[Resenha] A Voz do Arqueiro - Mia Sheridan | Minha Vida Literária
02

set
2015

[Resenha] A Voz do Arqueiro – Mia Sheridan

a-voz-do-arqueiro-minha-vida-literaria

Título: A Voz do Arqueiro
Autor: Mia Sheridan
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 336
Ano de Publicação: 2015
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Amazon ♦ Cultura ♦ Livraria da Folha ♦ Travessa

Bree Prescott quer deixar para trás seu passado de sofrimentos e precisa de um lugar para recomeçar. Quando chega à pequena Pelion, no estado do Maine, ela se encanta pela cidade e decide ficar.
Logo seu caminho se cruza com o de Archer Hale, um rapaz mudo, de olhos profundos e músculos bem definidos, que se esconde atrás de uma aparência selvagem e parece invisível para todos do lugar. Intrigada pelo jovem, Bree se empenha em romper seu mundo de silêncio para descobrir quem ele é e que mistérios esconde.
Alternando o ponto de vista dos dois personagens, Mia Sheridan fala de um amor que incendeia e transforma vidas. De um lado, a história de uma
mulher presa à lembrança de uma noite terrível. Do outro, a trajetória de
um homem que convive silenciosamente com uma ferida profunda.
Archer pode ser a chave para a libertação de Bree e ela, a mulher que o ajudará a encontrar a própria voz. Juntos, os dois lutam para esquecer as marcas da violência e compreender muito mais do que as palavras poderiam expressar.

a-voz-do-arqueiro-minha-vida-literaria-2

Confesso que meu interesse principal por A Voz do Arqueiro foi motivado pela relação da série Signos do Amor com a Astrologia, uma vez que sempre apreciei o assunto. A premissa do enredo também chamou minha atenção, mas, supondo que o livro viesse a ter características potencialmente capazes de não me agradar inteiramente, iniciei a leitura com um misto de curiosidade e receio.

A escrita de Mia Sheridan não demora a envolver, além de permitir uma leitura bastante rápida. Em primeira pessoa, a narrativa intercala os pontos de vista dos protagonistas Archer e Bree, sendo a dessa predominante, e a do outro, alternada entre momentos presentes da história e o passado do personagem.

O enredo, de certa forma, acaba seguindo a fórmula da intensidade, trazendo momentos dramáticos seguidos por outros românticos, além de tórridas cenas sexuais. Essas, principalmente, foram as que mais me desapontaram, confirmando meu receio inicial pela leitura. Não acredito que esse seja um problema do livro em si, mas sim uma característica do gênero a que ele pertence e que, particularmente, não me agrada como leitora. Acabo achando essas cenas, em demasia, desnecessárias, cansativas e desinteressantes, preferindo uma maior abordagem de outros aspectos da  trama.

a-voz-do-arqueiro-minha-vida-literaria-1

Excetuando-se esse ponto, para mim, um problema meu com o gênero e não com a obra em si, algumas características próprias do livro também resultaram em um menor proveito meu da leitura. Em vários momentos, a escrita da autora me pareceu imatura, o que resultou em eu acabar encontrando problemas em detalhes que, talvez, tivessem passado despercebidos caso eu estivesse encantada com a narrativa. Além disso, acabei achando a construção da história, como um todo, bastante clichê.

Para ser justa, a mensagem desenvolvida por Mia Sheridan é, de fato, bela, positiva e tocante, além das 100 últimas páginas terem me proporcionado uma leitura bastante voraz e com uma apreciação maior por elas do que pelo restante da obra. Acredito que acabei não me emocionando não porque a história não seja emocionante, mas porque eu já havia me distanciado dela o suficiente por conta dos detalhes que me desagradaram e tive uma visão do livro muito mais racional do que o necessário para ter, de fato, me rendido a ele.

Aos amantes do gênero, A Voz do Arqueiro certamente será uma leitura prazerosa, emocionante e intensa, como a obra promete, além de transmitir uma positiva mensagem que transpassa opiniões e preferências individuais – seu maior trunfo, em minha visão. Vale a pena ressaltar, também, que a relação com a Astrologia se dá apenas pelo fato do enredo se basear no mito, nesse caso, de Sagitário, sem haver uma ligação mais direta ou uma característica mais “mística” na história.

a-voz-do-arqueiro-minha-vida-literaria-3





Deixe o seu comentário

20 Respostas para "[Resenha] A Voz do Arqueiro – Mia Sheridan"

Ivi Campos - 02, setembro 2015 às (10:06)

Aione, li este livro em inglês e gostei bastante. Fiquei decepcionada com a tradução do nome para o português e imagino que a beleza do texto da Mia deva ter se perdido na tradução da obra toda, porque a narrativa é bonita. Salvo pelas cenas sensuais, sempre repetitivas dentro do gênero, achei original a trama, a peculiaridade do Archer principalmente, e neste aspecto fugiu bastante do que vemos por aí: badboys tatuados, ricos e mega “experientes” na pegação. bj

Responder

Aciclea Vieira - 02, setembro 2015 às (12:39)

Aione,esse livro é minha leitura atual,concordo com você que as cenas sensuais não deveriam ser tão repetitivas,pois existem outros aspectos na trama que deveriam ser abordados,mas mesmo assim,ainda tenho esperança que a leitura seja para mim,prazerosa,intensa e emocionante.Quanto a astrologia,não ligo muito.Beijos!!!!

Responder

Diane Ramos - 02, setembro 2015 às (13:13)

Oi , Aione !
Acredito que esse seja um livro que não me agradaria , principalmente pelo fato dessas cenas de sexo que você mencionou .
Não gosto de livros assim prefiro os romances tradicionais .

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Responder

Rafaela Godoy - 02, setembro 2015 às (14:43)

Oiii, preciso ser sincera… Assim que vi a capa e o nome do livro eu fiquei completamente desinteressada pela história.
Baseada no fato de que não devemos julgar o livro pela capa, eu resolvi ler a sua resenha e ao concluir a leitura eu posso afirmar que, não vou ler este livro, rs. Não despertou o meu interesse…
Admiro sua sinceridade ao dizer quando não gosta de um livro e assim, poupar a decepção dos leitores.
Beijooos

Responder

Nessa - 02, setembro 2015 às (15:08)

Oi Mi
A sua resenha foi a primeira que li que mencionou essas cenas de sexo, eu estava curiosa e ainda decidindo se leria ou não o livro e vc trouxe presente uma questão que acho que vai me incomodar na leitura, ainda sim acho que darei uma chance. A premissa do livro é interessante.

Beijos
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

Responder

Suzzy Chiu - 02, setembro 2015 às (19:47)

Hello Aione!
Esse livro eu ja estou de olho desde que lançou, e tb foi pela astrologia, que me interessa mto, uma pena que nao é nada aprofundado o assunto, pq daria uma historia mto boa.
Romance eu adoro e apesar de cenas de sexos repetitivos, ainda quero mto conhecer o livro.
A capa está mtooo linda, Editora Arqueiro com sempre arrasa.
Bjus

Responder

Ycaro Brito - 02, setembro 2015 às (19:50)

A Voz do Arqueiro é um livro que, para mim, não interessou muito. Confesso, também, que o gênero não é muito agradável para meu gosto literário. A Astrologia não é algo muito favorito meu, mas fica para uma próxima, quem sabe?!

Responder

rudynalva - 02, setembro 2015 às (21:20)

Aione!
A capa desse livro é altamente estimulante e já me conquistou aí.
Saber que é um romance erótico e com trechos picantes, me atrai ainda mais.
E que pena que a parte astrológica não é tão desenvolvida, porque tenho interesse pelo tema sempre que surge em um livro já que meus pais foram astrólogos!
“Pedras no caminho? Eu guardo todas. Um dia vou construir um castelo.”(Nemo Nox)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

Responder

Priscila Gonçalves - 02, setembro 2015 às (22:50)

Bem, eu tinha visto essa capa antes, e achei que era um livro Hot, depois da resenha é que percebi que o livro é um romance meio misterioso. No começo quando você falou em astrologia, eu pensei que não era pra mim, mas já no fim, você fala que não é um livro aprofundado nesse tema. Eu achei a sinopse interessante, mas não pra mim. Pra quem gosta do gênero, acho que seria mais interessante.

Responder

Leticia - 03, setembro 2015 às (10:15)

Oi Aione,
Não tem problemas com clichês, desde que o livro seja bem desenvolvido. Mas dependendo de como as cenas sensuais são narrados, confesso que, as vezes, cansa mesmo. Já li livros assim que gostei e outros que não. Tem que ter uma trama boa para conseguir engolir.
Eu gosto do gênero, mas acho que esse livro não me agradaria, só lendo para ter certeza.

livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

Responder

Beatriz Vanderlei - 03, setembro 2015 às (14:52)

Ooi Aione, minha amiga emprestou este livro e depois que você escreveu vou observar bem narrativa, confesso que não dou muito fã das partes mais quentes mas vou dá uma chance ao livro.
bj

Responder

Juliana - 03, setembro 2015 às (17:16)

Aione, será que lemos o mesmo livro? Porque vc falou de várias, cansativas e desnecessárias cenas de sexo, que, devo dizer que não existem. Eu li esse livro mais de uma vez, é o meu queridinho. Um dos livros mais bonitos que eu ja li, e também de todas as pessoas que eu conheço que leram, pra falar a verdade, tu é a primeira que eu vejo que não gostou.
Esse título brasileiro é horrivel, mas, obviamente, o conteúdo não mudou por causa disso. Sou apaixonada!

Responder

Aione Simões 03 set 2015

Oi Juliana, tudo bem?
Certamente não lemos o mesmo livro! Aliás, diria que nunca um mesmo livro é lido por duas pessoas, incluindo nós mesmos!
Cada obra impacta uma pessoa de formas diferentes e resulta em observações e experiências diferentes. Algo que para você pode ter sido péssimo, para mim pode ser maravilhoso e vice-versa, como foi o caso aqui. Além disso, um livro lido por nós em uma época pode receber uma avaliação totalmente diferente de nós se o voltarmos a ler em uma época diferente – nós mudamos e, consequentemente, nossos gostos e visões, às vezes, também.
Sei que o livro é queridinho de muitas pessoas, mas isso não significa que ele se tornaria o meu também. Infelizmente, aliás, ele passou longe disso, ainda que eu reconheça seus aspectos positivos, como procurei ressaltar. Sinceramente, o título foi o menor dos problemas para mim, e as tais cenas que para você não existiram para mim foram tão cansativas que cheguei a pular páginas que continham somente descrições sexuais – desnecessárias para mim.
Contudo, como falei, essa foi apenas a minha opinião, e fico feliz que tenha sido uma boa leitura para você!
Beijos!

Responder

Juliana 03 set 2015

Aione, não me entenda mal, não quero que tenhamos o mesmo gosto. Mas pra ser bem sincera e sem hipocrisia, se dependesse de mim, ia preferir nunca ouvir ninguém falando mal desse livro, rsrs. Mas respeito a sua opinião.
Eu so achei injusto quando vc falou como se o livr fosse unicamente sexo, pq da pra eu contar nos dedos as cenas de sexo que tem. Já li inúmeros livros hot, eróticos, e Archer passa longe disso. Pelos comentários, algumas pessoas desistiram de ler por causa desse seu comentário, e, pra elas, eu digo… Não se limitem a uma so resenha, é a opinião de uma so pessoa. Faço parte de um grupo onde a grande maioria das meninas amam esse livro, então, leiam e tire suas próprias conclusões.
E, Aione, desculpa se parec querer mudar seu pensamento e sua opinião, longe de mim de impor qualquer coisa.
Beijo.

