[Resenha] Quando o Amor Bater À Sua Porta - Samanta Holtz | Minha Vida Literária
23

set
2016

[Resenha] Quando o Amor Bater À Sua Porta – Samanta Holtz

quando-o-amor-bater-a-sua-porta-samantha-holtz-minha-vida-literaria

Título: Quando o Amor Bater À Sua Porta
Autor: Samanta Holtz
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 304
Ano de Publicação: 2016
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Amazon ♥ Americanas ♥ SaraivaSubmarino

Malu Rocha é uma escritora de 29 anos independente, confiante e bem-sucedida. Mora sozinha em São José dos Pinhais, perto de Curitiba, onde mantém uma rotina regrada de pedalar todas as manhãs, escrever e, semanalmente, visitar o avô de 98 anos em uma casa de repouso.
Porém sua vida toda controlada sai do eixo quando um homem bate à sua porta e se apresenta como Luiz Otávio Veronezzi, dizendo ter perdido uma reunião marcada com ela. Malu não se lembra do compromisso e sua primeira reação é dispensá-lo. Mas o belo desconhecido insiste, explicando que sofreu um acidente de carro, ficou em coma e perdeu a memória, assim como seus documentos. As únicas coisas que restaram foram um pouco de dinheiro e um papel com o nome e o endereço de Malu, o nome dele e a data da reunião. Luiz confessa que a escritora era sua última esperança para descobrir a própria identidade.
O problema é que ela não tem a menor ideia de quem ele seja.
Desconfiada, mas sentindo-se responsável pelo acontecido, Malu decide ajudá-lo e embarca em uma jornada para descobrir quem ele é – o que acaba trazendo à tona muitos fatos sobre si mesma, seus medos e segredos mais bem guardados, além de um passado que preferia esquecer.

Certos livros nos ganham desde o primeiro parágrafo, e não precisamos ir além para saber que estamos diante de uma daquelas leituras deliciosamente marcantes e envolventes. Quando o amor bater à sua porta, quarta publicação de Samanta Holtz e sua estréia na editora Arqueiro, foi uma dessas obras e se tornou um dos meus mais novos romances queridinhos – não apenas no cenário nacional, vale ressaltar.

quando-o-amor-bater-a-sua-porta-samantha-holtz-minha-vida-literaria2

Malu Rocha é uma escritora de sucesso, mas vem encontrando dificuldade em terminar seu próximo lançamento. Enquanto tenta trabalhar no final de seu livro, um completo estranho bate à sua porta pedindo ajuda, pois sofreu um acidente, perdeu a memória e os documentos, e a única pista de sua identidade é um pedaço de papel rasgado de uma agenda, no qual está anotado o nome da escritora. Para deixá-la ainda mais surpresa, o homem tem o mesmo nome do mocinho de sua nova história.

Foi a escrita de Samanta Holtz, principalmente, que tanto me conquistou em Quando o amor bater à sua porta. Não apenas capaz de envolver e cativar o leitor, Samanta utilizou seu dom para criar cenas e emoções que nos transportam para além da leitura. Nos capítulos iniciais, que têm como função, normalmente, apresentar as personagens e o enredo, consegui enxergar Malu e sua personalidade por meio de uma simples baforada no cigarro. Ou, então, senti toda sua briga emocional interna ao vê-la avoada em suas tarefas ou com os olhos marejando ao receber uma gentileza. Em terceira pessoa, os elementos essenciais sobre a protagonista, principalmente, são dados de maneira indireta na narrativa, e faz parte do encantamento da leitura não simplesmente compreendê-los, mas, acima de tudo, senti-los.

quando-o-amor-bater-a-sua-porta-samantha-holtz-minha-vida-literaria1

Também me encantou o fato de, aqui, termos várias histórias sendo contadas: temos a do livro de Malu, a qual acompanhamos enquanto a autora busca descobrir o final para ela; a de Luiz, que nos intriga justamente por ser um mistério inclusive a ele próprio; e a de Malu, narrada pouco a pouco conforme suas camadas vão sendo expostas, como pétalas de uma rosa que se abrem para revelar o interior da flor. Aliás, vale dizer que adorei acompanhar o amadurecimento da personagem, em especial por ela, inicialmente, ser bastante cínica e, em alguns momentos, até mesmo difícil de agradar, justamente por sua constante posição de defesa proporcionar tantos ataques. Mas conhecer sua história, compreender os motivos por detrás de sua personalidade e, então, presenciar seu desabrochar foi completamente emocionante.

O centro de Quando o amor bater à sua porta se concentra nas duas das mais básicas perguntas existenciais, debatidas, investigadas e questionadas ao longo dos séculos. A primeira, frequente nas grandes tragédias da antiguidade greco-latina, inclusive, é a “Quem sou eu?”. A princípio, acreditamos que ela se aplique apenas a Luiz, em busca de sua identidade; contudo, ela se estende sobretudo a Malu, e, para conhecê-la, mergulhamos de cabeça cada vez mais fundo em sua história, sem conseguir abandonar as páginas do livro. A segunda, por sua vez, é a que inspira os mais diversos artistas, encanta pessoas, desafia a razão: “O que é o amor?”. E para descobrir como as personagens vão respondê-la, acompanhamos a maneira de como constroem o sentimento capaz de modificar qualquer um que a ele se entregar.

quando-o-amor-bater-a-sua-porta-samantha-holtz-minha-vida-literaria3

Quando o amor bater à sua porta foi tão bem sucedido, porque segue a fórmula do romance perfeito: é uma história sobre autodescoberta, envolta em mistério e reviravoltas – os ingredientes que nos prendem à trama -, recheada dos mais diversos sentimentos – o ingrediente que nos encanta. Traz um amor impossível e um final clichê, como os melhores finais românticos devem ser: capaz de aquecer o coração, arrancar suspiros e fazer nascer um sorriso coberto de lágrimas. Mais do que uma leitura leve e deliciosa, o novo livro de Samanta Holtz é inspirador e completamente apaixonante.





Deixe o seu comentário

Uma resposta para "[Resenha] Quando o Amor Bater À Sua Porta – Samanta Holtz"

Miriã - 26, setembro 2016 às (11:28)

Oi, Aline. Só vejo críticas positivas sobre esse livro da Samanta e não vejo a hora de eu mesma conferir sua escrita. Parece-me que além de toda a experiência com os personagens, ela ainda nos traz sentimentos diversos.
Abraço!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por

Blogs Brasil