[Resenha] A Casa das Marés - Jojo Moyes | Minha Vida Literária
01

set
2015

[Resenha] A Casa das Marés – Jojo Moyes

a-casa-das-mares-minha-vida-literaria

Título: A Casa das Marés
Autor: Jojo Moyes
Editora: Bertrand Brasil
Número de Páginas: 476
Ano de Publicação: 2015
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Amazon ♦ Americanas ♦ Cultura ♦ Saraiva ♦ SubmarinoTravessa

Na década de 1950, uma cidade litorânea chamada Merham é dominada por uma série de regras sócias austeras. Lottie Swift, acolhida durante a guerra e criada pela respeitável família Holden, ama viver ali naquela cidade, mas Célia, a filha legítima do casal, não vê a hora de ultrapassar os limites de Merham.

a-casa-das-mares-minha-vida-literaria-3

A Casa das Marés é o segundo romance de Jojo Moyes, publicado originalmente em 2003 e trazido ao Brasil pela editora Bertrand Brasil em 2007, sendo, agora, republicado com uma nova capa.

O livro é dividido em três partes. Na primeira, que corresponde aproximadamente às primeiras 200 páginas, a história se passa em meados dos anos 50 na cidade de Merham, na qual imperam rígidas regras sociais. Aqui somos apresentados à Lottie e Celia, jovens que cresceram juntas após a família da segunda ter, de certa forma, adotado Lottie durante a Segunda Guerra Mundial. Quando uma excêntrica família de artistas se muda para Arcádia, mansão de Merham, as duas garotas criam uma proximidade com os recém chegados capaz de desencadear uma série de acontecimentos para suas vidas. Na segunda e terceira partes da obra, somos transportados ao início do século 21, no qual Daisy, uma decoradora de interiores londrina, após ser abandonada pelo marido, é contratada para restaurar Arcádia, retornando, assim, ao cenário original da trama.

 

“Aquela casa exercia sempre o mesmo efeito sobre ela. Sentia-se atraída, embalada pela aragem dos acordes menores que a brisa do mar soprava, provocante, em sua direção. Sussurravam os seus segredos, sugeriam lugares inéditos, novas maneiras de ser. Você precisa aprender a sonhar, Adeline lhe dissera. 

página 74

 

A narrativa de A Casa das Marés se dá sempre em terceira pessoa, porém alternando a visão dos fatos de acordo com diversos personagens que vão surgindo ao longo do enredo. Assim, é possível tanto ter uma visão mais ampla dos acontecimentos da história quanto pode-se compreender melhor as emoções e pensamentos de muitas das figuras que aparecem nela.

a-casa-das-mares-minha-vida-literaria-2

Como em Em busca de abrigo, minha leitura mais recente de um dos trabalhos de Jojo Moyes, demorei um pouco a me envolver, de fato, com o livro. Contudo, após ultrapassar as 100 primeiras páginas, mergulhei no cenário descrito e imergi por completo em todos os acontecimentos, ansiando por seus desenrolares. Dessa maneira, consegui me envolver muito mais com os personagens e situações aqui do que com o primeiro livro da autora. É inegável a habilidade de Moyes ao realizar as descrições contidas na trama, possibilitando ao leitor não apenas enxergar as cenas narradas como também compreender as emoções e atitudes dos personagens apresentados.

 

“Não é o sofrimento de hoje que não posso suportar, pensou ela, enterrando o rosto nas mãos. É a ideia de todos os dias que ainda estão por vir: a repetição interminável do sofrimento, os choques de descobertas indesejadas (…). Vou ter de observá-lo esquecer que um dia fomos próximos, que ele foi meu. E eu vou definhar e morrer dia após dia.
O que era uma morte comparada com milhares?

página 191

 

Ainda, o fato da história se iniciar no passado e, depois, ser transportada ao presente, além de instigar a curiosidade, nascida da necessidade de compreender o desenrolar dos fatos gerados na década de 50, possibilitou, igualmente, que outros eventos, de outras personagens, também fossem narrados, tornando a obra em si mais completa.

