[Resenha] Quando A Bela Domou A Fera - Eloisa James | Minha Vida Literária
28

mar
2017

[Resenha] Quando A Bela Domou A Fera – Eloisa James

Título: Quando A Bela Domou A Fera
Autor: Eloisa James
Editora: Arqueiro
Número de Páginas: 320
Ano de Publicação: 2017
Skoob: Adicione
Compre: Amazon ♥ AmericanasSaraiva ♥ Submarino

Eleito um dos dez melhores romances de 2011 pelo Library Journal, “Quando a Bela domou a Fera” é uma releitura de um dos contos de fadas mais adorados de todos os tempos.

Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher.

Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas.

No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?

Um romance de época assumidamente declarado como uma releitura de A Bela e a Fera já seria o suficiente para despertar minha atenção. Ao criar, então, a Fera a partir do icônico dr. House, protagonista da série homônima de TV, Eloisa James, autora de Quando A Bela Domou A Fera, elevou ao máximo minha curiosidade sobre sua obra, o segundo volume da série de releituras de contos de fadas e o primeira dela a ser publicado pela editora Arqueiro.

Quando Linnet se vê envolvida em meio a um escândalo na sociedade – por algo que ela nem ao menos cometeu -, sua família resolve tomar a medida drástica de oferecê-la em casamento ao filho de um duque, ansioso por casar o filho e que veria na jovem a oportunidade perfeita para os seus propósitos. Assim, ela é enviada ao País de Gales para conhecer Piers Yelverton, o conde de Marchant, famoso não só por ser um médico incrível, mas principalmente por seu temperamento irascível, fruto de um defeito na perna que, em sua visão, o deixou indesejável e imune aos encantos de qualquer mulher.

Desde o início da leitura, Eloisa James me ganhou por sua prazerosa e envolvente escrita. A narrativa em terceira pessoa de Quando A Bela Domou A Fera é capaz de conquistar pelo humor nitidamente nela contida, sobretudo nos espirituosos diálogos travados entre as personagens. As personalidades de Linnet e Piers, altamente sarcásticas e irônicas, já rendem divertidos momentos por si só, advindos dos comentários por eles feitos, e, quando unidas nos diálogos entre eles, resultaram em uma combinação deliciosa de ser acompanhada.

Ainda, a autora foi muito feliz ao compor os elementos formadores da obra. Primeiramente, desde o início é estabelecida uma relação amigável entre Linnet e Piers, apesar das nítidas implicações de um com o outro, o que proporciona ao leitor agradáveis momentos ao acompanhá-los. Depois, devido às circunstâncias que os reúnem, as regras da sociedade britânica da época acabam por não necessariamente se aplicar a ambos, permitindo uma liberdade maior de acontecimentos e fugindo dos típicos eventos comuns em livros do gênero, relacionados à restrição do contato entre as personagens e, consequentemente, a possíveis escândalos e compromissos deles advindos. Aqui, muito mais do que convenções sociais, o que as personagens precisam enfrentar enquanto o romance entre elas é desenvolvido são suas próprias expectativas e receios. Por fim, o próprio enlace romântico se dá nas doses certas: não apenas sua evolução convence, como permite ao leitor se apaixonar juntamente das personagens. Adorei a maneira de como se dá o romance, que não é excessivamente doce, e a ligação entre Linnet e Piers, além das cenas picantes estarem presentes em quantidades moderadas e com descrição o suficiente para não deixar a leitura desgastante, apenas mais envolvente.

E não poderia deixar de mencionar sobre as adaptações que Eloisa James realizou em Quando A Bela Domou A Fera, sobretudo sobre a central, contida na história de A Bela e a Fera. Apesar dos elementos principais do conto estarem nitidamente presentes no enredo da autora, eles não são tão literais e seguem os rumos próprios da releitura, ao invés de se aterem aos da história original. O grande destaque do livro, por sua vez, está no fato de Piers ser baseado no dr. House. Como fã da série, amei encontrar essa versão do personagem, principalmente em um ambiente tão diferente do contexto da série, mas ainda bastante fiel a ela. Piers é um nobre, mas é também médico, e essa combinação, além de inusitada, já que normalmente não termos personagens com profissões do tipo em romances de época de um modo geral, rendeu ótimos momentos durante o desenrolar da trama.

Jamais imaginei encontrar uma história que mesclasse romance de época, A Bela e a Fera e House, então tiro o chapéu para Eloisa James por ter tido a criatividade e a audácia de combinar tais elementos. Acima de tudo, agradeço à autora por sua ideia, já que ela resultou em uma leitura deliciosamente divertida, envolvente e apaixonante, com os melhores romances de época devem ser. Já mal posso esperar para conhecer as demais obras da série de Contos de Fadas, que traz, ainda, as releituras de Cinderela, O Patinho Feio, A Princesa e a Ervilha e Rapunzel, por meio de livros independentes entre si e que, portanto, não necessariamente precisam ser lidos na ordem de seus respectivos lançamentos (até porque trazem personagens diferentes em cada uma das obras).

 

Série Contos de Fadas – Capas Originais





Deixe o seu comentário

8 Respostas para "[Resenha] Quando A Bela Domou A Fera – Eloisa James"

Lili Aragão - 28, março 2017 às (11:50)

Fiquei positivamente surpresa ao saber que Piers tem um pouco de House rsr e acho que vou terminar esse romance encantada com a história. Livros que tem como base a história da Bela e Fera são quase sempre muito bons e como eu sou fã de romances de época, já tô esperando o meu chegar pra ler 😉 A capa é linda e amei as fotos que vc incluiu na resenha 😀

Responder

Caroline Garcia - 28, março 2017 às (21:31)

Ai meu corê! Estou super curiosa em relação a essa história.
Ainda mais tendo a ver com A bela e a fera.
Parece ser uma história super criativa, com um certo diferencial e muuuito delicinha, além de divertida.
Espero conferir em breve, já está na minha listinha de desejados.
Beijos,
Caroline Garcia

Responder

Giulianna Santicioli - 29, março 2017 às (15:11)

Já adoro A Bela e a Fera e quando vejo um livro de releitura dessa história, já sei que muito provavelmente vou gostar, admito que não curto muito romances de época, para falar a verdade, li um que não gostei muito e acho que depois disso fiquei um pouco traumatizada, mas esse livro parece realmente muito bom, achei legal o personagem ser inspirado no Dr. House, porque é uma série que adoro e deve ser incrível poder ler sobre alguém que possui algumas de suas características, fiquei com muito vontade de ler essa história, quem sabe não é ela que vai me mostrar que romances de época são bons, não é mesmo?
Beijos!

Responder

Girlene Vieira Ricardo - 29, março 2017 às (17:09)

Uai, adoro essa releituras, eu tinha visto o vídeo que tu falava sobre releituras que você iria ler, fiquei super animada para conhecer melhor algumas, e não foi diferente dessa. O que mais me chamou atenção nesta versão, e que acontece em um gênero de romance de época, e esse sem duvidas foi diferencial que livro contém logo de cara. Achei a capa nacional mais linda do que as originais

Responder

Priscila Tavares - 30, março 2017 às (17:22)

Oi Aione, tudo bem?
Menina, meu cérebro bugou quando tetei imaginar a junção da história da Bela e a Fera com um personagem inspirado no Dr House. Tomara que eu consigo dar uma alavancada nas minhas leituras para ler esse o quanto antes.
Adoro quando os autores são criativos hahaha.
Beijokas
Quanto Mais Livros Melhor

Responder

rudynalva - 30, março 2017 às (22:37)

Aione!
Meu conto favorito é A Bela e a Fera.
Adoro releituras e ver uma transformada em romance de época, mas com um protagonista baseado na personalidade do House (que adoro o humor ácido dele e a inteligência), é mesmo uma combinação diferenciada e que bom que deu certo né?
Li em algum lugar que teve bafafá no face da editora porque a pessoa achou que a tradução não foi adequada, trazendo termos, digamos que, indecorosos… Não sei porque não, li, mas pensando que o personagem foi baseado no House, estará bem incluído no enredo.
cheirinhos
Rudy

Responder

Kris Soares - 31, março 2017 às (06:47)

Já tinha ficado interessadíssima só com o título desse livro, agora saber que ele reuni tantos elementos inusitados ( ao meu ver) minha curiosidade só aumentou.

Responder

Kemmy - 01, abril 2017 às (00:01)

Se você não imaginava encontrar essa mistura aí, imagina eu! No início eu nem sabia que era romance de época e só agora com a sua resenha eu soube que tem uma recriação a partir do Dr. (divo) House.
Até a parte do romance de época e da A bela e a fera eu tinha ficado interessadinha, mas nada surpreendente. Colocou House no meio já fiquei super curiosa!
Também não sabia que era série… sempre bom quando colocam na postagem essa informação 🙂

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por