[Resenha] A Rainha Vermelha - Victoria Aveyard | Minha Vida Literária
05

jun
2015

[Resenha] A Rainha Vermelha – Victoria Aveyard

A Rainha Vermelha

Título: A Rainha Vermelha
Autor: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Número de Páginas: 424
Data de Publicação: 16 de junho de 2015
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre em Pré-Venda: Amazon ♦ Americanas ♦ Cultura ♦ Extra ♦ Submarino ♦ Travessa

Uma sociedade definida pelo sangue. Um jogo definido pelo poder.

O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe — e Mare contra seu próprio coração.

A rainha vermelha estreou em 1º lugar na lista do New York Times, e continua no ranking deste então. O diretos para cinema foram adquiridos pela Universal, que fará o filme com roteiro de Gennifer Hutchison (Breaking Bad) e produção de Benderspink (Efeito Borboleta) e Pouya Shahbazian (Divergente).


A Rainha Vermelha 1

Confesso que estava mais ansiosa pela leitura de A Rainha Vermelha pelos burburinhos ao seu redor do que por sua temática em si, embora ela seja, no mínimo, curiosa: uma distopia YA que traz uma sociedade dividida pela cor do sangue, sendo o de cor vermelha pertencente à plebe e o prateado à elite, elevada a uma categoria superior por conta dos poderes sobrenaturais que a define.

Logo no primeiro capítulo, somos apresentados, em primeira pessoa, à difícil realidade de Mare como vermelha: sua família, como a dos demais vermelhos, é guiada pela miséria. Ao avançar das páginas, o sentimento de injustiça se intensifica, bem como a compreensão dessa sociedade extremamente segregada se torna mais clara. Inicialmente, fiquei um pouco confusa sobre os prateados, principalmente sobre seus poderes, mas a sensação foi passando conforme avancei pelas páginas. Não há uma explicação para a existência dos diferentes tipos de sangue, contudo essa informação é irrelevante: o que realmente importa é saber que há uma diferença e ela afeta a vida de todos.

 

“Muitos vibram em acordo. Precisei de toda a minha força para não pular em cima desses covardes que jamais estarão na frente de batalha ou enviarão seus filhos para o combate. A guerra prateada deles é paga com sangue vermelho.

página 41

 

Toda minha leitura foi marcada por sentimentos e reações ao que eu lia: a angústia crescente pelas injustiças cometidas, a dúvida pelos caminhos escolhidos por Mare, os questionamentos que a própria protagonista faz sobre suas próprias convicções, a adrenalina nos muitos momentos de ação e as crescentes surpresas trazidas pelo próprio enredo. A todo momento fui tomada pela impressão de que nada do que eu esperasse de fato aconteceria, uma vez que Victoria Aveyard me surpreendeu diversas vezes ao longo da trama. Em determinado momento, passei a cogitar toda e qualquer possibilidade e, por supor tantas, acabei adivinhando o desenrolar dos fatos. Ainda assim eles me surpreenderam: eu realmente não sabia o que esperar, mesmo tendo diversas opções a minha frente.

A Rainha Vermelha 3

O livro é definido por um forte sentimento de revolta e é esse sentimento o responsável por guiar o enredo. Assim, o romance tão comum a livros do gênero fica completamente em segundo plano nesse caso, e temos pequenos vislumbres dele em determinados momentos. Mare não está em busca de romance e não deixa algum ofuscar seus objetivos, tampouco se deixa enganar pelo cenário no qual passa a viver. Ainda assim, a maneira de como a autora inseriu as dúvidas da protagonista, sua percepção de que há margens para suas crenças, em muito me agradou.

 

“O mundo é prateado, mas também cinza. Não existem o preto e o branco.

página 235

 

Merece destaque também a ambientação criada pela autora. Embora a ideia de sociedade segregada e caracterizada por fortes desigualdades seja típica do gênero e, portanto, comum a ele, achei interessante o toque de ficção dado pela autora ao dar poderes sobrenaturais aos prateados, bem como a nítida percepção de hierarquias e divisões dentro da própria elite. Foi interessante descobrir os possíveis tipos de poder e como estão ligados à formação das casas e descendências.

