[Resenha] Anna Kariênina - Liev Tolstói | Minha Vida Literária
23

nov
2017

[Resenha] Anna Kariênina – Liev Tolstói

Título: Anna Kariênina
Autor: Liev Tolstói
Editora: Companhia das Letras
Número de Páginas: 840
Ano de Publicação: 2017
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanasSaraivaSubmarino

Em tradução de Rubens Figueiredo, com posfácio de Janet Malcolm, a obra-prima de Liev Tolstói retrata o caso de infidelidade da aristocrata Anna Kariênina, tendo como cenário uma Rússia decadente. “Toda a diversidade, todo o encanto, toda a beleza da vida é feita de sombra e de luz”, escreve Liev Tolstói no romance que Fiódor Dostoiévski definiu como “impecável”. Publicado originalmente em forma de fascículos entre 1875 e 1877, antes de finalmente ganhar corpo de livro em 1877, Anna Kariênina continua a causar espanto. Como pode uma obra de arte se parecer tanto com a vida? Com absoluta maestria, Tolstói conduz o leitor por um salão repleto de música, perfumes, vestidos de renda, num ambiente de imagens vívidas e quase palpáveis que têm como pano de fundo a Rússia czarista. Nessa galeria de personagens excessivamente humanos, ninguém está inteiramente a salvo de julgamento: não há heróis, tampouco fracassados, e sim pessoas complexas, ambíguas, que não se restringem a fórmulas prontas. Religião, família, política e classe social são postas à prova no trágico percurso traçado por uma aristocrata casada que, ao se envolver em um caso extraconjugal, experimenta as virtudes e as agruras de um amor profundamente conflituoso, “feito de sombra e de luz”.

Anna Kariênina é um dos mais incríveis romances da literatura universal. De autoria de Liev Tolstói, considerando um dos maiores escritores de todos os tempos, é um livro de valor inestimável e de significados diversos capaz de despertar em seus leitores inúmeras sensações.

Esse clássico escrito entre 1873 e 1877 representa um retrato da sociedade russa do século XIX e, através dos vários personagens existentes na trama, o autor traz à tona uma teia de contradições existentes naquele período, as quais envolvem desde tradições culturais até as mais subjetivas e inquietantes.

Dividido em oito partes, acompanhamos a trajetória de uma família, com maior enfoque na jovem Anna Kariênina, pertencente à aristocracia russa e que se envolve num caso extraconjugal, desembocando numa série de temas a serem desenvolvidos no decorrer da narrativa; tais questões vão além das amorosas, perpassando a vida social, política e os valores transmitidos nessa passagem histórica.

Algumas outras personagens, como Kitty e Liévin, também surgem com destaque no enredo, nos proporcionando situações distintas e dinâmicas de acordo com a personalidade de cada um. A construção das personagens é riquíssima, sendo um dos pontos altos do livro.

A escrita de Tólstói é magnífica e abrilhanta todo o enredo, que parece simples, mas que em suas mãos se torna profundo e reflexivo. Anna Kariênina é uma obra repleta de sentidos, na qual as personagens passam por altos e baixos, são complexas e tentam lidar a todo momento com os intricados valores difundidos na sociedade do seu tempo.

É uma leitura mais do que recomendada; se você aprecia um bom clássico, não pode deixar de ler essa preciosidade publicada recentemente numa nova edição pela Companhia das Letras, com apresentação de Rubens Figueiredo e posfácio de Janet Malcolm.





Deixe o seu comentário

2 Respostas para "[Resenha] Anna Kariênina – Liev Tolstói"

Fabiana Roberta - 24, novembro 2017 às (15:11)

Olá ,já tinha ouvida falar deste livro mais ainda não tive a oportunidade de ler parece ser um livro riquíssimo achei esta edição muito linda,também não assisti o filme mas espero um dia conhecer esta obra.
Bjs

Responder

RUDYNALVA CORREIA SOARES - 26, novembro 2017 às (21:05)

Clívia!
Acredito que tem mais de 30 anos quando fiz a leitura desse livro e as personagens são tão marcantes que nunca saiu da minha cabeça.
Lendo sua resenha, todo enredo voltou, bem como o prazer de ler esse clássico, preciso fazer uma releitura, porque é um livro atemporal.
Desejo um ótimo domingo!
“A poesia contém quase tudo que você precisa saber da vida.” (Josephine Hart)
cheirinhos
Rudy
TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por