[Resenha] Bangalô 2, Hotel Beverly Hills - Danielle Steel | Minha Vida Literária
24

abr
2015

[Resenha] Bangalô 2, Hotel Beverly Hills – Danielle Steel

Bangalô 2, Hotel Beverly Hills

Título: Bangalô 2, Hotel Beverly Hills
Autor: Danielle Steel
Editora: Record
Número de Páginas: 352
Ano de Publicação: 2015
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Amazon ♦ Cultura ♦ Saraiva

O agente literário de Tanya Harris liga com uma notícia bombástica: um famoso produtor de cinema quer que ela escreva o roteiro de seu próximo filme. E mais: a proposta inclui trabalhar hospedada no exuberante Bangalô 2 do Hotel Beverly Hills. De uma hora para outra Tanya precisa escolher se vai continuar com a rotina perfeita de escritora freelancer, dona de casa, esposa dedicada e mãe de família em São Francisco, ou se vai aceitar o convite e passar vários meses em Los Angeles, longe do marido e dos filhos, desestruturando a vida familiar para realizar um antigo sonho. Relutante e dividida, Tanya acaba aceitando o desafio. Mas será que tomou a decisão certa? Ao chegar a Hollywood, Tanya é envolvida por um mundo novo e intoxicante, e mergulha em um trabalho que exige mais dela do que poderia imaginar. Inevitavelmente, vai se afastando da família, que começa, aos poucos, a se desintegrar, e seu sonho se transforma em seu pior pesadelo. Será que Tanya conseguirá conciliar a vida pessoal e a profissional em meio a tantas demandas opostas? Ou uma reviravolta do destino vai garantir para sua vida uma cena final inesperada e digna de um filme vencedor do Oscar? Uma trama emocionante com um desfecho surpreendente!

Bangalô 2, Hotel Beverly Hills 1

Por nunca ter lido nada de Danielle Steel, fiquei curiosa pela leitura de Bangalô 2, Hotel Beverly Hills, uma vez que vi nela minha oportunidade de conhecer o trabalho da autora, um dos grandes nomes dentre os escritores de romances.

Em terceira pessoa, a narrativa se desenvolve trazendo a visão da protagonista Tanya, escritora e dona de casa completamente feliz e satisfeita com sua própria vida. Desde o início fica nítida a característica da escrita empregada na obra: embora fluida e rapidamente envolvente, é também bastante simples, desprovida de grandes recursos estéticos e literários – um dos motivos que colaboram com a facilidade da leitura.

Também, notei que a história é predominantemente contada ao leitor, o que resulta em muitos momentos serem simplesmente informados, ao invés de vivenciados juntamente das personagens. Isso, aliado à ausência de um maior aprofundamento na descrição de emoções e pensamentos, contribuiu tanto para a rapidez da leitura quanto, infelizmente, para a sensação de superficialidade tida por mim no decorrer das páginas.

Bangalô 2, Hotel Beverly Hills 2

Além das características da escrita propriamente ditas não terem me causado algum tipo de encantamento – ainda que eu também não tenha achado a narrativa desagradável, simplesmente fui indiferente a ela -, algo que muito me incomodou foi o próprio desenrolar do enredo. Esperei por uma leve e bonita história de amor, mas o que encontrei foi algo completamente oposto aos valores que, para mim, contribuiriam com a imagem previamente imaginada. Entendo que minha expectativa tenha causado uma possível frustração, mas, quanto mais eu lia, menos sentido eu encontrava no enredo e na intenção da história, por mais que as situações enfrentadas por Tanya sejam mais do que corriqueiras.

Acredito que meu maior questionamento tenha se centrado em Paul, marido da protagonista. Simplesmente não consigo enxergar coerência no personagem; suas atitudes, para mim, não condizem em nada com as suas descrições e ações iniciais, e com a história prévia do casal, suas ações me soram tão contrárias entre si e ao seu histórico que eu o enxerguei como duas pessoas diferentes.

Considerando-se todos os pontos a que fui contrária durante a leitura, não foi possível ter uma avaliação final positiva do livro. Mesmo compreendendo que, provavelmente, a intenção da autora era a de trabalhar questões como a superação de obstáculos e as atitudes tidas perante a eles, a mensagem para mim se perdeu simplesmente por eu não concordar com os desdobramentos, considerando-se a forma de como a história se inicia, e por, também, eu não ter sido convencida pelo final. Talvez, se o mesmo enredo fosse narrado a partir de um recorte diferente no tempo, sendo iniciado onde se localiza aproximadamente a metade do livro, e houvesse um maior aprofundamento tanto nas emoções da personagem quanto nos acontecimentos das últimas cenas, minha percepção fosse diferente. De qualquer maneira, meu interesse por ler outras obras da autora permanece, principalmente para poder afastar essa primeira impressão negativa que infelizmente Bangalô 2, Hotel Beverly Hills me causou.