A Rainha Vermelha provou merecer a atenção recebida por ser um livro completamente envolvente e recheado de ação. Mesmo tendo ingredientes comuns ao gênero, como uma protagonista de personalidade forte, nascida em um meio desvalorizado e, em determinado momento, dividida quanto aos seus próprios sentimentos, a obra se destaca por manter sua própria identidade. Uma boa premissa aliada a uma escrita fluida, envolvente e repleta de frases de impacto só poderia resultar em uma ótima leitura. Agora, só nos resta aguardar pela continuação e pela adaptação cinematográfica, desejando que essa faça jus à obra original e que aquela não demore a chegar a nós.

A Rainha Vermelha 2





Deixe o seu comentário

68 Respostas para "[Resenha] A Rainha Vermelha – Victoria Aveyard"

Aciclea Vieira - 05, junho 2015 às (09:51)

Aione,Esse livro parece ser uma distopia voltada para os problemas sociais,pois além das diferentes cores dos sangues, vimos o enfoque principal aos conflitos e aos atos desumanos voltados para um grupo denominado peble e conjuntamente vemos uma mocinha preocupada com os que representam a sua classe sem se ostentar com aquilo que o grupo de sangue prateado o da realeza possui e melhor ainda o romance fica em segundo plano.Só nos resta esperar pela continuação do livro e aguardar sua produção cinematográfica.Beijos!!!!

Responder

Thais Belarmina - 05, junho 2015 às (10:24)

Oi Mi, tudo bem?
Só esse titulo me ganhou, e pelo o que vc falou dele é ocm certeza uma leitura maravilhosa.
Vc está tão empolgada falando dele que me deixou com uma invejinha! kkkk
Espero poder lê-lo em breve! 😀
Amo distopias.
Beijos!

Responder

Edilza - 05, junho 2015 às (13:55)

Oi, Mi!
Lendo essa resenha me convenci de que esse livro é pra mim!
Amei o fato dele ter bastante ação e também não focar muito no romance, além de ter esse toque de ficção que gosto muito.
Amei a resenha! Bjs <3

Responder

Larissa Oliveira - 05, junho 2015 às (15:17)

Oi, Aione! Eu adoro uma distopia! Achei muito interessante o modo como a autora demonstrou essa divisão de classes, pela cor do sangue. Fiquei bastante empolgada, também, por ser uma história cheia de ação e envolvente. É tão bom quando o autor consegue nos prender durante toda a trama e ainda nos presenteia com um final surpreendente, né?

Responder

Diane Ramos - 05, junho 2015 às (19:03)

Olá !

“A rainha vermelha ” está sendo muito comentada , mas , assim como você estou mais interessada em ler pelos murmurinhos , do que por interesse próprio .
Pra dizer a verdade eu nem me interessei muito pela sinopse 🙂

Não deixe de participar da sorteio no meu blog . Serão 6 livros para um ganhador !

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Responder

Francielle Moreira - 05, junho 2015 às (22:47)

Essa distopia pelo que entendi da resenha irá falar sobre prolbemas sociais e o preconceito. Adoro esse tema.

Responder

Thays Suenaga - 06, junho 2015 às (10:00)

Que ótima resenha, estava mesmo esperando por uma já que estou super a fim de ler só pela capa, quando apareceu a sua no meu feed vim correndo ler.

Responder

Kemmy Oliveira - 06, junho 2015 às (13:07)

Oi, Aione!
O burburinho acerca dessa obra tá forte mesmo
Mas o enredo também me chamou muito a atenção!
Gosto bastante de distopia e achei interessante essa mistura de gêneros, toda essa coisa de superpoderes e tal

Beijos!

Responder

Suzzy Chiu - 06, junho 2015 às (17:10)

Hello!!
Essa capa aí é bem forte!! De cara me chamou a atenção!
E que estória boa!!! Adorei a sinopse e a resenha so fez aumentar a minha vontade de ter o livro logo!
Adoroooo esse tipo de livro, que tem ação, coisas sobrenaturais… já me vejo devorando o livro de tão bom.
Vou ler com certeza!
Bjus

Responder

Kelen Vasconcelos - 08, junho 2015 às (15:30)

Olá Aione!

