[Resenha] Nem Tudo Será Esquecido - Wendy Walker | Minha Vida Literária
04

nov
2016

[Resenha] Nem Tudo Será Esquecido – Wendy Walker

nem-tudo-sera-esquecido-wendy-walker-minha-vida-literaria

Título: Nem Tudo Será Esquecido
Autor: Wendy Walker
Editora: Planeta
Número de Páginas: 288
Data de Publicação: 2015
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Amazon ♥ Americanas ♥ Saraiva ♥ Submarino

Um dos suspenses psicológicos mais elogiados nos Estados Unidos Tudo parece perfeito na pequena Fairview, em Connecticut, até a noite em que a adolescente Jenny Kramer é violentada durante uma festa. Nas horas posteriores, ela é medicada com uma droga controversa para que as memórias da violência sejam apagadas. Mas, nas semanas que se seguem, enquanto se cura das dores físicas, Jenny percebe que guardou nuances daquela noite. O pai, obcecado por sua incapacidade de descobrir quem abusou de sua filha, busca justiça, enquanto a mãe tenta fazer de conta de que o crime não abalou seu mundo cuidadosamente construído. Segredos da família e do círculo próximo começam a vir à tona durante a busca incessante pelo monstro que invadiu a comunidade – ou que talvez sempre tenha estado lá –, guiando este thriller psicológico para um fim chocante e inesperado.

Nem Tudo Será Esquecido é um dos mais recentes thrillers psicológicos publicados pela editora Planeta. Por ser fã do gênero, fiquei instantaneamente interessada pela leitura, e Wendy Walker me conquistou e surpreendeu com seu romance, no mínimo, perturbador.

Na pequena e pacata cidade de Fairview, em Connecticut, onde todos se conhecem, um crime abala todos os habitantes: a adolescente Jenny Kramer é violentamente estuprada durante uma festa por alguém não identificado. Durante suas primeiras horas de atendimento, seus pais concordam em administrar nela uma droga capaz de fazê-la esquecer dos acontecimentos, a fim de evitar um provável trauma. Quando ela acorda praticamente sem lembranças da noite anterior, todos acreditam que o tratamento foi um sucesso, ainda que tenha dificultado o trabalho da polícia. Contudo, com o passar dos meses, fica claro que nem tudo foi apagado de sua mente, e enquanto ela e seus pais precisam lidar com as consequências da traumática noite, segredos de sua própria família passam a se interligar com as de sua comunidade, enquanto a polícia continua em busca do causador de tanta dor e violência.

nem-tudo-sera-esquecido-wendy-walker-minha-vida-literaria2

O primeiro ponto a chamar minha atenção em Nem Tudo Será Esquecido foi a escrita pungente de Wendy Walker. Logo nos primeiros parágrafos, temos o relato do estupro de Jenny, e confesso que foi difícil prosseguir a leitura, considerando o desconforto que ela me causou. Ao mesmo tempo, foi essa mesma capacidade de me afetar que me fez prosseguir por página atrás de página, em um ritmo cada vez mais viciado e alucinante.

“Dizem que ter o trauma mais horroroso apagado da mente é um tratamento milagroso. […] O que quero expor neste momento é que não foi um milagre para essa bela jovem. O que foi removido de sua mente vivia em seu corpo e em sua alma, e me senti na obrigação de devolver a ela o que lhe foi tirado. Pode soar muito esquisito para você. Tão contrário ao senso comum. Tão perturbador.”

página 11

Ainda, essa escrita se dá por um diferencial, já que assume a narrativa em primeira pessoa de uma personagem intimamente ligada aos fatos, mas, ainda assim, externa a eles: o psiquiatra de Jenny. Achei incrível essa perspectiva tanto por ela permitir um aprofundamento dos relatos quanto uma análise sobre eles, considerando-se a profissão do narrador.

nem-tudo-sera-esquecido-wendy-walker-minha-vida-literaria3

Esse, entretanto, pode ser um ponto controverso entre os leitores. O narrador faz diversas digressões, narrando, inclusive, acontecimentos de sua profissão e relatos de outros pacientes, de forma que a história, às vezes, pareça fugir da trama central e do caso de Jenny. Ainda, ele dá diversas explicações científicas sobre o funcionamento da mente, bem como, conforme mencionado, analisa as personagens e suas atitudes a partir de seus relatos. Para mim, entusiasmada pela temática, a leitura foi um prato cheio, extremamente interessante e informativa; para quem não se sente atraído por ela, entretanto, o livro pode ser mais parado e cansativo.

“O desejo humano de não estar sozinho no mundo é poderoso. Talvez mais poderoso do que a razão ou a consciência ou o medo.”

página 136

Não bastasse o aspecto psicológico e científico da história, achei incrível a maneira de como Wendy Walker ligou todos os pontos de Nem Tudo Será Esquecido, culminando em um clímax surpreendente e que faz completamente jus ao gênero ao qual o livro pertence. Esse foi um dos melhores thrillers psicológicos que li em 2016, sem sombra de dúvidas.

nem-tudo-sera-esquecido-wendy-walker-minha-vida-literaria1

De modo geral, Nem Tudo Será Esquecido me surpreendeu tanto por sua escrita e narrativa quanto pela própria trama em si. Wendy Walker soube construir um enredo rico em suspense e dramas familiares por meio de uma perspectiva científica e analítica capaz de impactar e desconcertar o leitor. Fazendo jus ao seu título, esse é um livro que muito dificilmente será esquecido, e certamente constará em minhas futuras indicações de thrillers psicológicos aos entusiastas do gênero.





Deixe o seu comentário

Uma resposta para "[Resenha] Nem Tudo Será Esquecido – Wendy Walker"

Daiele - 05, novembro 2016 às (11:36)

Oi Aione.
Confesso que não sou muito de ler trilhers, isso pq eu fico completamente nervosa e ansiosa, chego até a sonhar a noite, enquanto nao descubro o misterio, por isso evito esse gênero, mas quando pego, nao consigo largar. Ee essa historia tem um tema bem forte, assunto do qual eu tenho muita repulsa. Mas por conta disso mesmo, a historia deve ser bem envolvente, me uma pequena vontade de ler, pq gosto de saber como os autores abordam esse tipo de tema…

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por