[Resenha] Nas Sombras do Estado Islâmico - Sophie Kasiki | Minha Vida Literária
31

ago
2016

[Resenha] Nas Sombras do Estado Islâmico – Sophie Kasiki

nas-sombras-do-estado-islamico-minha-vida-literaria

Título: Nas Sombras do Estado Islâmico
Autor: Sophie Kasiki
Editora: Best Seller
Número de Páginas: 160
Ano de Publicação: 2016
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonSaraivaSubmarino

O testemunho extraordinário da mulher francesa que se juntou ao estado islâmico e conseguiu sobreviver a uma jornada pelo inferno. Sophie Kasiki trabalhava como assistente social nos subúrbios de Paris quando três dos jovens que auxiliava abandonaram a França para se juntar ao Estado Islâmico, na Síria. Em pouco tempo, aqueles que ela carinhosamente chamava de “os meninos” voltariam a procurá-la. A princípio, Sophie ingenuamente esperava convencê-los a voltar, mas o que aconteceria seria exatamente o oposto. Em ”Nas sombras do Estado Islâmico”, Sophie Kasiki relata, de forma muito emocionante, todo o terror que passou na cidade de Raqqa, coração do Estado Islâmico na Síria.

O que mais me encanta nas leituras que faço sobre histórias baseadas em fatos reais é a profundidade que elas trazem – até mesmo nas entrelinhas –, como nos tocam, emocionam e nos fazem ter empatia por pessoas que não conhecemos e em situações que jamais imaginávamos, e esse é um dos motivos para que eu goste tanto de livros assim. Fazer a leitura desse livro me fez pensar nas diversas situações com as quais o ser humano precisa lidar no decorrer das diferentes fases de sua vida e em como é difícil lidar com elas e com nós mesmos. Me parece que a vida nos exige demais e nós nos exigimos o dobro, e Sophie é um exemplo dessa busca incessante por autoconhecimento e pelo desejo de descobrir seu lugar no mundo, sua missão, seu objetivo de vida. Mas, acreditem, não é tão fácil quanto parece.

nas-sombras-do-estado-islamico-minha-vida-literaria1

A personagem principal de Nas Sombras do Estado Islâmico, uma história real, se chama Sophie Kasiki, nascida em 1981 em Kinshasa, no Congo. Passou a infância cultivando uma imensa admiração pela sua mãe, tanto é que quando sua mãe faleceu ela perdeu o rumo e carregou muita dor no coração por essa enorme perda. Aos poucos foi reconstruindo sua vida, sobretudo, com o apoio de sua irmã. Em seguida, residindo na França e seguindo os passos de sua mãe, se dedicou aos estudos e teve uma formação como educadora social. Seu primeiro emprego foi em um centro social, já que ela sentia a necessidade de, assim como sua mãe, se dedicar aos outros. Conheceu seu marido, Julien, com quem teve um filho, o pequeno Hugo. Sophie estava passando por uma fase de muitos questionamentos pessoais, sentia que faltava alguma coisa que desse sentido a sua vida. O desânimo e o vazio tomaram conta dela, e cabe salientar que ela já havia passado por um quadro de depressão; desse modo, a melancolia e a tristeza começaram a voltar com muita força nesse momento. Em meio a tudo isso, ela acaba sendo influenciada a fazer uma viagem e vai parar no Estado Islâmico na companhia do seu filho.

nas-sombras-do-estado-islamico-minha-vida-literaria2

A meu ver, ela vai com a esperança de contribuir da melhor forma diante do que acredita ser possível fazer por um mundo melhor; além disso, vai em busca de realização pessoal, já que, mesmo sem saber ao certo o que iria encontrar, decide correr os riscos por entender que não tinha nada a perder diante da vida monótona a qual considerava levar na França. Ela queria dar sua contribuição ao mundo, semear o bem, ajudar as pessoas e, no seu trabalho anterior, por exemplo, estava sem conseguir fazer isso, não tinha estímulo, ânimo ou esperança de que sua vida, naquele contexto, fizesse alguma diferença no mundo, e ela precisava mudar essa situação, precisava fazer alguma coisa por si mesma e pelos outros.

A narrativa de Nas Sombras do Estado Islâmico é extremamente envolvente e, por ser em primeira pessoa e contada pela própria Sophie, nos apegamos demais a ela. Senti suas angústias, questionamentos, seu sofrimento e dificuldades. Por vezes, me peguei pensando nos riscos aos quais ela se submeteu e submeteu o seu filho, e foi muito angustiante ler alguns trechos dessa jornada. O final do livro me surpreendeu e emocionou, o relato dessa mulher, seu aprendizado, os arrependimentos, os questionamentos, são verdadeiras lições de vida.

nas-sombras-do-estado-islamico-minha-vida-literaria3

Recomendo muito a leitura de Nas Sombras do Estado Islâmico; é um livro curto, no entanto, muito intenso. É uma história inesquecível e muito tocante, que trata de questões pessoais como trabalho, casamento, filhos e família e de questões universais como religião, ideologias e conflitos sociais. A leitura certamente vale a pena.





Deixe o seu comentário

2 Respostas para "[Resenha] Nas Sombras do Estado Islâmico – Sophie Kasiki"

Vick Ventlando (@Vickventlando) - 01, setembro 2016 às (09:47)

Gostei muito da resenha. Nossa, que tipo de situação esta mulher deve ter passado… É impossível ler um livro desse e não ficar se questionando “qq eu to fazendo com a minha vida?”
Beijos, Vick
http://extraordinaria-mente.blogspot.com.br/

Responder

Leticia Golz - 07, setembro 2016 às (17:10)

Oi, Clivia
Li esse livro mês passado e vim ver sua opinião.
Também gostei bastante da leitura e alguns trechos são mesmo angustiantes. Acho que quase toda história verídica é, né?
Claro que pensamos que ela foi muito louca de ter feito o que fez, quando estava na cara no que ia dar, mas como você disse, parece fácil mas não é. Cada um tem seu modo de reagir as diferentes situações.
Gostei de saber que também gostou e recomenda. Digo o mesmo.
Bela resenha!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil