[Resenha] 1 Milhão de Motivos Para Casar - Gemma Townley | Minha Vida Literária
22

jul
2015

[Resenha] 1 Milhão de Motivos Para Casar – Gemma Townley

1-milhao-de-motivos-para-casar_minha-vida-literaria

Título: 1 Milhão de Motivos Para Casar
Autor: Gemma Townley
Editora: Record
Número de Páginas: 392
Ano de Publicação: 2015
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Amazon ♦ Extra ♦ Saraiva

Quatro milhões de libras. Para Jessica Wild, este é um valor que ela nunca mesmo, em seus sonhos mais loucos, conseguiria ter. Porém, é mais ou menos o quanto ganha quando sua amiga Grace morre e a deixa como herdeira. O único obstáculo entre Jess e a fortuna é um detalhezinho no testamento: seu nome aparece como Sra. Jessica Milton.
A questão é que… bem… Grace sempre perguntava sobre a vida amorosa de Jess. Ela, por sua vez, descrente no amor e na felicidade conjugal, acabou inventando um namorado — que viria a se tornar seu marido — de mentira. O sortudo foi Anthony Milton, seu chefe. E agora Jess se vê em um beco sem saída: a única maneira de conseguir a herança é se casar com Anthony. Em cinquenta dias. E sem que ele saiba o verdadeiro motivo.
Jessica então terá de usar todas as manobras possíveis para conseguir o sucesso da nova empreitada: o Projeto Casamento.

1-milhao-de-motivos-para-casar3_minha-vida-literaria

Gemma Townley é irmã de Sophie Kinsella. Meu primeiro contato com a autora foi através de Manual Para Românticas Incorrigíveis, um dos meus chick-lits favoritos. Tive uma pequena decepção quando li Quando Em Roma, seu primeiro livro, e minha primeira boa impressão foi restabelecida ao ler Mentirinhas Inocentes. Assim, fiquei extremamente feliz ao saber que a editora Record publicaria 1 Milhão de Motivos Para Casar, primeiro livro da trilogia protagonizada por Jessica Wild – e os únicos três livros da autora que ainda não haviam sido publicados no Brasil.

Já inicio a resenha dizendo que amei a leitura. Li o livro de uma só vez, em poucas horas, porque não tive vontade de deixá-lo de lado. Fui conquistada desde o início tanto pela trama quanto pela escrita extremamente fluida de Gemma Townley, que conta a história através da narrativa de sua protagonista, Jessica Wild, em primeira pessoa.

 

“Mas esse é o problema dos contos de fadas – eles acalentam o coração, são reconfortantes e tem finais felizes, e mesmo você sabendo que a vida não é assim, é agradável fingir que aquilo é real, só um pouquinho.” 

página 27

 

Ao começar a leitura, fiquei curiosa pela trama em si, afinal, a ideia de Jessica precisar se casar com alguém que ela não deseja e em um prazo de tempo tão curto é, no mínimo, inusitada. Depois, conforme fui avançando as primeiras páginas, outras características foram me conquistando: Jessica, ao mesmo tempo em que, em partes, é uma típica protagonista de chick-lits, uma vez que se envolve em uma gigante confusão e em diversas mentiras, também se mostrou bastante atípica. Aqui, temos uma jovem que busca se distanciar de relacionamentos porque enxerga o amor como uma fraqueza, principalmente por sua rígida criação. Além disso, Jessica se preocupa em ser valorizada por sua inteligência e desempenho profissional, e pouco se preocupa com sua aparência física, bem como não se interessa pela moda.

1-milhao-de-motivos-para-casar2_minha-vida-literaria

Ainda, outros motivos para impulsionar minha leitura se deram logo nos primeiros capítulos. Neles, Jessica tanto atinge importantes conquistas profissionais, capazes de me fazer vibrar por ela por conta da situação em que se deram, quanto passa por um processo total de transformação, algo que sempre adorei acompanhar em livros e filmes do gênero. Além de divertido por imaginar seu “antes” e “depois”, foi interessante observar as consequências disso em sua visão sobre si mesma.