Desde que começaram a falar desse livro tenho estado super curiosa. Amei sua resenha, ela foi perfeitamente clara sobre o que esperar do livro. E posso dizer que ele já está na minha lista.

Bjoss
http://kelenvasconcelos.blogspot.com.br/

Responder

Becca Martins - 08, junho 2015 às (16:22)

Oi Aione!
Eu não me lembro muito bem, mas tenho quase certeza que você já mostrou este livro em algum video seu. Desde lá eu estou doida para lê-lo.
Parece ser incrível, além do fato de a capa ser maravilhosa!
Beijos!

Responder

Bruna Thamires - 08, junho 2015 às (16:27)

Esse book parece ser imperdível! Quero ler ele.
Distopias são muito boas. É com toda certeza meu gênero literário favorito.
Conheci vocÊ atraves da minha irma e a partir de hoje não vou parar nunca de entrar no seu blog e ver seus videos.

Responder

Tamara Costa - 12, junho 2015 às (19:48)

Eu já tinha visto a capa desse livro muitas vezes por aí mas ainda não tinha parada pra ler a resenha apesar dessa capa e título tem me atraído muito. Adorei a premissa, por mais que essas distopias que estejam saindo sigam a mesma linha essa me pareceu diferente por não se focar naquele elemento romance e no eterno triangulo amoroso entre a garota e o caras ¬¬
Fiquei feliz em saber isso e saber que posso esperar ação!

Responder

Cristiane Oliveira - 17, junho 2015 às (17:09)

Oi Aione. Distopia com um toque de sobrenatural? Opa, já quero pra ontem! rsrsrs Gostei do enredo, eu como fã de distopias preciso ler. Também gostei de saber que será adaptado para o cinema. Só espero que a continuação seja no mesmo nível. Acho que esta questão de não ter sido explicado o porque existe diferenças entre sangue, pode ser explicada na sequência.
Beijos

Responder

Claudio AUGUSTO Martins - 22, junho 2015 às (10:10)

A Rainha Vermelha
da Autora Victoria Aveyard publicado pela ed Seguinte
eu encomendei hj na Livraria aqui da minha cidade
estou ansioso por ler
amei sua resenha e sua página , está linda

Responder

Rebeca Kelly - 24, junho 2015 às (13:25)

Como assim?! Mare sim é uma protagonista destemida, ativa e encantadora! Amo distopias e tenho certeza de que A rainha vermelha me emocionará. Como vc bem falou, o sentimento presente em toda a obra é de revolta devido a segregação bastante presente. Embora o enredo seja diferente, lembrei de Katniss de Jogos Vorazes, a qual também é uma personagem extremamente forte e focada em seus objetivos. Animadíssima para ler o livro resenhado! Senti falta de comentários sobre o romance…

Responder

Mirian Caroline Rodrigues - 28, junho 2015 às (14:49)

Olá Aione, tudo bem?
Como já disse na sua caixinha de correios, esse livro me chamou muito a atenção, ainda não o conhecia, mas com certeza será minha próxima aquisição! Beijos.

Responder

Valéria Bonfuoco - 02, julho 2015 às (14:11)

Eu fiquei muito curiosa para saber como erá esse livro, devido ao tanto de pessoas que á elogiavam, e logo que li a sinopse e a resenha, minha empolgação aumentou. Ao se tratar de um livro distópico e com pessoas com poderes, devido ao sangue, uma personagem confiante e poderosa que irá desequilibra essa divisão da sociedade. Com toda a certeza será um livro intrigante e cheio de emoção, já pela capa dá para notar o quanto deve ser bom.

Responder

Juliana - 02, julho 2015 às (14:18)

Ois!

Ainda não li o livro, mas já estava empolgada, depois da sua resenha então… Queria esperar pelo lançamento da série completa, mas acho que não vou conseguir, aiaiaiai.
Bom saber que não se trata de “mais do mesmo”, afinal de distopias com adolescentes o mundo já está cheio… E jura que estão pensando em fazer um filme?!?!