Bangalô 2, Hotel Beverly Hills 3





Deixe o seu comentário

13 Respostas para "[Resenha] Bangalô 2, Hotel Beverly Hills – Danielle Steel"

Leticia - 24, abril 2015 às (09:36)

Oi Aoine…
O livro tem tudo para agradar, mas se ele não te encantou tanto, e não fez tanto sentido, desanima um pouco. Mas acho que só lendo para saber né.
Quem sabe você lendo outras obras da autora.

livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

Responder

Bruna Soares - 24, abril 2015 às (09:56)

Já não gosto muito de livros em 3 pessoa, o que já me desanimou bastante, conforme fui lendo só foi piorando porque fui vendo que ao invés de ver coisas que me convencessem a mudar de ideia só me fez ficar ainda mais desanimada. Irei dar uma chance para o autor, mas não será com esse livro porque se não te agradou provavelmente não irá me agradar e não quero uma primeira impressão assim.
Beijos

Responder

Cristiane Oliveira - 24, abril 2015 às (11:02)

Oi Aione. Eu também nunca li nada da Danielle, mas apesar da fama da escritora, eu já tinha visto muitas críticas negativas às suas obras. Mesmo assim, como você, eu tenho curiosidade em conhecer os seus livros, e este me causou curiosidade quando vi o lançamento. É uma pena a leitura não ter te agradado tanto, pois parece ser bem interessante, mas espero que as próximas leituras sejam mais interessantes.
Beijos

Responder

Diane Ramos - 24, abril 2015 às (20:31)

Olá , Aione você andou sumida , heim ?
Infelizmente eu não me identifiquei muito com a sua resenha , o que você relatou nela não me agradou portanto creio que não lerei esse livro 🙁

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Responder

Maria Alves - 25, abril 2015 às (18:12)

Acho que só li um livro da autora (não lembro o nome porque faz anos que li) mas lembro de ter gostado muito. É uma pena esse não ter sido bom, ter tido uma sensação superficial. Mas quem sabe você goste de algum outro dela.

Responder

Rudynalva - 26, abril 2015 às (00:27)

Aione!
Li dois livros dela, os mais antigos da década de 80 e amei.Passageiros da ilusão e Uma só vez na vida e confesso que fiquei estupefata com o fato de nesse exemplar ela apenas narrar para os leitores, porque o que realmente me conquistou nos livros que li, foi a profundidade psicológica com que ela criava suas personagens. Sei que os autores aos longos dos anos mudam s tentam aprimorar sua escrita, mas aqui, me parece que o caso foi ao contrário… uma pena!
Um final de semana carregadinho de luz e paz!
“Não acredite mais em pessoas especiais, mas em momentos especiais com pessoas habituais.” (Chafic Jbeili)
Cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

Responder

Reniére Pimentel - 27, abril 2015 às (21:46)

Oi, Aione!
Já te disse anteriormente que você é uma estpécie de guru literário para mim. Muitas das suas resenhas resultam em um acréscimo cada vez maior de livros em minha wishlist. Sendo assim, quando há alguma crítica negativa sua, ou talvez somente um não agrado completo ao enredo da história, como no caso deste livro, sinto profundo desânimo em conhecer do que se trata a história. Ainda não li nada de Danielle Steel, embora seja bastante curiosa para ler algo da autora, mas, como bem disse, acho que este não será um livro cuja leitura eu ansiarei por fazer.
Beijos, até logo!

Responder

Lucas - 27, abril 2015 às (22:20)

Oi Mi,

Danielle Steel realmente é dificil para se gostar. Já li alguns livros dela, mas são raros os casos que ele realmente encanta. Não por desmerecer a obra da autora, mas porque suas tramas são carregadas de um drama que chega a cansar. As protagonistas sofrem a todo instante e só acontece tragédia. Assim, se for para realmente gostar, procure Momentos de paixão, Ecos e Porto Seguro. São livros, que apesar do drama, cativam e mostram histórias de amor bonitas e de superação!

Beijos,
Lucas

Responder

Rosana - 29, abril 2015 às (14:19)

Pode ser um personagem com dupla personalidade? Acho que esse ponto ficaria interessante devido às suas descrições. Pena a autora ter se perdido um pouco, o livro tinha tudo para ser bom! :/

Responder

Duda Menezes - 30, abril 2015 às (11:51)

Vixe!
Tenho tudo pra não gostar do livro também, como você bem sabe hehe Minha experiência com essa autora já não é das melhores. Vou deixar pra tentar outro livro beeeem mais pra frente. Por enquanto, não ando muito no clima pra testar Steel, principalmente depois de ter me decepcionado tanto com os últimos dois que li.
beijão, Mi!

Responder

Paac Rodrigues - 30, abril 2015 às (16:34)

Achei a capa linda, a até gostei um pouco da premissa mas lendo a resenha não senti que a história iria me prender a ponto de eu querer ler =/

Responder

Rebecca Martins - 30, abril 2015 às (17:14)

Nossa Aione,
Estava animada para ler, porque achei a capa realmente bela, mas, depois de você não ter gostado ( e nossos gostos são bem parecidos, pode acreditar) nem quero ler! Perdeu totalmente a graça!
Beijinhos!
Amo muito você <3

Responder

Naiara Aimeé - 20, maio 2015 às (18:28)

Olá, Aione, amei sua resenha.
Ainda estou lendo o livro, mas confesso que não é uma narrativa que esteja me prendendo muito. Estava aqui torcendo para sair essa minha má impressão inicial, mas pelo que vejo não vai rolar rs…

Beijos 😉

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por