 

“Com certeza, o amor era um sinal de fraqueza. Afinal de contas, não era fraqueza sentir vontade de chorar só porque alguém que você gosta não sente o mesmo por você? É patético. E eu não iria passar por isso.”

página 127

 

Depois do início bastante promissor, o enredo se desenvolve de forma previsível, mas ainda assim proporcionando uma leitura divertida e agradável. O romance se estabelece aos poucos, de maneira coerente à personalidade da personagem. Uma observação interessante está em uma das inspirações da autora para escrever o livro: Gemma Townley se inspirou em A importância de ser prudente, de Oscar Wilde, para contar a história de Jessica. Na comédia de Wilde, “os personagens, pessoas distintas da sociedade vitoriana, mantêm disfarces e nomes fictícios como válvula de escape para uma realidade em que as aparências contam mais que a verdade” (retirado da sinopse da editora L&PM). A conexão entre as obras se dá tanto pela temática da valorização das aparências e pela presença de disfarces, já que Jessica assume uma nova personalidade para dar continuidade ao Projeto Casamento, quanto pela referência no título original de Townley ao livro de Wilde: The Importance of Being Earnest (livro de Wilde, sendo que “Earnest” tanto significa “honesto”, “prudente”, “sério”, quanto tem a mesma pronúncia de Ernest, protagonista) e The Importance of Being Married (livro de Townley, e “A importância de ser casado”, em livre tradução).

Ao final, 1 Milhão de Motivos Para Casar desempenhou comigo muito bem seu papel de chick-lit, proporcionando uma leitura divertida por conta de todas as confusões nas quais a protagonista se envolve, além de ter desenvolvido muito bem o processo de amadurecimento de Jessica. Mais do que uma história sobre uma mulher tentando garantir sua herança para honrar o último desejo de sua amiga, temos uma mulher descobrindo o verdadeiro significado de um casamento. Agora, espero que a editora Record também publique os próximos dois livros de Jessica Wild e que esses lançamentos não demorem a acontecer, afinal, terminei a leitura com um gostinho de “quero mais”.

1-milhao-de-motivos-para-casar1_minha-vida-literaria





Deixe o seu comentário

29 Respostas para "[Resenha] 1 Milhão de Motivos Para Casar – Gemma Townley"

Leticia - 22, julho 2015 às (10:56)

OI Aione..
Eu ainda não li nada da Gemma, mas leria este livro.
A personagem parece se encaixar na trama mesmo, e já me chamou atenção por sua personalidade não se importar com aparência.
Acho que gostaria da leitura, é um ótima dica.

livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

Responder

Raíssa Martins - 22, julho 2015 às (11:30)

Uma resenha vindo de uma profunda conhecedora dos livros da autora só pode ser confiável.
Eu amei a capa, ela é linda demais.
E a sinopse com certeza me interessou!!
Não que não seja uma estória que já não tenha ouvido antes, mas se o desenvolvimento for bacana não tem porque o livro não me conquistar também!

Beeijos, adorei o blog, estou seguindo!
O Outro Lado da Raposa

Responder

Larissa Oliveira - 22, julho 2015 às (11:42)

Oi, Aione! Não conhecia o livro e, apesar de não ser o meu tipo de leitura preferida, eu fiquei curiosa para conhecer a história. Achei a premissa interessante e a trama parece ser bem divertida. Jessica parece ser aquele tipo de personagem que já conquista a nossa torcida de cara, né? Pretendo ler.

Responder

Edilza - 22, julho 2015 às (12:22)

Oi, Mi! Como não querer ler esse livro depois dessa resenha e de ver essa capa tão fofa?
Fiquei bem interessada por ter esse amadurecimento da protagonista ao longo da história, e por cumprir bem o papel de chcik-lit.
Amei a resenha! Um bjo <3

Responder

emanoelle souza - 22, julho 2015 às (13:13)

já li alguns livros de Sophie Kinsella, mas nao sabia que era escritora também e das boas pelo jeito, gostei da resenha e espero gostar de ler o livro assim como eu gostei de ler os da Sophie .

Responder

Carla Vieira - 22, julho 2015 às (14:21)

Adorei a proposta do livro, parece bem divertido haha
Quando vi o título achei que era tipo auto ajuda ou algo assim, fiquei muito interessada!
Beijos e adorei a resenha

Responder

Becca Martins - 22, julho 2015 às (17:28)

Aione e seus chick-lits!
Eu quero muito ler este livro também, eu não sabia que ela era a irmã da Sophie!
Eu amei o filme Quando em roma, não sabia que era uma adaptação, provavelmente eu vá ler também.
Acho que este livro vai ser tipo ”Procura-se um marido” da Carina Rissi né? Fiquei bastante curiosa!
Beijos!