Bjs Bjs

Responder

Viviane Gonçalves - 02, julho 2015 às (14:42)

Estou lendo o livro e estou curtindo, “MAS é tão Fúria vermelha+Seleção+Jogos vorazes+Desafio”. Sei lá, a capa é linda e maravilhosa, já vi tantas resenhas “gringas” falando super bem deste livro, mas estou achando tão pouco original.
Vou finalizar para ver se mudo de opinião… rs

Beijos =)

Viviane Gonçalves
vsg_caue@hotmail.com

Responder

Luiza A Matos - 02, julho 2015 às (15:06)

OH MEU DEUS DO CÉU!Desde que eu vi a premissa desse livro eu tinha certeza que eu ia me apaixonar por ele!Esse enredo de uma sociedade hierarquizada sempre me encanta para caramba ainda nem li o livro mas tenho certeza que vou amar e principalmente irei aguardar ansiosamente a continuação dele!!! *-*

Responder

Juliana Mattos - 02, julho 2015 às (15:25)

Maaaaaaal posso esperar pra ler esse livro! Foi meu livro mais esperado desse ano, eu acho hahahaha Não acho ele aqui na minha cidade ainda, difícil =( Espero gostar porque minhas expectativas estão altas!! Bjj

Responder

DEISE GABRIELA DE LARA - 02, julho 2015 às (15:32)

Depois de ler sua resenha me deu uma vontadinha de ler,acho que este vai pra minha listinha.rsrsrs Capa prata,linda…

Responder

Susana Cordeiro - 02, julho 2015 às (17:14)

Eu querooo <3 Faz tempo que não vejo uma história tão completa assim.

Responder

Viviane Martins - 02, julho 2015 às (17:35)

Parece ser um livro interessante, nunca li nada de YA sobrenatural.

Responder

Júlia Vivas - 02, julho 2015 às (20:33)

Ahh, como eu amo distopias! Essa não tem muito romance? Brilhante. Espero q seja perfeito. Se o livro condizer com a capa, vai ser o máximo! (Olha aqui quem julga o livro pela capa) haha quero leeer

Responder

rudynalva - 02, julho 2015 às (20:50)

Aione!
O que acho melhor nas distopias é justamente o fato de criar um mundo ficcional muito próximo da nossa realidade.
Mesmo que tenham sangue diferente, o ponto principal é justamente a diferenciação entre os mais abastados que aqui tem poderes, e os mais desfavorecidos. Nossa realidade, né?
Fato é que gostaria de acompanhar o drama de Mare…
“Sede pacientes; a paciência também é uma caridade, e deveis praticar a lei de caridade ensinada pelo Cristo, enviado de Deus.”(Allan Kardec – O Evangelho Segundo o Espiritismo)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Participe no nosso Top Comentarista!

Responder

Mariane Seolin - 02, julho 2015 às (21:08)

Li diversas resenhas sobre A rainha herdeira e a cada resenha minha curiosidade e ansiedade pra ler só aumenta. Parece ser um livro emociante, que prende a atenção do leitor e não o decepciona ao final da leitura.

Responder

Katherine Martins - 02, julho 2015 às (21:42)

Nhaaa.. eu já tava louca para ler esse livro e como você era mais pelo burburinho que rondava esse livro do que pela história, que aliás não fazia ideia do que era, mas saber que é uma distopia me fez querer mais ainda. Essa história de divisão por sangue, poderes sobrenaturais, eu adoro! To muito curiosa pra sentir essa sensação de indignação e revolta, adoro livros que nos fazem sentir os sentimentos dos personagens e se for como você descreveu sinto que vou me perder nessa história <3

Responder

Letícia Iarossi - 02, julho 2015 às (21:45)

Amo distopias e desde que vi a capa desse livro já fiquei interessada. Com a sinopse e resenha então, nossa, não vejo a hora de devorar este livro.
Beijos

Responder

Renata Leal - 02, julho 2015 às (21:57)

