[Resenha] Pule, Kim Joo So - Gaby Brandalise | Minha Vida Literária
10

nov
2017

[Resenha] Pule, Kim Joo So – Gaby Brandalise

Título: Pule, Kim Joo So
Autor: Gaby Brandalise
Editora: Verus
Número de Páginas: 208
Data de Publicação: 2017
Skoob: Adicione
Compare e Compre (pré-venda): Amazon ♥ Americanas ♥ Saraiva ♥ Submarino

O que você faria se precisasse escapar da sua própria vida? Um história inspirada em dramas coreanos.

Marina vive em Curitiba, atormentada pelas agressões do ex-namorado. So vive em Seul, preso a uma culpa da qual não consegue se livrar. Em mundos tão distantes, mas carregando dores parecidas, a história dos dois vai se cruzar e fazer com que eles finalmente tomem o controle da própria vida, encontrando o ponto de virada que sempre buscaram. Pule, Kim Joo So é uma história ágil e original, que vai surpreender e divertir da primeira à última linha.

Inspirado nos dramas coreanos, Pule, Kim Joo So é a estreia de Gaby Brandalise pela editora Verus e um dos livros mais diferentes que já tive a oportunidade de ler. Ágil e inteligente, é uma daquelas leituras para se fazer em poucas horas, durante as quais você certamente mal terá tempo para pensar em outras coisas além do que encontrar nas páginas a sua frente.

Marina é constantemente agredida pelo ex-namorado e precisa viver se esquivando da ameaça que ele representa. Então, ela misteriosamente conhece So no aeroporto onde trabalha, um coreano que não sabe como chegou até ali. Mesmo sem conhecê-lo ou sequer entendê-lo, ela resolve ajudá-lo, e pouco a pouco os dois vão criando um vínculo. Até que mais coisas misteriosas acabam por acontecer, virando a vida de Marina completamente de cabeça para baixo.

A leitura de Pule, Kim Joo So é ágil não simplesmente pela ação própria da trama, uma vez que somos bombardeados por inúmeros episódios uns após os outros, mas principalmente pela escrita de Gaby Brandalise. A narrativa em terceira pessoa é inspirada em roteiros de dramas de TV, de maneira a ser composta de frases curtas e coordenações, que proporcionam uma experiência sobretudo visual e sensorial. A intenção não é a de se aprofundar em reflexões ou nos próprios acontecimentos em si, mas sim a de se vivenciar o que está sendo narrado quase como se aquilo estivesse sendo assistido ao invés de lido. Ainda, os parágrafos iniciais da obra são essenciais para compreendê-la, funcionando basicamente como uma “regra” do universo a ser contado.

Confesso que esperava algo completamente diferente de Pule, Kim Joo So. Quando soube que a história seria baseada em doramas, imaginei que encontraria um romance carregado de drama e intensidade envolvendo personagens e a cultura coreana (embora nunca tenha assistido às famigeradas novelas). Entretanto, apesar de esses elementos fazerem, sim, parte do enredo, o livro é também metalinguístico ao invés da simples narração de um acontecimento. Aqui temos, acima de tudo, a trama de alguém em busca da própria voz e a força que as histórias acabam ganhando conforme são construídas. Ainda, há a noção de como a escrita pode funcionar como um subterfúgio para quem dela faz uso.

Dessa maneira, o que mais me ganhou durante a leitura de Pule, Kim Joo So foi seu aspecto racional, em termos de construção de obra como um todo, ao invés da história das personagens em si. É claro que torci por elas e me envolvi com seus dramas, mas não fiz a leitura emocional que imaginei que faria. Pelo contrário, fiquei muito mais admirada em como tudo me soava interessante e inteligente do que de fato sensibilizada pelos aspectos emocionais, talvez por me identificar com a posição de também escritora ao invés de simplesmente leitora.

Em linhas gerais, Gaby Brandalise cumpriu seu papel ao fazer de Pule, Kim Joo So uma obra inspirada em roteiros de dramas coreanos e foi além, trazendo reflexões sobre o próprio ato da escrita em si. O livro é capaz de oferecer diferentes elementos aos leitores, dependendo do tipo de leitura realizada: você pode, como eu, se prender aos aspectos metalinguísticos da obra ou simplesmente se entregar a Su e Marina, imergindo em todas as emoções que naturalmente surgem entre eles.





Deixe o seu comentário

3 Respostas para "[Resenha] Pule, Kim Joo So – Gaby Brandalise"

Gaby Brandalise - 10, novembro 2017 às (21:23)

meu Deus, que resenha inspirada. fiquei emocionada lendo como você entendeu tudo o que eu fiz. in, muito muito obrigada ❤️😙

Responder

RUDYNALVA CORREIA SOARES - 11, novembro 2017 às (17:17)

Aione!
Gosto das leituras que acabam sendo um desafio por serem diferentes de tudo que já foi lido.
Para mim seriam muitos desafios, afinal, nunca li ou assisti roteiros de dramas coreanos e como são frases curtas já que é um roteiro, mas ainda assim não perde no envolvimento dos sentimentos dos protagonistas, deve ser uma leitura diferente e muito boa de ser feita.
Desejo um final de semana carregadinho de luz e paz!
“ Inteligência não é não cometer erros, mas saber resolvê-los rapidamente.” (Bertolt Brecht)
cheirinhos
Rudy
TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

Responder

Fabiana Roberta - 12, novembro 2017 às (11:01)

Oi Aione ultimamente estou ouvindo falar muito destes doramas,achei a história do livro legal mas confesso que não me arrebatou, não me deu aquela vontade de ler,mas quem sabe mais pra frente me venha esta vontade e eu com certeza lerei.
Bjs

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por