Responder

Aione Simões 03 set 2015

Juliana, entendo sua posição. Mas, se você ler atentamente minha resenha, o que saliento é que a quantidade de cenas costuma ser demasiada nesse gênero como um todo e na minha opinião, o que falei do livro especificamente é que há tórridas cenas sexuais. Não disse em momento algum que o livro é somente sobre sexo, mas que as cenas foram muitas para meu gosto como leitora, e continuo achando isso. Elas demoram a acontecer, mas, quando acontecem, há uma repetição de no mínimo umas 4 longas cenas muito próximas umas das outras, tanto que eu, literalmente, pulei esses pedaços, porque eram no mínimo 3 páginas apenas descrevendo o que um fazia com o outro. Se para você isso não é muito e não foi cansativo, sinto muito, mas para mim foi, ainda mais considerando-se a proporção delas com relação ao restante do livro. Também, fiz questão de dizer que, em partes, eu já esperava por elas por ser uma característica própria do gênero, e ser esse o motivo que me faz evitá-lo. Não disse que é um problema do livro, mas um problema do gênero, e somente um problema porque eu não gosto muito.
Além do mais, em momento algum desestimulei a leitura de alguém, fiz questão de dizer os aspectos positivos e que, quem gosta do gênero, deve procurar a obra, que ela têm uma bela mensagem e esse é o maior trunfo do livro. Se alguém se sentiu desestimulado a ler pelo meu comentário, não tenho controle algum sobre isso, cabe a cada um decidir o que deve ou não ler. Meu papel é o de expor a minha visão. O papel de quem visita é procurar quantas opiniões julgar necessárias e decidir por si se lerá ou não. Estou com você quanto a que as pessoas devem procurar outra opinião, mas a minha está bastante estabelecida.
Se você achou injusto o que eu disse, infelizmente é a minha opinião, e meu papel aqui é exatamente dizer o que achei, independentemente se bem ou mal. Seria uma coisa eu desrespeitar a obra, e não foi o que aconteceu. Entendo que não queira mudar minha opinião, mas o que foi injusto para você foi exatamente a minha opinião, e não tenho como mudá-la. Compreendo sua atitude como fã da obra porque também sou fã de muitas outras e não gosto quando leio algo de negativo sobre elas. Mas se eu fizesse aqui uma resenha omitindo fatos que para minha experiência foram relevantes simplesmente para evitar opiniões opostas às minhas, eu seria incoerente, até mesmo, com o título que o blog leva e não seria verdadeira comigo mesma.
Beijos!

Nathalia 03 set 2015

Concordo plenamente com VC Juliana… Estou tentando até agora achar essas tais cenas de sexo repetitivas… É um livro encantador e que nos proporciona diversas emoções!

Responder

Maria Alves - 03, setembro 2015 às (22:24)

Esse livro parecia ser bom, estava sendo comentado . Pena que tem uns pontos baixos digamos assim. Que bom que teve partes em que a leitura foi voraz. Bree e Archer querem os dois juntos serem livros do que os perturbaram.

Responder

Theresa Cavalcanti - 05, setembro 2015 às (11:28)

Gosto muito desse tipo de livro, já vi algumas pessoas comentando sobre ele, então to com muita vontade de ler.

Responder

Cristiane Oliveira - 22, setembro 2015 às (15:09)

Oi Aione. O livro parece ser bem intenso mesmo. E esta inspiração pra série ser baseada nos signos do zodíaco, achei bem interessante, pena que como você disse, não há uma ligação tão forte assim com a história e a astrologia, acho que seria legal.
Beijos

Responder

Taísa Quemel - 29, setembro 2015 às (21:32)

Oi Aione! Hoje mesmo li a resenha da Paola e fiquei super interessada nesse livro pelo fato dos personagens principais me agradarem, mas entendo seu ponto de vista, algumas cenas podem ser exageradas de acordo com o gosto de cada leitor.

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil