[Resenha] O Vilarejo - Raphael Montes | Minha Vida Literária
07

out
2015

[Resenha] O Vilarejo – Raphael Montes

o-vilarejo-minha-vida-literaria

Título: O Vilarejo
Autor: Raphael Montes
Editora: Suma de Letras
Número de Páginas: 96
Data de Publicação: 2015
Skoob: Adicione
Orelha de Livro: Adicione
Compare e Compre: Amazon ♦ CulturaSaraiva ♦ Travessa

Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome. As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.

o-vilarejo-2-minha-vida-literaria

Conheci a escrita de Raphael Montes ao ler Dias Perfeitos e já me tornei fã nessa primeira leitura. Desde então, anseio por ler Suicidas, seu primeiro trabalho, e tive agora a oportunidade de ler O Vilarejo, seu mais recente lançamento publicado pela editora Suma de Letras que, aliás, realizou um belíssimo trabalho com a diagramação e ilustração da obra.

O livro é estruturado em sete diferentes contos que, aos poucos, vão se entrelaçando e moldando a história e o cenário de um já inexistente Vilarejo. E o clima de suspense e terror já se instala desde o prefácio. Nele, Raphael Montes se intitula como tradutor dos contos, escritos, na realidade, em cimério, uma antiga língua já morta. Afirma ter recebido de um colega, sócio de um sebo no Rio de Janeiro, os cadernos ilustrados de Elfrida Pimminstoffer e, curioso pelos escritos nele, saiu em busca de meios para traduzi-los. Os sete contos, então, seriam a tradução do contido em tais cadernos.

Cada conto traz em seu título o nome de um diferente demônio – também apresentados no prefácio – responsável por evocar um diferente pecado capital. Assim, as narrativas em terceira pessoa trazem a história de um variado habitante do Vilarejo, cada uma ligada a um pecado capital.

o-vilarejo-1-minha-vida-literaria

No primeiro conto, encontramos já uma situação de quase extinção do Vilarejo, sendo esse, então, posterior aos demais, segundo a cronologia da história. Dessa maneira, ao ler os seguintes, retrocedemos nos fatos, ainda que não em ordem direta. Somente no último conto temos a cronologia real apresentada, e, assim, é possível compreender e enxergar cada narrativa como parte de uma maior.

A história, aliás, continua sendo contada até o posfácio. Nele, Raphael finaliza sua história como tradutor e os eventos que culminaram com a publicação dos contos, trazendo um último elemento surpresa para o livro e entrelaçando com fios de ouro cada parte até então apresentada ao leitor. O prefácio e o posfácio, então, tornam-se indispensáveis ao contexto de terror proporcionado pela leitura.

Não foi apenas a maneira inteligente de como Raphael Montes construiu O Vilarejo que me fez adorar tanto sua obra, mas também sua própria habilidade como escritor. Os contos são curtos e rápidos, mas nem por isso rasos de conteúdo. O terror advindo das histórias não está apenas baseado em acontecimentos por vezes trágicos, sanguinários e repulsivos, e sim, principalmente, pela exploração do lado mais vil e inesperado da alma humana, afinal, suas personagens colocam em questão o significado de “maldade” e suas origens. Raphael Montes construiu seu mais recente trabalho com a excelência responsável por dar a ele seu completamente merecido renome e destaque no cenário da literatura contemporânea.

o-vilarejo-3-minha-vida-literaria





Deixe o seu comentário

11 Respostas para "[Resenha] O Vilarejo – Raphael Montes"

Marco Antonio - 07, outubro 2015 às (09:57)

Bom dia Aione,

Esse livro está na minha lista de desejados e essa é a primeira resenha que leio dele, você me deixou super curioso, li e resenhei no blog o livro Dias perfeitos e gostei demais e quero também ler os demais…..bjs.