Responder

Aione Simões 22 jul 2015

Oi Becca!
Só uma observação: o filme “Quando em Roma” não tem nada a ver com o livro, viu? Hehe… Os nomes são os mesmos, mas as histórias são diferentes. Fiz a mesma confusão logo que descobri o livro.
E eu também pensei em “Procura-se um marido”, mas as histórias são bem diferentes 🙂
Beijão!

Responder

Erica Leme - 22, julho 2015 às (18:35)

Oi Aione.. Lendo sua resenha esse livro me fez lembrar de Procura-se um marido, da Carina Rissi, que a protagonista precisa se casar para receber a herança. Mas nesse caso as protagonistas parecem ser bem diferentes. Ainda bem rs
Fiquei muito feliz também com o lançamento desse livro por aqui. Amo chick-lits e pretendo ter todos da Gemma, pois se forem bons como os da Sophia eu vou amar.
Beijão

Responder

Aione Simões 22 jul 2015

Oi Erica!
De fato, as sinopses lembram uma a outra, mas te garanto que tanto as protagonistas quanto o desenrolar das histórias são bem diferentes!
Particularmente, acho a Sophie bem melhor, mas ainda assim gosto bastante da Gemma! O único dela que realmente não gostei (e não recomendo para ser sua primeira leitura) foi o “Quando em Roma”. Ah, e só para constar: o filme “Quando em Roma” não tem nada a ver com o livro, apesar de terem o mesmo nome hehe!
Beijos!

Responder

Mariele Antonello - 22, julho 2015 às (19:04)

Bom inicialmente eu não tinha me interessado pelo livro, pois pelo nome achei que a história fosse diferente, mas depois de ler a sinopse e sua resenha, adorei a história do livro, e fiquei super ansiosa para ler, já adicionei em minha lista de leitura e pretendo ler em breve.

Responder

Agatha Cardoso - 22, julho 2015 às (21:02)

Oie Aione, então em nem tinha conhecimento dessa autora, mas concerteza estou com esse gostinho ¨Preciso ler¨ depois dessa resenha :3 Hahahhaha p.s: com essa capa conquistadora então <3

Responder

rudynalva - 23, julho 2015 às (00:41)

Aione!
Faz um tempinho que não leio nenhum chick lit e já estou sentindo falta de dar boas risadas.
Acredito que é gen familiar ser escritora, né?kkk
A família todo escreve bem e só chick lit..kkk
“A imaginação é mais importante que o conhecimento.”(Albert Einstein)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Participe no nosso Top Comentarista!

Responder

Vanessa Sueroz - 23, julho 2015 às (08:09)

Olá,
não conhecia a autora, mas já gostei bastante do livro.
Obviamente esta indo para a minha lista de desejados.
Amoooo chick-lit

bjos
http://blog.vanessasueroz.com.br

Responder

Franciele Ribeiro - 23, julho 2015 às (08:10)

Adoro um chick-lit, é bom para se desestressar, depois de alguma leitura mais pesada, e esse parece ser perfeito para ser lido num domingo de frio aqui em SC. Parabéns pela sua resenha, ela passa os pontos positivos da leitura.

Responder

Amanda Oliveira - 23, julho 2015 às (18:25)

oiii,
Vou falar eu Adorei a capa, foi o que me chamou mais a minha atenção (gosto da capa quero ler na hora). Além de que eu adorar esse tipo de livro, e história parece bastante interessante e bastante divertida.

Responder

Mariana Fieri - 24, julho 2015 às (13:32)

Oi Aione!
Eu ainda não li nada dessa escritora, mas já vou colocar na minha wishlist pq adoro chick-lits tbm!
Bjos e um ótimo final de semana.

http://www.leituranarede.com

Responder

Gabriela Malavolta - 25, julho 2015 às (00:33)

Oi, Mi!
Nunca li nenhum chick-lit (não me mate, por favor), mas estou disposta a ler livros do gênero. Acompanhando seu blog pude conhecer mais sobre os chick-lit e me interessei ainda mais. Acho que vou começar pela sua diva, Sophie Kinsella, e depois leio algo da sua irmã. Fiquei bastante curiosa para conhecer essa trama vivida pela Jessica. Com certeza estará nas minhas próximas leituras, mas ainda não sei quando. Vou me divertir enquanto acompanho a trajetória de Jessica e as confusões em que ela irá se envolver, além de ver seu auto-conhecimento e sua descoberta sobre o casamento. Penso eu que ela também irá descobrir um outro lado do amor. Mais uma resenha que contribui para a minha wishlist aumentar hahahaha. Beijão! Gabi 🙂

Responder

Tamara Costa - 26, julho 2015 às (02:41)

Chick lit não está na minha lista de gênero preferido de leituras mas eu sempre gosto de dar chances a livros que não estão na minha área de conforto 🙂 gostei da história, parece divertida e cheia de trapalhadas e gostei mai ainda da protagonista ter esse diferencial de parecer uma mulher mais segura e que não se preocupa mais que a veja por sua inteligência e não aparência coisa que infelizmente não acho ser característica comum em alguns personagens femininos =/

=*

Responder

Fernanda Guimarães - 26, julho 2015 às (12:04)

Este livro é muito lindo!
Completamente encantador! E sério que você não gostou de Quando em Roma? Eu gostei tanto!
Aliás, foi até uma recomendação da minha irmã.
Mas gosto é assim mesmo! Tem gente que gosta e que outras não.
Abraços;

Responder

The Nice Age - 28, julho 2015 às (20:51)

Oi Aionde!

Faz tempo que não leio um Chick-lit, adorei a sinopse e a capa é uma fofura. Não conhecia a autora, uma pena que os livros da Editora são sempre tão caros e dificilmente estão em promoção. Mas lerei sim, espero que em breve.

Cintia

Responder

Any - 30, julho 2015 às (12:03)

Oi, Aione!
Não sabia que Gemma é irmã da Sophie, essa segunda sendo uma das minhas autoras preferidas. Quando li a sinopse desse livro pela primeira vez sabia que história seria repleta de confusão, o que eu aprecio nesse gênero. Fiquei bastante curiosa em relação a personalidade da Jessica, uma protagonista atípica desse estilo literário, e acredito que esse seja um dos pontos fortes na trama. Com certeza vou anotar essa dica e torcer para que publicam os outros volumes.
Bjos!

Responder

Cristiane Oliveira - 30, julho 2015 às (15:44)

Oi Aione.
Adorei a resenha! A história parece ser super divertida, e só o título já me deixou bem curiosa. Eu também não sabia que a autora é irmã da Sophie, muito legal!
Beijos

Responder

Patrini Viero - 30, julho 2015 às (21:30)

Não sabia que a autora era irmã da Kinsella, mas acho que isso só aumenta a expectativa dos leitores com relação às suas histórias, e em consequência, a responsabilidade da autora. Gosto muito da capa, acho ela bastante delicada e simples, o que a torna ainda mais atrativa. Adorei a ideia de uma personagem um tanto atípica para o gênero, visto que isso contribui para um desenvolvimento diferenciado da trama.

Responder

Fernanda Mendonça - 31, julho 2015 às (22:04)

Oi!
Não conhecia nem autora nem obra e pra falar a verdade não me sinto muito inclinada a conhecer em um futuro proximo. Quero dizer, acredito em você que seja uma boa obra, mas não me chamou nem um pouco a atenção :/
Chicklit pra mim é muito chatinho hahaha

Responder

Patricia - 02, agosto 2015 às (12:44)

Vc disse q tem mais dois livros da Jessica Wild então é uma trilogia??

Responder

Aione Simões 02 ago 2015

Oi Patricia!
Isso mesmo, é uma trilogia, como dito na resenha! Ainda não tenho informações do lançamento dos próximos dois livros no Brasil, mas espero que aconteçam em breve, é uma leitura muito divertida e gostosa de ser feita!
Beijos

Responder

Bárbara Carollo - 11, setembro 2015 às (00:20)

Oi Aione!
A capa desse livro é simples e delicada e foi o que primeiro chamou minha atenção. Gostei da premissa e achei bem curioso saber que a protagonista “enxerga o amor como uma fraqueza”. Como ela vai conseguir casar com esse pensamento?
Fiquei bem curiosa e espero ler em breve 🙂
Beijos,

http://versosenotas.blogspot.com.br/

Responder

Fe Fernanda - 29, janeiro 2016 às (14:07)

Amei a capa, e vendo a resenha acho que vou ler

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por