[Resenha] Espada de Vidro – Victoria Aveyard | Minha Vida Literária
03

fev
2016

[Resenha] Espada de Vidro – Victoria Aveyard

espada-de-vidro-victoria-aveyard-minha-vida-literaria
Título:
Espada de Vidro
Autor: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Número de Páginas:  496
Data de Publicação: 12 de fevereiro de 2016
Skoob: Adicione
Compre em pré-venda: AmazonCulturaTravessa

O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.

espada-de-vidro-victoria-aveyard-minha-vida-literaria1

Espada de Vidro é a aguardada continuação de A Rainha Vermelha, best-seller de Victoria Aveyard que será lançado no próximo dia 12 de fevereiro. Como fiz a leitura através da prova disponibilizada pela editora Seguinte, que publica a série no Brasil, já posso compartilhar minhas impressões com vocês.

A história aqui se inicia no exato ponto em que A Rainha Vermelha terminou, narrada, como no primeiro livro, pela protagonista Mare Barrow. Depois de todas as reviravoltas vividas pela personagem, Mare está mais desconfiada do que nunca de tudo ao seu redor, e ainda mais certa da necessidade da luta dos vermelhos. Para isso, precisará unir forças, e somente com a ajuda dos semelhantes a ela, terá a chance de vencer seus opressores prateados.

 

“Tento não pensar no rosto dos mortos. Passar o tempo todo correndo para sobreviver é uma distração eficaz, mas mesmo a ameaça constante de aniquilação não é capaz de bloquear tudo. Algumas perdas são impossíveis de esquecer.

página 254

 

O livro é tão eletrizante quanto o primeiro – sem jogos de palavras! A ação e a adrenalina estão em alta do começo ao fim, bem como a dose de reviravoltas foi novamente bem aplicada por Victoria Aveyard. Ainda, as novas descobertas no quesito “superpoderes” foram bastante interessantes, visto que é curioso, no mínimo, ver o que cada personagem é capaz de fazer. Sobre o romance, ele aparece de forma muito branda e sutil, o que foi positivo a meu ver, já que esse não é o foco da história.

espada-de-vidro-victoria-aveyard-minha-vida-literaria2

Apesar de toda ação e adrenalina, Espada de Vidro me prendeu bem menos do que eu esperava, e certamente me agradou menos do que seu antecessor. Não senti a mesma angústia e interesse sentidos no primeiro livro, e muitas vezes me pegava desconcentrada da leitura. Também, o próprio final, em partes, já havia sido imaginado por mim, então não finalizei a obra, dessa vez, chocada com o que li – mesmo que eu tenha, sim, mantido minha curiosidade pelo final da trilogia.

 

“Antes, eu acreditava que o sangue era tudo no mundo, a diferença entre a luz e a escuridão, uma divisão irrevogável e intransponível. Tornava os prateados poderosos, frios e brutais, desumanos até, quando comparados aos meus irmãos vermelhos. Mas pessoas (…) me mostraram como eu estava errada. Os prateados são humanos como nós, cheios dos mesmos medos e esperanças. Não estão livres do pecado, mas também não estamos. Nem eu estou.”

página 281

 

Ainda assim, gostei de como a autora trabalhou os pontos abordados, principalmente no que se refere à personalidade de Mare – completamente em conflito entre seus princípios e deveres -, e às divisões estabelecidas pela cor do sangue de cada habitante da sociedade em questão. Mesmo com toda a fantasia que envolve o enredo, esses elementos certamente se aproximam da realidade e cumprem a função de crítica comum aos livros distópicos. E também como em obras do gênero, as mortes estão presentes, então é bom estar preparado para não se apegar demais a algumas personagens!

Em linhas gerais, Espada de Vidro não foi uma leitura tão prazerosa para mim quanto seu antecessor, que me conquistou e prendeu, talvez, principalmente por causa de toda novidade nele contida. Dizem que os segundos volumes de uma trilogia costumam ser os mais difíceis de serem escritos, justamente porque os primeiros apresentam o enredo, os terceiros os finalizam, e os segundos precisam mantê-los, o que nem sempre é fácil. Comigo, a leitura poderia ter sido mais bem aproveitada, mas acredito que Espada de Vidro não decepcionará os fãs da série, de um modo geral! Vale lembrar que quando Espada de Vidro estava em produção, a autora anunciou um novo livro para a série, que agora terá quatro volumes, além do spin-off Coroa Cruel.

espada-de-vidro-victoria-aveyard-minha-vida-literaria3





Deixe o seu comentário

27 Respostas para "[Resenha] Espada de Vidro – Victoria Aveyard"

Fernanda Martins - 03, fevereiro 2016 às (08:30)

Oi Aione, eu estou super animada pra ler essa serie de livros ela parece ser incrível e eu só leio elogios aos livros e a escritora e você como sempre fez uma ótima resenha bjs.

