante da população, ao mesmo tempo em que apresenta, paralelamente, situações de mais cinco garotos homossexuais, cada um vivenciando uma diferente experiência. Dois Garotos Se Beijando traz também uma perspectiva histórica da luta dos homossexuais por sua sobrevivência e direitos, demonstrando os avanços já obtidos e o quanto ainda é necessário ser alcançando – e que pode ser conquistado.

Dois Garotos Se Beijando é um relato comovente e sincero, metamorfoeseado em uma obra Young Adult, público, talvez, mais receptivo a mudanças e engajado na obtenção de conquistas. Com mais essa obra, David Levithan me deu a certeza de que sempre conseguirá tocar minhas emoções e impressões dessa forma única e já característica como sua, repleta de intensidade e sensibilidade.

Dois Garotos Se Beijando3

 





Deixe o seu comentário

7 Respostas para "[Resenha] Dois Garotos Se Beijando – David Levithan"

Renata - 17, março 2015 às (10:36)

Visito o blog praticamente todos os dias, mas é a primeira vez que comento.
Suas resenhas são ótimas, Mi! Me fizeram comprar os últimos 5 livros que tenho.
Agora mais um vai pra lista de desejados.

Beijos

Responder

Leticia - 17, março 2015 às (10:45)

Oi Aoine…
Acredita, não li nada de David. Vontade não me falta.
Imagino pela trama o quanto deve ser uma escrita sensível. Bom, ainda não tinha ouvido falar no livro, mas é uma leitura que eu faria.

livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

Responder

Danielle Thamires - 17, março 2015 às (12:04)

Ainda não li nada desse autor e nem tinha ouvido falar desse livro ;mas sua resenha, deixou clero , que é uma leitura intensa e comovente ; apesar disso, não é uma opção de leitura no momento , pra mim !

Responder

Cristiane Oliveira - 20, março 2015 às (15:47)

Oi Aione Nunca li nada deste autor. Mas os livros dele são tão bem comentados que eu tenho bastante curiosidade. Este aqui parece ser mais um livro de reflexões do que de história…
Beijos

Responder

Maria Alves - 21, março 2015 às (21:00)

O único livro do autor que li foi Todo dia e gostei, fiquei sabendo que vai ter continuação. Mas esse garoto beija garoto deve ser bom, afinal aborda um assunto que gera polemica, apesar de terem conseguido algum avanço ainda tem muitos tabus.

Responder

Tudo que Motiva - 23, março 2015 às (10:43)

Do autor só li Invisível e gostei bastante, estou muito curiosa para ler esse livro, parece ser bom.

Responder

Rudynalva - 30, março 2015 às (22:58)

Aione!
Leviathan é na minha opinião, um percursor de seu tempo, levantando sempre questionamentos palpáveis em relação aos preconceitos sociais e isso que o torna ainda mais especial.
A capa brasileiro deu a maior polêmica na net e nem sei por quê? Se a própria sinopse já conta o que encontraremos no livro, por que tanta discussão, concorda?
cheirinhos
Rudy

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por