Responder

Mariana FS - 07, outubro 2015 às (11:29)

Oi Mi!
Tenho visto muitas resenhas positivas de “O Vilarejo” e acho bacana essa ideia de contos entrelaçados, mas nem cogito ler porque me decepcionei bastante com “Dias Perfeitos” (que também foi muito elogiado, mas eu não gostei).
Beijos,
alemdacontracapa.blogspot.com

Responder

Aciclea Vieira - 07, outubro 2015 às (12:45)

Aione ,não gosto muito de história de terror e suspense,achei essa obra bastante tenebrosa,porém achei interessante dos contos se entrelaçarem no final dando todo entendimento da história ,gostei de saber de onde ele fez a tradução dos contos ou seja sua fonte de pesquisa.Beijos!!!!

Responder

Mari - 07, outubro 2015 às (13:11)

Nossa, fiquei com medo de ler esse livro depois dessa resenha. Tem algumas histórias que eu leio que me impressionam demais e depois fico até sem dormir, que nem uma criança, hahaha. Mas adoro o fato de ser um autor nacional, isso tem que ser valorizado.

Responder

Diane Ramos - 07, outubro 2015 às (15:55)

Olá …

Esse livro está com uma crítica tão positiva que não aguentei e já comprei meu exemplar 🙂
Acho que vou furar a fila literária e colocá-lo na frente rsrs
Beijos

Responder

Suzzy Chiu - 07, outubro 2015 às (16:25)

Hello!
Ainda nao conheço a escrita do Raphael Montes, mas realmente mta pessoas elogiam o livro Dias Perfeitos. Qdo soube do lançamento de O vilarejo eu fiquei ate bem curiosa, mas depois que vi q era um terror e ainda tem varios desenhos dentro, desistir.
Eu realmente sou mtooo medrosa e fico impressionada facil.
Mas gostei demais da resenha e agora sei do que posso esperar caso eu perca o medo e resolvar ler, hehe… sete diferentes contos sendo que de algum modo se relacionam no vilarejo é algo bem interessante, queria saber como o autor fez.
A capa está maravilhosa.
Beijos.

https://fuxixiu.wordpress.com/

Responder

Deborah Holerbach Alexandrias - 07, outubro 2015 às (20:51)

Oi Aione! Eu nunca li um livro te terror na minha vida :@
Eu já tinha ouvido falar de algumas outras obras do Raphael, mas nunca parei para ler nenhuma resenha. E confesso que me surpreendi. Sempre fui apaixonada por contos, e ainda saber que eles tem uma pitada de realidade é ainda melhor e assustador rs. Esse sim é um terror que eu leria com orgulho, ainda mais com esse trabalho maravilhoso que a editora fez com ele. Procurei por mais fotos do livro para ver as ilustrações (pois é) e achei super legal os respingos de sangue nas páginas rsrs!
Beijos!

Responder

Leticia Golz - 08, outubro 2015 às (13:13)

Oi, Aione
Estou curiosa para ler este livro e ver como o autor se saiu entrelaçando os contos dessa maneira. Eu não li os outros livros dele, mas ouço falar muito bem que fiquei com muita vontade de ler O vilarejo.
O terror dessa maneira que ele coloca me agradaria mais. A alma humana, as vezes, é o que mais assusta. Adorei a resenha.

livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

Responder

Maria Alves - 08, outubro 2015 às (17:00)

Ainda não li nenhum livro do autor, mas pretendo. Achei bem interessante os contos com os sete pecados capitais. Deve ser bem tenso e sinistro esse livro.Vi algumas ilustrações e da para se ter uma ideia do que esperar da leitura.

Responder

Daiele - 09, outubro 2015 às (06:07)

Oláa

Nossa, me encantei com essa Livro do Raphael Montes.
Achei muito lindo mesmo! e Adorei a premissa dele, looouca para lê-lo.

beeijo

Responder

Crislane Barbosa - 21, outubro 2015 às (22:40)

Oi!
Esse livro…
O autor me conquistou e me enrolou. Fui lendo e acreditando de verdade que os contos relatos realmente aconteceram, ou no mínimo chegaram perto de ser reais. E eu me senti boba por ter sido enganada. Boba, mas satisfeita. A sensação de prazer foi intensa. Incrível como ele me levou a envolver na leitura e me fazer acreditar em cada palavra.
Beijão!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por