Responder

Aciclea Vieira - 03, fevereiro 2016 às (09:06)

Aione,não iniciei ainda a leitura dessa série,mas quero muito ler sobre a trajetória eletrizante da personagem Mare Barrow.Achei legal o romance ser brando e sutil,porém ele estando ali já é o suficiente,já que o foco principal é outro.Pena que a história tenha te prendido e agradado menos do que o livro anterior.Gostei muito do quote da página 281.Mortes,realmente não gosto muito disso já que me apego fácil aos personagens,mas mesmo assim obrigada pela dica.Rsrsrs…que logo chegue o próximo.Beijos!!!

Responder

Joi Cardoso - 03, fevereiro 2016 às (09:09)

Puxa Aione, que interessante viu, para mim Espada de Vidro me prendeu muito mais que A Rainha Vermelha, achei um livro melhor! E senhor tinha que ser um cliffhanger né?! Como terminar daquele jeito?! Mas enfim, agora é esperar o próximo que não temos em previsão =/

Beijos ♥
Joi

Responder

Larissa Oliveira - 03, fevereiro 2016 às (12:58)

Olá, Aione! Estava curiosa para saber sua opinião sobre o livro. É uma pena que a leitura não tenha te empolgado tanto, comparando-se com a do primeiro volume. Ainda sim, vc apresentou vários aspectos positivos que me agradam mto em uma leitura. O enredo é cheio de adrenalina, ação, reviravoltas e os personagens são bem trabalhados. Espero começar essa série em breve.

Responder

Ivi Campos - 04, fevereiro 2016 às (07:38)

Oi Aione, talvez porque eu não tenha muito costume de ler distopias, esta série não me seduziu ao ponto de desejar ler. O primeiro livro que foi tão bem divulgado e elogiado, não despertou minha curiosidade. Este aqui, seguiu do mesmo jeito. Gosto de livros com cenas de ação e reviravoltas, mas ainda não está no momento de conhecer a série. Confesso que o livro de contos me deixou mais interessada.

Responder

Ana - 04, fevereiro 2016 às (07:57)

Oi, Aione.
Comprei esse livro num impulso pela beleza e pela distopia, na realidade comprei o primeiro volume. Espero ler em breve. Acho que vai ser bom não ler só romance.
Beijos, Ana.

Responder

Mari - 04, fevereiro 2016 às (09:03)

Tanta gente amou o primeiro livro, mas eu achei tão mais do mesmo, com uma protagonista sem graça, reviravoltas que podiam ser vistas à 500km de distância e um livro tão machista que não tenho vontade nenhuma de ler a continuação, desculpe.
Que bom que nem todo mundo se sentiu como eu, né?

Responder

Giovanna Jocronis - 04, fevereiro 2016 às (20:15)

Quero muito ler essa série! Ainda não li a rainha vermelha, quero muito ler. É ótimo saber que a série vai continuar sendo boa! Espero começar ainda esse ano.

Responder

Tamara Dias - 05, fevereiro 2016 às (11:30)

Ainda não li a rainha vermelha Aione, sempre vejo comentários bons sobre ele… Estou esperando sair o restante da série para que eu possa lê-los de uma vez, tenho quase certeza que eu vou gostar! Espero realmente gostar desse livro! Ahahahaha um super beijo!

Responder

Cristiane Oliveira - 05, fevereiro 2016 às (14:52)

Oi Aione. Geralmente os segundos livros de trilogias são inferiores ao primeiro, sempre percebi isso. Mas pela sua resenha ficou claro que o livro é bom também. Ainda não li a série, mas espero que valha a pena ler.
Beijos

Responder

Lara Cardoso - 06, fevereiro 2016 às (23:02)

Agora fiquei mais maluquinha ainda, a Rainha Vermelha está na minha lista de leitura, e esse ano vou ler, com certeza, e Espaço de vidro, veio para confirmar essa saga que, que teve comentários muito positivos,quero muito saber o futuro de Mare e Cal.Beijosss..(apaixonada por esses dois livros)

Responder

rudynalva - 06, fevereiro 2016 às (23:08)

Aione!!
Como adorei Rainha Vermelha, quero demais ler essa continuação que parece ainda melhor, com mais ação, mais personagens e muita coisa boa.
“Na juventude deve-se acumular o saber. Na velhice fazer uso dele.” (Jean-Jacques Rousseau)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Top Comentarista fevereiro, 4 livros e 3 ganhadores, participe!

Responder

Micheli Pegoraro - 08, fevereiro 2016 às (17:03)

Oi Aione,
Estou muito animada pra iniciar a leitura dessa série, ainda mais depois de ler essa resenha e a dos contos em Coroa Cruel. Gosto muito de ler distopia, e essa parece ser bem envolvente, com muita ação, adrenalina e cheia de reviravoltas, adoro isso! Mas acho que vou acabar adiando a leitura, pelo menos até o lançamento do terceiro volume, já que terá um quarto livro também.
Beijos

Responder

Dan Igor - 12, fevereiro 2016 às (19:36)

Muito triste o livro ter sido previsível e não tão prazeroso e interessante quando o primeiro, é muito ruim quando isso acontece. Não sei se gostarei de A Rainha Vermelha, pois ainda não li, mas não vou guardar tantas expectativas para Espada de Vidro quando for ler :/ Se perdemos a atenção na leitura é por que não ela não está indo bem. O segundo livro de uma trilogia é mesmo sempre o mais difícil de escrever, pelo que noto. Abraços, amei a resenha, Aione. A capa está linda *-*