Oi Mione!
Confesso que sua resenha me deixou um pouco assustada kkkk o livro parece ser realmente bom! Fiquei sem fôlego! Não me identifiquei muito com o que aborda por conta da ausência do romance, coisa que me atrai (e muito). Não seria um livro que, se lesse somente a sinopse, o pegaria para fazer a leitura, mas se visse somente a capa… Eu não pensaria duas vezes! Que capa maravilhosa! Caso eu visse a capa e lesse a sinopse, acho que levaria também, pois o enredo não é nem um pouco ruim, muito pelo contrário, entretanto… Não é algo que me atraia de cara.
Um beijo! 🙂

Responder

Cailes Bennet - 03, julho 2015 às (01:00)

Já ouvi falar bastante desse livro e todos os comentários foram positivos, após ler sua resenha fiquei curiosa para lê-lo, pois parece realmente interessante. Foi bom saber que apesar de carregar a essência das distopias, a obra tem o seu diferencial. Algo que também achei curioso foi o fato de o romance não ser predominante, parece algo bom, acho que dá um toque mais cru a realidade vivenciada pela protagonista, não que eu não goste dos romances, eu adoro rs, mas é legal ler algo que foge um pouco do padrão *-*

Responder

Suzzy Chiu - 03, julho 2015 às (22:37)

Para começar amooo distopias, é um gênero que comecei a ler e estou adorando. E acho que Rainha Vermelha vai ser a melhor de todas, só tem elogios e to curiosa demais! Inclusive acabei de baixar o e-book e to amando conhecer tudo e os personagens.
A ideia de dividir a população em sangue vermelho e prateado eu achei interessante já, pq não são pessoas comuns, tem super poderes (amoooooo!)
A capa é dessas bem chocantes de tão lindas ne?!
Com certeza vou ler a série toda!

Responder

Fernanda Luz - 04, julho 2015 às (19:52)

Eu já estava querendo esse livro desde que o vi na internet, sua resenha me ajudou a querer mais ainda, hehehehe. Adoro distopias, tenho certeza agora que preciso desse livro, hehehehe.

Responder

Mauricio Diniz - 06, julho 2015 às (10:58)

Uma distopia YA em que o romance fica em 2º plano e não acaba “engolindo” o enredo merece ser lido. Uma pena não tem uma “explicação” para saber fato que desencadeou a existência dos tipos de sangue – sempre gosto de saber o motivo que gerou as mudanças na sociedade. A protagonista parece ser uma boa personagem – diferente das meninas comuns que estamos acostumados a ver/ler.
Não sabia que os direitos já tinham sido comprados para a realização de um filme – espero que seja bem adaptada né…
Parabéns pela resenha…

Responder

ariadnes - 06, julho 2015 às (13:14)

Um dia deste passei na saraiva e vi esta capa achei que era mais alguma historia de epoca com uma rainha má,nunca imaginei que era este tipo de historia achei interessante este lance de sangue vermelho e prata e ainda mais os poderes “x-men” kkkk curiosa para ler este livro

Responder

Juliana - 06, julho 2015 às (23:48)

Amei a resenha, me fez querer ainda mais o livro!!!

Responder

Erica Leme - 08, julho 2015 às (22:45)

Adoro distopias e li diversas opiniões positivas sobre A rainha Vermelha, agora incluindo a sua. No skoob esse livro está com avaliação 4.5, então estou animada pra ler!
Só fiquei um pouco triste por saber que não há quase nada de romance no livro, mas isso é bom pra intercalar entre um livro de romance e outro hehehe
Não sabia que o livro iria virar filme, Aione, que notícia boa! *o*
Bjos

Responder

ELIZABETH MACHADO SALLES - 10, julho 2015 às (13:32)

Mais uma distopia que estou ansiosa por conhecer. Pelas resenhas que li, incluindo a sua, fiquei empolgadíssima com a trama e personagens. Uma história assim que estou precisando ler no momento. Algo que prenda minha atenção do começo ao fim. Muito bom.
Beijos.

Responder

Juliane Santos - 13, julho 2015 às (14:29)

Esse livro parece ser daqueles que sem querer te arrancam lágrimas 🙁 Essa coisa de serem divididos por sangue é tão injusto,a miséria em que eles se encontram tudo. Com certeza essa vai ser uma distopia mesmo,sem aquela coisa de só romance,apesar de romance ser meu genero preferido,n li nenhuma distopia quase que o romance não fosse maior.

Responder

Danny Porto - 13, julho 2015 às (19:44)

A capa é muito linda , adorei a resenha !

Responder

Mariana Póvoa Cavalcante - 14, julho 2015 às (02:11)

Louca pra ler esse livro. Vi você falando dele no vídeo de caixinha de correio e fiquei super curiosa. Gostei do fato de divisão de sociedade, gosto muito desse estilo de livro, como divergente.

Responder

Mariele Antonello - 14, julho 2015 às (11:46)

Bom inicialmente tinha me interessado mais por A Rainha Vermelha devido a capa que me chamou muito atenção e também por estar super comentado, mas depois de ler resenhas fiquei super interessada pois a história é muito interessante, adorei a resenha, e adorei saber que o livro desperta sentimentos, bom saber que o livro é envolvente e tem muita ação, pretendo ler em breve.

Responder

Mayara Pinto - 17, julho 2015 às (03:26)

Nada fácil falar sobre esse livro porque foi o melhor do ano pra mim e será mais uma saga que vai destruir minha vida porque aí vem filmes. Li em inglês no inicio do ano e simplesmente foi amor à primeira pagina. É cheio de quotes memoráveis, reviravoltas alucinantes e personagens únicos. Morrendo de ansiedade pelos próximos, essa distopia veio pra desbancar todas as outras.

Responder

Maria - 17, julho 2015 às (16:55)

Oi, A Rainha Vermelha já tem alguma continuação? Se sim, qual? Você quer que ela acabe com Cal? Pois eu quero.

Responder

Aione Simões 17 jul 2015

Oi Maria!
Já tem sim, você pode ver a capa e a sinopse (em inglês) lá no Goodreads, mas o livro só sera publicado em fevereiro do ano que vem. No Brasil, ainda não tenho informações, mas será no ano que vem também. Vamos torcer para ser junto com o lançamento lá de fora, né?
ALERTA DE SPOILER
Sobre sua pergunta, espero que sim também!
Beijão!

Responder

Larissa Bento - 17, julho 2015 às (23:39)

Meeeeeu deus, é incrivel o quanto as pessoas estão falando desse livro por aí, a ponto de me deixar louquinha para ler.
Sempre que isso acontece eu procuro umas resenhas para ver se realmente vale a pena, e olha só, achei a sua ausauh (Isso, foi ontem, mas hoje consegui vir comentar)

Ainda estou na metade do livro, e já estou amando ele!
A Victoria conseguiu retratar num escrita maravilhosa todo a revolta da Mare, bem como suas angustias e suas dúvidas.
Além de várias frases que me marcaram, como:
“A guerra prateada deles é paga com sangue vermelho.”
“Todo mundo pode trair todo mundo”

Eu não sei o que esperar para o final disso tudo, porque toda hora eu me surpreendo com os fatos! Eu acho incrível essa coisa de mesmo que todas as distopias tenham esses mesmos ingredientes, eu consiga me apaixonar por cada uma mesmo assim.
Todo mundo falando que ao terminar, mal pode esperar pela continuação, e to achando que eu também vou me sentir assim viu ashaush

Bom, deixa eu ir terminar de ler logo.
Resenha maravilhosa!
xx

Responder

Danny Carey - 20, julho 2015 às (13:00)

oi, adorei a resenha, já está na minha wishlist literaria 😀
bjs

Responder

Lucas Dallarmi - 20, julho 2015 às (18:25)

Gosto da maneira de que o livro “destaca”, de certa forma, os problemas sociais. Livros que envolvem drama, um pouquinho de thriller e destaques sobrenaturais realmente chamam a minha atenção e mostra, de fato, que tem de tudo para ser um ótimo livro e levar a uma adaptação incrível para as telonas.