Dessa maneira, A Casa das Marés, ao falar de amores, perdas, encontros e desencontros, traz um retrato sobre o que é a vida e os sabores e dissabores de vivê-la. A ação do tempo no enredo foi seu perfeito ingrediente: ao mesmo tempo em que é capaz de intensificar emoções, permite que ações e escolhas sejam reavaliadas, e ressalta o que realmente vale a pena em nossas jornadas. Uma leitura deliciosa e recomendada aos românticos de plantão!

a-casa-das-mares-minha-vida-literaria-1





Deixe o seu comentário

18 Respostas para "[Resenha] A Casa das Marés – Jojo Moyes"

Aciclea Vieira - 01, setembro 2015 às (13:22)

Aione,gosto muito da escritora Jojo Moyes,e essa obra que foi seu segundo livro ainda não li,mas quero muito ler e conhecer a trajetória de Lottie a filha adotada e Célia e também conhecer a personagem da segunda e terceira partes da trama a decoradora Dayse,gosto muito de histórias que começam no passado e se desencadeiam no presente,ainda não li Em busca de abrigo,mas também pretendo ler e ver como será a minha conexão com a obra.Como sou uma romântica de plantão,Em busca das Marés entrou para minha lista.Beijos!!!!

Responder

Suzzy Chiu - 01, setembro 2015 às (13:41)

Eu vi o livro esses dias e achei que era um lançamento novo da Jojo Moyes, nao sabia que era de 2003. Mas é bom mesmo que seja relançados com as capas novas, pq eu adoroooo essa arte, que já é identidade da autora.
Gostei da sinopse do livro, duas meninas criadas juntas, mas pelo jeito tem desejo diferentes. Gostei de saber que o livro trata de amores, perdas, encontros e desencontros…parece que é emoção pura e eu sou romantica de plantão! =)

Responder

Maria Alves - 01, setembro 2015 às (16:09)

Ainda não li nenhum livro da autora. Apesar de elogios que li sobre ela. Parece ser um livro bem emocionante, é bom sabermos mais sobre a década de 50. Ainda bem que depois da página 100 a leitura melhora. Porque as vezes da vontade de desistir da leitura quando a gente não engata rsrsr.

Responder

DEISE FERNANDA - 01, setembro 2015 às (17:24)

Olá Aione,

não conheço a escrita de Jojo Moyers, apesar de ter na minha estante o livro “A garota que você deixou pra trás”, ainda não consegui realizar a leitura.
Confesso que tenho um certo “medo” dos livros da autora, pois li muitas resenhas sobre suas obras, principalmente a respeito de “Como eu era antes de você” que enfatizavam o quanto o mesmo é emocionante então… medo de me debulhar em lágrimas. 🙁
Mas, lendo sua resenha tive a impressão que essa obra em especial não possui essa carga emotiva toda, apesar de tratar a respeito de amores, perdas… acho que poderia conhecer a autora iniciando com uma leitura mais “amena” como essa ou será que estou totalmente enganada?!

Responder

Aione Simões 01 set 2015

Oi Deise!
Pode ir tranquila nesse, é emocionante sim, mas não tem essa bagagem toda. Bem mais leve que o “Como eu era antes de você” hehe!
Beijão!

Responder

Diane Ramos - 01, setembro 2015 às (19:54)

Olá

Sou louca para ler alguma coisa dessa autora , sempre vejo comentários excelentes sobre a Jojo Moyes e mesmo assim nunca li nada dela .
Espero poder ler em breve 🙂

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Responder

Theresa Cavalcanti - 01, setembro 2015 às (20:22)

Sou louca por essa autora, apesar de só ter lido Como eu era antes de você. KKKKKKK
Mas sou louca para ler outro livro dela, assim que possivel, vou ler.

Responder

rudynalva - 01, setembro 2015 às (22:16)

Aione!
Gosto quando um escritor usa o artifício de usar o passado e presente, me dá a impressão de duas histórias e no final se fundem.
E ainda tem o romance, quanto mais romântico melhor.
“A dúvida é o principio da sabedoria.”(Aristóteles)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Participem do nosso Top Comentarista

Responder

Jornada Literária - 02, setembro 2015 às (10:48)

Li o livro Como eu era antes de você da Jojo e isso só me fez querer ler mais livros dela… Com certeza vou adicionar A casa das marés na minha listinha <3

Responder

Rafaela Godoy - 02, setembro 2015 às (14:11)

Oi Aione,
Sou suspeita para falar da Jojo, já li dois livros dela (A Última Carta de Amor e Como Eu Era Antes de Você) e me apaixonei por ambos.
Antes eu não gostava muito de livros que se passavam no passado, mas, depois que li Perdida da Carina Rissi e até mesmo A Última Carta de Amor da Jojo, eu mudei meu conceito.
Tenho um enorme interesse em ler todos os livros escritos pela Jojo e já coloquei este na minha lista. Super beijo <3

Responder

Leticia - 02, setembro 2015 às (16:33)

Oi Aione…
Acho que é aquele história: que a escrita da autora vai melhorando e nos envolvendo a cada livro. Esse prece ter sido um pouco melhor do que o primeiro que ela escreveu. Eu nem posso opinar muito, mas ainda quero ler algo dela.
O importante é que ela conseguiu te envolver na vida dos personagens e nas descrições das cenas. Como sou romântica, está mais que recomendado para mim..rs

livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

Responder

Ycaro Brito - 02, setembro 2015 às (19:45)

Bem, Aione. Tenho que confessar que estou cada vez mais apaixonado nas capas dos livros da Jojo Moyes, sempre bem detalhadas resultando em ótimos efeitos visuais. A Casa das Marés é um livro que estou namorando há muito tempo. Espero que a leitura seja bem agradável, assim como foi a sua.

Responder

Priscila Gonçalves - 02, setembro 2015 às (22:43)

Eu achei muito legal essas novas capas dos livros da Jojo, ficaram mais padronizadas e mais lindinhas. Em relação a história, existem dois pontos que eu costumo me interessar bastante em leituras. Primeiro é a passagem de tempo, acho que livros que nos mostram épocas distintas em uma única história, nos prende ao que poderá acontecer, e depois, são as intercalações entre personagens, é bastante positivo pra nós inteirar dos sentimentos e pensamentos de todos os envolvidos.

Responder

Cristiane Oliveira - 11, setembro 2015 às (12:23)

Oi Aione. Nunca li nada da Jojo, tenho “Como eu era antes de você”, mas ainda não li. Gostei muito da resenha, histórias que envolvem guerra e passagem de tempo sempre me encantam.
Beijos

Responder

Taísa Quemel - 16, setembro 2015 às (00:08)

Estou louca para ler Como eu era antes de você, mas ainda não li algo da autora. A casa das marés me parece ser um livro que não vai me prender tanto, de acordo com o que na sua resenha, mas mesmo assim eu gostaria de lê-lo, por falar de amores, perdas, encontros e desencontros, com certeza deve trazer alguma mensagem legal.

Responder

Dayse - 24, junho 2016 às (22:59)

Eu já li “como eu era antes de você” E depois de terminar de ler “A casa das marés ” só posso dizer que Jojo Moyes é um gênio e sempre se supera. Sinceramente é um livro melhor que o outro. Surpreendente.

Responder

Aione Simões 24 jun 2016

@Dayse, e se você ainda não leu Baía da Esperança, leia quando puder! Ficou ao lado de Como eu era antes de você entre meus favoritos dela ♥
Beijão!

Responder

Dayse 24 jun 2016

@Aione Simões, Aione, vou ler sim. Já estava com esse livro em mente! Beijos

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por