Responder

Rhoana Lersch - 15, fevereiro 2016 às (15:56)

Oi Aione!! Já conheço essa série e sempre vejo comentários e resenhas extremamente positivas sobre ela, ainda não li o primeiro volume então fiquei um pouco perdida na resenha kk mas procurei sobre o primeiro e me interessei bastante pela história, é diferente e parece ser bem envolvente!! Coloquei na lista e espero ler o primeiro volume logo. Beijos

Responder

Jessica Lisboa - 18, fevereiro 2016 às (16:04)

Eu não li nem o primeiro e ja tem outro? Por isso que eu fico perdida nas continuações, enfim coloquei na minha lista para poder ler!

Responder

Rafaella Abreu - 20, fevereiro 2016 às (16:24)

Preciso muuuito ler essa série, espero que A Rainha Vermelha me prenda também, e que eu goste da continuação, que pena que Espada de Vidro não te prendeu tanto Aione.

Responder

Paloma Monteiro - 22, fevereiro 2016 às (17:14)

Bem que vc havia comentado no Facebook que só daria Victoria Aveyard por aqui esse mês em ?!kkkkk lendo suas resenhas e me dando mais vontade ainda de conhecer essa distopia, parece ser bem diferente do que andávamos vendo por ai, e essas capas só ajudam aumentar a vontade de adquiri-los kkkk puro encanto.

Responder

Pamela Miranda - 23, fevereiro 2016 às (18:37)

Quero muito ler ele *–*

Responder

Brena Carvalho - 26, fevereiro 2016 às (11:30)

Bem, como eu já disse aqui, eu não conheço os livros da série, mas quero muito ter, são lindos e a historia parece ser boa. Como sempre otima resenha.

Responder

Ana I. J. Mercury - 28, fevereiro 2016 às (14:26)

Aiieee estou loooouca para ler esse livro e também os contos, mas me falta coragem! kkkkkk
é que to mais na onda dos romances, porém, agora me deu uma vontade de ler tudo de uma vez e saber o que vai acontecer com a Mare!!!
bjos e sua resenha ficou eletrizante!! 😉

Responder

Jéssica Fernanda - 29, fevereiro 2016 às (16:02)

Ai meu coração! Eu não me aguento com essas resenhas de livros de A rainha vermelha <3
São todas tão boas, tão positivas e eu aqui sem ter lido o livro ainda!

Responder

jovita - 13, março 2016 às (13:15)

Arghhhh odiei o segundo livro. Foi frustrante!!!! Em certos capítulo dava vontade de enforcar a Mare. Pouquíssimo romance, aliás uma pincelada apenas. A indecisão da Mare, não sabe se odeia ou ama o Maven, isso é chato d++++. Alumas perdas, neste livro, achei desnecessárias, pois ainda tem mais dois livros pela frente, poderia ter aproveitado mais de alguns personagens. Espero que a autora mude a personalidade da Mare no terceiro livro, porque neste foi um porre. Não sei como Cal aguentava aquilo… Espero mais ainda que não demore tanto o lançamento dos demais livro, senão a gente perde um pouco o frio da bariga da última página do livro.

Responder

Mary - 05, abril 2016 às (07:13)

A rainha vermelha foi definitivamente o meu livro favorito de 2015 e estava pronta para Espada de Vidro ser o meu favorito de 2016, mas definitivamente ainda não aceitei o fato de que o Maven ė malvado, eu tava torcendo no primeiro livro pra que fosse qualquer um a ficar com ela, mas no final já sabemos.como será
Além de que tem (SPOILER)a morte da Elara que foi muito fácil. Isso é uma série de outros pontos negativos me desiludiram um pouco da série então espero que o próximo seja melhor.

Responder

Isadora Adriz - 20, abril 2016 às (14:02)

ALERTA DE SPOILER
Olá, gostaria muito de saber sua opinião a respeito de Mare nesse segundo livro em relação a morte do irmão Shade, já que fiquei completamente indignada pela maneira egoísta em que ela tratou a morte do irmão, pensando somente nos poderes que havia perdido e não em seu irmão

Responder

Aione Simões 21 abr 2016

ALERTA DE SPOILER
Oi, Isadora, tudo bem?
Não me lembro de ter tido essa mesma visão que você! Confesso que já não me lembro da cena em detalhes, mas a impressão que tive foi a de que ela sentiu sim a morte dele, porém o momento não permitia que ela, de fato, vivesse o luto, por questões práticas mesmo. De qualquer forma, a Mare é mesmo bastante auto-centrada, principalmente nesse livro, o que acaba sendo um tiquinho irritante hehe!
Beijos!

Responder

Robson - 13, julho 2016 às (11:15)

Ótima resenha, estava no ônibus lendo as crônicas de Arthur quando uma mulher do meu lado puxou esse livro e começou a ler, aí me pintou a curiosidade de saber do que se tratava.

Com sua análise parece interessante o mesmo.
Obrigado pela leitura.

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por