Responder

Fran Ferreira - 22, julho 2015 às (16:17)

Aione, estou vendo passarinhos verdes com essa resenha. Confesso que minhas percepções literárias estão bem desatualizadas, então se descrever “asneiras” ignore por favor. Esta resenha me fez lembrar de “Herry Potter” e suas sequências, onde ele descobre á que mundo pertence e qual decisões a serem tomadas. Pode parecer estranho, mas minha mente fez uma junção de algumas cenas de HP, e as transformou para o cenário de “A Rainha Vermelha”, o resultado na minha cabeça fiou fantástico; com certeza quero o mais do que nunca. Personagens que descobrem de onde vem por fatos inesperados me fascinam. Livro adicionado em minha lista.

Bjss

Responder

Gabriela Malavolta - 24, julho 2015 às (22:11)

Dentre todos os lançamentos que eu acompanhei esse ano,a Rainha Vermelha está no topo com certeza. Não sei o que me chamou mais atenção, mas estou a dizer que seja a obra como um todo. A capa apesar de simples me encantou desde do momento em que a vi. O gênero de distopia me envolve,pois apesar de se passar em um mundo pós-apocalíptico,percebemos toques de realidade,a qual estamos inseridos.O livro tratará não só de desigualdades pela cor do sangue, mas também dos privilégios que a minoria tem sob a grande plebe.Gostei muito dessa temática e estou louca para acompanhar o caminho que a protagonista irá tomar,assim como os conflitos que ela irá passar.Achei interessante que o o romance fica em segundo plano e temos um toque de ação,pois,assim,podemos ver mais dessa desigualdade e lutar junto a Mare contra ela.Não vejo a hora de lê-lo.Beijão,MI!
P.S: Já disse que suas resenhas sempre me deixam mais ansiosa para ler os livros?! hahaha.

Responder

Danna - 25, julho 2015 às (16:27)

Nossa, agora tenho certeza que quero este livro! A protagonista é o tipo de personagem que eu gosto, aqueles que dão a volta por cima. Que surpreende. Você disse que é um livro cheio de ação, o que é intrigante. Eu adoro distopias.. E este livro me lembra a seleção, me lembra muito.. acho que vou adorar ele.

Responder

Daniela Calcia - 28, julho 2015 às (00:12)

Fiquei interessada pelos poderes sobrenaturais dos personagens. Pela sua dica parece uma história bem envolvente! Obrigada!

Responder

Marcelle Gonçalves - 29, julho 2015 às (21:57)

Esse livro me lembrou um pouco A Seleção. Não no quesito romance,como você disse, ele fica em segundo plano. Mas a parte distopica mesmo. Espero ganhar. 🙂

Responder

Clarice - 30, julho 2015 às (11:27)

A história tem cara de ter uma trama envolvente e empolgante. Gostei do que descobri aqui na sua resenha. Agora, espero ter a oportunidade de ler e poder conferir o que dizem dele.
Beijos.

Responder

Alessandra Fernandes - 31, julho 2015 às (10:37)

Ótima resenha, aumentou ainda mais minha curiosidade, pois estou muito ansiosa para ler esse livro. Li muitas resenhas, mas nenhuma me deixou tão curiosa, com vontade de desvendar os mistérios, de entender melhor os sangues prateados e os sangues vermelho como a sua me deixou. Fiquei com uma super vontade de conhecer melhor a Mare e todo este mundo.
Abçs Aione!

Responder

Lara Rios - 09, agosto 2015 às (20:23)

Melhor livro que, já li com direito a choro e ódio, amoo!!

Responder

Jayane - 13, outubro 2015 às (15:55)

oi!
Aione sou muito fã de seu Blogger e principalmente do livro ‘”A rainha vermelha” e gostaria de saber se você sabe quando será lançado o próximo livro da trilogia?!

Obrigada desde já com carinho Jayane!

Responder

Aione Simões 14 out 2015

Oi Jayane!
Fico muito feliz em saber disso, obrigada!
Lá fora, “Glass Sword” vai ser lançado em fevereiro. Aqui, a editora Seguinte está fazendo o possível para que seja um lançamento simultâneo, mas ainda não é certeza. De qualquer forma, deve acontecer no primeiro semestre do ano que vem 🙂
Beijão!

Responder

Fernanda Lucena - 16, novembro 2015 às (15:37)

OI Aione, tudo bem?
Li A Rainha Vermelha esse final de semana e UOW! Q livro!
Você imagina mil opções pra cada acontecimento né?!
Cada personagem, cada acontecimento, nossa, faz você ficar grudada na leitura!

Pena que demorará uns meses pra o lançamento do próximo né?!
Mas vamos torcer pra ser lançado próximo do lançamento internacional

Bjoooooos!

Responder

Dayana Souza - 08, dezembro 2015 às (14:46)

Livro Maravilhoso!
Pena que ainda não tem o segundo…

Responder

Carolina Silva - 23, dezembro 2015 às (11:30)

Eu comprei esse livro, o título me ganhou e a sinopse mais ainda ?
Aí li isso, vou ler AGORA…

Responder

Daniela - 01, abril 2016 às (02:10)

Pesquisei sobre esse livro e vi que havia outro chamado Coroa Cruel. Saberia me dizer se eles tem alguma relação um com o outro?

Abraço.

Responder

Aione Simões 01 abr 2016

Oi Daniela!
O “Coroa cruel” é um livro spin-off da série, reunindo dois contos: “Canção da Rainha” e “Cicatrizes de Aço”.
Se quiser, tem resenha dele aqui.
Beijos!

Responder

Cris Gasparetto - 13, abril 2016 às (14:40)

Olá Aione, primeiramente parabéns pelo trabalho, acompanha já algum tempo, e acredito muito nas suas criticas e opniões sobre as resenhas….

Eu mesmo que veja outro livro em outro lugar antes de comprar prefiro saber sua opinão a respeito.

Conheci o livro A Rainha Vermelha de Victoria Aveyard pelo seu blog e desde então foi uma saga pra comprar…primeiro pq era lançamento e eles ficam muito caro….depois qdo aparecia aquelas promoções relâmpagos eu não tinha dinheiro eu não podia usar o cartão…. rs rs rs

Finalmente consegui comprar os 2 volumes e até os contos que foram praticamente devorados. Tamanha a escrita envolvente, cheia de carisma, e expectativa pela Mare assumir os sentimentos pelo príncipe Cal….

O fato é que depois de terminar a leitura o inevitável aconteceu (acredito que com vc tbm aconteça) fiquei órfão sem os amigos sem a adrenalina das conquistas de Mare sem a audácia da Guarda Escarlate….

Por tanto gostaria de saber se vc sabe, tem alguma informação, um passarinho te contou quando sai a contnuação, o que vem depois de a espada de vidro?????

Responder

Aione Simões 13 abr 2016

Oi Cris!
Poxa, fico grata e lisonjeada com seu comentário, obrigada mesmo pelo carinho e confiança ♥
Entendo a sensação! É uma delícia encontrar uma história que tanto nos cativa, mas péssimo ficar órfão dela, né?
Até onde eu saiba, o próximo será lançado apenas em 2017 =/
Espero que o lançamento no Brasil seja simultâneo, assim não precisamos esperar muito além disso, né?
Beijos, querida, e obrigada novamente!

Responder

Rafaela - 28, abril 2016 às (23:29)

Nossa, eu estou lendo atualmente o livro Como eu era antes de você, e estou amando !! Na história o Will sugere que Lou leia o livro A Rainha Vermelha, daí fui pesquisar pra ver se realmente existia esse livro, e aul me surpreendi, não só existe como pela resenha vi que eh maravilhoso #partiupraseroproximodalista. ❤❤❤❤❤❤❤

Responder

Aione Simões 29 abr 2016

Oi Rafaela!
Como eu era antes de você é mesmo muito amor ♥
Não me lembrava dessa sugestão dele, mas, de qualquer forma, não pode ser esse da Victoria Aveyard, já que ele saiu três anos depois do Como eu era antes ter sido lançado =/
Muito provavelmente é o da Margaret Drabble (https://www.goodreads.com/book/show/177983.The_Red_Queen), mas tem também o da Philippa Gregory (https://www.goodreads.com/book/show/7148256-the-red-queen).
Ainda assim, não deixe de ler esse da resenha! Se você gosta de distopias, fantasia e ação, é uma ótima pedida!
Beijão!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil